História Choose Love - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Haechan, Mark
Tags Donghyuck, Haechan, Mark, Markchan, Markhyuck, Minhyung, Nct 127, Nct Dream, Nct U, Políamor, Threesome, Twins!mark
Visualizações 121
Palavras 1.894
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Sim, é threesome. O máximo que você vai encontrar aqui é selinho. Se mesmo assim você quiser vim reclamar. Favor ir pro quinto dos infernos. Estamos conversados? Estamos.

Eu conferi, mas sempre passa algo. Estou a dias para postar, mas aqui estou.

Enfim, boa leitura <3

Capítulo 1 - Capítulo Único


Como Lee Donghyuck havia se metido com Mark e Minhyung? A história era longa, porém havia começado logo no jardim de infância. Quando os gêmeos transferidos do Canadá chegaram. Os dois eram crianças bastante agitadas e não seria estranho se não fizessem amizade logo com a principal pestinha da turma, vulgo Lee Donghyuck. Não era incomum ver os três juntos aprontando por ai, e deixando os professores de cabelo em pé.

 

Alguns estranhavam como três garotos poderiam ser tão ligados, mesmo ainda quando eram apenas crianças. Os anos se passaram e amizade continuou evoluindo. Donghyuck era o único além dos pais dos canadenses que sabia diferenciá-los. Os gêmeos até aproveitavam para trocar de lugar as vezes, mas o coreano sempre notava. Para o Lee era fácil enxergar as diferenças entre ambos – tanto na personalidade, quanto fisicamente –, para o ruivo as diferenças eram gritantes, porém por mais diferentes que fossem, ainda era como se os dois se completassem. Enquanto Minhyung era mais calmo e doce, Mark era agitado e um tanto escandaloso. Minhyung parecia ter uma paciência infinita, enquanto Mark se irritava por qualquer coisa. Minhyung sempre tomava a iniciativa de abraçá-lo e as vezes usá-lo como “travesseiro”, já Mark não costumava tomar tanto a iniciativa, entretanto nunca recusava os seus abraços. Donghyuck poderia passar o dia enumerando as diferenças, porém no fim não fazia diferença. Gostava dos dois do mesmo jeito.

 

E como Lee Donghyuck sabia isso? Simples, seu passatempo não declarado era observar os gêmeos. E o mais estranho de tudo era os dois ficando cada vez mais carinhosos com o mais novo. Estranhava? Bastante. Porém não recusava os abraços e cafunes cada vez mais presentes.

 

Não era incomum ver os gêmeos usando o Lee como travesseiro. Sempre que deitavam no sofá para assistir algum filme, o mais novo sempre ficava no meio sendo abraçado por ambos, passavam seus braços por sua cintura e ficavam naquele abraço triplo. Não era como se Donghyuck reclamasse, sentia-se muito bem aconchegado no meio dos dois. Seria mentira dizer que não gostava de todos mimos que recebia dos gêmeos, e da demasiada atenção que dedicavam a sua pessoa.

 

Donghyuck sabia ser alvo de inveja de muitas meninas no colégio. Os gêmeos eram bonitos e carismáticos, sempre chamavam a atenção por onde passavam. Porém dispensavam qualquer um quando o mais novo se aproximava, e dedicavam inteiramente a sua atenção ao mesmo. O único problema era que o mais novo gostava demais dos gêmeos, e estava longe de ser qualquer gostar, ou simplesmente um gostar de amigos. O buraco era bem mais em baixo.

 

As coisas começaram a desandar quando os gêmeos começaram a brigar por sua atenção.

 

Porque na sua mente de quinze anos, parecia impossível gostar de duas pessoas ao mesmo tempo. Era confuso demais, e ao mesmo tempo impossível de escolher. E a briga constante entre os dois não ajudava.

 

Não era comum vê-los brigar entre si. Donghyuck ficou sem saber o que fazer quando os dois começaram a discutir querendo a sua atenção. Falavam alto sem se importarem com quem estivesse ao redor.

 

– Eu cheguei primeiro. – Mark falou irritado encarando o irmão. Segurava a mão esquerda do coreano.

 

– Eu o chamei primeiro. – Minhyung rebateu segurando a mão direita de Donghyuck.

 

E os dois continuaram discutir, como dois idiotas na opinião do Lee mais novo. Cansado das brigas sem fundamento, soltou-se de ambos. Os gêmeos o olharam confuso.

 

– Estou cansado dessas brigas. – Cruzou os braços com uma expressão irritada. – Me procurem somente quando tiverem se resolvido.

 

E Donghyuck afastou-se em passos rápidos, sem dar chance de falarem alguma coisa. Os irmãos se encararam suspirando no mesmo instante. Olharam na direção que o ruivo havia seguido.

 

– Isso é tudo culpa sua. – Mark acusou.

 

– Estamos juntos nessa, seu idiota. – Minhyung respondeu revirando os olhos. – Temos que fazer alguma coisa.

