1. Spirit Fanfics >
  2. CinderBela >
  3. Capítulo 24

História CinderBela - Capítulo 28


Escrita por:


Notas do Autor


Como prometido, irei tentar postar toda segunda, boa leitura, espero que gostem :)

Capítulo 28 - Capítulo 24


Enzo Gabriel

Na sexta-feira de noite

A Ana me contou o que aconteceu com a Bela e o motivo das faltas dela, fiquei muito preocupado, Ana também me contou que Bela vai ir na festa do Emanuel, eu estava morrendo de saudades dela.

- Mas que bom que ela está bem, que não aconteceu nada de grave, vai que essas doidas fizessem coisas pior com ela.- falou Ana.

- Sim, ainda bem, estávamos muito preocupada com ela, mas vai dar tudo certo, bem que o pai dela podia voltar logo de viagem.

- Sim, poderia voltar logo, para salvar a Bela daquelas cobras, e ainda bem que vamos conseguir falar com ela amanhã.- concordei com a cabeça.

- Mas e se a gente não achar ela? É uma festa de máscaras.- perguntei.

- A gente vai dar um jeito, mudando de assunto... Você já sabe qual roupa você vai ir?

- Já sei sim.- levantei, fui até meu guarda roupa, peguei a roupa e mostrei para a Ana.

- Aí amigo, que lindaa.- Ana falou passando a mão pela roupa.

- E você? Já sabe o que vai usar?

- Ainda não sei, vou ir comprar um vestido amanhã, fui dar uma de preguiçosa e agora vou ter que comprar amanhã, espero que eu ache algum vestido bonito.

- Você vai achar.

- Ahh, quer ir comprar comigo? Já que eu já vou dormir na sua casa, a gente vai juntos amanhã, e eu me arrumo aqui, tá bom?

- Tá ótimo.- falei animado.

Ficamos conversando coisas aleatórias, quando vimos já era quase duas da manhã, precisávamos ir dormir cedo, pois tínhamos que ir comprar o vestido da Ana, arrumei o colchão da Ana no chão, e ela logo se acomodou nele.

- Boa noite, até amanhã.

- Boa noite, até, dorme bem.- respondi me ajeitando na cama.

Sábado (dia da festa de máscaras)

Acordei com o despertador (coloquei o despertador para não nos atrasarmos), como Ana tinha o sono pesado, ela não ouviu e então eu fui e pulei em cima dela.

- AAAAAAAAAAAAHHHHHHHHH, que susto Enzo, seu desgraçado, pra que fazer isso? Quer me matar do coração?- ela é um pouco exagerada.

- Aí não exagera Ana.- falei me matando de rir, a reação dela foi muito boa.

- Não exagera? Eu quase morri aqui menino, que raiva.- ela falou irritada, ok, devo ter pegado um pouco pesado.

- Desculpassss, mas agora precisamos levantar, vamos comer e ir comprar seu vestido.- ela não me respondeu, apenas levantou da cama e foi para o banheiro, logo logo ela se acalma.

Quando Ana saiu do banheiro, eu entrei, fiz minha higiene matinal e fomos tomar café da manhã, comemos sanduíches naturais com suco de uva natural (somos bem fitness, só que não).

Saímos de casa por volta das 08:30, começamos a andar pelo centro pra acharmos um vestido que Ana gostasse. Páramos em muitas lojas, mas nenhuma tinha um vestido que Ana gostasse.

Eu já estava morto de andar, estavamos desistindo, mas ela implorou pra entrar em uma última loja, como sou bom amigo, topei, ela olhou vários vestidos, mas não gostou de nenhum, quando estávamos saindo, uma mulher estava colocando um vestido no cabideiro, era um vestido tomara que cai vermelho e alguns detalhezinhos bordo, era muito bonito.

- Vamos entrar de novo, quero provar aquele vestido.- ela falou animada, não sei da onde ela tira tanto animação.

- Ok.- falei acompanhando ela novamente pra dentro da loja.

