1. Spirit Fanfics >
  2. Cilada de Amor - Imagine Lee Felix >
  3. - Capitulo 11 -

História Cilada de Amor - Imagine Lee Felix - Capítulo 11


Escrita por:


Notas do Autor


Voltei!

Nesse capítulo vai voltar uma pessoa indesejada...

Boa leitura criaturinhas❤🐃

Capítulo 11 - - Capitulo 11 -


Fanfic / Fanfiction Cilada de Amor - Imagine Lee Felix - Capítulo 11 - - Capitulo 11 -

Estava bem concentrada em prestar atenção em cada movimento que ambos faziam enquanto lutavam, quando colocam a mão em meus olhos, impedindo que eu visse algo, quando fui olhar para trás vi que era o In-guk.

S/N: - Que susto menino! - bati nele – Nunca mais faça isso na sua vida. - ele começou a rir

In-guk: - Desculpa, mas a cara que você fez foi hilaria. - ele e os meninos começaram a rir de mim

S/N: - Terminaram o treino? - falei levantando da caixa e eles concordaram – Então nós já vamos, tchau meninos. - me despedi de todos e fomos embora

In-guk: - Se cuida, qualquer coisa me liga. - falou enquanto me via sair de seu carro

S/N: - Você também. - abanamos um para o outro e ele foi embora, logo entrei no meu prédio

Joise: - Wait! - gritou e eu parei na hora

S/N: - Uau, Joise bilingui. - rimos – Mas o que a senhora quer?

Joise: - O seu namorado está la em cima te esperando, acho que está aguardando em frente a sua porta, já que eu não vi ele saindo, só entrando.

S/N: - Que? Que namorado? A idade já está batendo? - ela me deu um tapa na nuca e eu ri

Joise: - Olha o respeito menina! - rimos – Mas enfim, para mim ele vai ser considerado seu namorado até que você me apresente o seu verdadeiro namorado. É aquele que estava conosco no dia que eu fui feita de refém.

S/N: - O que ele está fazendo aqui? A quanto tempo ele está me esperando aqui? - ela olhou no relógio e eu também, assim vimos que eram 18:27

Joise: - Ele chegou aqui era umas 16:00, então mais ou menos duas horas atrás. - arregalei os olhos e corri para o elevador

S/N: - Obrigada pelo recado! – gritei antes do elevador fechar, apertei o número do meu andar e subi até lá, vendo o Jackson sentado em frente a minha porta, dormindo – Que fofo. - peguei meu celular e bati uma foto dele, depois fui para perto dele e me agachei para ficar da sua altura – Jack. - balancei ele e ele abriu os olhinhos

Jackson: - Oi, desculpa estar dormindo aqui na frente da porta do seu apartamento. - falou com a voz rouca e mais grave do que o normal, por ter acordado a recém

S/N: - Vem, vamos entrar. - ajudei ele a levantar e entramos no meu apartamento, coloquei ele sentado no sofá e eu fiquei de pé – Desculpa não estar aqui para te receber, é que eu havia saído para um compromisso.

Jackson: - Tudo bem, eu deveria ter te avisado que viria. - ele se levantou e me abraçou, logo eu soltei um gemido de dor, por ele ter pressionado bem a região onde eu havia machucado – O que eu fiz? Está machucada em algum lugar? O que aconteceu? - falou preocupado

S/N: - É que hoje eu tive treinamento policial e em uma das provas eu acabei caindo de costas no chão, aí qualquer pressão que fizer no local dói.

