1. Spirit Fanfics >
  2. Choose your destine >
  3. O anúncio do novo torneio

História Choose your destine - Capítulo 18


Escrita por: e AHunter


Notas do Autor


Hey kombatentes.

Acho que demorei um pouquinho, mas eu vim né?
Pelo incrível que pareça, nem na quarentena posso deixar minhas obrigações e nem ninguém, ouviram?

Música: Kill this love (BLACKPINK❤)

Espero que gostem e uma boa leitura!

Capítulo 18 - O anúncio do novo torneio


Fanfic / Fanfiction Choose your destine - Capítulo 18 - O anúncio do novo torneio

Yeah, yeah, yeah

BLACKPINK na sua área!

Yeah, yeah, yeah

Depois de um doce olá, sempre há um amargo adeus

Depois de uma noite muito louca, há sempre um preço a se pagar

Não há resposta para esse teste, eu vou sempre cair nessa, sim

Eu sou escrava das minhas emoções

Que se dane esse amor sem coração

Aqui vou eu chutando a porta

Me dê o que tiver de mais forte

É claro, aquele amor

Me dê mais, me dê um pouco mais

Pendure-se à beira do precipício se quiser

Com apenas uma palavra você está paralizado de novo

Aquele sentimento quente e ansioso, a excitação extrema

Parecia o céu

Mas talvez você não entre lá

Olhe para mim, olhe para você, quem estará sofrendo mais? Você é esperto

Quem vai estar? Você mesmo

Se você chorar lágrimas de sangue pelos dois olhos, que pena

Quem vai estar? Você mesmo

O que eu deveria fazer? Eu não aguento ser tão fraca

Enquanto me forço a cobrir meus olhos

Eu preciso dar um fim a esse amor

Vamos matar esse amor!

Sim, sim, sim, sim, sim

Rum, pum, pum, pum, pum, pum, pum

Vamos matar esse amor!

Rum, pum, pum, pum, pum, pum, pum

Sentindo-me como uma pecadora

É tão intenso, com ele eu vou às lágrimas

Ele disse: Você parece louca

Obrigada, amor

Eu devo tudo isso a você

Me deixou toda bagunçada

O amor dele era o meu favorito

Mas nós juntos, infelizmente, pode ser perigoso

Sorte a minha, sorte a sua

Depois de tudo, no fim nós mentimos

E daí? E daí?

Se eu acabar te esquecendo

Só lamento

Eu não sinto por isso

O que eu deveria fazer? Eu não aguento ser tão fraca

Enquanto eu me forço a esconder minhas lágrimas

Eu preciso dar um fim a esse amor

Vamos matar esse amor!

Sim, sim, sim, sim, sim

Rum, pum, pum, pum, pum, pum, pum

Vamos matar esse amor!

Rum, pum, pum, pum, pum, pum, pum

Nós todos nos comprometemos a amores

Que te fazem chorar

Estamos todos fazendo um amor

Que por dentro te mata, sim

Nós devemos matar esse amor

Sim, é triste, mas é verdade

Temos que matar esse amor

Antes que ele te mate também

Matar esse amor

Sim, é triste, mas é verdade

Temos que matar esse amor

Temos que matar

Vamos matar esse amor

(...)

 Shao Kahn ficou impressionado diante das habilidades da filha, mas sabia que ela poderia ser uma arma perigosa.

Shang Tsung viu o Imperador pensativo, então chegou perto do mesmo e questionou.

- O Imperador, está muito pensativo, mas em que?

- Eu tenho uma arma mortífera, mas não quero usá-la demais ou temo que ela falhe!

- O torneio se inicia em breve, ela foi treinada desde os seus sete anos, não creio que ela irá falhar! - Shang Tsung tentava explicar.

- Eu também espero!

(...)

Mari estava no seu quarto, olhando sua roupa de combate e pegando seu armamento: suas correntes com uma kunai e seus pares de sai.

Maya entrou no quarto, já estava bem melhor dos seus machucados, então começou a questionar.

- O que deu em você?

- Em mim?

- Parecia que ia me matar - Maya se sentou na cama e pegou uma almofada - se sua mãe não lhe parasse...

- Minha mãe? A mulher mais temida de Outworld? Ela me deixaria te matar na hora.

Maya apenas suspirou e fitou sua mão, Mari após perceber a chateação da amiga, largou seus trajes e se sentou ao lado dela.

- Tá tudo bem?

- Tenho medo deste torneio... - ela fitou a amiga - mortes serão permitidas ainda na primeira fase!

- E se for necessário, você matará para não morrer!

- Eu não sou uma assassina...

- Mas eu sim - Mari se levantou, cruzou os braços - filha de assassinos, assassina serei...

Hanzo passava pelos corredores, então resolveu ficar olhando pela porta de Mari, que estava meio aberta, mas sem dar a visão de quem estava de fora.

