História Cicatrizes - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Chiyo, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Sasuke Uchiha
Visualizações 45
Palavras 2.915
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Festa, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá leitores! Espero que estejam gostando da história. Aproveitem o capítulo.
❤😸

Capítulo 13 - Flashbacks


Fanfic / Fanfiction Cicatrizes - Capítulo 13 - Flashbacks

Hinata FLASHBACK ON/ Parte II 

(Na escola...)

Sakura chegou na sala um pouco depois de mim. Ela estava acompanhada de Sasuke que estava com o seu costumeiro sorriso de canto. Ela depositou um celinho na boca de Sasuke e ele a empurrou um pouco.

– Aqui não.. – Sasuke disse parecendo estar sem graça e Sakura apenas sorri. Quando eu pensei que ela ia se sentar do meu lado com antes, ela se posiciona na minha frente e me encara coçando a bochecha.

– Hina, eu vou me sentar do lado de Sasuke a partir de hoje. Tudo bem pra você? – Eu apenas lhe dei um sorriso gentil e balancei as mãos.

– Claro que sim Sakura. Pode ir, e divirta-se com seu novo namorado.

– Muito obrigada Hinata. Por tudo o que você fez por mim nesses últimos dias. – Ela me abraça, mas eu não retribuo. Pois a mesma prende meus braços me impedindo de abraça-la.

– Por nada. Se precisar, eu estarei aqui. – Ela se separa do abraço e vai correndo para o lugar ao lado do da cadeira de Sasuke. 

Logo depois a aula começou, mas Sakura não conseguia parar de olhar pra Sasuke, o que me fez rir um pouco.

(...)

O tempo se passou normalmente. Já estava na hora de ir pra casa e eu estava arrumando minhas coisas quando vi que Sasuke e Sakura já tinham saído, já que as cadeiras deles eram mais à frente da minha. Espero que ele esteja cuidando dela...

(...)

Eu já estava em minha casa observando o por-do-sol da minha varanda quando uma mensagem de Sakura chegou.

"Hinata, preciso falar com você amanhã... "

"Aconteceu alguma coisa?"

"Não exatamente.. Eu te explico melhor na escola..."

"Você está bem?"

"Não muito.. Mas vou melhorar.. "

"O Sasuke fez alguma coisa??"

O tempo passou e ela não respondeu nem visualizou a mensagem. Eu já estava angustiada... Estava bom demais pra ser verdade... O Sasuke aprontou alguma coisa com ela... Se eu ao menos soubesse o endereço dela, eu iria até lá.. EU VOU MATAR O DESGRAÇADO DO SASUKE!!!

(...)

Cheguei cedo na escola... Eu estava preocupada demais... Quase não dormi direito... Quando vi Sakura, ela estava sentada em um banco com a cabeça apoiada na parede. Seu olhar parecia estar sem vida e suas roupas estavam vestidas de qualquer jeito... Fui correndo até ela e coloquei minhas mãos em seus ombros a sacudindo um pouco.

– Sakura?! O que aconteceu?? Por que está assim?? – Quando ela olhou pra mim, deu um sorriso fraco.

– Ontem o Sasuke transou comigo... – Lágrimas começaram a sair de seus olhos lentamente. Eu estava de boca aberta, totalmente chocada. – Eu tentei dizer que não queria, pelo fato de ainda ser virgem, mas ele não me ouviu... Doeu muito Hinata.. Muito mesmo... – Ela me abraça e descansa seu rosto em meu ombro se derramando em lágrimas. Fiz carinho nos cabelos dela tentando conforta-la de alguma forma... Como aquele imbecil pode fazer uma coisa dessas com ela..? – Me diga, Hinata... Isso é normal entre os casais...? Eu nunca amei tanto alguém quanto eu amo Sasuke, então não sei direito como agir...

– Não Sakura! Isso não é nem um pouco normal! O nome disso é estupro! E você vai denunciar ele! Entendeu? – Olhei em seus olhos mas ela não falou nada. Parecia estar refletindo sobre alguma coisa.

– Sabe Hinata... Homens tem seus desejos. Acho que Sasuke não aguentou ficar sem sexo por muito tempo e acabou fazendo isso. Eu não vou denuncia-lo por uma coisa banal como essa. Obrigada Hina, eu já estou melhor. Vou pro banheiro me arrumar devidamente e limpar essas lágrimas. Obrigada por me ajudar de novo. – Ela se levanta e vai em direção ao banheiro feminino. Eu continuei parada, sem reação... Agora conseguia entender porque o amor é cego...

(...)

– Sakura sentou-se de novo ao lado de Sasuke lhe mostrando seu melhor sorriso. Nem parecia que ele tinha estuprado ela, pois os dois estavam como antes. Sakura sorria pra ele e ele permanecia indiferente.