Jackson: - Eles deviam tomar mais cuidado com as provas que dão para vocês, eles não vêem que pode ser perigoso? - falou bravo, o que fez ele ficar fofinho

S/N: - Você não consegue ficar bravo sem ser fofo? - ele me olhou sorrindo e eu ri

Jackson: - Você não acha que eu sou perigoso? - falou vindo mais perto de mim e eu fui me afastando

S/N: - Não, eu te acho o cara mais fofinho do mundo todo. - sorri para ele

Jackson: - Eu não sou fofo. Você ainda não conheceu todos os meus lados, eu posso ser fofo, safado, sexy, selvagem, mau, tudo o que você imaginar, principalmente na cama. - quando ele falou isso eu acabei encostando na parede

S/N: - Eu já vi alguns lados que você falou. Por exemplo agora, você está sendo muito safado. - falei sorrindo para ele, que abaixou sua cabeça na altura do meu rosto

Jackson: - Eu posso ser dez vezes pior la no seu quarto. - falou com um sorriso malicioso

S/N: - Pode? - falei roçando nossos lábios uns nos outros – Então me mostra. - iniciei um beijo cheio de luxuria e desejo de ambos os lados

Jackson: - Mas hoje não vai dar. - falou separando o nosso beijo com um sorriso brincalhão

S/N: - Por quê? - falei manhosa

Jackson: - Porque você está machucada e não podemos piorar a situação das suas costas. E você disse que qualquer pressão já dói, ou seja, nada de sexo. - fiquei triste – Não fica assim, eu também queria fazer sexo com você, mas hoje não vai dar, quem sabe outra hora. Quer dizer, com certeza outra hora. - rimos

S/N: - Se não vamos fazer nada hoje, eu vou tomar um banho, porque depois disso aqui meu amigão... eu peguei fogo. - ambos rimos

Jackson: - Vou estar te esperando aqui na sala. - concordei e entrei no meu quarto, escolhi uma roupa mais larguinha e fui para o banheiro, tomei meu banho e coloquei meu sutiã, calcinha e minha calça, quando fui ver como estava o meu machucado eu vi que ele estava muito roxo

S/N: - Jack! - gritei por ele e alguns segundos depois ele bateu na porta

Jackson: - S/N? Está tudo bem ai? - abri a porta e seus olhos foram direto para os meus peitos, mas logo voltaram aos meus olhos – Desculpa, do que precisa? - ri

S/N: - Eu preciso que você passe um creme nas minhas costas. - dei o creme para ele e me virei, ouvindo ele surpreso

Jackson: - Isso 'tá um roxão muito feio, tem certeza de que irá melhorar rápido? - falou enquanto passava o creme em minhas costas

S/N: - Acho que daqui uns dois dias fica melhor, o meu amigo me deu umas pilulas para a dor e esse creme, então acho que ficarei melhor logo, já que ele entende muito bem de medicina e medicamentos. - falei enquanto aproveitava suas mãos em minhas costas

Jackson: - Pronto, agora vai lá colocar uma blusa ou um blusão que está frio. - entrei no banheiro e vesti minha blusa e meu blusão, saí do banheiro e vi que ele não estava mais no quarto, então fui para a sala e vi ele assistindo TV – Vem assistir aqui comigo. - bateu no lado do sofá em que ele estava, quando eu estava caminhando até o sofá, meu celular toca

S/N: - Espera um pouquinho. - ele assentiu e eu fui para a cozinha

 

@LIGAÇÃO MÃE [email protected]

- Alô? (S/N)

- S/N minha filha, cadê você? Você disse que estaria aqui as 19:00 e já são 19:30. Aconteceu algo? (Mãe)

- Putz! - bati em minha testa – Desculpa mãe, esqueci completamente. Eu estou indo 'praí agora, vou levar alguém junto, tá bom? (S/N)

- Ta bom, mas seja rápida. (Mãe)

- Ta, te amo. (S/N)

@LIGAÇÃO MÃE [email protected]

 

Desliguei a ligação e olhei para o Jackson.

S/N: - Jack, você me leva até o restaurante de chicken dos meus pais? Aí você aproveita e come lá. - falei enquanto colocava meus tênis

Jackson: - Claro. - saímos do apartamento e fomos para o carro dele, dei o endereço e chegamos no restaurante, vendo ele lotado

S/N: - Vem comigo. - peguei em sua mão e entramos correndo no restaurante

Todos: - S/N!! Namorado novo. - todos começaram a me zoar e eu ri

S/N: - Parem de brincar com a minha cara. Eu cheguei agora e todos serão atendidos bem rápidos. - eles riram e fomos até o meu pai – Cheguei pai, onde está o meu avental? - ele me deu o avental e quando eu ia para a cozinha o Jack me segurou – O que foi?

