1. Spirit Fanfics >
  2. Choices >
  3. Reunião

História Choices - Capítulo 34


Escrita por:


Capítulo 34 - Reunião


Fanfic / Fanfiction Choices - Capítulo 34 - Reunião

- O povo está descontente Odin, você está se afastando de suas obrigações e ninguém sabe para quê...

- Estou visitando antigos aliados, reafirmando alianças... Coisas que um rei de verdade deve fazer Mankrom!

- Um rei de verdade saberia as necessidades de seu povo, não nos desafie... – Cortou Sihres.

- Desafiar? – Odin soltou um riso nasal e forçado – E o que seriam capazes de fazer?

- Que Bör me perdoe, mas você não deveria ter sido nomeado rei! – Sihres disse se levantando e sendo acompanhado por alguns líderes que murmuravam palavras de incentivo – Se não fosse aquele pergaminho teríamos uma votação e seria escolhido um rei mais experiente... Pelos deuses estamos falando de Asgard e acabou caindo nas mãos de alguém que mal sabia o básico para governar...

- Sabendo o básico ou não Sihres, Asgard prosperou e ainda prospera... Nunca houve tanta riqueza na história desse reino como depois que assumi o trono, meu pai estaria orgulhoso...

- Seu pai estaria com seu povo! – Mankrom fechou os punhos e se apoiou na mesa.

- Contentes ou não, Odin é o rei de Asgard a eras... E era o desejo de Bör! – Vorwing disse sem expressão.

- Obrigada Vorwing... Vocês acham que eu fiquei genuinamente feliz ao sentar-me no trono? – Odin caminhava devagar e aumentou um pouco o tom de voz – Meu pai morreu... Na minha frente... E eu... Eu não sabia o que fazer... Mas esse foi o seu último desejo e eu não vou desapontá-lo... – Uma voz embargada e a mão no peito foi o suficiente para mudar o rumo daquela conversa.

- Nós sabemos o quanto foi difícil para você Odin... – Vorwing disse colocando uma mão em seu ombro – Por isso temos este Conselho, por isso estamos aqui, somos unidos e nos ajudamos quando precisamos!

- Precisamos focar em assuntos importantes agora... – Odin disse sentando-se na cadeira mais alta, sem ao menos disfarçar a mudança de assunto, todos os presentes o acompanharam em sua conversa, ao menos era o que ele achava.

A reunião foi até tarde da noite, mas não foi o suficiente para fazer Frigga dormir, ela aguardou a reunião acabar e cumprimentava todos ao sair convidando-os para o baile de Thor que será daqui a alguns dias. Frigga estava sorridente, mas por dentro preocupada com a iniciativa que teve, contou aos filhos e eles quase tiveram uma síncope de nervos, Loki sugeriu até que ela saísse de Asgard, mas que audácia. Jamais abandonaria seu povo e sua família, jamais deixaria Odin vencer, ele ia precisar lutar muito para fazê-la desistir e ela não é uma mulher de desistir.

- Rainha Frigga, quanta gentileza... – Sihres a cumprimentou e beijou o dorso de sua mão – Pode contar com a minha tradicional presença ao baile, falando nisso onde ele está, Thor? Faz tempo que não o vejo!

- Provavelmente em seus aposentos, ele nunca apreciou as reuniões...

- Mas é claro, lembro-me de um de seus filhos sempre nos espiando e questionando tudo querendo saber mais... Loki, claro... Como pude ser tão descuidado, perdoe-me...

- Não se desculpe, não há necessidade... – Os dois caminhavam para um local mais afastado.

- Rainha eu preciso confessar que a forma que Odin conduz Asgard não me agrada...

- Não entendo, este é um assunto para o conselho...  – Frigga disse sorrindo.

- Eu sei, sei bem disso Frigga, mas tem algo a mais... Algo no fatídico acidente de Bör que não entendo...

Ela teve que se conter para não dizer que ele tinha razão, que realmente a morte de Bör não foi um acidente, que Odin armou para que ele morresse para ficar com o trono, mas precisou se conter.

- E desejas falar sobre isso agora? Passou-se mais de uma milha de anos...

- Eu só não sei com quem posso contar, o conselho está dividido, guardei tudo por tempo demais... – Ele precisava ser rápido, falar sobre esse assunto ali era arriscado – Meu pai e Bör eram grandes amigos, dividiram grandes batalhas e ele o ajudava a governar Asgard, mesmo nossos reinos sendo distantes... Meu pai nunca quis seu nome vinculado ao reino, nunca gostou da exposição... Enfim...

