1. Spirit Fanfics >
  2. Cigarros de Malibu >
  3. Hoseok e responsabilidades andam de mãos dadas

História Cigarros de Malibu - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


ei, tudo bem? se você está lendo, obrigada.
te vejo na semana que vem novamente com att dupla.

Capítulo 4 - Hoseok e responsabilidades andam de mãos dadas


CAPÍTULO 4 - FOLHETOS DA DISCÓRDIA.

HOSEOK
            04

É verão em algum lugar
Então você não deveria estar com tanto frio
Mas você não consegue nem me olhar
Nos olhos
— Imagination, Foster The People.


   No final de semana, eu bati na porta de Hansol de pijama. Estressado, com Ji-Ho no colo, Hansol abriu a porta, vestindo uma camisa velha do Looney Tunes. 

— Oi — entrei, parando entre o vão da cozinha e a sala. — Seus pais não estão em casa? 

— Não, eles saíram 'pra comer com o Léo. 

    Franzi as sobrancelhas. 

— Léo? 

    Hansol suspirou e Ji-Ho mexeu-se, fixando os olhos castanhos em mim. Ele gosta do meu cabelo, é claro. É como se fosse a ponta de um fósforo gigante para um bebê curioso, babão e risonho. 

— Um amigo dos meus pais. Eles se conheceram na adolescência.

— E te deixaram sozinho com o Ji-Ho?

— É, você não está vendo eles, está? — Hansol parou e torceu o nariz.  — E... e eu acho que vamos ter que trocar a fralda do Ji-Ho.

— Número um ou dois? 

— Eu acho que perdi o meu nariz, Hoseok — fez uma careta.

— Definitivamente o número dois!

    No quarto azul turquesa de Ji-Ho, Hansol o deitou no suporte com os olhos apagados. Honestamente, mais do qualquer outro dia da semana, hoje ele parecia cansado, estressado, beirando ao limite.

— Eu procuro as coisas, fica ai com ele — reviro as gavetas. — Você parece estressado... algo aconteceu?

— Ah, jura, Hoseok? Não me diga... — resmungou, ácido. Então, ele soltou o ar com força, olhando para frente e desabafou: — Eu só queria ter saído hoje, estava um dia perfeito... mas 'tive que ficar. Cuidar do Ji-Ho, eles disseram. 

— Seok... — Ji-Ho chutou o ar, soltando uma gargalhada. 

—  Oi, bebê — sorri, estendendo o talco para Hansol. — Você sempre fica com Ji-Ho. Eles deviam dar um tempo 'pra você respirar também, eu concordo...

— Eu sei, mas não é como se eles ligassem para o que eu penso ou sinto. 

    Ficamos em silêncio por alguns instantes, tensos sob a própria respiração. Eu achava a situação uma droga e Hansol apenas queria falar sobre isso, então o silêncio era como uma visita bem-vinda. 

— Você ia sair com aquela menina? A que você beijou da última vez? A Jinwoo — cerrei os olhos, confuso.

    Nas últimas duas vezes que eu o visitei, ele tagarelou sobre ela por duas horas. Ela era bonita, com olhos pretos e cabelo colorido, um sorriso inesquecível de batom vermelho. Hansol a conheceu em uma saída para o parque, em um final de semana. 

— Sim, ela me convidou de última hora para um aniversário de um amigo e... — ele estendeu a mão para mim. — Me passa a fralda. 

— Hmm... espera, eu ainda não achei. 

       Me esgueirei, remexendo a última gaveta. 

— E?

— E eu não pude ir — uma pausa e um: — Valeu pela fralda. 

— É uma pena que você tenha que cuidar do Ji-Ho hoje, mas você pode chamá-la para sair no próximo final de semana. 

— Quando eu não estou cuidando do Ji-Ho, Hoseok? Não tem um dia sequer que eu não fique com ele — o que inclui os finais de semana. 

     O irmãozinho de Hansol encolheu-se, tentando engolir o próprio polegar. Bebês são tão fofos, mesmo parecendo não ter dois neurônios funcionando. 

— Isso é uma droga, Hansol. Você realmente devia sair de vez em quando.

— É, eu sei, Hoseok. Obrigado por lembrar. 

