História Choices - Capítulo 21


Escrita por:

Postado
Categorias Mitologia Nórdica, Os Vingadores (The Avengers), Thor
Personagens Frigga, Heimdall, Lady Sif, Loki, Odin, Thor
Tags Asgard, Frigga, Laufey, Laufeyson, Loki, Lokisigyn, Marvel, Mcu, Odin, Sif, Sigyn, Thanos, Thor, Thorsif
Visualizações 75
Palavras 3.348
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Ficção, Luta, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas do Autor


Mais um capítulo fresquinho e eu ameeeeei escrever 💚❤️

Capítulo 21 - Chuva


Fanfic / Fanfiction Choices - Capítulo 21 - Chuva

Thor ainda estava processando o que Sif lhe contara.

- Eles saíram juntos mesmo? E montados em Ônix? – Ele pediu enquanto caminhavam para a sala de treinamentos, fazia algum tempo que não treinavam juntos e a ideia de Thor pareceu agradar Sif.

- Exatamente como eu te contei... Sinceramente, não sei o que pensar sobre isso... – Ela falava sincera, com uma certa tristeza na voz.

- Sigyn não é criança Sif... – Thor disse rindo – Vai saber se cuidar! – Ele falou ainda sorrindo, mas por dentro não poderia deixar de estar temeroso, Sigyn já auxiliou Frigga a tira-lo da masmorra, porque teria interesse nela ainda?

- Você tem razão, mas estamos falando de Loki... Nós o conhecemos bem, mas Sigyn ainda não... – Sif não deixou de lado a preocupação com a amiga – Falando em Loki, o que vocês estão aprontando?

- Como assim? – Thor não entendeu o que ela quis dizer, mas já imaginava sobre o que se tratava.

- Não tivemos a oportunidade de conversar antes, eu vi quando você o impediu de confrontar Odin dias atrás... – Thor estava sério Sif havia percebido o contato dos dois, ele apenas abaixou a cabeça – Escute-me não sei se quero saber sobre o plano de vocês, mas espero que seja por uma boa razão!

-E é... Pode ficar tranquila... – Thor sorriu para Sif que retribuiu – E Loki não faria mal a Sigyn... – Thor disse agora olhando para o nada e pensativo.

- Eu espero que não...

Entraram juntos na sala, não lutariam ali, apenas passaram para pegar algumas espadas e utensílios necessários. Sif foi direto até a espada para seus treinos e Thor que já estava acompanhado do Mijolnir pegou uma espada também, para a luta ser mais justa. Saíram juntos e se dirigiram à arena, lá aconteciam as grandes lutas, duelos e batalhas, uma grande arquibancada estava disposta em toda a extensão oval do lugar para o público ter a visão completa do que ocorria.

Sif e Thor treinavam juntos há muito tempo, o incentivo mútuo era apenas um detalhe diante da destreza dos dois. Mal chegaram à arena e o treino teve início, o local estava vazio bem diferente da maioria dos treinos onde sempre haviam expectadores para o espetáculo eminente. Sif ágil como sempre, se esquivava da maioria dos golpes do amigo, nenhum dos dois poupava força ou facilitava as coisas, o treino deveria ser o mais próximo da realidade, na medida do possível.

O tilintar das espadas era forte e marcante, como deveria ser, nenhum abaixava a guarda, nenhum se dava por vencido, estavam lutando á algum tempo quando perceberam o tempo mudar.

- Thor... Pare com isso... – Sif com a espada em posição de defesa percebeu as nuvens grossas que cobriam Asgard.

- Não sou eu... – Ele respondeu tentando um ataque, sem sucesso.

Sif sorriu, realmente não eram todas as chuvas causadas por Thor, mas naquele momento ela estava mais preocupada em não perder para ele.

Assim como Sigyn sabia que iria acontecer, Loki disparou por um momento, ela o apertou um pouco mais e sentiu os cabelos se soltarem, sorriu e fechou os olhos ainda com a cabeça apoiada nas costas dele.

- Relaxe... Não vou deixar você cair... – Loki dizia entre uma risada gostosa que Sigyn nunca ouvira vir dele antes.