Jackson: - Deixa eu ajudar vocês? Eu estou vendo que está bem cheio hoje. - olhei para o meu pai que hesitou, mas deu um avental para ele – Obrigado. - reverenciou

S/N: - Você sabe como funciona, né? - ele concordou e eu fui para a cozinha – Oi mãe, cheguei para ajudar a senhora. - falei colocando a toca no cabelo e começando a fritar os frangos

 

@QUEBRA DE [email protected]

 

Já havíamos fechado o restaurante e tínhamos comido alguns frangos, agora estávamos ajeitando tudo lá dentro.

S/P: - Toma meu jovem, obrigado por ter nos ajudado hoje. - ofereceu dinheiro para o Jackson que recusou na hora

Jackson: - Não precisa me dar nada. Eu fiz isso para ajudá-los, não em troca de dinheiro, podem ficar com o dinheiro. - sorriu para ele e eles agradeceram

S/N: - Bom, já terminamos por aqui e agora nós vamos para casa, porque eu estou morta. - dei um beijo nos meus pais e saímos indo para o meu prédio

Jackson: - Entregue. - olhei para ele – O que foi?

S/N: - Dorme comigo hoje? Não quero ficar sozinha, fora que eu acho que tenho que ficar dois dias em casa, já que não posso fazer muito esforço. - ele pensou um pouco

Jackson: - Ta bom, depois eu me resolvo com o meu chefe. - sorri vitoriosa e dei um selinho nele, logo fomos para o apartamento e trocamos de roupa, escovamos os dentes e deitamos na cama, capotando logo em seguida

 

@QUEBRA DE TEMPO, DOIS [email protected]

 

Nesses dois dias o Jack sempre vinha aqui em casa para ver se eu precisava de algo e até me deu um par de brincos lindos de presente, os meninos do grupinho do Felix não entraram em contado nem comigo nem com o In-guk, o que fez nós pensarmos que eles estavam tramando algum plano.

Jackson: - Está quase pronto o almoço, só estou terminando de fazer as carnes. - falou assim que me viu entrando na cozinha

S/N: - Não é isso, mas eu já falei para o senhorito que as minhas costas já melhoraram e eu já posso me cuidar sozinha, já posso fazer as coisas sozinhas. - falei abraçando ele por trás

Jackson: - E eu já falei que é só até hoje, amanhã e nos outros dias você pode voltar a sua rotina normal. - falou colocando uma garfada de carne na minha boca – Está boa? - fiz um positivo para ele que sorriu e colocou as coisas na mesa

S/N: - Obrigada pela comida. - depois disso atacamos as comidas

Depois de lavarmos a louça, fomos assistir TV. Ficamos várias horas assistindo televisão e trocando várias caricias durante os filmes, séries e desenhos que passavam nela, até que alguém liga para o Jackson.

Jackson: - Só um momento. - ele se levantou e foi para a cozinha, fiquei assistindo TV até ele voltar – Eu tenho que ir embora, pequena. - beijou minha testa – O meu chefe ligou e disse que eu tenho que estar la no trabalho por causa de uma reunião. - assenti – Eu te ligo qualquer coisa. - me beijou – Você também faça isso de noite para mim tá? Manda mensagem ou liga. - assenti e ele foi embora, alguns minutos depois recebo uma mensagem desconhecida no meu e-mail

 

@E-MAIL [email protected]

"Oi S/N, eu não sabia como eu iria me comunicar com você, então lembrei que ainda existe e-mail. Eu só queria falar que depois da nossa última conversa, eu vou embora do país, então eu só queria uma última conversa para esclarecer as coisas. Se você aceitar, é na rua XXX, naquele Café Doce Rose as 16:30, se você não vier, eu não irei embora até conseguir falar com você, mas se vier, eu vou embora da sua vida para sempre.

