1. Spirit Fanfics >
  2. Christyan Wang - Instagram >
  3. Nossa noite

História Christyan Wang - Instagram - Capítulo 10


Escrita por:


Capítulo 10 - Nossa noite


Fanfic / Fanfiction Christyan Wang - Instagram - Capítulo 10 - Nossa noite

300.766 pessoas curtiram 

- Nossa noite 💖 @C.wang 

Comentários

|Lee.park: Eu shippo pra caralho

|Park.mochi: Eu amo vocês 

|C.wang: Não teve Hwasa para nós atrapalhar hoje! 😏💖 

|Hw.maria: eu amo vocês tá bom! 

|DoubleB: Nós também te amamos! 💞 

|Jhope: Acho que a noite foi maravilhosa né, post seis da matina, Bambam falando que ama a Hwasa. 

|Jaejae: Milagre chamado Christyan Wang! 

|Jay.jb: Não teve nada de good boy dessa vez! 

|C.wang: Você estão focados nisso cruzes! 

|J.kookie: Eu já tenho minha resposta hehe! 

|Jack.wang: Eu vivo pra enaltecer esse casal maravilhoso! 

|Markzinho: Pra sair com o Chris o Bambam tem tempo de sobra, agora para os amigos. Hrum falo nada!  

=================

Às nove em ponto Bambam apareceu no meu apartamento, me despedi do Lee e desci, encontrando o homem mais lindo desse mundo, com uma calça de coro e uma blusa de gola alta preta, o cabelo alinhado e um perfume que meu Deus, eu queria ficar grudado nele só pra sentir seu cheiro, nós abraçamos e ele abriu a porta do carro pra mim, assim que entrei ele passou para o lado do motorista. 

- Onde vamos? Perguntei curioso. Ele estava sorridente. 

- Pensei em assistirmos um filme e jantarmos em um restaurante que eu gosto bastante! - ele disse prestando atenção na avenida e eu prestava atenção na sua boca cheinha se mechendo, minha boca salivou só de pensar a minha ali colada na dele. 

- Chris?

- Hum? 

- Ouviu o que eu disse? 

- Ouvi, só estou admirando sua boca! - falei na cara e ele me olhou por ter parado no sinal vermelho aproveitei a deixa e aproximei meus lábios do seu, o domando pra mim, ele demorou um pouco pra ceder mas quando vimos alguns carros estavam buzinando pra nós, nos separamos contra gosto e ele arrancou. 

- Não pude evitar! - falei passando o dedo no canto dos lábios. 

- Faça mais vezes! - sua voz saiu carregada e sexy. Esse homem me enlouquece. Uns vinte minutos de conversa aleatório chegamos no shopping. Passeamos um pouco e decidimos ir comprar os ingressos. 

- Tem preferência de filme? - ele me pergunta. 

- Hum, não, estou afim de assistir um terror o que acha? 

- Vamos então! - entramos na fila e ele pagou pelos ingressos do filme que estava em cartaz a um tempinho já. Fiz questão de pagar os nossos lanches e como estávamos atrasados chegamos na sala e já estava escura, eu morro de medo de tropeça nessas escadas malucas, já passei cada mico nessa merda. 

Com a mão livre agarrei a blusa de Bambam que riu do meu desespero de cair ali, ele pegou minha mão e me guiou dandp suporte pra não tropeçar. Não muito facil, mas achamos nossas cadeiras, me sentei perto da parede e ele ao meu lado éramos os únicos na fileira. O filme começou e nos começamos a prestar atenção. Com minha mão desocupada eu acariava as coxas dele o que o fazia sorrir nas vezes que eu apertava de leve, isso seria quando eu tomava um susto. Por mais que eu goste desses filmes eu sou muito medroso 

(...) 

- Você é engraçado sabia? - ele disse quando saimos da sala, eu ainda estava agarradinho no seu braço. Por? Medo, completo medo. Já eram onze da noite e não poderíamos ir no restaurante que ele queria, já estava fechado, então ele decidiu que eu fosse pra casa dele. Algo me diz que isso tudo foi planejado.

- Por que? 

- Olha só pra você, marrento, as vezes de um mau humor impressionante e ainda está agarrado no meu braço com medo do filme! - ele apertou meu nariz e eu fiz cara feia pra ele. 

- posso ter esse estilo maluco mas sou sensível okay?! - falei manhoso e ele me apertou em seus braços na frente de qualquer um que passa-se. - Hey estamos em público! 

- Não me incomodo! - ele selou meus lábios mas não avançou. - E eu sou fascinado nesse seu jeitinho passivo agressivo não mude por nada! - seu nariz acariciou minhas bochechas fazendo meu sangue circular e me excitar, lá em baixo um pré ereção se formava e eu não queria ter quer lidar com isso aqui no shopping então dei um jeito de me afastar e puxa ele pra irmos embora. Eu ainda estava com fome. 

