História Choices. - Farosella - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias MasterChef Brasil
Personagens Ana Paula Padrão, Erick Jacquin, Henrique Fogaça, Paola Carosella
Tags Farosella, Masterchefbrasil
Visualizações 77
Palavras 1.385
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Harem, Literatura Feminina, Policial, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bom Capitulo♡

Capítulo 12 - Capítulo XII


Fanfic / Fanfiction Choices. - Farosella - Capítulo 12 - Capítulo XII

~ Paola Pov ~

Yo acordei com um barulho vindo da cozinha coloquei a blusa do Henrique e a calcinha e desci as escadas , quando adentrei a cozinha vi ele cozinhando.

- Nem me esperou. - Você estava tão linda dormindo,não quis te acordar. Yo sorri. - Quero fazer alguma coisa. - Empanadas? Nunca mais vamos poder fazer isso quando retornamos ao Palácio.

- Si tem razão. Ele se virou para mim e beijou meus lábios eu acaricei sua nuca - Nunca vai parar de acontecer não é? - O que? - Meu coração querer sair de mim toda vez que me toca.

Yo sorri e mordi os lábios, ele voltou a fazer o que fazia. Peguei as coisas e comecei a fazer as Empandas, uma música baixa tocava no rádio eu ainda tentava identifica-la.

. . .

- Onde estamos indo?. - Vem você vai adorar. Andamos um pouco pela floresta até chegarmos em uma linda Cachoeira. - É lindo!!

- Eu sabia que ia gostar.

Rapidamente retirei a saída de praia ficando com um biquíni azul escuro Henrique praticamente me comeu com os olhos.

- vamos daqui. Ele me puxou pelo braço subimos em uma pedra alta - Sobe. Yo pulei nas costas dele e ele saltou da pedra caindo na água. Subi a superfície.

- Podíamos ter morrido!

- Está comigo está com Deus.

- Acho que yo vou virar ateu.

Ele sorriu e me puxou para os braços. - Eu te amo sabia? - Si,você me disse milhares de vezes - Acho que nunca é o suficiente eu sempre preciso dizer que te amo então se ficar repetitivo vai ficar por que não vou parar.

Eu joguei a cabeça para trás e ri - majestoso marido você é incrível. Nesse instante escutamos um barulho na Moita próxima a nós - o que foi isso?. Henrique saiu da água e yo também vestindo a saída de praia ele vasculhou a Moita e achou um enorme facão de cortar Mato .

- De quem é isso?..- pode ser de alguns dos moradores.

- moradores? - sim, aqui perto tem uma vila e eles vivem é daqui que as frutas do Castelo vem pos são plantadas em solo vulcânico então o sabor e totalmente diferente. - Ti tenho que concordar. - quem diria "Usted" concordando comigo? - Vai ficar me imitando igual o Jacquan?

- nem que eu quisse-se seu sotaque parece que me derrete toda vez que escuto - Ah é Corazón?. Ele suspirou - Fala de novo. Me virei e envolvi o pescoço dele - Co-ra-zón. Eu soletrei ele se arrepiou e Beijou meus lábios. - vem vamos na Vila está na época de festival da lua deles.

- Ah, yo ouvi falar disso - Vai adorar é sua cara.

Nós andamos um pouco até chegar em uma enorme vila logo fomos recebidos por um homem ele usava uma manta de cores vivas enquanto o restante de sua roupa era em um tom azul escuro ao seu lado havia uma linda mulher de vestido amarelo em um estilo tanto afro quando indiano ele era amarelo com algumas fechas em estampa vermelha, deixava um pedaço da barriga de fora e terminava com um lindo adorno no pescoço.

- Olá vossa majestade. Ele apertou a mão de Henrique - Paola esse é Luan e sua esposa Luna eles são os líderes dessa tribop.

- Muito prazer. - quem me admira meu amigo, depois de tantas escolhas terríveis escolheu uma linda esposa. Eu ri

- esses homens acham que eles nos escolhem mais na verdade é completamente diferente. Disse Luna - Ah com certeza.

- ser marido da medo. - com certeza. Os dois homens refletiram. - Sério? - Sério. Eles ficaram em silêncio.

- Vamos Paola deixe esses dois ai vou te mostrar a vila. - Uh, vamos. Disse animada. Nós andamos pela Vila ela me observava e o quão o meu contato com a natureza era algo sem medo.

- Incrível.

- hm?