 

– E o que você sugere? – Mark.

 

– Contar a verdade. – Suspirou.

 

(…)

 

No final da tarde, quando já estava mais calmo, Donghyuck perguntava-se se não havia sido muito grosso com os gêmeos. No fundo já batia aquela saudade acompanhada de arrependimento. Porém sabia que por mais difícil que fosse, os gêmeos precisavam se acertar. Aquelas brigas constantes estavam desgastando os três. Ouviu o toque no celular avisando que havia chegado uma mensagem nova. Viu pela notificação na tela que era uma mensagem de Mark.

 

[16:02] Markiie <3 says:

Eu e Minhyung queremos falar com você

 

[16:04] HaeHae says:

Já se resolveram?

 

[16:06] Markiie <3 says:

 

Sim, entramos em um acordo.

Venha nos visitar

Temos uma coisa pra contar

 

[16:07] HaeHae says:

Contar o que ?????

 

[16:10] Markiie <3 says:

Venha e irá descobrir :)

 

Como Haechan odiava quando Mark o deixava curioso. Pensou em contestar, porém o canadense estava offline no aplicativo. Suspirou perguntando-se se deveria ir até a casa do mais velho. Talvez se Donghyuck não fosse tão curioso, principalmente se tratando dos gêmeos, não teria se arrumado tão rápido para sair de casa.

 

Em meia hora, o mais novo já estava tocando a campainha da casa dos irmãos. Não precisou esperar nem por dois minutos, e a porta já estava sendo aberta por um Mark eufórico. O canadense logo puxou Donghyuck pela mão, o trazendo para perto e lhe abraçando. O ruivo estranhou, mas não recusou o abraço. Envolvendo seus braços nos ombros alheios. Mark aproveitou para apertar mais um pouco o corpo pequeno contra o seu corpo, antes de finalmente soltá-lo.

 

– E Minhyung? – Donghyuck questionou sentindo falta do irmão mais velho. Estavam sentados no sofá da sala.

 

– Está tomando banho. – Respondeu simplista.

 

– O que você queria me contar? – Por mais que negasse, o ruivo estava morrendo de curiosidade.

 

– Bom… – Começou incerto sentindo as bochechas ficarem vermelhas. Donghyuck achou a cena fofa, pois era a primeira vez que via Mark constrangido.

 

O canadense segurou as mãos do ruivo, e respirou fundo tomando coragem. Olhou no fundo das íris do ruivo, o deixando constrangido.

 

– Hyuckie…– Começou baixo. – Você sabe que eu gosto muito de você, né?

 

– Sim, por que? – Já começava a ficar preocupado com todo aquele suspense. – Aconteceu alguma coisa?

 

– Mais ou menos.

 

– Mark, não enrola.

 

O canadense respirou fundo como se estivesse criando coragem.

 

– Feche os olhos.

 

– O que? – Donghyuck questionou confuso.

 

– Você confia em mim?

 

O ruivo bufou e fechou os olhos, mostrando que sim, ele confiava em Mark. Sentiu os dedos que antes acariciavam suas mãos, subirem sutilmente até os seus ombros.

 

– Promete que não vai me bater? – Mark estava visivelmente inseguro.

 

– Mark, anda logo. – O coreano já estava irritado com todo aquele suspense.

 

Passaram-se alguns segundos, e Donghyuck já considerava perguntar quando Mark contaria o que era, até que sentiu uma respiração quente próxima ao seu rosto. Seu coração falhou uma batida, com todas as possibilidades que passaram por sua mente. Fez menção de abrir os olhos.

 

– Não abra. – Mark sussurrou próximo demais. – Por favor.

 

Seu rosto queimava de vergonha, e Donghyuck só conseguia imaginar o quão vermelho deveria estar. Começava a soar de ansiedade. Umedeceu os lábios em expectativa. Sentiu um leve roçar contra os seus lábios. Seu coração disparou no mesmo instante. Estava perdido com aquele simples contato de leve. Mark parecia estar testando-o, sondando o lugar, como se procurasse por algum indício de rejeição. O canadense estava controlando-se para não assustá-lo. Tudo teria dado certo, se não fosse a aparição de um Minhyung irritado.

 

– MARK LEE. – Sibilou irritado, enquanto puxava o gêmeo pela orelha sem delicadeza.

 

– Ai, me solta. – Mark exclamou sentindo dor. Tentava se soltar sem sucesso.

 

– Seu trapaceiro. – Puxou para longe do coreano o jogando no sofá oposto.

 

Minhyung estava vermelho de raiva, e Donghyuck extremamente confuso pela reação alheia, somada a todos os últimos acontecimentos.

 

– Minha orelha está doendo. – Reclamou emburrado. Acariciava o lugar tentando amenizar a dor.

 

– Você ia se declarar sem mim, seu idiota apressado. – Minhyung continuava reclamando ignorando a presença do mais novo.