     Depois que Hansol prendeu a fralda, ele o soltou no chão, empurrando a fralda suja para o lixo. Ele olhou para mim e suspirou, parecendo ter envelhecido em menos de dez minutos, suas olheiras parecendo dez vezes mais roxas e fundas do que antes. 

— Eu estava pensando... — comecei cuidadosamente. 

— Seok, Seok... — Ji-Ho escalou a minha perna e eu o ergui, segurando-o em meus braços. 

— Posso ficar com Ji-Ho, se quiser. Sabe, pra você sair. 

    Hansol assente e responde: 

— Tenho que ver com a minha mãe...

    Quando ele vai até o banheiro para lavar as mãos, meu celular vibra no meu bolso traseiro. Duas vezes. 

— Achei que você iria demorar 'pra vir hoje — Hansol fala alto o bastante para eu escutá-lo, há dois cômodos de distância. 

— Meu pai saiu com a namorada dele e meu irmão viajou a trabalho, estou praticamente sozinho.

     Espiei o visor do meu celular ao mesmo tempo que Ji-Ho esfregou a mão melecada de babada na minha bochecha, como se eu fosse uma tela de arte em branco. Esgueirando-me com dificuldade, notei o número desconhecido brilhando na minha tela. 

— Abandonado em uma noite de sábado... — Hansol zombou. — Você é como um velho dos gatos, Hoseok!

— Olha quem fala! O senhor-cuidador-de-bebês-fofinhos. 

DESCONHECIDO: o que você acha de fazer o trabalho na minha casa? 
DESCONHECIDO: (sou eu, min yoongi). 

— E você é o...

— Acabou de acontecer a coisa mais... — interrompi. — ... mais louca do mundo. Acho que Min Yoongi me enviou... uma mensagem!

— O quê? 

— É! Ele disse que podemos nos reunir na casa dele. O que eu digo?

— Se você vai ou não — posso imaginar Hansol revirando os olhos. — Quem sabe vocês não acabam se beijando?

— Meu Deus! Você pode não falar de beijos na frente de um bebê agora? Ele é só um bebê... — disse, tampando as orelhas de Ji-Ho. — 'Tá bom, vou dizer que vou... eu ainda tenho que falar com ele sobre o comitê.

— Sobre o comitê?

EU: oi, eu acho ótimo!!! só me falar o dia e dependendo de qual, podemos combinar.
EU: (oi, yoongi). 

— É, estamos pensando em colocá-lo no lugar do Kim Sam. Como secretário. 

— Min Yoongi no comitê? 

— Eu sei. Também estou surpreso. Ah, espera... ele me respondeu.

MIN YOONGI (LENDA): terça-feira, depois do treino de basquete.
EU: tudo bem. vou ver com o meu pai e te aviso.

 

    Na segunda-feira, encontrei Jieun pelos corredores, dez minutos antes da primeira aula. Ela estava com uma expressão assustadora com os lábios contraídos e os olhos afiados. 

     Eu a parei no meio do caminho, estendendo a mão para fazê-la parar: 

— O que houve? Você parece tensa. 

    Jieun tirou os fones do ouvido e respirou devagar. Eu podia ver os ombros retesados de Jieun à distância.

— A coordenadora López cedeu. 

— Então, o que está errado?

    Ela desviou o olhar com um brilho suspeito. KiHyun conseguiu resolver isso, não ela. É por isso que Jieun está maluca, ela odeia perder algo para KiHyun. 

— Vocês discutiram de novo? 

— Vocês? Do que você está falando? — Jieun sorriu sem humor. — Não se ache o rei do mundo, Hoseok. Você não é o rei do mundo, nem se quisesse. O que você pensa que sabe? 

     Resfoleguei, surpreso. Eu podia sentir a irritação subir pelos meus braços, pernas, mente e corpo inteiro. Jieun só pode estar brincando. 

— Eu não estou me achando rei do mundo, Jieun — falei, controlado. — Me desculpa por ter começado errado, Jieun. Você só não parece feliz com a nossa conquista.

— "Nossa"? E "você só não parece feliz"? — Jieun debochou. — Você quis dizer a conquista do KiHyun. É claro que estou irritada, eu podia dar conta. Por que você precisou enfiá-lo nisso? 