Ass: Ju-hyung"

@E-MAIL [email protected]

 

Desliguei o meu computador e coloquei uma roupa mais decente para aquele café, coloquei uma bota de pelo e um casacão, pois estava muito frio la fora, peguei uma faca pequena e coloquei escondida em um bolso que eu havia feito na minha bota, propício para esse tipo de coisa. Queria ter precaução de que se ele tentasse algo eu já estaria protegida o suficiente. Peguei meu celular e coloquei no bolso do casacão, saindo do apartamento em seguida.

S/N: - Joise. - ela veio até mim – Se eu não voltar para cá até as 20:30, chama a polícia e diz que eu fui me encontrar com o Joo Ju-hyung e também dá esse rastreador para eles, meu celular vai estar ligado, então dará para vocês me rastrearem, tá bom? - dei para ela o rastreador

Joise: - Ta bom, mas se cuida. - concordei e entrei no Uber que eu havia chamado quando estava descendo de elevador

S/N: - Boa tarde, me leve para o Doce Rose. - ele concordou e me levou até la – Obrigada. - paguei ele e entrei no café, vendo o Ju-hyung sentado em uma mesa – Fala logo o que você quer. - olhei para ele com cara de cu

Ju-hyung: - Oi para você também. - sorri minimamente para ele – Bom, eu só queria saber o porquê de você ter me largado. Nós eramos felizes um ao lado do outro, mesmo você sem saber que eu era um criminoso. - dei uma risada sarcástica

S/N: - Você quer mesmo saber? Mesmo você já fazendo ideia do porquê, mas finge não saber. - ele concordou – Você falou várias coisas horríveis, nojentas e mal-educadas na minha cara, coisas que você nunca deve falar para nenhuma pessoa. Você me usou para ganhar uma merda de dinheiro sujo. Você é muito abusivo, sempre me batia por ciúmes, ou as vezes por nada, sem eu ter feito nada. Quase não tínhamos momentos felizes, um e outro, mas quase nada. Aí eu resolvi terminar, foi foda, pois você ficou um ano inteiro me perseguindo. - ele ouvia fazendo cara de deboche – Você quer saber o porquê de eu ter namorado com você?

Ju-hyung: - Por que eu era lindo? - falou confiante

S/N: - Porque quando eu te conheci você estava com o coração destruído, tinha saído de um relacionamento difícil, demorou para eu te manter por perto, pois você não confiava em mais nenhuma garota, eu estava com medo de te deixar sozinho, já que você havia me dito que já havia tentado suicídio. Eu disse que te ajudaria se você caísse e chorasse, e se eles rissem por te achar mulherengo, eles que se fodam, eu te vi de joelhos e te coloquei de volta em pé... - ele me olhava – só para você se aproveitar de mim. - falei com desgosto – Me diz como é ficar ai se sentindo tão forte, mas longe demais para me abraçar? Você sequer se sente sozinho? Pensando que você poderia viver sem mim. Fui eu que te reergui novamente e eu nem sei o porquê. Te dei amor umas cem vezes, apenas correndo das maldades da sua mente, eu acabei pegando suas maldades e fiz delas minhas e eu não tinha percebido, porque o meu amor era cego. Eu não havia percebido que estava indo para um mal caminho por causa dessa maldita maldade da sua mente. Você não precisou dizer apenas o que você fez de errado, o que você era, eu já sabia, eu tive que descobrir a partir delas, agora me diz como se sente ouvindo tudo o que eu estou te dizendo agora? - falei limpando as minhas lagrimas que haviam caído pelas lembranças terem voltado enquanto eu falava com ele

Ju-hyung: - Nada, eu não tenho nada a te dizer, pois não tenho nenhum arrependimento. - me levantei da mesa e ele fez o mesmo

S/N: - Já te esclareci o que queria, agora nunca mais volte para cá, não apareça na minha vida, suma dela e nunca mais volte. - saí do café e chamei o Uber

Quando eu estava esperando o Uber chegar, sou surpreendida com algo macio perto do meu nariz e que cobria toda a minha boca, quando fui olhar para ver o que era, minha visão começou a ficar turva e eu acabei desmaiando.

