História Choices - Capítulo 20


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Castiel, Nathaniel
Tags Amor Doce, Castiel, Nathaniel
Visualizações 13
Palavras 1.877
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 20 - The a team


A psicóloga aconselhou que Bella escrevesse sobre seus sentimentos como uma maneira de extravasar,  ela estava sendo chamada dessa forma porque amava esse nome. Por horas, horas essa que aqueles novos amigos que conseguiu não puderam visitá-la olhou para aquele papel pensando no que colocar nele. Que tipo de sentimento poderia ser sincero? Ela tinha mais medo de não saber quem era ou de saber? Ela não sentia que gostaria da verdade, mas não tinha certeza se sua calma por não sabê-la duraria tanto.

Havia tido sonhos durante sua recuperação, não sabia em que período existiram, nada era muito específico, eram objetos mostrados por mais tempo, frases, rostos distorcidos e vozes conhecidas, nada que puxasse dela o sentimento de quem era. Usou a caneta para rabiscar um único nome: Castiel.

Não saia da sua cabeça.

Se repetia como um mantra.

Como se ela tivesse prometido a ele que nunca o esqueceria.

Mas quando Nathaniel entrou no seu quarto pouco tempo depois não o contou sobre ele, rasgou o papel deixando o médico confuso e encarou respirando profundamente.

— Estou tentando colocar em palavras o que lembro... notando que eu não era interessante. — ri tendo certeza que era uma mentirosa.

Nathaniel se aproxima.

— Acho que você era bastante interessante. — já que até dormindo ela causou algo nele capaz de fazê-lo decidir arriscar-se. Bella brinca seus dedos de maneira nervosa, sem saber bem como reagir ao elogio, Nathaniel une suas mãos como ela já fez, e eles se olham como se prometessem que sempre que o outro não saber como agir se ajudarão.

— Você acha que eu vou me lembrar? — não queria que ele fosse seu médico, queria que a confortasse.

— Eu espero. — foi sincero. Bella não pode negar que ficou confusa, considerava que uma parte de Nathaniel preferia que ela apenas agisse como se sua vida houvesse iniciado quando abriu seus olhos. — Não acho que seja justo tomar decisões agora sem saber o que pode perder por elas. — era sua certeza. Bella entendeu o que ele quis dizer.

—  Acho que já perdi o que tinha, foram anos, sozinha, ignorada, a pessoa que eu era não tem para onde voltar. — Nathaniel queria discordar, mas quis ser sincero, então confirmou suas promessas anteriores.

— A que é agora sempre terá. — devia aceitar porque confiava nele mas não sorriu.

— Não acredito em promessas, acho a pessoa que eu era teve muitas que foram feitas a ela quebradas. — Nathaniel a surpreendeu com o que falou.

— Eu não as quebro. Não começarei as quebrando logo com a garota que salvei.

 

...

Bella não se sentia menos amada na presença da loira que a avaliava como se não tivesse certeza que ela era real, mas realmente não conseguia entender porque alguém que não parecia benevolente como os outros a ajudou a manter-se viva, Melody tinha um quê superficial e aquilo a incomodava porque sentia que uma parte dela tinha também.

Ver nos outros defeitos e se reconhecer como donas deles não era o que esperava.

Não que no presente tenha toma alguma ação que os envolvesse, só considerava que no passado foi repleta delas.

Estavam caminhando pelo pátio do hospital, Bella precisava tomar um pouco de sol e como todos estavam ocupados Melody se ocupou em acompanhá-la. Não era raro a pegar olhando para ela de maneira estranha, totalmente indagadora.

Bella suspirou.

— Desculpe. — Melody falou quando notou que pode ter sido vista a encarando. — Você acordou, queríamos que acordasse mas é inacreditável que agora esteja bem, nós comemorávamos seus anos aqui no hospital fingindo que era seu aniversário e agora podemos saber quando é mesmo... Digo, se você soubesse quem é — se descontrolou nas palavras e Bella riu levemente, entendia Melody.