- Mhorsen, lembro-me dele... Foi um grande homem... – Frigga disse amável.

- Obrigada... Ele ia com Bör para aquela luta, para tomar aquele pequeno reino ou sabe se lá para quê, mas Odin foi com o pai de última hora e o meu ficou em Asgard... – Frigga pode ver ele se agitar ao contar a história - Meu pai sabia que Bör não queria Odin como rei, não naquela época, Bör entendia que o filho precisava ser mais experiente... Mas logo após a sua morte surgiu o pergaminho em que ele declarava Odin como rei...

- Está relacionando Odin com a morte de Bör? – Frigga perguntou falsamente em dúvida.

- Não me entenda mal, pelos deuses... Mas há anos eu venho pesquisando, preciso de provas que comprovem isso, não posso fazer suposições para o Conselho, não desse tipo...

- Eu entendo Sihres, acredite... – Frigga ponderou por um tempo, mas o conhecia bem e sabia que poderia confiar nele – No baile conversaremos melhor, Odin estará ocupado e posso mostrar o que eu descobri!

- Ao longo dos anos eu venho percebendo como ele a trata, sei que não é da minha conta, é um assunto delicado e pessoal, mas uma rainha não merece nada mais que amor e respeito...

Frigga não soube o que dizer, corou e apenas sorriu de leve. Ela e Sihres se conhecem há muito tempo, era uma amizade que evoluiu para algo que eles não puderam definir. O tempo passou e Sihres somente se deu conta de seus sentimentos quando o convite para o casamento de Odin e Frigga foi feito, ele a perderia e mais, a perderia para o arrogante e mimado filho de Bör. Como competiria com ele? Sihres era de um reino pequeno na época, não tinha muito a oferecer e o medo de ser rejeitado o fez ficar em silêncio e apenas observar a mulher que ele amava se casando com outro. Ele mal sabia que se interferisse Frigga o aceitaria sem nem pensar duas vezes, o casamento arranjado e manipulado ofereceu proteção às feiticeiras de sua família, mas seu coração sofria ao saber que não era por Odin que ele batia, o medo de assumir o que sentia por um homem mais novo fez com que ela aceitasse o casamento, ambos com seus motivos tinham medos demais, tinham receios demais e a falta de coragem não permitiu que interferissem em tudo o que acontecia.

- Já faz tanto tempo... – Frigga disse baixinho e sorrindo.

- Nunca me esqueci... – Sihres respondeu dando mais um beijo no dorso da mão dela – Nos vemos no baile rainha! – Ele disse alto e caminhando em direção à porta.

Frigga apenas assentiu com a cabeça e o acompanhou sair, ao se virar para ir para o quarto sentiu o peso do olhar matador de Odin.

- O que pensa que está fazendo? – Ele disse alto – Manipulando uma reunião?

- Achou que iríamos lutar? Que iríamos impedi-lo pela força? – Frigga colocou as mãos para frente e as entrelaçou – Quem está procurando guerra é você!

- Não procuro guerra Frigga, procuro reaver o que é meu! – Odin se aproximou lentamente.

- Está falando do poder da joia? – Frigga riu e fez um sinal negativo com a cabeça – Você nem sabe se o livro existe, está tão desesperado por poder, está tão frustrado por duas mulheres serem as guardiãs e bem embaixo do seu nariz que não raciocina direito!

Odin apenas apertou a gungnir na mão e fechou a expressão. Sem pensar direito deu uns passos em direção à Frigga e de súbito foi parado, ela estava com a mão direita estendida, com os olhos brancos e o impedia de seguir, o estalo da gungnir caindo no chão fez os ouvidos doerem.

- Ouça bem Pai de Todos... Podemos lutar, eu e você, quando quiser... – Ela ouviu passos atrás de si, mas não se virou para ver quem era. Thor e Sif juntamente com Sigyn e Loki chegaram até a sala do trono, mas preferiram não intervir – Mas não envolva meus filhos nisso, não envolva Sif e não envolva Sigyn... Essa luta é apenas nossa!

- Não é a única guardiã!

Ao ouvir isso Sigyn sentiu sua pele se arrepiar por completo, ele a estava ameaçando sem se importar com quem estava ali, sem se importar com seus poderes, sem ter medo de nada. Loki cerrou os punhos e fez menção de avançar, mas foi parado por Thor.

