1. Spirit Fanfics >
  2. Choices (ItaSaku x SasuSaku) >
  3. Muito eu fiz por nada

História Choices (ItaSaku x SasuSaku) - Capítulo 38


Escrita por:


Notas do Autor


oi oi meus amores <3

como está o final de semana de vocês?

espero que gostem desse capítulo, a surpresa é que temos um novo narrador em um dos trechos ahahaha aproveitem

desculpem pelos eventuais erros de digitação, eu prometo que em breve revisarei todos os capítulos

Capítulo 38 - Muito eu fiz por nada


Itachi

Eu nunca vi a Sakura agir desse jeito, ela parecia tomada por ódio. Seu pequeno corpo tremia e seus grandes olhos verde possuíam uma fúria que nunca imaginei enxergar nela.

 Eu já havia ouvido os boatos sobre sua incrível força física, mas ainda não havia a visto em ação, fiquei realmente impressionado e, um pouco assustado ao ver que com apenas um soco ela jogou Kin por alguns metros a frente. Na verdade, todos pareciam surpresos. Estávamos estáticos observando a pequena garota de cabelos cor de rosa cujo sangue evidentemente estava fervendo em suas veias, enquanto a mesma caminhava em direção a Kin que continuava jogada no chão tentando se recuperar do golpe que havia levado.

Enquanto eu estava parado sem reação, Sakura caminhava pronta para acabar com Kin e, eu sabia que deveria impedi-la, mas não conseguia me mover. Quando vi que foi o Deidara que a segurou pelo braço a fazendo sair da nuvem de ódio em que se encontrava eu fiquei um pouco irritado, isso era algo que eu deveria ter feito. Mas naquele momento eu soube que, se fosse a minha mão em seu braço as coisas poderiam ter tomado outro rumo, ao invés de relaxar a postura como fez com Deidara, o ódio poderia ter se intensificado e se direcionado a mim.

Minutos atrás, quando cheguei ao jardim e me deparei com a cena das duas kunoichis se encarando eu gelei, o único motivo plausível que eu encontrava para aquilo era o fato de Kin ter confrontado a Sakura por ciúmes. Mas, a Sakura não entraria em uma briga na frente de todos somente por minha causa e, a forma como os olhos dela queimavam em direção à Kin indicava que aquela raiva ia muito além. Fui surpreendido quando, pela conversa entre as duas, seus caminhos já haviam se cruzado... algo a ver com a Ino, não entendi muito bem, mas a única pessoa que não parecia surpresa com a informação de que as duas não eram completas estranhar, era Konan. Ela e Sakura se tornaram boas amigas, Konan obviamente sabe o que aconteceu entre elas no passado. Pelo jeito, tem muitas coisas sobre a Sakura que eu não sei.

Agora a rosada deve estar trancada em quarto tentando acalmar os nervos, eu realmente gostaria de ir até lá falar com ela, mas sei que a minha presença só vai lhe causar mais irritação.

 -----------------------------------------------------------

Sakura

Assim que anoiteceu e já havia se passado pouso mais de uma hora da minha pequena briga com Kin no jardim, as meninas se juntaram a mim em meu quarto. Eu já havia tomado banho e estava muito mais relaxada se comparada a mais cedo. Porém, algo dentro de mim sentia que eu devia ter batido mais.

 

– Seu soco foi lindo de ver – Akami ia falando para mim – mas eu acho que você deveria ter batido mais... – ao menos Akami concorda comigo.

– Akami! – Konan disse repreendendo o comentário da morena.

– Que foi?! – Akami perguntou se fazendo de inocente – Não se faça de santa, Konan... nós já queríamos dar uma lição nela há muito tempo. – deu um sorriso sarcástico – Aquela garota é insuportável, fala sério! É metida... tem aquele ar de superior como se fosse melhor que gente... tudo porque, de vez em quando, ela passa algumas horas na cama do Itachi... – Akami falava com desdém – Como se ela fosse a única.

– Depois de hoje eu acho que ela não aparece aqui tão cedo. – Konan falou ao perceber meu descontentamento com o comentário da morena.

– Se ela aparecer a Sakura a expulsa daqui a ponta pés – deu uma risada diabólica.

 

Elas ficaram mais um tempo discutindo sobre se eu deveria ter batido mais na Kin ou não, Akami insistia em mencionar os casos de Itachi enquanto Konan estava se esforçando para mudar de assunto. Eu percebi que o plano de Kisame estava seguindo conforme o esperado, pois Konan evitava a todo custo que Akami saísse do quarto. Isso me deixou feliz e, um tanto quanto aliviada, eu jamais me perdoaria por estragar a noite dos meus amigos depois do meu ataque de fúria.