Ela apertou a mão que se mantinha com os dedos entrelaçados como resposta, ele por certo não ouviria nada que ela dissesse. Os olhares de todos eram num misto de espanto com admiração, de fato um cavalo negro em disparada, com Loki e uma mulher na garupa chamaria a atenção, nada que incomodasse ambos, Sigyn ainda estava com os olhos fechados quando percebeu que Ônix diminuía o ritmo.

Soltou-se um pouco, se afastou e abriu os olhos, estavam indo por um caminho diferente do que ela conhecia, um grande gramado extremamente verde e algumas árvores faziam o lugar parecer ter saído de uma pintura.

- Eu sempre vinha aqui quando era mais novo... – Ele dizia olhando para frente.

- É longe do palácio... – Sigyn disse olhando para os lados como se fotografasse com o olhar cada detalhe.

- Por isso mesmo que eu vinha para cá... – Ela percebeu que ele sorriu, mas abaixou o olhar – Aqui eu podia treinar, feitiçaria principalmente, sem machucar ninguém...

- Entendo... – Sigyn achou aquela conversa toda muito estranha, mas não questionou – Sem querer apressar nem nada e nem cortar o clima nostálgico, mas assim... – Olhou para cima e as grandes nuvens de chuva já estavam sendo visíveis – Acho melhor a gente ir, Thor não deve estar em um bom dia...

- Nem todas as chuvas vêm de Thor... – Loki olhou para cima e deduziu que Sigyn estava certa, em pouco tempo cairia uma grande chuva em Asgard, conduziu Ônix para continuar no caminho de antes e um pouco mais rápido – O que ele gosta são dos raios, trovões, coisas mais espalhafatosas...

- Detesto raios... – Sigyn apenas olhou para cima.

- Eu também... – Loki disse sorrindo.

Thor e Sif podiam sentir as grandes e frias gotas de chuva caindo, mas não estavam desmotivados, por várias vezes lutaram na chuva, mau tempo nunca foi empecilho.

Os golpes eram defendidos com maestria, enquanto a água escorria pelo corpo dos dois, Sif que estava de cabelos amarrados não sentiu tanto o incomodo no rosto, ao contrário de Thor, os cabelos loiros estavam começando a pingar e a grudar em sua face.

- Se você quiser parar é só dizer... – Sif dizia sorrindo e provocando.

- Nunca! – Thor respondeu com um ataque.

Sif sentiu seus braços tremerem e o pé afundar um pouco no chão molhado da arena, mas conseguiu deter a espada que faria um estrago se concluísse seu trajeto.

Sif estava agoniada em ver os cabelos de Thor que insistiam em grudar nos olhos dele, Thor ria, realmente não se importava, para ele passar um tempo com Sif estava sendo como uma válvula de escape, não pensava em nada quando estava com ela, apenas em admirá-la cada vez mais, sentia algo diferente na boca do estômago, como se fosse explodir a qualquer momento. Ali rindo entre um golpe e outro ele teve certeza, a certeza que demorou para admitir a si mesmo, gostava de Sif. Gostava de estar com ela, gostava da companhia dela, gostava de como se davam bem e gostava de vê-la, então porque tinha medo?

- Vem cá... Vou arrumar isso... – Sif disse largando a espada no chão e se aproximando dele.

Thor apenas soltou a espada também vendo Sif se aproximar, a chuva fazia a pele dela brilhar e o olhar ficar ainda mais intenso, não sabia ao certo o que fazer, normalmente nessas situações estaria confiante e tomaria alguma iniciativa, mas com ela tudo era novo e diferente.

Sif se aproximou e as mãos delicadas, apesar de fortes, arrumavam os cabelos rebeldes para longe do rosto dele, nem percebera que ele a olhava, somente depois de um tempo notou os olhos profundos e azuis a fitando, em outros momentos ela iria desconversar, fazer alguma piada, mas o coração acelerado não deixou Sif dizer nada. Ainda com as mãos nos cabelos dele percebeu que ele a envolvia , a mão forte não demorou a chegar ao meio das costas dela, enquanto a outra se erguia em direção à nuca.

Olharam-se mais uma vez nos olhos antes de os fecharem e sentirem os lábios um do outro. Um misto de sentimentos preencheu os dois, não sentiam mais a chuva, não sentiam se estavam sendo observados, apenas estavam ali, um para o outro. O beijo lento e tão certo pareceu demorar demais para ter acontecido, as bocas se encaixavam e as línguas dançavam em um ritmo somente, como se fossem feitas para se completarem, as borboletas no estômago de ambos sumiram, estavam esperando o momento certo para serem libertas e o momento chegou. Afastaram-se um pouco, encostaram as testas ainda de olhos fechados, apenas sentiam a chuva que não cessou e caía como bênção dos deuses sobre os dois, o sorriso veio involuntário antes de Thor a puxar para mais um beijo.