- você sendo da realeza parece não ter medo da natureza.

- É que sou a pouco tempo..a um tempo atrás convivia com tudo isso. Disse colocando a mão no pequeno córrego. - filha de una família de 17. - olha mais uma coisa que temos em comum, também não tinha expectativas na vida?

- Acho que somos a mesma pessoa de nomes diferentes.

Paramos em frente a una enorme casa o estilo da floresta era visível e tanto o de Luna .

- finalmente Luna, quem é a branquela? - Paola é o nome. Yo disse - eu te perguntei? - Carla! Ela é a rainha tenha algum respeito.

- M..Me desculpa majestade. - Olha, eu gostei de usted então vou se misericordiosa. - ..claro - quero que me deixe fazer um vestido desse para mim. - o que? Sério?

- Si. Luna riu- ela tirou onda com você Carla.

- De fato yo sou a rainha mais no me importo se foi com a minha cara ou "Cara" - Você é engraçada..Não se comporta como a realeza teria feito comigo..Eu estaria destroçada se fosse à.

- Abby? Si com certeza, vamos dizer que ela me bateu una vez por que obedeci una ordem dela.

- Nossa, Bem Paola vem vou te mostrar tudo.

Fui guiada por Carla ela era uma mulher mais velha que yo, a casa tinha diversas cores e música cheiro de comida e temperos então chegamos em um quarto onde yo vi vários panos coloridos e diversas estampas acho meus olhos chegaram a brilhar.

- E é aqui que a mágica acontece

- por onde começamos?

- Primeiro temos que medir você, é bem alta. - Nem fala, soy mais alta que o rei. As duas mulheres riram.

Yo subi em un pequeno pedestal e elas me mediram, algumas horas depois yo usava um vestido de panos azul ele era amarrado nas costas e traçava tecidos azuis e pretos, ele deixava a barriga de fora e a saia tinha uma faixa lateral que mostrava a perna, yo fiz com coque e amarrei a frente com uma das minhas faixas estampadas.

As mulheres fizeram uma maquiagem em meu rosto típicas de lá, mais sem exagerar muito como eu pedi.

. . .

A lua e o céu eram algo fascinante de se ver, Fazia horas que yo no via Henrique certamente ele ficou atirando flechas.

Yo entrei na parte decorada da praia era tudo lindo e decorado e longe identifiquei Henrique atirando as flechas com Luan e outros homens. Peguei una bebida que era servida em um Coco e andei até ele é fiquei o observando. Ele se virou pra mim e atirou a flecha pro Alto errando pude notar o quão impressionado ele ficou. Ele se aproximou.

- Ou...- Gostou? - é perfeito. Meu rosto corou ele suspirou como se tivesse ficado sem me ver por anos ele acariciou meu rosto com os dedos. - você é linda. - Si por causa da roupa? - não mesmo.

Henrique me puxou pela cintura e grudou nossos corpos, ele lentamente passou os lábios pelos os meus, yo suspirei e meus ombros relaxaram. Yo senti sua mão pesada e agressiva passando por minhas costas, meus dedos acariciavam a nuca dele. Lentamente movimentavamos os lábios com o beijo, que foi separado bruscamente por um barulho de tiro. Henrique me puxou bruscamente pra dentro de uma casa e a porta se fechou.

- O que foi isso!!!. - Calma. Ele tentou olhar e conseguiu yo apenas ouvia o barulho de gritos dos nativos e tiros dos rebeldes - Rebeldes..- o que vamos fazer?

Pela outra janela pude ver eles formando uma fila de pessoas ajoelhadas entre eles Luna, Luan Carla e outros inclusive crianças.

- Henrique..o que vamos fazer.

- só fique Paola. - No eles vão morrer por nossa culpa. - Paola eu..Pela primeira vez não sei o que fazer. - Yo tenho una ideia usted confia em mim? - como minha vida.

Um tiro foi ouvido em seguida o choro de Luna - Vocês tem cinco minutos para aparecerem vossas majestades ou acabamos com essa merdinha de Vila. - Vamos.

Yo e Henrique saíamos da casa.

- Ora, ora quem se juntou a nossa festinha. Um dos homens me puxou e me separou de Henrique. - ahmm Henrique...- vai ficar tudo bem meu amor. - calem as bocas.

- levem eles para o barco.

- PAOLA. - SOLTEM ELES!. Troquei um último olhar com Luna então tudo apagou após uma arma bater em minha cabeça e me apagar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...