1. Spirit Fanfics >
  2. Choerry, a camgirl >
  3. Rinha de Alfa.

História Choerry, a camgirl - Capítulo 17


Escrita por:


Notas do Autor


Hey, rockers!

Capítulo 17 - Rinha de Alfa.


O dia na casa não tinha sido bem como eu esperava…

 

"POR QUE VOCÊ NÃO VAI TOMAR NO SEU CU?" Sooyoung gritou irritada e, como se não fosse nada, jogou um copo na direção da outra garota.

 

Bom dia pra quem?

 

Tudo tinha começado no momento em que Sooyoung entrou pistola na casa. Aproximadamente uma da tarde, quando eu estava com uma tigela de cereal Sucrilhos nas mãos — sim, depois que eu tranquei o curso de Filosofia para dar início ao curso de Pedagogia no próximo semestre o meu ciclo de sono tinha ficado um pouco confuso. Estava dormindo tarde, acordando tarde. De qualquer forma, estava tomando café da manhã na hora do almoço enquanto assistia um episódio repetido de Nailed It, cujos participantes estavam tentando reproduzir um bolo com a cara de Donald Trump.

 

Um caos.

 

Só não sabia que aquele bolo horrível não seria a coisa mais caótica que eu veria naquele dia.

 

Então, como eu ia dizendo, Sooyoung entrou do nada na casa, bufando aos quatro ventos. Bateu a porta da frente com força e entrou pisando duro.

 

"O que foi?" Eu perguntei horrorizada, me assustando com sua entrada agressiva.

 

Ela não respondeu. Mas, para justificar seu mau humor, uma desconhecida entrou pela porta da frente como se aquela fosse a maldita casa da mãe Joana. Eu estava de pijamas, qual é! Cadê o respeito?

 

"Sooyoung, vamos conversar" A estranha mal me notou parada no meio da sala, olhando pras duas em total descrença. Tigela de cereal na mão, os jurados julgando o bolo caído de Donald Trump e Sooyoung ao ponto de surtar.

 

"Conversar é o caralho!" Ha gritou estressada, partindo em direção ao corpo da estranha. "Eu vou arregaçar sua cara! Saí da minha casa, saí!"

 

A estranha deu dois passos para trás, erguendo as mãos na frente do corpo para tentar se afastar de uma Sooyoung avançando cada vez mais.

 

Que porra estava rolando no meio da minha sala?

 

"Qual é, Soo, você está exagerando!" A estranha ergueu a voz pra mostrar alguma dominância, mas foi em vão; Sooyoung acertou um soco em cheio na cara dela, fazendo a outra cambalear para trás.

 

"Toma o exagero no meio da tua fuça!" Sooyoung berrou. "E vou dar outro se não sair da minha frente!".

 

Eu não sei bem o que estava pensando quando decidi largar a tigela de cereal no sofá e correr para ficar no meio das duas, impedindo Sooyoung de avançar ainda mais e dar outros socos na desconhecida. Ela só estava nervosa, ia acabar fazendo alguma besteira maior. "Soo, calma!" Pedi exasperada, tocando seu corpo para mantê-la no lugar.

 

"Yerim, sai da frente" A Ha rosnou de um jeito que nunca tinha rosnado pra mim, zangada. "Eu vou arregaçar essa comedora de namorada agora!"

 

Puts.

 

A estranha estava no chão, se arrastando debilmente. Pela força de Sooyoung e a forma com que ela estava se impondo sobre o meu corpo, julgando também a nossa diferença de altura, ela ia acabar me atropelando como uma picape monstro.

 

Mas, para nossa sorte, Hyejoo entrou na casa. Parou na entrada, segurando as alças da mochila e em total choque quando viu a desconhecida no chão, eu de pé segurando Sooyoung e a Ha parecendo um touro.

 

Touro. Comparação engraçada por causa dos… Enfim!

 

"O que tá rolando?" Hyejoo, confusa, perguntou. Os olhos demoraram um pouco mais na garota no chão, com o lábio inferior cortado jorrando sangue. "Kahei, o que você tá fazendo aqui?"