- Não deveria dizer isso, princesa. Mestre Hasashi, foi ele que te ensinou tudo então...

- Mestre Hasashi, não é o meu pai!

Mari cortou a amiga, e no mesmo momento Hanzo, sentiu uma dor em seu peito. Detestava ter que esconder a realidade.

- Mas ele é o seu mentor!

- Falou certo, mentor, não pai!

Mari começou a revistar a sua roupa novamente, então Maya se levantou e foi ajudar a mesma.

- Ficou perfeita, não tem nenhum defeito!

Mari saiu correndo para o seu armário e trouxe outra roupa de combate, então Maya perguntou:

- Roupa bonita, mas você sempre disse que detestava vermelho.

- Eu detesto - ela entregou a roupa a Maya - ela é sua!

- Minha?

- Eu não poderia deixar minha melhor amiga ir a luta com qualquer traje!

- Obrigada - Maya agradeceu com um sorriso no rosto.

- Não precisa ter medo, somos fortes e vamos vencer esse torneio.

(...)

Na forças especiais, estava havendo uma reunião com os responsáveis dos futuros lutadores do torneio.

- Eu não acho e nunca achei uma coisa boa - Sonya começou - envolver o plano terreno com a exoterra.

- Estamos sendo obrigados, eu não queria Jacqui nem na F.E e muito menos na exoterra. Outworld não me trás boas lembranças. - Jax disse.

- Outworld ainda vai pagar pelo oq UE fizeram com você - Izzh disse tentando confortar o amigo.

Há dez anos, em uma das tentativas de invasão e fusão de Outworld com o plano terreno, Jax foi enfrentar Ermec, e ele removeu seus braços e agora foi substituído por de metais.

- Eu trabalhei anos na F.E, o que não fariam com a Jacqui? - Jax disse olhando para todos - Ou pior, todos nossos filhos.

Raiden estava no local, queria trazer palavras positivas, mas sabia que o major estava certo.

- Senão lutarmos, é o mesmo que aceitar a escravidão na terra novamente.

- Raiden tem razão - Liu Kang começou - Não queremos nossos filhos, mas também não queremos a terra sendo escravizada por Shao Kahn!

- Não muda o fato que nossos filhos correm perigo! - Letícia respondeu Liu.

- Concordo e também não dou autorização dos nossos filhos participarem!

Kuai Liang disse olhando para o irmão que apenas assentiu e começou a falar.

- Eu vi a morte na minha frente, Shao Kahn faz torneio para que pessoas inocentes morram e seja a sua diversão e no final eles sejam a chave para tentar da a chave para entrar no plano terreno.

- Eu entendo a preocupação de todos, mas eu tenho um plano - Kitana começou - preciso de meios e provas que o trono me pertence e até quem sabe eu precise duelar com a minha irmã para isso.

- E se você perder? - Johnny perguntou.

- Mileena vai tentar me matar, mas não pode me atacar durante o torneio. Mas eu tenho uma carta na mão... - Kitana olhou para um vidro que havia na janela e olhou seu reflexo e disse com seus olhos marejados - meu eu está na Mileena, somos a mesma pessoa e se eu morrer, ela também morre!

(...)

Hanzo estava em um dojo, mas apenas olhando a janela e sentiu quando alguém agarrou sua cintura.

- Aceitei o fato da Mari, não me ver como pai, mas não achei que ia doer muito!

Ela o virou para si e disse ainda no abraço.

- São fases, um dia ela vai passar!

- Há 19 anos você me disse isso!

Ela apenas o puxou para um beijo e pediu mais uma vez.

- Sei que dói, assim como é doloroso aguentar o Shao Kahn.

- Eu preciso parar de deixar que você me beije, não quero correr riscos de ficar mais longe da Mari.

Mileena riu e o puxou para outro beijo e disse:

- Você não consegue, você me ama como um dia amou a sua esposa!

Hanzo se sentiu estranho diante da frase, mas apenas disse.

- Ninguém nunca ocupou o lugar de Harumi! - ele disse indo embora, mas quando estava longe completou - Mas eu te amei de verdade, mesmo com seu jeito!

Dias depois.

Chegou o dia do torneio, o plano terreno estava se preparando e foram todos juntos de navio para a ilha de Shang Tsung.

Todos aqueles que um dia já estiveram naquele mesmo local, começava sentir arrepios na barriga e também sentia uma sensação medonha.

Estava mais acabada e mais macabra a ilha de Tsung, o símbolo do torneio era visível e logo todos os pais dos lutadores olharam para eles com uma ânsia de vontade de voltar para sua casa.

Kitana estava logo na ponta da frente do navio e começava sentir arrepios e deixou uma lágrima cair.

- Tá tudo bem, mãe? - Yan perguntou.

- Não... eu sinto tanta falta da minha mãe... da minha terra e principalmente, meu pai...

Yan abraçou por trás a mãe e tenta confortá-la - vai ficar tudo bem! - ele dizia.