 

@QUEBRA DE [email protected]

 

Acordei em uma quarto muito pequeno e a única luz que eu tinha naquela sala era de uma janela pequeninha ao lado de uma prateleira. “Onde eu estava?” era a pergunta que ecoava em minha cabeça, juntamente com quem havia me levado para esse lugar.

S/N: - Olá?! Alguém consegue me ouvir?! - fui tentar me mexer e pude perceber que minhas mãos estavam amarradas com uma corda que estava super apertada, mas minhas pernas estavam soltas, o que era bom, caso eu queira pegar a minha faca

XXX: - Vejo que acordou. - ouvi a porta ser aberta e a luz ser ligada, fechei meu olhos por conta da claridade, mas depois abri e me acostumei com ela, podendo ver quem era o ser que estava naquela sala juntamente comigo

S/N: - Ju-hyung? - ele sorriu – Você falou no e-mail que se eu fosse falar com você, você iria embora logo em seguida, por que mentiu? - ele deu uma risada anasalada e se abaixou para ficar na minha altura

Ju-hyung: - Você ainda não aprendeu, mesmo depois de termos terminado, que eu minto muito? Eu não acredito que você foi tão trouxa em acreditar que eu iria embora após conversar com você. - ele pegou o meu rosto, eu tentei sair, mas ele estava prendendo meu rosto para eu olhar para ele – Só uma coisa que eu falei naquele e-mail era verdade.

S/N: - E qual era?

Ju-hyung: - Que eu vou sair do país, mas não sozinho. - deu um sorriso psicopata, que me fez ficar com muito medo, mais do que eu já sentia dele – Você irá comigo, nem que eu tenha que te levar na marra. - falou soltando minha cabeça e se levantando

S/N: - Eu não vou mesmo!! Socorro!! Alguém me ajuda!! - ele riu alto e eu parei de tentar pedir ajuda

Ju-hyung: - Amanhã de manhã eu venho aqui te buscar, vamos ir para o aeroporto e você... - mostrou sua arma – Nada de gracinhas la. - ele saiu logo em seguida, me deixando naquela escuridão

S/N: - Será que a Joise fez o que eu pedi?

 

@POV JOISE [email protected]

 

Já era 20:30 passada e nada da S/N voltar. Como ela pediu eu liguei para polícia e falei sobre ela ter ido naquele café se encontrar com um tal Joo Ju-hyung, entreguei o rastreador que imediatamente começou a piscar.

Policial: - Nós vamos começar as buscas agora, qualquer coisa nós ligamos para a senhora. - concordei e passei o número do meu celular para eles, logo eles foram embora

Joise: - Aonde você foi se meter S/N. - falei indo para trás do balcão preocupada, se algo mais grave acontecesse, como ela iria se livrar disso?

Fiquei esperando noticias da policia por horas e horas, mas quando deu 4:30, eu vi um ser correndo até a minha bancada, quando olhei para ver quem era, era o namorado dela, o tal do Jackson.

Jackson: - Com licença, mas você sabe se a S/N está aqui? - falou ofegante e preocupado

Joise: - A senhorita S/N saiu alguns minutos depois que o senhorito saiu. Ela falou que se ela não voltasse até as 20:30 era para eu contatar a polícia e dar um rastreador para eles, já que o seu celular estaria ligado. Ela foi se encontrar com um tal de Joo Ju-hyung.