— O que é inacreditável é como puderam cuidar de mim tão bem... Não sei nem por onde começar a falar obrigada Melody. — continuaram andando e Bella agradeceu aos céus pelo ar fresco que sentia.

— É, algum de nós não estávamos tão empenhados no começo, tipo a Ambre, ela achava uma loucura. — não falou como se quisesse ser ofensiva apenas comentou.

— É o que qualquer um faria. — defendeu a amiga, ela já havia a contado essa parte mas não a julgava. Melody riu com desdém.

— Você é o que Nathaniel esperava que você fosse. — percebe inconformada. Bella não entende. — Você é boa. — afirma e a frase reverbera dentro dela com tanta intensidade que ela se sente tonta, já a ouviu com outro sentido, já a ouviu em outro momento importante. Ela se desequilibra por um segundo e Melody a segura pelo cotovelo. — Está bem? Quer voltar? — se preocupa e Bella pisca algumas vezes. Depois tenta sorrir.

— Só preciso continuar a sentir o vento. — é sua resposta antes de soltar dela e voltar a dar seus passos. Melody continua atenta mas libera ela para que se mexa de novo.

— Nathaniel não me fala dele, não partes importantes, só partes substanciais. Ele é casado? Tem filhos?  — pergunta para mudar a conversa e porque tem percebido hesitação nele sobre, Melody olha para ela como se se perguntasse se podia realmente falar.

— Não. Para ambas as perguntas. — responde então desvia o olhar.

— Melody o que está deixando de falar sobre Nathaniel? Me diga. — indaga firme forçando ela a parar e ficar de frente para ela.

— Nathaniel teve uma noiva, mas, ele terminou o noivado um dia antes do casamento. — contou o que achava interessante. Não era uma atitude boa, Bella sabia, mas ele deveria ter seus motivos.

—  Então... — ainda queria saber o resto.

— Todos falam que foi por sua causa, o relacionamento deles antes mesmo do noivado era horrível, num pódio de importância na vida dele você ocupava o primeiro lugar e Kim Darcey o último, ele raramente viajava para não ficar longe de você, quando passava mal ele fugia de qualquer compromisso com ela para ficar com você...Então... Não temos certeza se ele não se relacionou com mais alguém por medo de não aceitarem o compromisso que ele tinha com você saindo viva desse hospital e bem. — foi como um choque de realidade, tanto que a reação boa que Bella teve aquele exemplo de sinceridade foi fingido.

 

...

Já havia se tornado noite, Ambre teve uns minutos de descanso e aproveitou para passar no quarto de Bella contrabandeando alguns doces, se sentaram na cama dela e passaram a se deliciar com o excesso de açúcar deles juntas. Bella se esforçava para não a questionar sobre o que tinha escutado, se ia falar com alguém sobre seria com Nathaniel.

— Preciso de um conselho. Como amiga você tem que me mostrar seu melhor certo?— Ambre inicia se virando para ela que concorda. — Quero bebês, agora, mas não sei se Armin quer também, não nesse instante, e não quero impor ele a querê-los, se eu contar que quero vai ser como o tempo que pressionei para morarmos juntos, e foi ruim, ele não queria. — explica querendo a opinião de Bella.

— Humm... Talvez possa dar dicas sobre seus interesses, visitas na área pediátrica acompanhada dele, se causar desconfiança nele sobre sua vontade agora quando tiver a conversa sobre ele não ficará surpreso e será racional sobre o que podem decidir juntos. — não sabia se era seu melhor conselho, mas tentou ajudar de verdade.

— Como pude hesitar sobre te salvar? Você é minha melhor amiga. — elogia vendo a majestosidade dela. Ri um pouco e Bella tem uma sensação estranhando sobre seu passado.

— Você que é minha melhor amiga. — afirma não entendendo porque o termo a causa lembranças de quem é.

 

...