 

Donghyuck começava a assimilar todos os fatos, começava a entender o motivo da raiva de Minhyung e sentia-se travado com a possibilidade. Seria possível? Enquanto mantinha-se inquieto processando todas as informações, os gêmeos continuavam a brigar.

 

– Silêncio, os dois, agora. – Elevou a voz, fazendo ambos pararem no mesmo instante. – Quero explicações.

 

Os gêmeos trocaram olhares sem saber por onde começar.

 

– Agora. – Exigiu passando os dedos pelo cabelo vermelho. Tentava controlar sua ansiedade.

 

– Hae…– Minhyung começou incerto.

 

– Nos gostamos de você. – Mark interrompeu o irmão. – Pronto, falei.

 

Minhyung suspirou mediante a pressa do irmão. No fim, nada estava saindo como haviam planejado.

 

– Os d-dois? – Era muito para a cabecinha do Lee processar tão rápido.

 

– Sim. – Minhyung confirmou. – Por isso estávamos brigando.

 

– Vamos entender se não quiser o Minhyung. – Mark levou um tapa do outro canadense ao final da frase. – Ai, seu agressivo.

 

– Deixa de ser idiota. – Reclamou revirando os olhos.

 

– Você estão falando sério? – O mais novo quis confirmar mais uma vez. Era surreal demais. Parecia impossível demais.

 

– Sim. – Mark suspirou. – Eu sei, é confuso. – Segurou sua mão esquerda entrelaçando os dedos.

 

– Tentamos evitar, mas foi impossível não nos encantarmos por você. – Minhyung acariciou a bochecha corada, não conseguia evitar de sorrir observando aquele rosto bonito. – Eu sei que deve estar chocado. – Segurou a mão direita, fazendo o mesmo que Mark e entrelaçando os dedos.

 

– Vamos aceitar qualquer que seja a sua decisão. – Mark afirmou fazendo um carinho sutil em sua mão.

 

Donghyuck olhou primeiro para as suas mãos, ambas com os dedos entrelaçados. E sorriu sentindo suas mãos quentinhas. Os gêmeos ainda esperavam por uma resposta, ansiavam por uma reposta positiva.

 

– E-eu… – Seu rosto queimava de vergonha, respirou fundo e apertou ambas as mãos. – Eu gosto dos dois. – Admitiu tímido.

 

Observou o sorriso lindo desabrochar em ambos. E antes que pudesse falar mais alguma coisa, tinha um Mark eufórico o abraçando. Logo Minhyung juntou-se naquele abraço.

 

– Eu tentei escolher um, mas foi impossível. – Confessou no meio daquele abraço. – Vocês são tão diferentes, mas é como se completassem.

 

Donghyuck sorriu ao sentir Minhyung fazer um cafuné gostoso nos fios vermelhos. Mark continuava lhe abraçando sentado no sofá.

 

– E agora? – Mark perguntou depois de um tempo. – O que fazemos? – Beijou a bochecha do coreano o deixando envergonhado.

 

– Deveríamos…? – O Lee mais novo estava tão envergonhado em propor aquilo.

 

– Eu posso te beijar primeiro? – Mark perguntou bastante animado com a ideia.

 

Donghyuck abraçou Minhyung escondendo seu rosto acanhado.

 

– Seu idiota, não fale assim. – Minhyung repreendeu.

 

– Tão chato. – O irmão mais novo rebateu.

 

– E porque você tem que ser o primeiro?

 

– Eu sou mais novo. – Mark respondeu dando de ombros.

 

– Grande coisa. – Minhyung desdenhou.

 

– Eu pedi primeiro.

 

– Parem de brigar. – O ruivo reclamou. Uma ideia passou por sua mente, seria a solução para aquele problema. Levantou-se e indicou que os dois deveriam esperá-lo.

Depois de alguns minutos, retornou com dois lenços. Se aproximou de ambos, vendando-os bem. Conferiu duas vezes se conseguiam enxergar algo.

 

– O que vai fazer? – Minhyung questionou vendado.

 

– Pra que isso? – Mark estava sem entender o motivo da venda.

 

– Calados. Antes que eu me arrependa.

 

Como Donghyuck sentia seu coração acelerado, seu rosto queimando de vergonha. Aproximou-se e deu um selinho em cada um. Se afastou e puxou a venda ao mesmo tempo. Sorriram juntos, como bobos apaixonados. E antes que pudesse falar algo, foi envolvido em outro abraço um tanto desajeitado. Acabaram por cair no chão, um por cima do outro, entretanto logo estavam rindo.

 

Não passavam de três patetas, mas três idiotas que se gostavam. E isso era o suficiente.


Notas Finais


Eu não nasci pro fluffy, sempre acho que ficou forçado. Enfim, agradecimentos a @xiuminmebeija que não me deixou desistir do plot <3

Eu penso em talvez uma continuação. Os três estando mais velho e talvez até puxando pro abo, mas longe do fluffy. O que acham?

Espero que tenham gostado :')


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...