Jackson: - Okay, obrigado por ter me avisado. - reverenciou e saiu correndo até seu carro, logo saiu cantando pneu

Joise: - Espero que eles achem a S/N. - fiquei rezando para que a achassem viva e que nada grave acontecesse com ela

 

@POV JACKSON [email protected]

 

Depois da minha reunião eu voltei para a casa junto com os meninos, tomei meu banho e vesti uma roupa mais soltinha e aconchegante para ficar em casa. Desci para a sala e fiquei assistindo TV com os meninos, quando deu meia noite e poquinho, eu fui tentar ligar para a S/N, já que ela não estava respondendo as minhas mensagens. Liguei uma, duas, três, quatro vezes e nada, ela não atendia, mandei umas cem mensagens e nada dela me responder, eu já estava ficando preocupado, já que ela havia falado que iria me ligar a noite.

Jaebum: - Aquieta o cu no sofá Jackson, parece que está com pulga na bunda. - falou ao ver eu andando para um lado e para o outro

Mark: - Ele está preocupado com algo ou alguém, ele não para de mexer no celular e ligar para alguém.

Jinyoung: - Será que é com aquela mulher que veio aqui em casa uma vez? Qual era o nome dela mesmo?

Jackson: - Atende S/N! - falei gritando com o meu celular

Youngjae: - Acho que é S/N.

Bambam: - Ela fez algo de errado para você estar tão furioso?

Yugyeom: - Ela dever ter dispensado ele na hora do sexo. - todos eles riram

Jackson: - Eu vou sair e não sei quando volto, qualquer coisa eu dou uma chamada para vocês, tchau. - peguei meu casaco e as chaves do carro e saí de casa indo para o meu carro, fui na maior velocidade para o prédio da S/N - Com licença, mas você sabe se a S/N está aqui? - falei ofegante

Joise: - A senhorita S/N saiu alguns minutos depois que o senhorito saiu. Ela falou que se ela não voltasse até as 20:30 era para eu contatar a polícia e dar um rastreador para eles, já que o seu celular estaria ligado. Ela foi se encontrar com um tal de Joo Ju-hyung. - onde ela se meteu?

Jackson: - Okay, obrigado por ter me avisado. - reverenciei e saí correndo até meu carro, logo sai cantando pneu – Aish S/N, onde você foi? - encostei meu carro e abri o meu aplicativo rastreador, coloquei o número do rastreador que eu havia colocado em seu celular e apareceu que ela estava em um motel abandonado – O que ela está fazendo lá? - liguei o carro e fui para o motel, no caminho eu liguei para policia e falei a localização de onde eles estavam – Eu espero que esse bosta não tenha feito nada com a S/N, se não ele vai se ver comigo. - falei apertando minhas mãos no volante e acelerando, até que eu chego na frente do motel, onde já estavam três viaturas da policia

Policial 2: - Você que é o Jackson? - falou um policial que veio em a minha direção quando eu saí do carro

Policial: - Pode deixar que com ele eu falo, Kim. - o policial assentiu e voltou para perto dos outros – Parece que nos encontramos novamente meu jovem. - era o mesmo policial daquela vez que os caras invadiram o apartamento e fizeram a Joise de refém

Jackson: - Parece que sim. - reverenciamos – Vocês vieram sem fazer alarde nenhum, certo?

Policial: - Sim, nós viemos em total sigilo. - assentimos e olhamos para o motel que tinha três andares – Como você sabia que eles estavam aqui?

Jackson: - É que, por causa daquelas invasões no apartamento da S/N, eu resolvi, por segurança dela, colocar um rastreador em seu celular, que assim, mesmo o celular dela estando desligado, eu consigo saber onde ela está.

Policial: - E ela sabe disso? - neguei – Você sabe que isso pode lhe causar prisão, não sabe?

Jackson: - Sei, mas eu juro que irei contar para ela, eu coloquei faz pouco tempo. - ele assentiu – Vamos entrar. Nós estamos em quantos no total?

Policial: - Dez pessoas.

Jackson: - Okay, então... dois de vocês ficam aqui em baixo, para caso ele queira fugir, vocês já estão pronto para pegá-lo. Três ficam no primeiro andar, três no segundo andar e dois no terceiro. Eu quero ficar no terceiro.