- Não a toque novamente! – Frigga o apertou, Odin se debateu e se soltou com seus poderes – Estou avisando Odin, não vais querer uma guerra!

O rei nada disse apenas a fuzilava com o olhar, sendo acompanhado por olhares de espanto de todos que estavam observando a cena.

- Achas que vais me assustar? – Ele disse num tom grave e pegou a gungnir que estava no chão – Vamos ver quem vencerá, no final...

- Veremos... – Frigga respondeu séria sem se deixar abalar pela ameaça.

Odin saiu sem olhar para trás, estava furioso, Frigga estava mais forte do que ele imaginava, não poderia lutar sozinho contra ela e Sigyn. Foi para os seus aposentos, caminhava de um lado para o outro tentando pensar em uma estratégia eficaz contra elas, por um momento pensou no Livro, pensou se realmente era real ou mais um blefe de Laufey. Se deu conta de que não adiantaria ter exércitos se o que lhe faltava era mais poder, precisava de um poder obscuro, precisava se aliar com quem não tivesse nada a perder. Pensou melhor e resolveu não agir agora, o Conselho iria observá-lo mais de perto, estavam desconfiando, Asgard precisava se manter no topo e ele não iria permitir outro rei sentando em seu trono, não enquanto ele estiver vivo.

x

Os dias seguiram com as servas e Frigga arrumando os últimos detalhes para o dia do baile e esse dia chegou.

- Frigga tens certeza? – Sigyn estava com algumas flores nas mãos e pediu assim que as colocou na mesa – Um baile depois da ameaça de Odin?

- Tenho absoluta certeza minha querida... – Frigga disse amável e arrumando as flores na água – O Conselho inteiro estará presente, assim como líderes de outros reinos e diplomatas... Ele não será maluco em fazer algo para arruinar sua imagem...

- Tens razão... – Sigyn olhava para o salão e sorria – Nunca estive no baile de Thor antes, eu e Dahlia, minha amiga de infância, fingíamos que éramos convidadas e ficávamos sonhando acordadas... – Sigyn falava relembrando.

Frigga apenas sorria e a acompanhava, Sigyn caminhava devagar olhando para todos os lados como se fotografasse cada canto perfeitamente arrumado.

- Mas agora é diferente... – Frigga parou em sua frente – Estará no baile e é convidada de Loki... – Viu Sigyn abaixar a cabeça e sorrir – Muito obrigada, por tudo que está fazendo por ele... – Ela ergueu o olhar e fitou Frigga com dúvida, de fato Sigyn não conseguia esconder suas expressões – Apenas por estar com ele, por fazê-lo querer ser uma pessoa melhor... Podes achar que não é nada, mas eu sei o quanto ele está feliz ao seu lado e nenhuma riqueza no mundo paga esse sentimento...

As duas se abraçaram sorrindo, Sigyn não disse nada, estava feliz ao lado de Loki e ter o apoio de Frigga era mais que suficiente. Seguiram juntas até a saída do palácio, algumas mesas estavam sendo arrumadas próximas a escada ao lado de fora, uma ideia de Sigyn, visto que os jardins são lindos a noite e poderiam ser observados por alguns convidados.

Thor e Loki subiam as escadarias, estavam em uma discussão que Frigga não quis saber o motivo, eles a abraçaram e Loki deu um beijo leve em Sigyn.

- Onde está Sif? – Frigga perguntou olhando para Thor.

- Está na arena, por mais que o baile seja hoje ela não vai deixar de treinar os novos recrutas...

- Mas o que? – Sigyn disse olhando para o lado oposto e revirou os olhos – EU AVISEI QUE ESSA MESA NÃO PODE ESTAR AÍ... – Ela fechou a expressão e saiu com passos firmes até o local, deveria estar atenta com seu trabalho.

- Nem sei com quem ela aprendeu isso... – Frigga disse ainda olhando para onde ela foi.

- Não olhem para mim! – Loki ergueu de leve as mãos – Não tenho culpa se ela é observadora...

- E como vão os treinos? – Frigga agora o olhava.

- Muito bem, ela é muito forte e tem uma ótima mira... – Loki cruzou os braços – Ensinei a projetar ilusões...

- E como ela se saiu? – Frigga sorriu e se interessou pelo assunto.

- Não muito bem no início, mas é normal... – Loki relaxou um pouco a postura – Agora consegue projetar ilusões de si mesma...