 

"Vim conversar com Sooyoung, mas parece que ela não quer papo" A tal Kahei respondeu com um palpável ressentimento na voz.

 

"Você comeu a minha namorada!" Sooyoung berrou e forçou o corpo para frente outra vez, me custando um bocado para mantê-la no lugar. Qual é, caralho! Eu sou sedentária, não tenho força! Meus bracinhos já estavam doendo de tanto esforço!

 

"Ex-namorada" Kahei berrou de volta.

 

"Perai, você comeu a Haseul?" Hyejoo, tão confusa quanto eu, perguntou. "Cara…"

 

"Elas já tinham terminado, tá bom?" Kahei tentou justificar, mas parecia medíocre com o lábio cortado e o sangue escorrendo. "Ela tava tristonha, então eu propus que fossemos tomar um café juntas pra ela desabafar!"

 

"Então daí você achou apropriado molhar o biscoito?" As veias do pescoço de Sooyoung pareciam que queriam explodir. Ela estava vermelha e os punhos fechados me davam um pouquinho de medo, mas era meio que sexy ao mesmo tempo.

 

"Não foi culpa minha que ela ficou me alisando" Kahei grunhiu de volta e daquela vez eu não tive como segurar, Sooyoung me empurrou pro lado e caiu sobre Kahei, dando um soco na cara dela com tanta força que pensei que faria a cabeça da garota girar sob o pescoço.

 

Hyejoo foi rápida em jogar a mochila para o lado e saltar para tirar Sooyoung de cima de Kahei, apartando aquela briga horrível. E eu, de pé e no meio da sala, só observando.

 

"Caralho, Sooyoung, pelo amor de Deus" Hyejoo, toda esbaforida, reclamou. "Resolve isso que nem gente, merda!"

 

"Que nem gente?" A mais alta protestou irritada, ajeitando a camiseta que estava torta no corpo por causa da pequena briga. "Ela pode ser uma das mães da criança que a Haseul está carregando, Hyejoo. Essa daí merece paulada!"

 

Kahei riu, mesmo que já estivesse toda esfolada. O nariz sangrava e o lábio cortado. "Eu não tenho culpa, ok? Foi completamente consensual. Ela quis, Sooyoung!"

 

"Você era a porra da minha melhor amiga, cacete!" De novo, aquela gritaria infernal. Tenha santa paciência! "Eu confiava em você. Agora eu descubro que você transou com a minha namorada e pode ser mãe do bebê".

 

Silêncio. Só o áudio da tv, ainda passando Nailed It produzindo algum ruído. Hyejoo estendeu a mão para que Kahei se levantasse do chão e, com um olhar duro, encarou Sooyoung. "E bater nessa idiota vai ajudar em que, huh? A Haseul já engravidou, cara. Bater na Kahei é só sujar sua mão com merda".

 

"Ei" Kahei protestou. 

 

"Qual é, Kahei, não vou te defender nessa" Hyejoo murmurou de volta, tocando os ombros da garota para guiá-la até o banheiro. Provavelmente para lavar o rosto e fazer um curativo naqueles machucados. "Fica pensando aí, eu já volto pra vocês conversarem de um jeito decente".

 

Então Kahei e Hyejoo desapareceram na trilha para o banheiro. Sooyoung bufou pesadamente, passando os dedos entre os fios de cabelo castanho. Estressada.

 

"Tem algo que eu possa fazer?" Meio sem jeito, ainda atordoada pela briga, eu me pronunciei.

 

"Me traz um copo de água, por favor?"

 

Eu corri pra cozinha como se meu rabo estivesse em chamas e abri a geladeira para pegar uma garrafa de água, nem me importando com copo. Ela já bebia água no gargalo mesmo… "Toma".

 

Ela abriu a tampa e bebeu quase a garrafa toda em uma respiração só. Estava suando e ainda vermelha, mas o olhar de fúria não estava mais lá. No lugar havia um olhar triste e vago. "Obrigada, Yerim".