Ônix estava indo rápido, mas não foi o suficiente para Loki e Sigyn não se molharem, a chuva veio mais rápido do que previam, mas não foi o suficiente para se encharcarem. A chuva estava começando a cair quando chegaram na vila onde Eivor mora, onde Sigyn também morava, não era uma vila pequena, mas era simples, as poucas pessoas que estavam nas ruas faziam algumas reverencias desajeitadas quando percebiam que Loki estava passando.

Sigyn indicou o caminho para a residência, sinalizou quando se aproximaram do que parecia ser o destino final, uma casa simples que Loki deduziu não ter mais que três cômodos. Ao pararem, Loki desceu antes, passou a perna pela frente da cela e se ajeitou no chão, Sigyn desceu logo depois, com Loki lhe auxiliando pela cintura. Assim que os pés dela tocaram o chão, percebeu onde estava, muito próxima de Loki, ele ainda a segurava, nem percebera que não precisava mais do gesto, os olhos se encontraram e se perderam um no outro por alguns segundos até ouvirem um pigarro alto demais para alguém que estava simplesmente limpando a garganta.

- Vovô... – Se separaram visivelmente sem graça, Sigyn correu ao encontro do senhor e o abraçou com força.

Loki arrumava as rédeas de Ônix num lugar mais seco, Sigyn indicou para que ele o colocasse ao lado da casa e assim o fez.

- Entra... – Sigyn disse abrindo a porta da pequena e humilde residência, mas percebeu que Loki não movera um centímetro, ele abriu a boca para responder – Vai ficar ai parado na chuva? Deus da Teimosia... Entra!

Loki não a questionou, sem dúvidas estar na chuva não estava nos seus planos para aquele dia, abaixou um pouco a cabeça e passou pela porta.

- Sigyn, podia ter me dito que viria e que traria um dos príncipes com você... – Disse o senhor que, meio sem jeito levava uma chaleira de água ao fogão.

- Nem eu sabia que iria vir, muito menos que Loki viria comigo! – Sigyn se aproximou da cozinha – Sente-se, pode deixar que eu faço...

Eivor se sentou e entregou uma cadeira a Loki que sentou também, educação era um dos pilares dos ensinamentos de Frigga, jamais a desapontaria. Sentou e passou a observar o lugar, era cheio de panelas e utensílios de cozinha, no meio estava um fogão à lenha que dava um ar aconchegante ao lugar. O senhor de cabelos brancos observava Loki em silêncio, não era a melhor pessoa para se ter dentro de casa, mas preferiu falar com Sigyn primeiro.

- Eu sei... Nem se compara ao palácio né... – Sigyn quebrou o silêncio constrangedor entregando uma xícara de chá para cada um.

- Mas não deixa de ter o seu valor... – Ele respondeu sentido o cheiro tão conhecido – Estava sentindo falta do seu chá...

- Já está cozinhando no palácio? – Eivor se espantou um pouco.

- A comida dela era a melhor coisa do meu dia na masmorra... – Sigyn nem conseguiu responder, Loki disse com um sorrisinho enquanto bebia um gole.

- Cozinhava para a prisão? – Eivor agora estava completamente assustado e meio nervoso.

- Ela levava as refeições para mim... – Ele disse piscando para ela, recebendo um olhar matador de volta – Me ajudou a manter minha mente nos eixos... – Ele falava cínico e sem se abalar.

- Você ia para a masmorra? – Eivor se levantou da cadeira, Sigyn foi até ele e Loki permaneceu sentado bebendo seu chá calmamente.

Sigyn precisou de um tempo para acalmar seu avô, explicar a ele que haviam guardas e que ela estava segura, viu algumas vezes Loki tentar intervir, com certeza falaria da confusão no primeiro dia ou do vinho, mas ela não deixaria ele falar, já havia causado caos demais por um dia.