Ela entrou dentro da cabine que troca de roupa. Graças a Deus essa loja tinha uns banquinhos, sentei em um deles e fiquei esperando ela, que ficou uns minutos lá dentro. Depois de uns minutos, que pareciam horas, ela saiu de lá de dentro, e UAU, como aquele vestido tinha ficado lindo nela.

- UAUUU, esse vestido ficou lindo em você Ana.- falei levantando do banquinho.

- Eu sei, mas obrigada.- ela falou se olhando no espelho, logo em seguida entrou para tirar o vestido.

Ela saiu da cabine e foi pagar o vestido, vi pelos olhos dela que ela se apaixonou pelo vestido.

Saímos da loja e pedimos um Uber para voltarmos para minha casa, estava morto pra voltar andando, e ela não demonstrava em nenhum momento cansaço, não sei como ela conseguia.

Quando era por volta do 12:00 chegamos em casa, a cozinheira tinha feito um ótimo almoço, dava para sentir o cheiro no portão da minha casa.

Entramos na minha casa e fomos comer. Depois da gente almoçar, subimos para meu quarto, tomei um banho rápido para tirar o suor do corpo, Ana fez o mesmo.

Ficamos até umas 17:00 e pouco jogando conversa fora e conversando sobre coisas aleatórias, quando vimos o horário, começado a nos arrumar, Ana tomou banho primeiro, quando ela saiu, já logo entrei.

Acho que demorei demais no banho, pois quando saí, Ana já estava quase pronta, só faltava o cabelo e colocar o vestido, peguei minha roupa e fui me trocar no quarto de hóspedes, me arrumei rapidinho, passei perfume e arrumei meu cabelo.

Quando terminamos de nos arrumar, já era 20:00, então chamei um Uber e fomos para a festa.

Na festa

O Uber parou o carro na frente da casa do
Emanuel, paguei a corrida e saímos do carro.  Não tinha muitas pessoas na festa, ela estava começando agora, porém o som já estava alto. Ia ser meio difícil achar a Bela, ia vir muita gente, mas que a metade da escola, eu acho, sem falar que não sabemos que roupa ela vai vir, a máscara ou até o horário ela vai chegar, provavelmente ela vai esperar as cobras saírem de casa, pra daí ela começar a se arrumar.

Entramos na casa e fomos para a cozinha pegar bebidas, eu peguei uma coca e a Ana pegou um Ponche com álcool, nunca pego nada com álcool nas festas, tenho medo de ficar bêbado e ter que ir pra casa, nem imagino o que aconteceria se eu chegasse em casa bêbado.

- O que vamos fazer agora Enzo?

- Vamos aproveitar a festa e ao mesmo tempo vamos ficar de olho, temos que prestar bem atenção, vai ser difícil reconhecer a Bela.

- Tá bom, depois também quero ir ver o Emanuel.

- Se quiser ir agora, não me preocupo em ficar sozinho, daqui a pouco a Ju aparece também.

- Não, vou ir só mais tarde e que bom que vocês e a Juliana estão dando certo.- sorri e começamos a dançar.

Ficamos dançando e conversando e nem vimos o tempo passar, olhei no celular e já era passado das 22:00.

- Ana, a Bela já deve ter chegado, já é passado das 22:00.

- Meu Deus, já é esse horário? Nem fui me encontrar com o Emanuel, e Bela, será que ela passou por nós e a gente não a reconheceu??

- Não sei Ana, devíamos tentar achar o Rodrigo, você sabe como ele veio?

- Sim, ele falou que ia vir de máscara verde camuflado.

Começamos a procurar pela Bela, mas não achávamos em lugar nenhum, já estávamos quase desistindo quando Ana teve a ideia de procurar nos quartos, subimos para o segundo andar, entramos primeiro no quarto de hóspedes, e nele tinha um casal aleatória se pegando, depois fomos para o quarto dos pais do Emanuel (acreditamos que era dos pais dele pela decoração), ali não tinha ninguém, logo depois entramos no quarto do Emanuel, o que a gente viu, chocou nós dois.

- EMANUEL?- gritou a Ana.

- JULIANA?- falei chocado.