* Dias atrás

A projeção estava fraca e ia sumindo aos poucos.

- Ahhh... – Sigyn estava em pé e se sentou desfazendo a ilusão por completo – Jamais vou conseguir... – Disse apoiando os braços nas pernas e abaixando a cabeça.

- É a segunda ilusão que você cria e já consegue mantê-la por mais de três segundos, é um avanço...

- É pouco...

- Mas é um avanço! – Loki se sentou ao lado dela – Não se pressione dessa forma... Está indo bem...

- Só está tentando me agradar...

- O que houve com a Sigyn otimista? – Loki a olhou – Acredite em mim quando digo que você está indo bem...

- Eu só queria poder ser mais útil sabe... – Ela mexia nas próprias mãos e falava triste – Thor tem o mijolnir, Sif luta melhor que qualquer um que eu tenha visto, sua mãe parou Odin com uma mão só e você... Você luta com adagas, é muito poderoso, faz ilusões perfeitas e mexe com a mente... E eu nem sei ainda o que posso fazer...

- Obrigado por colocar mais adjetivos em mim... – Loki disse sorrindo e arrancando um sorriso dela – Você tem uma mira incrível, está lutando cada vez melhor e é poderosa sim, só ainda não acredita... – Loki se virou de frente para ela – Não caia nas armadilhas que sua mente põe para você, acredite no que vê, no que é capaz... Eu não teria porque mentir para você, te encorajar se você não é capaz seria te levar para uma luta suicida... E eu preciso que esteja segura...

- Precisa? – Sigyn de joelhos se aproximou de onde ele estava sentado, passou uma mão pelo rosto dele e o sentiu arrumar a postura.

- Não sei o que faria se algo acontecesse com você... – Loki admitiu para ela e para si mesmo, que se acontecesse o pior... Ele não saberia o que fazer, Loki Odinson não teria controle algum sobre suas ações e isso poderia ser perigoso.

Sigyn sorriu e o beijou, pegou o rosto dele com as duas mãos e Loki a segurou pela cintura.

- Eu também não sei o que faria... – Ela disse entre os lábios dele e sentiu Loki sorrir, ele a puxou para si e por pouco não caíram para trás – Preciso treinar... – Sigyn disse gargalhando.

Sigyn se levantou e logo Loki estava em pé também.

- Já sabe o que fazer... – Loki disse atrás dela – Concentre-se, por enquanto vai precisar estar com a palma da mão estendida, mas pode ser discreta... Apenas veja você em sua mente, roupas, detalhes, tudo o que conseguir... – Sigyn esticou a mão aberta ao lado do corpo e fechou os olhos, a mão ficou envolta por uma luz branca, na sua frente uma projeção dela mesma começou a surgir.

Sigyn franziu a testa e sentiu a mão esquentar, ouviu Loki murmurar alguma coisa, mas não entendeu o que ele dizia, abriu os olhos e se espantou um pouco com o que viu. Uma Sigyn perfeitamente materializada estava parada em sua frente, nenhum erro, nenhuma transparência, ela estava ali e até respirava.

- Eu... Eu consegui! – Ela sorriu feliz e se aproximou da ilusão – Mal nota-se que é uma ilusão...

- Viu? Eu disse... – Loki chegou perto dela e moveu a mão de leve, uma projeção perfeita dele surgiu ao lado da ilusão de Sigyn, eles se olharam e riram juntos, ver cópias de si mesmos poderia ser perturbador, mas não para eles.

Sigyn ainda com a mão estendida se concentrou um pouco mais, a sua ilusão se moveu e ficou num tom diferente, ela conseguiu realizar uma ilusão corpórea completa e materializada, Loki sorriu ainda mais.

- O que houve? – Sigyn pediu se aproximando da ilusão, tentou tocar o rosto dela convencida de que sua mão iria atravessá-la, mas ela parou, tocou a pele e Sigyn mal pode acreditar – Mas como? Isso é possível?

- Claro que sim, mas eu não uso com frequência... Você viu como precisou se concentrar e eu precisaria também... Ilusões completas são extremamente difíceis, projetei a minha depois de muito treino, estou fascinado por você ter conseguido com tanta rapidez!

Sigyn não soube dizer o que sentiu, estava tão orgulhosa de si mesma, sua ilusão era praticamente real, com um pouco mais de treino e concentração talvez pudesse fazê-la falar, caminhar... Tentou se concentrar mais, mas não conseguiu, tudo girou por um segundo e apenas viu sua ilusão sumir aos poucos.