Policial: - Okay, então eu vou com você. Só vou explicar o plano para os policiais e nós vamos. - concordei e peguei a arma que tinha no meu carro, colocando em meu bolso – Pronto? - falou assim que fechei o carro

Jackson: - Sim, vamos. - caminhamos até a entrada do motel e nos separamos

Eu e o policial fomos para o terceiro andar e verificamos todos os quartos, menos o 322, que era o último.

Fiz um sinal para que ele fosse do outro lado da porta e nós pegamos as nossas armas, logo eu contei até três e arrombamos a porta de lá, corremos para dentro da casa com a arma apontada para frente, caso ele aparecesse ali, nós conseguiríamos parar ele.

Policial: - Vai para o último quarto da esquerda, eu vou ver nos outros cômodos. - assenti e nos separamos

Fui na maior cautela até o último quarto, que estava com a porta fechada e coloquei a mão na maçaneta, contei até três e abri com tudo, logo vi que não havia nada nem ninguém no quarto. Quando eu ia sair eu notei algo brilhando no chão, fui mais perto para ver o que era e vi que era o brinco que eu havia dado para a S/N de presente, enquanto ela estava machucada.

Jackson: - Policial! - ele veio correndo até o quarto – Eles estiveram aqui. - mostrei para ele o brinco e ele pegou da minha mão para analisar – Esse brinco é dela.

Policial: - Como você pode ter tanta certeza?

Jackson: - Eu dei esse brinco para ela faz dois dias.

Policial: - Você acha que eles ainda estejam aqui? Ou tenham fugido já faz tempo?

Jackson: - Eu acho que eles fugiram quando viram vocês chegando. De alguma forma ele deve ter visto vocês aqui e fugiu sem vocês terem visto. - descemos até as viaturas novamente

Policial: - Encontraram alguma coisa?

Policial 2: - Não senhor, está tudo vazio, acho que eles fugiram quando nós chegamos.

Jackson: - Que merda! - falei frustrado e baguncei meu cabelo

Policial: - Vamos dar mais uma ronda por aqui, qualquer coisa nós te avisamos. Agora pode ir para casa descansar, porque já são cinco horas da manhã.

Jackson: - Eu não vou conseguir dormir sabendo que ela pode estar em apuros. Mas tudo bem, eu vou procurar em outros lugares abandonados, vou tentar ver se eu consigo rastreá-la, aí eu também aviso vocês caso eu a encontre.

Policial: - Okay. - reverenciamos e eu voltei para o meu carro

Peguei meu celular e cliquei no aplicativo do rastreador, mas ele não estava querendo abrir. Eu tentei de tudo para fazer ele funcionar, mas nada dava certo.

Jackson: - Mas que merda! - falei jogando meu celular no banco e colocando a cabeça no volante – Por favor, que a S/N esteja bem. Que nada aconteça a ela enquanto eu não achá-la. - liguei meu carro e comecei a ir em todos os lugares abandonados daquela região

 

@POV S/N [email protected]

 

Já estávamos no aeroporto fazendo o check-in, eu estava grudada a ele, já que o mesmo estava com uma arma apontada para a minha barriga, pois, caso eu tentasse alguma coisa, ele iria atirar em mim ali mesmo. Sorte a minha que ele foi burro e me desamarrou antes de chegarmos ao aeroporto, eu consegui ligar meu celular, mas antes que eu pudesse ligar para alguém, nós já havíamos chego no aeroporto.

Ju-hyung: - Nós já vamos embarcar, então se comporte. - falou apertando mais o bico da arma contra minha barriga

S/N: - Como você passou com a arma pelo detector de metais?

Ju-hyung: - Eu tenho as minhas táticas, agora vamos logo. - foi me arrastando até a fila de embarque para entrar o avião – Por que tem fila nessa merda? - falou irritado

S/N: - Acho que a pessoa que pegava as passagens foi ao banheiro. - falei ao ver a mulher voltando ao seu posto

Ju-hyung: - Acho bom ela ser rápida. - logo que ela voltou a fila começou a andar

Eu estou com muito medo de ir para um lugar desconhecido e sozinha com ele, eu não quero mais passar pelo o que eu passei quando tínhamos um relacionamento, eu prefiro morrer do que passar a minha vida inteira ao seu lado a força.