Nós três ficamos no quarto rindo e conversando por algum tempo, provavelmente, alguém viria nos chamar com alguma desculpa para descermos assim que estivesse tudo pronto, eu deduzi, pois não estava por dentro dessa parte do plano. Não demorou muito para que minhas suspeitas fossem confirmadas, já que nossas risadas cessaram após algumas batidas na porta. Caminhei até a porta e, quando abri, vi um Deidara um tanto quanto nervoso. Parece que vai começar.

 

– Akami? – ele falou depois de me dar um sorriso amigável e, em seguida olhou para dentro do quarto procurando pela morena que nada disse, apenas lhe lançou um olhar entediada de onde estava – Eu preciso da sua ajuda lá embaixo. – ela bufou, claramente não estava a fim de descer e ajudar o loiro seja lá com o que fosse.

– Por que eu? – ela perguntou sem vontade.

– Porque tem ser você. – o loiro disse pacientemente enquanto a morena revirava os olhos.

– Leva a Sakura, sei que você gosta muito mais da companhia dela. – ela deu de ombros e o loiro corou.

– Eu a levaria se pudesse, acredite. – ele disse me fitando e, dessa vez quem corou fui eu – Mas preciso de você. Deixa de ser preguiçosa e vem, te espero lá embaixo. – o loiro virou as costas e a morena se levantava impaciente.

 

Konan e eu nos entreolhamos enquando Akami saía preguiçosamente do quarto, visivelmente sem a menor vontade. Mas ela também sabia que se Deidara a estava chamando deveria ser algo importante, talvez Kisame tivesse se metido em alguma confusão junto de Itachi o que, não seria a primeira vez e, também poderia explicar o motivo de ele estar agindo estranho desde que acordaram. Ele estava claramente a evitando o dia inteiro, dando respostas evasivas às suas perguntas e fazendo o menor número de contato visual que poderia, o que, em contraste com a sua atitude grudenta dos últimos dias era extremamente estranho.

Assim que a morena deixou o quarto em passos curtos e lentos, sem a menor pressa, Konan e eu a seguimos disfarçadamente, afinal, também queríamos presenciar a cena, não deixaríamos o show apenas para os meninos.

Seguimos pelo corredor não muito atrás de Akami e, quando chegamos na escada eu me surpreendi, as luzes estavam totalmente apagadas, o que iluminava as escadas erem pequenas velas nos degraus, formando um corredor iluminado. Esse corredor de velas e rosas levou até a porta da frente e se estendia até o jardim, onde Kisame estava em pé esperando por Akami.

 

– Que palhaça é essa, Kisame? – apesar de tentar parecer irritada, Akami estava, assim como o resto de nós, surpresa. Provavelmente, ela estava se derretendo por baixo dessa máscara de hostilidade. No entanto, eu ainda assim precisei levar uma mão aos lábios para conter um risinho pela reação da morena.

– Akami, eu... – ele pareceu travar por um momento, parecia estar buscando as palavras certas para que nada saísse errado, no entanto, tudo que ele conseguiu com esse silencio foi fazer com que Akami ficasse ansiosa.

– Desembucha... – ele falou gesticulando – eu não tenho a noite inteira. – ele respirou fundo.

– Eu sei que você tem todos os motivos para me odiar. – ele começou.

– Exato, e? – por que ela estava sempre disposta a provocar uma briga entre eles?

– Por favor Akami, só cala a boca e escuta ele. – Sasori resmungou irritado.

– Então... – Kisame suspirou tentando recuperar o clima depois das insistentes interrupções de Akami – eu fiz tudo isso aqui para que você saiba que pode confiar em mim outra vez. – ele fez uma pausa, provavelmente esperando por alguma alfinetada da morena mas, como não aconteceu, ele prosseguiu – Eu nunca fui muito bom com palavras ou, gestos... – agora ele parecia sem graça e levou um dos braços atrás do pescoço passando os olhos por todos aqueles rostos que o olhavam e, parando para encarar um par de olhos verdes em especial e, olhando nesses olhos ele prosseguiu. – Eu sei que fiz muita besteira, mas ficar longe de você foi a coisa mais difícil que já me aconteceu e, - Konan apertou meu braço com as unhas, ansiosa pelo que viria a seguir e tentando conter o gritinho de felicidade – eu não quero ter que ficar longe de você nunca mais. – ele se ajoelho e Akami olhou em volta como se esperasse que aquilo fosse uma pegadinha – Akami, você aceita se casar comigo?