 

"Não é nada" Eu empurrei uma das cadeiras da cozinha pra ela se sentar e assim Sooyoung o fez, encarando os dedos dos pés de uma forma preocupada. "Ei, você não fez nada de errado, ok? Eu te entendo, acho que eu no seu lugar teria pegado uma das facas da cozinha".

 

Ela riu, mas não parecia muito animada. Tipo, uma risada verdadeira, sabe? Parecia que estava rindo porque sabia que era o que tinha de fazer. "Eu só estou decepcionada, não imaginei que Kahei poderia ser uma das mães do bebê da Haseul".

 

"Vocês eram amigas?"

 

"Ela morava aqui antes de você, saiu alguns meses antes" Sooyoung quase beirava ao tédio dando aquela explicação, as mãos se mexendo nervosas no colo. "Mas, sim, éramos amigas. Ela se formou, foi morar sozinha e tal… Mas não achei que um dia ela poderia ser fura olho".

 

"Eu não fui fura olho" Kahei voltou para a cozinha escoltada por Hyejoo e, embora estivesse com a cara limpa de sangue, não parecia menos nervosa. "Se você quer sinceridade, eu nem queria transar com ela na primeira vez porque eu estava cansada"

 

Hyejoo deu um pisão no pé de Kahei, fazendo a mulher urrar de dor. "Ops"

 

Sooyoung suspirou de novo e bebeu mais um pouco da água que eu tinha oferecido. Acho que estava tentando manter a compostura. "Não quero saber. Você não conseguiu manter seu pau dentro da cueca do mesmo jeito. Você me traiu, Kahei".

 

"Desculpa, não sabia que tinha uma obrigação moral com você" Kahei rebateu com sarcasmo. Hyejoo, assim como eu, fechou a cara. "Ela queria, Sooyoung. E estava solteira. Por qual motivo eu diria não?"

 

"Amizade" Sooyoung grunhiu entre dentes.

 

"Que amizade? Falar de camgirl, bater punheta e jogos de futebol não é amizade" 

 

Sooyoung se levantou da cadeira como se fosse atacar, por isso eu e Hyejoo endurecemos e nos preparamos para outra briga, mas nada aconteceu. Sooyoung se levantou e andou pela cozinha até pegar um dos copos de vidro da casa.

 

Para explodir em um surto e jogá-lo na direção de Kahei. "POR QUE VOCÊ NÃO VAI TOMAR NO SEU CU?"

 

Oh, Deus! Lá vamos nós, de novo!

 

"Era mais do que isso, imbecil" Sooyoung estava chorando. O que por si só era bastante chocante! "Eu confiei meus segredos em você, cara! Eu te contei meus medos! Eu até chorei no seu colo quando descobri que Haseul tinha me botado gaia!"

 

Kahei ficou em silêncio. Aos poucos, depois de ter desviado do copo e visto sua vida inteira passar diante de seus olhos, ela perdeu um pouco da pose prepotente e sarcástica. Os olhos estavam com um brilho diferente, como se ela estivesse emocionada, e o olhar baixo, tímido e envergonhado. "Sooyoung…"

 

"Vai embora, Kahei" Com uma voz instável e quebrada, Sooyoung finalmente se entregou. Hyejoo instantâneamente se sentiu mal, e olha que elas estavam meio que brigadas por causa do que tinha acontecido entre mim e Sooyoung. 

 

"Soo…" Kahei insistiu. Ela era meio baixinha, mais baixa do que Hyejoo, e os traços do rosto não deixavam esconder que ela não era coreana. Era uma chinesa linda, de olhos tão mais bonitos quando mostravam alguma vulnerabilidade. "Eu sinto muito. Eu não tenho como mudar o passado"

 

"Tanto faz agora, Kahei. Só… Esquece. Se esse filho for seu, eu não quero saber mais nada sobre você e Haseul. Finge que eu não existo, valeu?"

 

O silêncio era tão desconfortável que até eu senti vontade de cair fora — e olha que eu adoro estar no meio de uma briga ou momentos que rendem uma boa fofoca. Kahei abaixou a cabeça, reconhecendo que não havia mais nada para fazer ali, e fez menção para ir embora. Mas antes, suspirou. "Eu realmente sinto muito, Soo. As coisas não deveriam ter terminado dessa forma. Você é legal pra caramba, eu teria ficado com você se fosse a Haseul".