Eu olhava pra ele com ódio e repulsa... Esse garoto é a pior escória que tem.

(...)

Na hora do recreio, não pensei duas vezes e fui até a cadeira de Sasuke, batendo as mãos encima da mesma.

– Precisamos conversar! – Permaneci com o meu olhar de ódio sobre ele.

– Hinata.. Não... – Sakura falou abraçando um dos braços de Sasuke. Ele me olhou indiferente e logo olhou pra Sakura com o sorriso mais falso do mundo.

– Meu amor, poderia me deixar conversar com a Hinata só por um momento? Eu logo te alcanço. – Ela assentiu com um sorriso e saiu pela porta nos deixando sozinhos.

– Como você teve coragem de estuprar a Sakura?? Tem ideia de que isso é crime??

– Eu falei que você ia pagar por ter mordido minha língua. – Falou cruzando os braços.

– Devia ter arrancado um pedaço pra você não ter mais que iludir nenhuma garota! Ou você pede desculpas pra ela ou eu conto pra ela que você não a ama! Passar bem! – Me virei pra ir embora mas ele segura meu braço. Eu olho novamente pra ele e ele estava com um sorriso maligno... O que me deu um pouco de medo...

– Sério? E em quem você acha que ela vai acreditar? Na amiguinha que ela mal conhece ou no namorado querido? – Arqueou uma sombrancelha. Eu não tinha pensado por esse lado... Ela não daria razão a mim... Estava cega demais pra isso... Abaixei minha cabeça e me soltei de seus braços.

– Eu vou logo avisando que se você não parar de estrupa-la, eu vou levar seu nome pra delegacia. Ela pode não ter coragem pra denunciar, mas eu tenho! Então acho melhor você ficar bem esperto. Estou de olho em você! – O sorriso que estava em sua boca logo se desmanchou e uma cara cheia de ódio apareceu. Sai da sala e fui para o refeitório.

(No outro dia/ na escola) 

– Hina!!! – Sakura se joga em cima de mim e me abraça. – Ontem eu e Sasuke transamos de novo!! Foi tão mágico... – Ela olhou pra cima com os olhos brilhando. – Ele não foi tão rude quanto ontem. Viu como ele não fez por mal? – Sorriu.

– Ah.. É claro... – Ainda bem que aprendeu sua lição, Sasuke Uchiha. Não queria ter que tomar medidas drásticas.. – Vamos para a sala. A aula já vai começar. – Ela sai de cima de mim e me acompanha até a sala. Sentamos nos nossos respectivos lugares e esperamos a aula começar.

(2 semanas depois...)

Sakura quase não falava mais comigo, mas eu sabia que ela estava feliz com Sasuke. Nas raras vezes que ela falava comigo, ela falava do quanto ele era carinhoso e gentil com ela. Durante esses últimos dias, não vi nada de estranho acontecer, então tudo estava indo bem.

– Hinata, eu quero te convidar pra ir pra minha festa de aniversário que será na minha casa. Vai ser nesse sábado, daqui a três dias e quero muito que você vá. – Sakura me entrega um convite rosa. – Você vai, não é?

– Eh... Acho que eu não vou conseguir ir. Desculpa Sakura. – Respondi sorrindo amarelo.

– Poxa... Você foi a primeira pessoa que falou comigo quando cheguei aqui e me ajudou muito com o Sasuke... Mesmo que nós não estejamos conversando muito ultimamente, você ainda tem um significado especial pra mim. Faz o seguinte: fica com o convite e repense. Vou ficar muito honrada se você for. – Sorriu gentil. Dei um suspiro derrotada. Eu não costumo sair de casa pra nenhum evento, mas como é aniversário de Sakura, eu posso abrir uma exceção, né?

– Tudo bem, Sakura. Eu estarei lá. – Sorri. Ela dá pulinhos de felicidade e me abraça.

– Obrigada Hina! Você é minha melhor amiga!

– Por nada. – Retribuo o abraço.

– Vamos Sakura? – Sasuke aparece com um sorriso e coloca uma das mãos sobre o ombro de Sakura. Ela sorri com o brilho costumeiro brilho nos olhos e assente.

– Nos vemos na minha festa, Hina! Até mais! – Acenou já na porta. Faz muito tempo que eu não vou para uma festa, mas acho que vai ser divertido. Eu já superei o que aconteceu comigo no passado. Agora preciso viver o presente e pensar no futuro.

(Sábado/ Na festa de Sakura) 

–Estou feliz que você tenha realmente vindo! – Disse Sakura me recebendo na porta de sua casa. 

– Obrigada. – Sorri retribuindo o abraço. – Eu te trouxe um presente, espero que você goste. – Entrego um envelope médio pra ela e a mesma sorri pegando o presente. 