A chuva do lado de fora caía sem cessar, o assunto sobre a masmorra foi esquecido, Loki não falara mais nada, apenas observava tudo, concordava com a cabeça em alguns momentos e deixava os dois conversarem, passou a caminhar pela casa discretamente, parou olhando a chuva em uma janela, mas não deixou de prestar atenção na conversa dos dois.

- ... E Frigga então? Nos demos muito bem desde o dia que cheguei ao palácio... – Sigyn falava animada como sempre, Loki nem precisou olhar para trás para saber que ela mexia as mãos e falava sorrindo – Queria que a conhecesse...

- Seria um prazer conhecê-la Sigyn... – Eivor disse num tom igualmente amável, mas Loki não se deixou enganar.

Franziu o cenho quando percebeu a mentira deslavada, Eivor conhecia Frigga, acabara de mentir para Sigyn, mas por quê? O que a sua mãe tem a ver com esse senhor?

- Um dia quem sabe vovô... – Sigyn não havia percebido a mentira, mas como pudera? – Eu preciso pedir umas coisas... – Ela pedia calma e mais tranquila, Loki se virou de fato aquela visita não seria para somente matar a saudade, percebeu que Eivor se ajeitou na cadeira, já não simpatizava mais com ele – Você sempre me disse que eu era especial, que eu estava destinada a grandes coisas... A que se referia?

Aquela pergunta caiu como uma bomba, Loki se aproximou dos dois e se sentou a lado dela, não perderia a chance de analisá-lo.

- Sigyn eu... Não sei se... – Ele dizia olhando discretamente para Loki, que percebeu e se sentiu desconfortável, poderia analisar a conversa de outro ângulo, não faria diferença.

- Está tudo bem... – Sigyn o parou quando ele iria se levantar – Loki me ajudou nisso, desde o início, tenho sintomas estranhos, desmaios... Na última vez, eu... – Ela o olhou por um instante o vendo abaixar o olhar – Desmaiei e aconteceram coisas... Não sei o que foi sonho, o que estava em minha mente...

- Sigyn, seus pais me entregaram você, pois eles não poderiam te dar uma vida digna, sabes disso... – Sigyn concordou com a cabeça, já conhecia muito bem aquela história, Loki estava cada vez mais curioso para saber até onde tudo aquilo ia ir – Eu apenas sinto, podes chamar de premonição, mas você é mais forte do que pensa, vais enfrentar muitas lutas ainda minha querida, mas sei que és forte!

Loki se segurava para não revirar os olhos a cada palavra dita por ele, a mentira ia mais a fundo do que ele imaginava e isso o deixava enojado. Sentia-se honrado quando alguma mentira trazia beneficio as pessoas, mas neste caso Eivor enganou Sigyn pela vida toda, passar mais tempo ali seria o suficiente para perceber sobre o que mais ele mentia.

Sigyn, que estava de mãos dadas com Eivor, as tirou com urgência, estava com um semblante estranho, indecifrável, de fato ela não conseguia esconder quando algo a incomodava.

- Obrigada vovô... – Ela tentou ser gentil, Loki percebeu – Vou pegar Ônix, precisamos voltar... – Ela saiu pela porta sem ao menos olhar para trás.

- Sabe, Eivor, agora eu sei que vim aqui para um propósito... – Loki esperou Sigyn sair por completo para poder falar – Não sou o Deus das Mentiras por nada...

Eivor estava apavorado, se esquecera completamente desse fato, mas ele não poderia se esquivar a vida toda, Sigyn mais dia ou menos dia iria descobrir, mas outras coisas ele achava que nunca precisaria contar. Loki saiu pela porta e logo se virou para cumprimentar o senhor que o acompanhou, mas estava estático.

- Fique tranquilo, eu descubro tudo... – Disse sorrindo e dando uma piscada para o senhor que apenas acenou sem jeito, fingindo que nada acontecera.

Sigyn colocou as rédeas de Ônix no portão e abraçou seu avô, uma despedida rápida tendo em vista o carinho que foi na recepção, Loki não questionou, pegou as rédeas e estava tomando impulso para subir quando foi parado por ela.

- Eu conduzo agora! – Disse pegando na mão dele e sorrindo, pela primeira vez depois daquela conversa estranha com Eivor.

- Tudo bem então, senhora decidida, eu te ajudo! – Ele falou erguendo as mãos e a ajudando subir pela cintura.