 

Hyejoo franziu o cenho com a frase. Debochada como bem era, não deixou passar. "Gay"

 

"Qual é, pirralha? Você pode ser maior, mas eu ainda te arrebento no murro!"

 

Hyejoo deu um soco fraco no ombro de Kahei quando as duas estavam fazendo juntas o caminho para fora da casa, observadas atentamente por mim e Sooyoung. Ouvi Ha estalar a língua de um jeito impaciente, indo na direção da bagunça de cacos de vidro que tinha feito poucos metros de distância.

 

"Deixa que eu limpo, Soo" Sugeri enquanto movida pela minha generosidade — ou pena da coitada que tinha descoberto uma traição daquelas!. Não que eu quisesse mesmo limpar, mas… "Sério, deixa aí. Pode ir pro seu quarto, eu sei que você quer ficar sozinha".

 

Sooyoung, teimosa como era, não me ouviu. Pegou a vassoura e a pá de lixo, varrendo os cacos para jogá-los fora. Hyejoo voltou pra cozinha com um olhar de preocupação e um misto de curiosidade, mas não disse nada sobre. Na verdade, ela me deu uma olhada daquelas esquisitas e comentou. "Por que você está usando pijamas?"

 

"Acordei tarde".

 

Sooyoung limpou e colocou as coisas no lugar, passando por nós duas para entrar em seu quarto sem dizer uma única palavra. De repente estava tudo muito tenso.

 

"Que merda aconteceu aqui?" Finalmente decidi perguntar. Ok, eu tinha entendido que Kahei comeu a Haseul logo depois que Sooyoung terminou o namoro, mas ??? 

 

"Ah, rinha de ego" Hyejoo disse como se não fosse nada, pegando uma das frutas na nossa fruteira. "Kahei sempre foi pegadora e Sooyoung era como a fiel escudeira virjona. Até Haseul, claro".

 

História interessante.

 

"Por que você tá sumida nos últimos dias?" Cortando o lenga-lenga, decidi meter a voadora. Não literalmente, obviamente. Só queria matar o elefante gigante que tinha se instalado no momento em que ficamos sozinhas. 

 

Já fazia dias que não ficávamos sozinhas. Ou falávamos sobre aquele assunto. Ou qualquer assunto, no geral.

 

"Ocupada com o estágio" Hyejoo deu uma mordida na maçã e a fruta fez aquele barulho fromc de maçã molenga. Eca. "E você? Matou sua rotina depois que trancou o curso?"

 

"Talvez…"

 

"E maratonar Nailed It de novo parece uma boa pra você?" Ela abriu aquele sorrisinho presunçoso que eu odiava. Que raiva! 

 

"Estava triste e achei que comidas absurdamente feias iam animar meu dia" Reclamei fingindo irritação, mas no fundo não estava ligando tanto. Edai? Eu gosto de ver gente fazendo coisas feias!

 

"Ainda não voltou a amizade com Yeri?" Hyejoo se moveu pela cozinha pra jogar a maçã no lixo, ficando de costas. 

 

E ok, eu tinha uma coisa esquisita para falar sobre a visão dela de costas. Lembra quando eu disse que Hyejoo era magricela, quase raquítica? Talvez ela não estivesse tão raquítica assim. Pelo menos não era o que aqueles ombros estavam dizendo debaixo do tecido de algodão da camiseta gasta da Vans. Ela parecia levemente mais fortinha.

 

"Ela não sabe que vidro não pode jogar fora assim?" Reclamou enquanto tirava o saco e procurava uma caixa de papelão pra colocá-lo dentro. "Pode cortar a mão dos lixeiros!".

 

"Deixa aí, eu troco" 

 

Ela não me ouviu, continuou caçando uma caixa até achar uma vazia de leite e rasgá-la para descartar o vidro adequadamente. "Você não respondeu a minha pergunta".