— Sim, nossa conquista. Somos um comitê, Jieun. Uma equipe. Então, é claro que, as vezes, vamos precisar de ajuda de outra pessoa para fazer nosso trabalho. Isso não significa que você é incapaz. 

— É, uma equipe — respondeu, as palavras soando infelizes. 

— Jieun, eu acho que você...

— Tchau, Hoseok. 

 

     Quando subo as escadas para o segundo andar da escola, encontro Min Yoongi e Jeon JungKook parados no pé da escada, olhando para mim. 

     O primeiro a dizer algo foi JungKook com um sorriso tranquilo:

— Bom dia!

    JungKook costumava jogar no time de basquete até o começo do terceiro ano, quando ele começou a trabalhar como maquiador. O treinador Lee chorou por duas horas de treino, assim que JungKook contou que estava saindo. 

    Todos nós o entendíamos. A perda de um companheiro em uma equipe é sempre muito dura de lidar. As vezes, eu ainda podia enxergar JungKook na quadra, sorrindo com seus lábios cheios de gloss, nos animando.

— Bom dia — cumprimento. — Faz um tempo que não te vejo pelos corredores! Como você 'tá? 

— Bem... estou trabalhando em um clube agora, co-capitão! Os treinos do treinador fazem falta. 

— Fico feliz em saber, JungKook. De verdade.

       JungKook assente gentilmente e dá uma cotovelada em Yoongi. Yoongi apenas mexe a cabeça e diz:

— Bom dia.

— Bom dia, Yoongi.

     Hoje, os olhos de Yoongi e o cabelo pareciam mais escuros, um pouco opacos. Parecia que ele mal 'tinha dormido durante a noite ou tomado sol há alguns dias. 

      Quando nossos olhares se cruzam, eu resolvo dizer:

— Bom, eu vou...

     Alguém toca meu ombro. É Oh Chin-Mae do time de basquete. Ele tem olhos castanhos e o cabelo repartido ao meio, é alto e usa uma jaqueta do time de basquete com o número nove, cheira à colônia cara.  

— Ei, capitão!

— Até quando você vai me chamar de capitão, quando esse cargo é seu, capitão? — Chin-Mae ri e nós fazemos nosso toque de capitães. — O que houve? Você nunca me procura nesse horário. 

— É que...

     Então, ele nota a presença de Jeon JungKook e Min Yoongi. Seus olhos vacilam. 

— Ei, não vi vocês aí... — agora, seu sorriso parece carregado.

— Oi — é JungKook quem responde, tenso. 

— Bom dia — Yoongi diz, mas sua resposta nem importa, porque Chin-Mae está ocupado olhando para JungKook. 

     JungKook e Chin-Mae, na verdade, são ex-namorados. Namoraram até JungKook sair do time e depois disso, era raro vê-los juntos. Eu nunca soube o porquê do término, mas entendia que Chin-Mae ainda estava na dele. E muito. 

— Chin-Mae?

— Ah, sim... sim, sim... é... — ele limpou a garganta e pousou a mão no meu ombro novamente. — Capitão, nós temos uma emergência. 

— Uma emergência?

     Precisei pressionar minhas têmporas por alguns segundos, antes de falar com pressa:

— Não, não diga... Vem comigo. Estou indo para o comitê agora. Nós resolvemos isso no caminho. 

— O.K.! Às suas ordens, capitão.

— Nós já estamos indo. Nos vemos por ai, JungKook e Yoongi — sorri suavemente, um pouco tenso e estressado. — Tenham um bom dia de... ah, Yoongi?

     Yoongi piscou os olhos, surpreso. 

— Sim?

— Me manda uma mensagem. Preciso que você fale com meu pai, ele está um pouco receoso sobre amanhã. É só para confirmar, porque ele não te conhece. Enfim, tenham um bom dia, meninos. 

     Com Kim Chin-Mae no meu encalço, eu atravesso o corredor do segundo andar e puxo a maçaneta da porta do comitê de formatura. Está completamente vazia, dessa vez, cheirando à lavanda. 