Foi mais fácil do que ele imaginava e ao olhar para cima viu Sigyn com uma postura formidável, ele nunca vira uma mulher montar em Ônix sozinha antes, era uma visão muito bela, ele precisava admitir. Sigyn segurava as rédeas com destreza, como se sempre o fizera, como se fosse a coisa mais natural do mundo e um arrepio passou pelo seu corpo inteiro.

- Vem... Vai subir ou vai ficar olhando? – Sigyn o tirou de seus devaneios com o jeito único dela, esticou a mão assim como ele mesmo fizera mais cedo e o ajudou a subir.

Era, de fato, uma sensação estranha. Loki não poderia chegar muito perto dela na cela, deveria ter cuidado em seus movimentos, não queria parecer um tarado pervertido, mas se rendeu neste dia ao admitir que Sigyn estava muito atraente.

Seguiram o caminho, sem muitas novidades, mas Sigyn preferiu retornar e passar pelo campo onde vieram, depois da chuva seria interessante ter outra perspectiva do local. Loki percebera que com o andar de Ônix, ela apertava as rédeas, não puxando o cavalo, mas apertando as tiras com as mãos e poderiam machuca-la com algum movimento brusco.

- Aqui... Deixe-me fazer isso! – Loki passou os dois braços envolta dos ombros dela, Sigyn reduziu um pouco a postura para se ajeitar melhor. Loki agora conduzia Ônix mesmo ela estando na frente.

Sigyn não deixou de corar, estava, literalmente, nos braços de Loki, riu em pensamento pensando em como contar isso a Sif. Aos poucos desceu as costas para trás sentindo se encostar-se ao peito dele, então relaxou por um momento.

- Está tudo bem? – Loki perguntou e diminuiu o ritmo quando percebeu o que ela fez.

- Está sim, só estou pensando... – Ela disse se ajeitando no peito dele, era uma sensação nova, para os dois.

- Posso saber no que? – Loki fechou um pouco os braços a envolvendo em uma espécie de abraço, enquanto encostou o queixo no topo da cabeça dela, Ônix estava devagar não iria ser desconfortável.

- Não tem graça, você pode ler a minha mente... – Ela disse sorrindo e colocando as mãos em cima das mãos dele na rédea.

- Mas eu não vou... Sabes disso! – De fato ele podia, mas ter o prazer de ver Sigyn contar o que pensa era melhor, provavelmente acostumou-se com ela lhe contando tudo, isso acontecia desde a época da masmorra.

- O que eu vejo como sonhos, não foram somente sonhos né? – Ela perguntou, ele queria que ela demorasse mais, mas Sigyn não é tão paciente e ele deveria lidar com isso – Eu sinto dores, nas costas, nas mãos e principalmente na boca toda a vez que eu me lembro... Eu vejo você, o que aconteceu de verdade?

Sigyn apenas recebeu um suspiro em resposta, ela não fazia ideia de como aquele assunto o machucava, de como doía lembrar-se do que ele viu, mas aos poucos Loki contou, contou sobre o que viu, contou sobre como ela estava e Sigyn passou a mensagem que a voz lhe disse, ainda chocada com os relatos. Ambos ficaram por um momento em silêncio, nada precisava ser dito, apenas os galopes de Ônix ditavam o ritmo dos pensamentos dos dois. Involuntariamente ela passou a mão esquerda na boca e logo ergueu para a nuca de Loki, dando uma espécie de abraço improvisado recebendo o braço dele envolta de sua cintura a apertava contra ele, Loki abaixou o rosto e o encaixou no pescoço dela.

- Não vamos mais falar sobre isso... – Ele disse próximo ao ouvido dela e sentiu ela se arrepiar.

- Espero que algo assim nunca mais aconteça... – Ela falou de olhos fechados, sentindo a respiração dele em seu pescoço e orelha.

- Eu também!

Loki depositou um pequeno beijo ali e viu o sorriso largo que se formou no rosto dela, voltou a postura de antes, soltou o corpo dela aos poucos, mas ela permaneceu praticamente deitada em seu peito. Não estavam com pressa para voltar ao palácio, não estavam com pressa de se desvencilharem daquele momento, aos poucos iam aprendendo a se decifrarem, a se conhecerem num ritmo que era só deles.


Notas Finais


Então pessoas o que acharam? Mais um capítulo para aquecer o coração mas com alguns adicionais! No aguardo dos comentários 💚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...