 

"Ah, tá!" A pergunta que eu não respondi porque estava observando os ombros dela, entendi. "Não. Sei lá, não acho que quero falar com Yeri agora. Preciso do meu tempo pra absorver o que ela disse e não levar pro pessoal, entende? Não quero reatar a amizade com esse calo machucando".

 

Por fim, Hyejoo embalou a caixa de leite com uma fita adesiva e enfiou a caixa dentro do novo saco de lixo. "Acho que você deveria voltar. Tá ficando com cara de deprimida".

 

E, sem dizer mais nada, saiu pro quarto dela. Eu não sabia se seria apropriado seguí-la como um cachorrinho segue seu dono, então fiquei no meio da cozinha pensando se era uma boa falar com Yeri ou voltar pra minha maratona de Nailed It.

 

No final, old que eu era orgulhosa e sentei meu rabão no sofá pra continuar vendo comidas feias e gente passando vergonha por dinheiro.

 

E meu cereal ainda estava lá, me esperando.

 

Mas foi só dar uma colherada…

 

"Eca, tá murcho!".

 

(...)

 

Pelo menos tivemos boas notícias no meio daquele caos todo. Hyunjin me contou que teve uma conversa bem séria com Heejin e elas iam oficialmente namorar! Eu estava muito feliz por ela vencer seu medo de intimidade e vulnerabilidade emocional, me sentindo mais como uma mãe orgulhosa.

 

A má notícia era que Heejin insistiu muuuuuito para que Hyunjin fosse morar com ela e, tenho de admitir, os argumentos que a garota usou foram muito bons. Primeiro porque elas poupariam gasolina, tendo a opção de irem juntas para o trabalho. Segundo porque Heejin já tinha seu próprio apartamento e não pagava aluguel, já que havia sido um presente do pai dela. Gastariam apenas com as outras despesas e, apesar de Heejin ter insistido muito de que poderia pagá-las sozinha, Hyunjin insistiu para que fossem divididas por duas pessoas para que ela também pudesse contribuir. 

 

Terceiro porque a localidade do apartamento era muito boa, melhor do que a nossa. Quarto porque elas iam ter mais intimidade pra fazerem o que queriam e quando queriam.

 

Quinto porque Heejin não se importava se Hyunjin adotasse uma gato, o que seria um problema aqui em casa porque Sooyoung não gosta de gatos e Hyejoo é alérgica.

 

Ela tinha motivos o suficiente para aceitar.

 

E aceitou.

 

Hyunjin ia fazer uma festa de despedida no fim de semana, mas confessou pra mim que só estava o fazendo porque gostava muito das meninas e achava que seria falta de consideração ao tempo que viveram juntas simplesmente ir embora. Ela reclamou um pouco que processo de mudança era muito desgastante e eu pude total concordar por conta da minha Não-Mais-Tão-Recente mudança.

 

Mas já estava triste que não veria aquela beldade todos os dias quando acordava…

 

Pra comemorar sua coragem, parabenizar o relacionamento e a mudança, nós pedimos uma pizza e deitamos juntas no chão da sala, rindo das histórias malucas que ela contava do escritório dela e eu, como a boa fofoqueira que era, contando tudo que tinha acontecido naquele dia tão caótico. Jinsoul chegou uma hora depois com cheiro de ômega no corpo e com garrafas de vinho, o que nos deu impulso para falar sobre coisas que não estávamos falando antes.

 

"Você parece ter superado a Sooyoung" Hyunjin comentou quando eu, de novo, contei toda a história de Sooyoung e Kahei para que Jinsoul soubesse.

 

"Águas passadas" A loira respondeu com um sorriso pra lá de afetado, já toda bêbada. "Jiwoo é tão boa pra mim… Sei que ela pode ter parecido uma maluca, mas Yerim tinha razão! Ela estava se esforçando demais pra fazer vocês gostarem dela".