Ju-hyung: - Ei. - me deu um empurrão – Se liga que daqui a pouco nós somos os próximos, coloca um sorriso nesse rosto. - sorri forçado e ele assentiu

Faltavam duas pessos para nós embarcarmos, e cada vez mais eu ficava ansiosa. Eu pensava se a Joise havia feito o que eu tinha pedido, se os policiais já estavam a minha procura, eu estava ficando desesperada para ser salva, ou para simplesmente barrarem nós por alguma coisa.

XXX: - S/N! - uma voz distante atrás de nós é ouvida falando meu nome, quando viramos para ver quem era, era o Jackson correndo em nossa direção

 

@POV JACKSON [email protected]

 

Quando eu já não estava mais tendo esperanças de achá-la, meu celular apitou avisando que o rastreador havia sido ligado, já que ele havia bugado antes, peguei o celular na pressa e vi que ela estava no principal aeroporto de Seoul. Comecei a dirigir para lá e liguei para os policiais avisando onde ela estava e que era para me encontrarem fora do aeroporto, tínhamos que ter um plano para pegar o cara e salvar a S/N em segurança.

Jackson: - Policial! - falei ao sair do meu carro e ir até os policiais

Policial: - Jackson, você tem certeza que eles estão aqui?

Jackson: - Sim! Eu vi no meu rastreador, agora nós precisamos de um plano, não podemos deixar que ele a leve daqui. - ficamos alguns minutos pensando em um plano

Policial: - Já sei, eu tenho alguns contados de policias que rondam o aeroporto, vou dizer para eles ficarem na espreita com um casal em que a mulher parece desconfortável e que talvez eles estejam muito grudados. Você consegue ver em que lugar do aeroporto ela está?

Jackson: - Acho que sim. - peguei meu celular e aumentei no aeroporto, conseguindo ver o lugar onde ela está – Sim, ela está no portão 3, embarque para Paris.

Policial: - Okay, nós vamos cercá-los dos lados e você vai pela frente, tenta distraí-los para que nós possamos pegá-lo desprevenido. - concordei e começamos a colocar o plano em ação

Eu estava com a minha arma reserva que eu deixo em meu carro, para caso ele tentasse algo eu já estivesse preparado. Comecei a correr muito até avistar o portão 3 e os dois bem juntos, eles eram os últimos a embarcar e faltavam duas pessoas para chegar a vez deles.

Jackson: - S/N! - gritei seu nome e os dois viraram para trás me olhando, ela arregalou os olhos e ele ficou com um semblante de raiva

 

@POV S/N [email protected]

 

S/N: - Não vem para cá! - ele parou

Ju-hyung: - Não dê mais nenhum passo, se não eu atiro nela! - tirou a arma da minha barriga e apontou para a minha cabeça

S/N: - Jackson, não se aproxima, por favor. - senti as lagrimas descendo pelo meu rosto, eu estava morrendo de medo, as pessoas ao nosso redor estavam nos olhando assutadas

Jackson: - Solta ela! Seu nojento! - ele deu um passo para frente

Ju-hyung: - Eu mandei não dar nenhum passo! - empurrou minha cabeça com a arma e o Jackson parou – Se eu não posso tê-la para mim, ninguém mais pode! - pude ouvir ele destravar a arma

Comecei a chorar de soluçar, não queria morrer daquele jeito, agora que eu havia visto Jackson ali, não queria que ele me visse morrer em sua frente.

S/N: - Vai embora Jackson! Não quero que se machuque! - falei em meio aos meus soluços

Ju-hyung: - Boa viagem princesa. - falou no meu ouvido e eu fechei os meus olhos esperando a morte, então ouvi um tiro

Jackson: - NÃO!!

 

Continua...


Notas Finais


Espero que tenham gostado ❤🐃

Continuo ou não?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...