- Eu sei... Me excedi, desculpe... – Um tempo depois e Sigyn já estava bem, ela estava deitada com a cabeça nas pernas de Loki.

- Não precisa se desculpar, eu te entendo, sempre quis mais também em meus treinos, nunca estava satisfeito... Isso é bom, menos quando você tem uma aptidão estranha por desmaios...

Os dois riram juntos, Loki fazia pequenos carinhos nos cabelos de Sigyn, ela fechou os olhos por um instante e se permitiu relaxar, já havia treinado demais naquele dia, teve um grande avanço então um descanso com ele era bem vindo.

* Dias atuais

- Bom... Isso é bom, quanto mais ela aprender melhor, não sabemos como e quando Odin atacará...

- Já não chega você com ilusões e ensinou a ela? – Thor olhou para onde Sigyn estava – Não a ensine a pregar peças...

- Eu ainda não tinha pensado nisso, obrigado pela ideia irmão...

- Que ótimo... – Thor fechou a expressão por um segundo e logo após sorriu vendo Frigga sorrir também observando os dois.

- Mais de mil anos e ainda não aprenderam a conviver? – Ela disse caminhando para dentro do palácio sendo acompanhada por eles.

- Nunca...

- Jamais...

Os dois responderam juntos e Frigga gargalhou com o clima pacífico, há anos não sentia isso com eles e se martirizava sabendo que Loki precisa saber a verdade, mas não estragaria o momento em que ele está vivendo. Não seria doloroso somente para ele, tem Sigyn na história toda agora e a suspeita de que ela é sua menina a faz querer protegê-la. Afastou os pensamentos e seguiu os filhos, as horas estavam passando e como bons anfitriões precisariam ser pontuais e estarem arrumados à altura do evento.

Sigyn mal se deu conta do horário, apenas percebeu que se ocupara demais quando uma das servas veio chamá-la, pois iria arrumar seu cabelo e ajuda-la a se vestir, num estalo lembrou que não trabalharia no baile, era convidada e de um dos príncipes, precisava estar no mínimo apresentável. Correu até seu quarto, precisava de um banho, dispensou a serva por uma hora, queria descansar e desejava a tranquilidade e o silêncio por um momento.

- Finalmente... – Disse para si mesma ao encostar a porta atrás de si e se escorar.

Tirou as sapatilhas, estava soltando o vestido quando se lembrou de que não vira roupa alguma para o baile, não tinha sequer pensado nisso. O sentimento de desespero foi real, como acompanharia Loki se não tinha vestido algum para uma ocasião dessas? Foi em direção ao armário, precisaria encontrar alguma coisa que pelo menos não a deixasse com cara de serva.

Ao passar pela cama uma caixa chamou a atenção, em cima dela havia um bilhete e uma rosa branca, sorriu com o carinho, seja lá de quem fosse. Sentou na cama com cuidado, pegou o bilhete e o leu estava curiosa para saber o que era e de quem.

“Vou te esperar no topo da escadaria.

Serei aquele que estará usando um elmo de chifres, não se confunda!”

Sigyn não conseguiu segurar o riso, ela conseguia ouvi-lo através das palavras.

“Na caixa tem um presente para você, espero que goste.

Loki.”

Ela sorriu ainda mais, ele havia se preocupado em presenteá-la, sentiu o aroma da rosa que estava junto com o bilhete e fechou os olhos por alguns instantes antes de sanar sua curiosidade por completo.

Ao abrir a caixa se espantou com o que viu, era um tecido num tom rosado claro, sua mente já projetava o óbvio, mas ainda assim parte de si estava cética. Ao tirá-lo da caixa seus olhos brilharam ao ver o vestido que se formou ele era delicado e leve, com alguns pequenos babados que contornam o decote, não haviam mangas, mas sim um tecido fino que cobria somente os ombros, as costas eram transpassadas com uma tira de cetim no mesmo tom do vestido formando um corpete que aparecia nas costas, mas na frente a cintura não ficava tão marcada pois um voal leve e mais claro caía até ao chão.

- Perfeito... – Ela o colocou com cuidado em cima da cama, não ousaria mexê-lo demais, pegou a rosa novamente e suspirou sentindo o perfume mais uma vez antes de se despir e de fato começar a se preparar para o baile.


Notas Finais


O baile finalmente *-* ♥ comentem


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...