– Obrigada Hina. Fique à vontade, pode entrar. Eu vou continuar recebendo os outros convidados e depois nos falamos. A festa está sendo lá atrás da casa e tem uma piscina lá. Espero que tenha trago biquine. – Piscou com um olho e eu dei uma risada baixa. 

– Eu trouxe uma roupa reserva caso alguém me jogue na piscina. Mas nada alem disso. – Ri divertida. 

– Bom saber... – Sorriu malignamente. Uma gota surgiu em minha testa e eu saí de perto dela lentamente, seguindo o som da música que tocava freneticamente, vendo um lugar bem movimentado e colorido pelas cores das luzes de festas que tinham lá. Tinham muitas pessoas na casa, mas não estava apertado. Afinal, a casa de Sakura era bem grande. Logo avistei algumas pessoas que eu conhecia e sigo em direção a elas.

(...)

– Oi Hinata! Desculpe por demorar, tinham muitos convidados para receber. – Sakura chegou ao lado de Sasuke.

– Sem problema Sakura. – Sorri.

– Bem, eu também demorei por outro motivo... – Ela olhou cúmplice para Sasuke. Levei um susto quando Sasuke me pegou no colo e me jogou dentro da piscina. A piscina era funda, mas eu sabia nadar. Então fui para a borda da piscina e puxei o ar com força. Por que eu tinha a impressão que isso ia acontecer? Mas até que foi divertido. As pessoas estavam rindo divertidamente e eu fiquei feliz oir saber que eu sou o motivo de toda essa felicidade.

– Que maldade gente... – Falei fazendo bico me levantando e me pondo de pé na frente da piscina. – Sakura, onde tem um banheiro? 

– Tem um ali. – Ela aponta para um uma porta com a plaquinha com uma bonequinha indicando o banheiro feminino. Eu peguei a minha bolsa e fui correndo para o banheiro. Minhas roupas estavam coladmaso meu corpo, e isso me deixou bem constrangida... 

(...)

Troquei minha roupa e sai do banheiro indo a bancada do bar, sendo acompanhada por alguns olhares. Me sentei em uma cadeira do bar e pedi um copo de suco do barman. Um tempo depois Sakura chega com duas taças de champanhe nas mãos. 

– Vamos brindar a nossa amizade? – Ela abre um pequeno sorriso.

– Desculpe, eu não bebo. – Balancei as mãos.

– Você vai fazer essa desfeita comigo no meu aniversário? – Fez uma cara triste como se fosse um gatinho pedindo as coisas. Eu suspirei fechando os olhos e olhei pra ela novamente. 

– Tudo bem. – Sorri. Só uma taça não vai fazer mal, não é? Ela me oferece uma das taças e eu pego. Brindei com Sakura e virei o líquido todo na minha boca. Fiz uma careta e Sakura riu. É a primeira vez que eu tomo álcool, então o gosto é estranho. É algo novo pra mim. 

– Sakura vem dançar comigo! – Sasuke pega na mão da rosada e e sai levando ela para a pista de dança. 

– Tchau Hina! A gente se vê! – Acenou e eu fiz o mesmo. 

Depois de um tempo, eu comecei a me sentir tonta e senti alguém me levando para fora da casa. Minha cabeça estava muito pesada pra levanta-la e ver quem era. Eu estava sem força e estava me sentindo estranha, como se estivesse flutuando sem gravidade nenhuma. A pessoa me colocou dentro de um carro e deu partida me levando a um lugar totalmente desconhecido depois de alguns minutos. Senti meu corpo ser jogado em uma cama macia e um corpo ser encaixado entre minhas pernas. 

A partir daí, só tenho algumas imagens na minha mente do que acontecei depois... 

– Não... Por favor.. Pare... – Falei em um sussurro com os olhos semi-serrados ao sentir minhas roupas delisarem pelo meu corpo. Meus seios foram amassados com uma certa agressividade e eu soltei um gemido baixo. Eu estava sem forças pra absolutamente nada... O que estava acontecendo comigo...?

– Eu falei que você ia pagar por ter mordido minha língua e por ter me ameaçado, sua vadia! – Essa não... Eu reconhecia aquela voz... Não pode ser.. 

– Por favor... Não... – Senti lágrimas escorrerem pelo meu rosto. Lágrimas grossas pedindo misericórdia.. 

– Até parece que eu vou te deixar ir assim tão fácil. – Eu só lembro de chorar mais ainda com a dor que senti entre minhas pernas... Não... Ele não podia estar fazendo isso... – Você é bem mais gostosa do que a chata da Sakura. Não me arrependo nem um pouco de ter te dopado só pra fazer isso. – Ele aumentou o ritmo e depois disso eu não lembro de mais nada. Simplesmente desmaiei. A dor era terrível, e eu não consegui suportar... Por que eu era castigada dessa maneira pelo destino...? O que eu fiz pra merecer isso..? 

(...)