Essa foi uma das piores cenas que já vi, o Emanuel estava deitado na cama sem camisa e a Juliana estava em cima dele, os dois estavam no maior amasso.

- Espera a gente pode explicar.- Juliana falou e saiu de cima do Emanuel.

- Não tem nada a que tem que ser explicado.- falei puxando Ana para fora do quartos, nós dois estávamos chocados com o que acabamos de ver.

Saímos do quarto praticamente correndo e fomos para o pátio, logo que chegamos Ana desabou no choro.

- Se acalma Ana, vai ficar tudo bem.- falando abraçando ela, também estava triste, não imaginava que Juliana seria capaz de fazer isso, mas tentei ser forte para ajudar a Ana.

- Não vai ficar tudo bem Enzo, a gente acabou de ser corno, como eles conseguiram fazer isso com a gente? Eu sei que ultimamente eu e o Emanuel não andávamos muito bem, mas nunca imaginária que ele seria capaz de me trair, falei pra nós darmos um tempo, mas ele disse que me amava independente de tudo, só me iludiu, o tempo todo.- eu não sabia o que falar, então apenas fiquei em silêncio abraçando ela, sei que muitas vezes um abraço vale mais que palavras mal interpretadas.

Eu não estava tão mal quanto a Ana, eu e Juliana estávamos em um relacionamento aberto, fiquei chateado com ela, pois conversámos, que se tínhamos interesse em outra pessoa, era pra avisar antes de ficar com tal pessoa. Ana deve estar muito mal, ela tinha se apegado demais com o Emanuel, e ele foi um babaca e traiu ela.

- Acho melhor irmos para minha casa.

- E a Bela, nem falamos com ela ainda, nem encontramos ela, queria conversar com o Rodr...- interrompi antes dela terminar de falar.

- Ana, a gente pode conversar com a Bela outra hora, ela vai entender, a melhor opção agora é ir pra casa.- falei e ela apenas concordou com a cabeça.

Abracei ela pela cintura e fomos para frente da casa. Chamei um Uber e depois de uns minutos ele chegou, passei meu endereço pra ele e logo chegamos na minha casa. Subimos para meu quarto, quando entramos no mesmo, Ana começou a chorar novamente.

- Ana, vem aqui.- falei abrindo os braços, ela deitou a cabeça no meu ombro o os encharcou de lágrimas :- vai passar Ana, toda essa dor vai passar, acredite em mim, ele foi um babaca com você, e ele não te merece, você é um mulherão da porra e ele é um muleque imaturo.

- Eu sei, mas eu gostava muito dele, você sabe disso, ele é muito importante pra mim.- ela falou e as lágrimas continuavam a descer pelo seu rosto.

Seguro o rosto dela com as mãos e limpo as lágrimas dela, logo depois ela faz algo que me surpreende, ela se inclina e me dá um beijo, eu correspondo o beijo dela. Depois de uns minutos se beijando nós se afastamos pra recuperar o fôlego.

- Acho melhor irmos dormir.- ela fala e eu apenas concordo, estava indo pegar as coisas para arrumar para ela dormir, mas ela me segura pelo braço e fala:- posso dormir hoje com você?

- Claro que pode Ana.- falo e começo a arrumar a cama para deitarmos.

Deitamos na cama, ela logo adormece, fico entre meus pensamentos, não sei se esse beijo deveria ter acontecido, fiquei pensando sobre isso e logo adormeci.

Na manhã seguinte

Acordamos cedo e fomos tomar café, logo depois do café, subimos para meu quarto.

- Enzo, sobre ontem, acho que não deveria ter acontecido, estava triste e carente, desculpas se passei outra impressão.

- De boa Ana, eu te entendo, imaginei que seria isso.- falei abraçando ela.


Notas Finais


Genteee, desculpas pelo capítulo comprido, ou eu teria que partir em dois, e dois ficariam bem curtos, ou eu deixava assim grande, preferi a segunda opção, espero que gostem. Um beijo para todo mundo, espero que vocês fiquem bem, uma boa semana para todos, se cuidem, não saem de casa, e quando saírem usem máscara, lave bem as mãos e usem álcool em gel. <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...