 

Ew. Apoiar a SweetPeach? Cruzes, nem morta! Apoiar Jiwoo? Talvez

 

"Por incrível que pareça, Heejin gostou dela!" Hyunjin deu mais uma golada na sua taça de vinho, evitando sorrir ao falar de sua namorada. "Ficou dizendo que eu tinha ótimas amigas e que você e Jiwoo fazem um casal tão bonito!"

 

Jinsoul gargalhou, mas acho que estava fazendo de nervoso. As orelhas dela estavam vermelhas e se eu não conhecesse Jung Jinsoul… Eu provavelmente não saberia que ela estava morrendo de vergonha. Hyunjin aproveitou para continuar. "Ah, e ela me fez um monte de perguntas sobre você, Yerim! Tipo, várias! Perguntou se você não tinha um namorado ou algo assim… Ela ficou dizendo que você é muito bonita e legal pra estar solteira".

 

"Porque quer" Jinsoul cutucou com um olhar malicioso. "Se Yerim quisesse, estaria agora mesmo sendo player 2 de uma certa Alfa…"

 

"Ah, não! Não, Jinsoul" Eu tentei reclamar, mas a língua estava pesada de todo o vinho, então ficou bem embolado. "Hyejoo é minha amiga. Somos amigas".

 

"Qual é, Yerim. Abre o jogo, você não tem nem vontade de dar um beijinho pra saber como é?" Jinsoul provocou com uma risada e eu tasquei o murro no braço dela. "Aí!"

 

"Claro que não! Ela é… Amiga! Amigos não beijam!" Tentei me defender, mas Hyunjin estava rindo do meu jeito bêbado e Jinsoul não estava comprando as respostas.

 

Vacas!

 

"Amigos com benefícios existem, sabe?" Jung continuou provocando. "Quem sabe ela poderia ser o seu estepe enquanto você não tem ninguém oficial. Pelo menos não ia ficar se esfregando com qualquer pessoa!"

 

"Eu não quero magoá-la" E, de repente me sentindo estranha com o assunto, virei minha taça de vinho inteira e me servi de mais um pouco. Hyunjin deixou.

 

"O que eu quero dizer é que vocês poderiam estabelecer uma amizade colorida sem se magoar, cabeçuda! Ela ganha, você ganha… Vai dizer que nunca imaginou?"

 

"Já".

 

A resposta não tinha sido premeditada, óbvio. Escapou como água correndo entre os dedos, tão facilmente que eu só senti quando os olhos arregalados de Jinsoul me encararam e Hyunjin escancarou a boca em uma expressão de total choque.

 

Meu deus, o que eu acabei de dizer?

 

"O QUE?" Jinsoul, a escandalosa, começou. "Você já imaginou vocês duas…?"

 

"Já, ok?" Envergonhada, eu virei a outra taça de vinho de uma só vez. Ninguém fez nada pra impedir. "No cio. Em uma das noites do cio eu imaginei Hyejoo e eu fazendo".

 

"E foi bom?" Hyunjin também não era nenhuma inocente. O olhar dela entregava suas expectativas com a minha resposta, mas pelo menos ela era mais sútil do que Jinsoul.

 

"Foi…? Quero dizer, tinha todo um lance íntimo, mas o sexo foi" Queria cavar um buraco e enfiar minha cabeça dentro. Nunca mais sair. Voltar a viver em sociedade quando estivessemos em 2200 e ninguém que eu conhecesse estivesse vivo pra lembrar daquele momento tão vergonhoso. "E não quer dizer nada"

 

"Claro que diz!" A rainha das teorias, Jung Jinsoul, comentou animada. "Se você não pensasse positivamente na possibilidade, sua mente nunca ia projetar esse tipo de ideia e sentimento".

 

"Jinsoul meio que tem razão…" Hyunjin concordou.

 

"Claro que eu tenho! Yerim, se sua mente projetou esse pensamento enquanto sua ômega estava mais sensível, quer dizer que ela se atraí pela Hyejoo! Ou, pelo menos, sente algo de atraente nela".

 

Ponderei. Já estava bêbada mesmo e não tinha mais como limpar minha imagem da grande desgraça que eu tinha confessado, então… Pra que esconder? "Eu olhei pras costas dela hoje. Tipo, não um olhar qualquer. Eu… Talvez ela esteja malhando, sei lá. Está mais fortinha".