Acordei completamente nua em cima de uma cama branca. Eu estava coberta com um lençol branco e tentei me mover um pouco, mas tanto a dor que sentia em minha cabeça quanto a dor que estava sentindo entre minhas pernas me impediram de executar tal ato. Senti vontade de chorar ao olhar debaixo das cobertas. Estava tudo cheio de sangue misturado com um líquido branco. Não... Por favor... Alguém me diga que tudo isso é só um pesadelo e que eu vou acordar e tudo vai estar bem de novo... Olhei pro lado e vi Sasuke encostado em uma cômoda com uma sacola nas mãos. Estava incrédula... Não sabia o que dizer... Ele joga a pequena sacola em cima da cama e eu continuo parada como uma estátua. 

– Isso é uma pílula do dia seguinte. Eu gozei demais dentro de você e não quero correr o risco te ter te engravidado. – Disse com um sorriso malicioso no rosto.

– O que você fez...? – As lágrimas já desciam pelo meu rosto como cachoeiras. 

– O que você acha? Tranzei com você, oras! Você acha que ia morder minha língua e me ameaçar e ia sair ilesa? – Ele começou a rir de uma forma maligna. Escondi meu rosto nas minhas mãos e comecei a gritar como uma louca. Gritei até minha garganta doer. Ele pula em cima de mim e tampa minha boca com força. Eu não conseguia  de chorar, e acabei molhando a mão dele que tampava minha boca com as lágrimas que desciam constantemente. – Para de gritar sua imbecil! Alguém pode te ouvir! – Me olhou com ódio. Eu usei as forças que tinha e o empurrei pra longe, fazendo ele cair da cama. 

– NÃO ENCOSTA EM MIM! FIQUE LONGE OU EU CHAMO A POLÍCIA! – Gritei um pouco mais baixo que antes. Enrolei o lençol branco em meu corpo e peguei minhas roupas que estavam no chão e sai daquele quarto. Quando olhei para fora do quarto, finalmente percebi onde estava: era um motel... Eu fiquei com vergonha de sair daquele jeito e voltei ao maldito quarto. Sasuke ainda estava sentado no chão me olhando com aquele sorriso malicioso. Entrei em uma porta qualquer e vi que estava dentro de um banheiro. Larguei o lençol branco em qualquer lugar e liguei o chuveiro, me pondo debaixo do mesmo. Olhei pro meu corpo e vi que estava cheio de cupões espalhados pelos meus seios. Comecei a chorar novamente e encostei minha cabeça na paredo a água fria percorrer todo meu corpo. 

(...) 

Quando terminei o banho, me olhei no espelho da pia e vi meu rosto em um estado lamentável. Meus olhos estavam vermelhos e um pouco inchados. Tinha outro chupão no meu pescoço, o que me deu mais vontade ainda de chorar... Vesti minhas roupas e sai do banheiro, encontrando Sasuke mexendo no celular sentado em uma cadeira. Quando ele me viu, jogou o celular na cama, que já estava com novas cobertas, e veio até minha direção. Permaneci com meu olhar de ódio sobre ele, sem desviar de seus olhos. Ele estava prestes a me beijar, mas eu o Interrompo falando:

– Está feliz agora? Ter me estuprado preencheu sua alma vazia e sem sentimentos? – Ele olhou pra mim um pouco espantado e eu continuei: – Ah, claro! Cafajestes como você nunca vão ser preenchidos com nenhum sentimento bom! Agora que já terminou de se divertir comigo, eu vou embora. Não se preocupe, eu não quero correr o risco de engravidar do pior monstro do mundo, então eu vou aceitar essa pílula. – Pego a sacola em cima de uma cômoda e saio do quarto, seguindo caminho para um ponto de metrô. Quando cheguei na minha casa, tomei a pílula, o que acabou me dando uma ideia... Peguei alguns frascos de remédios aleatórios e tomei vários de uma vez. Agora eu sei que sempre seria assim... Eu confiaria nas pessoas e sempre seria machucada... Esse é o meu ciclo infinito....

Hinata FLASHBACK OFF.

Desperto dos meus desvaneios com alguém batendo na porta levemente. 

– Querida, o jantar está pronto. Você vem? – Ouvi a voz de Chiyo atrás da porta do banheiro. Limpei minhas lágrimas e tentei parecer o mais natural possível ao falar. 

– Eu já estou indo Chiyo. Obrigada por me avisar. 

– Por nada, minha pequena. Venha logo, seu primo está esperando. 

– Sim senhora. – Desliguei o chuveiro e enrolei minha toalha em meu corpo. Me vesti em desci indo até a cozinha, me sentando na mesa. 


(Continua...)


 


Notas Finais


Ai gente.. Coitada da Hinata...
Espero que vocês tenham gostado do capítulo. Me desculpem por qualquer erro, e até a próxima.
Bye bye.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...