– Eu... é... – quem diria que Kisame conseguiria deixar alguém que sempre tem uma resposta afiada na ponta da língua completamente sem palavras?

– Mas que coisa, aceita logo de uma vez! – dessa vez foi Deidara quem interviu.

– Se você está tão interessado assim, por que não vem aqui e aceita o pedido você? – Akami se dirigiu irritada ao loiro, provavelmente por ele ter atrapalhado seu momento.

– Porque ao contrário de você, eu não sou apaixonado pelo Kisame. Hm. – a morena revirou os olhos com a fala do loiro e voltou a olhar para o homem a sua frente.

– Eu aceito me casar com você. – ela disse e, automaticamente, um sorriso ia se abrindo nos lábios de Kisame – Mas, - o sorriso foi diminuindo – se você aprontar outra vez, você pode me pedir em casamento dez vezes e eu não vou te perdoar. – é claro que ela não ia aceitar sem resistência.

 

Kisame a pegou no colo e deram um beijo na frente de todos, Konan segurava as lágrimas de felicidade pela amiga.

 

– Fico feliz que vocês finalmente se acertaram. – Itachi disse quando já estávamos todos juntos comemorando o noivado deles.

– Ah, nem se anima muito. – disse Akami em tom de brincadeira e, aí eu já soube que vinha coisa – Até o casamento tem bastante tempo para o Kisame estragar tudo. – todos riram.

 

A noite foi agradável apesar do dia que eu tive e, apesar de estar evitando todo tipo de contato visual ou tentativa do Itachi de ficar a sós comigo. Quando já estava tarde, subi e fui para o meu quarto me preparar para dormir. Tantas coisas aconteceram desde o dia anterior que, parecia que tinham se passados semanas e não apenas um dia.

Depois desse momento tranquilo e feliz, tudo que vinha acontecendo desde o dia anterior parecia tão distante, como se tivesse sido há semanas. A implicância e a disputa ridícula entre Itachi e Deidara no bar, o encontro com Sasuke no banheiro, a noite com o Itachi, a aparição de Sasuke na estrada, a briga com Kin... apesar de tudo parecer tão distante, havia acontecido no último dia e, eu estava realmente exausta, precisava dormir.

 

 ----------------------------------------------------------------------------------------------

Itachi

Ver a felicidade do meu amigo era contagiante, no entanto, eu preciso me acertar com a Sakura. Mas como farei isso se ela se recusa a me ouvir?

 

– Konan? – a chamei enquanto ela estava sozinha na cozinha buscando mais bebidas – preciso pedir um favor. – ela virou erguendo a sobrancelha.

– Deixa eu adivinhar... Sakura? – eu odeio ter que meter a Konan no meio de tudo isso mas, no momento, ela é a única capaz de me ajudar. Assenti com a cabeça.

– Temos muita coisa para conversar, mas, ela se recusa a me ouvir.

– Você quer que eu a convença a te ouvir? – seria ótimo, mas eu duvido que funcionaria.

– Eu acho que nem você é capaz de conseguir isso. – sorri tímido – Mas, você pode dar um jeito para que fiquemos a sós, o resto é por minha conta. – um sorriso diabólico se formou nos lábios dela e, então, eu soube de antemão que ela já tinha um plano.

– A gente não tem nada pro café amanha... – ok, mas por que ela mudou de assunto dessa forma? – E eu estava pensando... eu poderia pedir para a Sakura ir buscar. – agora entendi onde ela quer chegar – Você só precisa se oferecer para ir junto.

– E por que ela aceitaria? – Konan me lançou aquele olhar superior de quem já pensou em tudo.

– E quem disse que ela vai? Você precisa ser rápido, antes que outra pessoa se ofereça para ir junto... – ela maneou a cabeça e eu soube de quem ela estava falando... Deidara – o Nagato obviamente vai autorizar, pois você sabe que não podemos sair sozinhos. Mas Itachi, isso não pode parecer ideia minha. Não quero problemas com a minha amiga. Você está por sua conta.

– Obrigada, Konan! – eu sorri e ela sorriu de volta antes de retirar da cozinha.

 

No dia seguinte eu me levantei cedo, sabendo do plano de Konan. Ouvi quando ela pediu a rosada que saísse para buscar as coisas para o café e a garota voltou ao quarto para vestir sua capa. Também ouvi quando Nagato disse a Konan que alguém deveria acompanhá-la e, imediatamente me ofereci para tal, Nagato prontamente aceitou, o que significa que o plano de Konan ia bem. Mas isso não significa que Sakura vai reagir bem a isso.