 

"Gostosa?" Jinsoul sugeriu.

 

"Sim" Suspirei pesadamente e deitei no chão, cedendo ao sentimento de vergonha extrema. O que eu estava dizendo, pelo amor de Deus? Lady gaga, rainha do Pop, me salva! 

 

"Não estou surpresa" Jung continuou presunçosa. "Já tem algum tempo que eu observo isso e eu senti de longe o cheiro de Friends to Lovers. Eu era uma adolescente que lia muita fanfic, sabia? Me tornou uma expert em prever esse tipo de coisa"

 

"E o que você vai fazer sobre?" Hyunjin, a mais sóbria de nós três, me encarou profundamente. E, diferente das vezes semanas antes, eu não estava me sentindo atraída pelos olhos dela. Talvez porque ela estivesse namorando Heejin…

 

"Nada"

 

"Meu deus, como você é burra!" Jinsoul gritou. "Yerim, vocês fariam o casal mais divertido que eu conheço! Talvez o mais esquisito também, mas perfeitas uma para a outra!"

 

"Jinsoul, eu não quero arriscar a nossa amizade com um relacionamento que pode não dar certo, ok?" E, pela primeira vez desde que estávamos bebendo, eu me senti estranha. Pressionada, tensa. "Ela vale demais pra eu arriscar por causa de uma atração".

 

Jinsoul se calou. Hyunjin bebeu mais do seu vinho e ponderou minha resposta. "Você está certa. Mas lembra que eu e Heejin também começamos da amizade, então pode dar certo"

 

Não respondi. Me senti no direito porque não era uma pergunta, era mais uma observação pessoal de Hyunjin. Eu não tinha que falar sobre aquilo se não quisesse, era o que ela estava tentando dizer.

 

Jinsoul, então, quebrou o silêncio que se instalou. "Kahei e Haseul, uh? Ainda estou chocada com isso".

 

Hyunjin abriu um sorriso debochado, colocando mais vinho pra si mesma. "Boba eu não sou. Kahei já queria furar o olho da Sooyoung muito antes, mas meio que não julgo. Haseul faz o tipo de toda atleta com poucos neurônios. Quero dizer, ela é bonita, inteligente e rica…"

 

"Faria a Haseul?" Jinsoul perguntou com uma risada debochada, empurrando o ombro de Hyunjin. 

 

"Claro que não! Diferente de Kahei, eu sei respeitar uma amizade"

 

"Ficaria puta se eu pegasse a Heejin?" Jinsoul continuou provocando, jogando uma piscadela na minha direção para brincar.

 

"Óbvio que sim!"

 

"Sabia que eu já recebi uma nude dela?" Jinsoul confessou do nada, fazendo os olhares da sala caírem sobre ela. Hyunjin arregalou os olhos.

 

"Que?"

 

"Antes de vocês" Jinsoul esclareceu apressada, com medo da reação da Kim. "Foi só uma foto de cueca depois de acordar, nada sério"

 

"Vou matar você" 

 

Hyunjin caiu por cima de Jinsoul, mas estava meio grogue e só ficou por cima mesmo, tentando sufocar a loira com o peso de seu corpo. Jinsoul estava se debatendo debaixo dela, me chamando para ajudá-la, mas eu que não ia me meter.

 

Já tinha me metido em brigas demais por um dia.

 

"Você não transou com ela, né?"

 

"Não! Foi só uma foto!"

 

"Ah, bom! Porque ela é minha"

 

"Fica tranquila! O volume que ela tem dentro da cueca é todo seu".

 

"YAH, JUNG JINSOUL!"

 

Jinsoul gargalhou. "E eu menti?"

 

Pronto, tudo que eu merecia naquele final de noite era ficar pensando na possibilidade de namorar minha melhor amiga e em duas frangonas brigando por causa de nude.

 

Auge.


Notas Finais


O próximo vai ter putaria hein ! Só não vou dizer de quem com quemkkkkkk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...