— O que estamos fazendo aqui? — Chin-Mae pergunta. 

— Preciso buscar os folhetos da eleição para rainha e rei do baile... 

     Ele parece surpreso, parado ao lado da cadeira de MinHyuk. 

— Achei que fosse acontecer dois meses antes do baile.

— Bom, estamos há quatro meses do baile de formatura e pensamos em fazer uma eleição diferente dos outros anos, sabe? Com mais provas e entrevistas — suspirei, pescando as folhas no fundo do armário. — Estamos preparando os folders há duas semanas, mas só conseguimos pegá-los hoje de manhã com a prima do MinHyuk... 

     Chin-Mae assobiou e disse:

— Uau. Isso vai ser uma loucura.

— Jieun disse o mesmo, ela acha que vai ser um pé de guerra. Nós meio que gostamos disso.

— Isso não deveria ser ruim? — Chin-Mae franziu o rosto. — Pessoas vão arrancar cabelos, gritar, jogar pó de mico nas roupas um do outro, fazer algo meio radical e depois se desculparem na reunião de reencontro de turmas daqui alguns anos...

— Isso quer dizer que eles estão empolgados para o baile — dei de ombros. — E se estão empolgados, estamos fazendo um bom trabalho. Não acha?

     Chin-Mae ergue as sobrancelhas, pensativo. Talvez esteja pensando sobre o que eu falei. Ou em JungKook. Sua mente sempre estava em JungKook. 

— Enfim, você ainda não me disse qual era a emergência. Está tudo bem com o time?

— Na verdade... — ele suspira. — Você sabe, temos um jogo daqui há um mês.

— Sim, eu sei. Na escola do lado oeste. 

— Parece que houve um problema com o orçamento do ônibus... — Chin-Mae coça a nuca. — A gerente acabou fechando o orçamento errado e agora estamos em apuros.

— E a escola?

— Não pode cobrir os custos.

     Sentei-me na cadeira ao lado de Chin-Mae e puxei a ponta da minha orelha. Estou um pouco cansado e não quero lidar com isso agora, mas me forço a pensar em algo, puxando meus pensamentos em espirais. 

— Nós podemos arrecadar fundos, o que acha? O time pode se reunir e não sei... lavar carros? 

— Isso é... na verdade, uma ótima ideia. Uau. Você é um gênio! — Chin-Mae dá tapinhas no meu ombro, muito feliz. — Esse é o meu capitão! Sabia que podia pensar em algo. Vou avisar ao treinador Lee... ele vai ficar tão, tão feliz!

— Ei! Você é o capitão... — acabo sorrindo. Chin-Mae coloca a mão no trinco da porta. — Antes, fale com o treinador para falar com a diretora. Ela tem que aprovar. Depois, se der certo, pensamos no que fazer. Certo?

— O.K., capitão! Nos vemos depois. Lembre- se: VOCÊ É GENIAL!

     A sala volta a ficar vazia, apenas com o chiado do vento batendo contra a janela e do aquecedor trabalhando. Até mesmo a minha respiração parecia solitária, quase fantasmagórica. Eu 'tinha o suave sentimento de que o dia parecia azul, como se alguém também estivesse. Era só um sentimento.


Notas Finais


O Hoseok tem muitas responsabilidades, muitas relações e consequentemente, muitos sentimentos. Ele passa a vida escolar dele tomando responsabilidades, cuidando de outras pessoas e nunca parando para realmente dar prioridades aos próprios sentimentos e problemas.

Enquanto o Yoongi é o oposto, ele tem limites. Seus relacionamentos são sólidos e muito bem construídos — ao contrário do Hoseok, que vive com amizades que parecem até ser muito frágeis.

Yoongi tem uma parede sólida, que impede qualquer pessoa de ultrapassar e Hoseok é apenas uma pessoa segurando uma marreta na mão, disposto a mergulhar de cabeça e se machucar com cacos de vidro.

Enfim, se você leu, obrigada! E até a próxima.

Se você quer falar sobre essa fanfic no twitter, você pode usar #DetetiveParticular.
Me encontre no twitter como: @_alltown.
Twitter dos personagens da fanfic: @yoonCDM, @hoseokCDM, @junCDM.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...