 

– Itachi vai acompanhá-la. – Nagato disse a Sakura quando ela retornou pronta para partir.

– Eu acho que dou conta de trazer o café da manhã sozinha. – a expressão leve da garota, provavelmente por conseguir passar um tempo fora do esconderijo foi substituída por uma leve irritação ao saber que eu seria seu acompanhante.

– São as regras... – Nagato disse pacientemente, mas ainda assim, a rosada bufou e saiu andando sem muita vontade.

 

Depois de sairmos do esconderijo em silêncio sem que ela direcionasse seu olhar para mim uma única vez, eu finalmente disse algo.

 

– Você vai me ignorar para sempre? – perguntei.

 

 ---------------------------------------------------------

Sasuke

 

Já fazia uns dias que eu rondava em volta do local onde sei que fica o esconderijo, apesar de não saber a localização exata, sei que é nessa área. Estou sempre buscando por algum sinal da presença de Sakura, no entanto, para minha infelicidade, ela não sai com muita frequência e, nunca, absolutamente nunca, está sozinha.

Fui pego de surpresa ao sentir o chakra da garota não muito longe de onde estou, e imediatamente, tomo todos os cuidados para esconder o meu. Eu gosto de aparecer de surpresa e, se ela ou, seja lá quem estiver junto sentirem minha presença acabaria estragando tudo. Conforme ia me aproximando cuidadosamente do local onde ela estaria fui surpreendido ao não sentir nenhum chakra junto ao dela... duas possibilidades me ocorreram: ou Sakura está sozinha, ou o membro da Akatuski que a acompanha também faz questão de passar despercebido.

 

– Você vai me ignorar para sempre? – ouvi uma voz rouca, porém masculina perguntar, o que confirma a segunda hipótese. – Qual é, Sakura? Conversa comigo. – ele pediu.

– Não tenho nada para falar com você, Itachi! – ela respondeu irritadiça.

 

“Itachi!” meu corpo estremeceu. “Ele está aqui? Com a Sakura?” Não pude deixar de ser consumido por uma aura negra de ódio e rancor ou ouvir o nome do meu irmão e, saber que ele estava perto, só piorou as coisas. Eles pareceram parar de caminhar por um instante e eu me posicionei em algum lugar para observá-los.

 

– Eu sei que você está brava comigo, me deixa explicar... – mas o que?

– Eu não acredito... – ela dizia incrédula – Você armou isso aqui, não foi? Armou para que ficássemos sozinhos e eu fosse obrigada a te ouvir... – Sakura está visivelmente irritada, mas o que meu irmão pode ter feito?

– Você não me deixou escolha, está me evitando desde ontem de manhã... até pediu pro Deidara não me deixar falar com você... – eu não sei porquê, mas não estou gostando do tom dessa conversa.

– Ah, – ela disse irônica – depois que a sua amante me expulsou do seu quarto? – amante? Quarto? Por que a Sakura estaria no quarto do Itachi?

– Você sabe que eu não a chamei lá. – ele disse irritado como se fosse algo obvio.

– Sinceramente? Não sei de nada. Eu não consigo confiar cem por cento em qualquer coisa que venha de você. – por que parece que eles estão tendo algum tipo de “dr”?

– Você também não tem sido completamente sincera... – ele bufou e ela arqueou a sobrancelha – Fica de segredinho e risinho com o Deidara pra cima e pra baixo, e teve aquele beijo... – BEIJO?

– Tanto faz, Itachi! Seja lá o que tenha acontecido, acabou aqui. – ela disse irritada enquanto se virava para seguir caminho – O que rolou entre nós não vai se repetir. – a rosada saiu andando, mas logo foi seguida por Itachi.

 

“O que rolou entre nós... o que ela quis dizer com isso?” A não ser que... não. Sakura e... Itachi. Eles estão juntos? Qual seria a outra explicação para a discussão que eu acabei de presenciar?

De repente, me sinto como se tivesse levado um forte soco no estomago. 


Notas Finais


O que vocês acharam? Gostaram da surpresa que o Kisame fez para a Akami? E o Sauke ouvindo a pequena discussão entre a Sakura e o Itachi? ahahahaha

gente, eu já disse aqui uma vez, mas eu estou começando a desenvolver uma nova fic, no entanto, vai ser totalmente diferente dessa, mas posso adiantar que será uma história SasuSaku! Quando eu liberar o primeiro capítulo eu posto o link aqui se for do interesse de vocês <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...