Ela apenas assentiu com a cabeça e desviou sua atenção das águas, quando começou ver a população e a carruagem real.

(...)

Foi um "grande caminho" até a chegada na ilha de Shang Tsung. A população venerava e vibrava ao ver a carruagem real ou vendo as dos outros combatentes. Eram alguns jovens de forte "poste" que iam participar, assim como Maya e Mari.

Mileena estava na carruagem vestida como a verdadeira imperatriz, assim como Shao Kahn.

Sindel estava ao lado de Mari, apenas aceitou ir por sua neta, senão nem faro questão de acordar.

Antes deles descerem da carruagem, todos que haviam chegado para o torneio, estavam a espera da chegada de Shao Kahn e sua imperatriz.

Eles estavam em uma arena, como de costume como o torneio anterior.

Mari era curiosa, então antes do anúncio, ela saiu com Maya e foram correndo em direção das arquibancadas e verificar e conhecer os outros concorrentes.

Ela ia andando na multidão, mas acabou esbarrando em alguém que lhe ajudou a se levantar e que por sinal ficou encantado com a beleza da moça.

- Desculpa, não vi você! - ele disse.

- Tudo bem, sou a Mari e você? - ela perguntou animada.

- Noah!

Eles sorriram e ficaram se olhando, mas Mari ao ver sua "mãe" lhe puxou pela mão e perguntou.

- Mãe? Se teletransportou da carruagem?

- Eu achei que nunca ia te conhecer - Kitana abaixou sua máscara e a menina se afastou - não sou sua mãe!

- Clone?

- Sou sua tia!

Mari ficou paralisada, mas sentiu quando alguém segurou em seu ombro e falou.

- Mari, não vá muito longe... Kitana?

Skarlet ficou surpresa em ver a mesma viva.

- Achei que estava morta!

- Posso te garantir que estou viva e que Mileena vai pagar por tudo! - Kitana olhou para Mari - Sinto pena de você!

Shang Tsung ia começar o anúncio, pois os tão esperados já estavam em seus devidos lugares, que era na central da arena que dava bem de frente a arquibancada onde Kitana estava.

Mileena estava procurando Mari, mas quando conseguiu localizá-la com seu olhar, ela levou um susto e disse:

- Kitana?

Kitana sem pensar duas vezes, saiu andando até a central da arena e ficou cara a cara com a irmã.

- Surpresa? Irmãzinha?

- Kitana?

Sindel estava ao lado um pouco distante da arena, mas ao ver a filha, sorriu entre lágrimas.

- Mamãe? - Kitana sussurrou e deixou uma lágrima cair ao ver a mãe.

- Você estava morta! - Mileena disse com raiva.

- Parece que não! Estou mais viva do que nunca!

- Não morreu, mas irá!

Kitana tentou se proteger, mas quando viu, ela havia enterrado um saí no seu ombro e logo as duas se afastaram da outra, mas sem cair.

Mileena começou a sangrar no mesmo local, Kitana riu e jogou o sai no chão.

- Não.... p-pode me machucar - ela segurou o ombro para estancar o sangue.

Mileena segurou o ombro também e Mari saiu correndo para perto da mãe e perguntou:

- O que fez com ela?

- Nada o que ela não fez comigo!

- Isso não foi nada - Mileena disse a Mari.

- Não pode me matar, mas se for preciso eu morrerei para vingar meu pai!

- Tola! - Mileena começou a rir - como vai vingar alguém estando morta?

- Então Shang Tsung não te contou? - Mileena olhou para o feiticeiro enquanto a irmã falava - você não é um ser qualquer, é meu clone, na verdade, é toda negatividade que poderia haver em mim em forma humana e meio tarkata! Quando "nossa" mãe ficou grávida de mim, Shang Tsung a amaldiçoou!

- Isso é verdade?

Mileena perguntou e Shang Tsung confirmou com a cabeça.

- Ou seja Mileena, somos a mesma pessoa e se eu morrer, você também morre!

- Posso não te matar, mas posso te prender!

- Eu vim brigar pelo trono!

- O que propõe?

- Nossa luta!

- Não! - ela olhou para todos - todos vão lutar!

- Eles não tem haver com nossa briga!

- Se quiser a nossa luta, todos vão lutar no torneio! - Mileena disse olhando para Mari - Não me importo se minha filha também vai correr o risco, eu confio no potencial dela! Pode ficar hospedada e será bem tratada na ilha e todos os seres terrenos, mas se eu ganhar e eles também perderem, o plano terreno é nosso!

Kitana olhou para Raiden e ele assentiu e por fim Kitana respondeu:

- Aceito!


Notas Finais


Agora as coisas vão pegar fogo.
Sim, já estamos na reta quase que final da nossa segunda temporada.
Espero que gostem das próximas tretas que vão vim.

Obrigada por ler ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...