Já no carro, ligamos o rádio e por incrível sua voz soou pelos altos falantes, meu coração acelerou só de escutar sua voz no tom da música. Fechei os olhos enquanto o vento batia no meu rosto e sua voz soava maravilhosamente no ambiente, senti sua mão pousar na minha coxa, perto de mais na minha zona de risco, seu dedo vez ou outra " esbarrava" ali e eu só estava pensando em me controlar, algo quase impossível. Ele apertava, fazia carinho e subia a mão, eu já tinha controle sob meu corpo, então só me deixei levar e sentir o leve prazer da sua mão me atiçando, de repente ele tira a mão e eu já ia perguntar o por que ele tinha parado e ele riu. 

- Chegamos! 

- Poxa eu estava curtindo a música! - e mais alguma coisa mas não ia admitir. 

- A música, sei! - ele riu pra valer dessa vez, sai do carro indignado com a audácia dele. Tenho que admitir que nenhum outro cara foi capaz de me "levantar" assim tão rápido e eu nunca tinha me entregado de cara logo no primeiro encontro mas as coisas foram ficando quente no momento em que ele me encurralou na parede do elevador, sua mão puxou minha perna fazendo o contato da nossa intimidade e sua boca sugou a minha, entregue e completamente embriagado pelo prazer. A adrenalina e o tesão corriam pelo meu corpo aquele onda de energia me tomando fazia com que eu nem me desse conta de que já estávamos nos pegando loucamente no sofá da sua sala. Dizem que o beijo é bom quando as coisas ao redor se " quebram" inexplicávelmente. Primeiro meu corpo se chocou com a porta do apartamento, logo depois com a parede em seguida eu já estava em seu colo entrando em seu quarto, minhas mãos buscavam mais contato agarrando sua blusa. Seus beijos agora desciam para o meu pescoço e clavícula, cada sugada um gemido saia da minha boca, logo meu senti meu corpo bater em algum móvel e as coisas caírem no chão, nós rimos e ele me jogou na cama. Até então o que tinha corrido agora de tornou em câmera lenta, me apoio nos cotovelos para ver a cena do blusa deixar seu corpo e cair no chão, seus braços malhados, seu peitoral definido e sua barriga maravilhosamente chamativa em diversos gominhos, me levantei puxando- o pela barra da sua calça e distribui beijos molhados naquela região, ele se deitou na cama e minha boca deu atenção aos seus mamilos que me pareciam convidativos o bastante, suguei a região ouvindo o murmúrio do mais velho, repeti o processo diversas vezes até ousar mais um pouco até o caminho da felicidade enquanto tirava sua calça e sua cueca a frase ali escrita me chamou atenção " se delicie" aquilo me atiçou ainda mais, ele me olhou curioso e eu passo minha língua por cima da tatuagem. 

- Então você gostou ?- ele sussurrou

- Completamente! - ditei e segurei seu membro já duro em minha mão, cuspi na glande e aproximei minha boca sugando a cabecinha, suas mãos apertaram meus ombros e logo pude ouvir seu gemido rouco, coloquei praticamente tudo na boca enquanto massageava suas bolas devagar, qualquer homem gosta de algo bem trabalhado, seu pau já estava melado o suficiente com o pré gozo e minha saliva, Bambam me puxou pra cima já satisfeito e me colocou de quatro, esperei até que senti seus dedos na minha entrada, não que eu fizesse isso muitas vezes mas já estava acostumado com a sensação e com a dor, porém aquilo já parecia o acúmulo de todo meu tesão sendo liberado. Gemj alto quando o terceiro dedo me penetrou e logo sua língua quente chupou com vontade a minha entrada, me curvei de tanto prazer eu necessitava dele em mim. 

- ow… bam… eu quero você! 

- O que você quer baby? - sua voz saia rouca me enlouquecendo.

- Eu quero você...ah…- ele estocou com os dedos - dentro de mim…- quase em uma súplica meu desejo foi atendido, ao virar meu rosto pude perceber sua expressão completamente entregue e seu pau enorme me invadir, empurrei meu bumbum pra entrar de uma vez e ele sorriu sacana e começou a bombar, forte, grosso e agressivo. Já se podia escutar da casa vizinha nossos gemidos presentes no quarto. Trocamos de posição e agora eu estava cavalgando com vontade em cima do seu pau. Seus olhos fixos no meu percorreu todo meu corpo até ele acariciar meu pau e começar a punheta eu não tardaria a gozar e quando senti o pau do mais velho engrossar dentro de mim aí que eu fui ainda mais frenético, deitei sobre ele agora cavalgando devagar, subindo quase tirando e descendo fundo atingindo meu ponto de prazer as suas mãos apertaram meu pau e eu o beijei sentando mais uma vez e sentindo seu líquido escorrer pelas minhas coxas e seu gemido alto preencher meus ouvidos, meu corpo entrou em choque e eu gozei, pra caralho. Fizemos a maior lambança. Antes de me deitar exausto ao seu lado puxei o lençol limpando sua barriga do meu gozo mas ele passou o dedo no líquido e levou até a boca chupando- os me puxou e me beijou, suas mãos apertaram com força minhas nádegas e então eu saí de cima dele apartando o beijo puxando seu lábio pra mim. 

- Good Boy! - ele murmurou me fazendo olha lo. - Uma bela tatuagem, ele passou os dedos pela minha virilha onde estava a tatuagem escondida. 

- Então você gostou? - repeti sua frase maliciosa e seu sorriso apareceu no seu rosto.

- Completamente! - selou nossos lábios. 




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...