Era quase meia noite quando Nathaniel surgiu, achava que ela já estaria em seu décimo sono, porém Bella estava acordada, apenas o esperando para conversar, em pé de frente a janela se virou para ele com nervosismo, a sinceridade dele poderia piorar sua situação.

— Por que não dormiu? — estava preocupado. Se aproximou lentamente e Bella suspirou.

— Não quero parecer alguém com o ego enorme, mas ouvi sobre seu passado..Nathaniel, você terminou com sua noiva por minha causa? — em algum momento ela saberia sobre Kimm só não esperava que não fosse demorar tanto. Nathaniel mal pode piscar quando a pergunta foi feita.

Ele não se moveu mais naquele segundo, apena tentou lembrar das palavras que inventou em sua cabeça caso aquela conversa surgisse, digo ele não queria soar como um louco que desistiu de tudo por ela sem conhecê-la mas foi exatamente o que fez e colocar em voz alta só causaria mais falta de noção, Bella poderia ter medo dele se ele confirmasse, se desse a ela um rastro de convicção de que valeu a pena.

— Não. — foi a resposta mais ridícula que podia ter dado, porque ficou claro que era uma mentira, devia ter improvisado algo improvável mas que não se resumisse a uma sílaba.

—  Então, com certeza não diminui a sensação de culpa que estou nesse momento. Atrapalhei sua vida a esse ponto? Você teve que desistir de um relacionamento por mim? — questionou sem acreditar. Com a voz embargada pela responsabilidade de ter estragado tantas coisas sem ter a intenção.

Nathanil engoliu a seco tendo um flashback de seu término com Kimm.

— Terminei com Kimm porque não a amava. — não era uma desculpa era parte da verdade, mas não convenceu Bella que o fitou firmemente e deu um passo para frente de modo corajoso e atrevido.

— Por que a pediu em casamento se não a amava? — queria que ele fosse mais convicto em seus motivos.

Nathaniel riu sem humor, como a resposta não faria o parecer um idiota vulnerável? Logo se controlou, ele nunca teve hesitações sobre ser vulnerável. Encarou Bella disposto a mostrar-se como é para ela.

— É o tipo de erro que cometemos por medo, nos prestamos ao papel de pessoas ruins apenas porque queremos ser amados ainda  que não amemos o outro como ele nos ama. Darcey me queria e eu queria que alguém me quisesse porque fui rejeitado por quem  precisava que me amasse... Mas, quando eu conheci você... Eu não sei, foi como uma garantia ridícula, eu tinha certeza que você acordaria, e me importar com você era mais seguro que me importar com Darcey, porque você não me machucaria, você não me rejeitaria. — uma lágrima escapou enquanto ele tentava se acalmar.

Mais de uma deslizou pelo rosto de Bella. Que tentou não culpá=lo. Tentou entendê-lo.

— Porque eu sempre seria grata por você ter me salvado. — afirmou compreendendo essa informação coerente.

— Sinto muito, não foi muito ético agir dessa forma. — continuou com suas verdades ao passo que Bella respirou fundo.

A rejeição dele também era conhecida por ela que acolheu em seu coração essa emoção e de maneira quase inocente passou o polegar pela bochecha dele e enxugou seu rosto. Nathaniel ficou surpreso, ainda mais quando ela chegou perto e beijou sua têmpora com delicadeza e passou um tempo considerável com os lábios encostado em sua pele. Quando se afastou estava com um sorriso cheio de certeza. Sobre eles. Sobre o que fariam para serem bons um com o outro. Ela precisava dele. Ele precisava dela.

— Não vamos nos machucar Nathaniel. — era uma promessa e ela não fazia promessas. 

Bella riu quando ele ofereceu seu mindinho, entrelaçaram seus dedos colando junto seus polegares em uma certeza silenciosa de ter sempre alguém que o amará apesar de seus defeitos.

— Não vamos nos machucar Bella. — prometeu e ela acreditou.

 

 

 

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...