História Cinderello - A minha Historia - Capítulo 8


Escrita por: e Matt_Yamato

Visualizações 19
Palavras 1.259
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção Adolescente, LGBT, Musical (Songfic), Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Hello my babys Unicorn <3


Capítulo narrado por Bianca

Capítulo 8 - A fada madrinha esta em sérios apuros


— Oi... eu estava te procurando. — Sorriu tímido.

O olhei de cima a baixo tentando reconhecer se eu conseguia de algum olhar.

— Te conheço? — Perguntei ríspida voltando minha atenção a meu smartphone.

O estranho soltou uma risada.

— Linda e meiga — falou irônico enquanto subia a arquibancada — Gostei — O desconhecido comenta sentando ao meu lado.

Me afasto um pouco do garoto que se sentou praticamente no meu colo. Bloqueio o meu celular. Cruzo as pernas ajeitando a barra do vestido para ter certeza que somente as minhas coxas estão amostra e o encaro.

— Licencia? — falei meiga — Mas poderia fazer a gentileza devolver? — Digo abrindo meu melhor sorriso.

O pirata ficou me olhando por alguns segundos sem entender nada. Sua expressão estava hilária, o rosto com um ar sonso, ao qual fez com que eu levasse uma das mãos a boca numa vaga tentativa de segurar o riso.

— Devolver o que? — Perguntou por fim

Meu deus como ele é inocente!! Ou será que é apenas um idiota?!

— A intimidade que você acha que eu te dei — respondi irônica — Garoto estupido!! — Exclamei me levantando para sair dali.

— Ei... ei... — segurou meu braço — Calma aí marrentinha — lancei meu melhor olhar de “toque em mim de novo e arranco seu membro íntimo” que consegui e saí andando — Olha é que te vi sentada ali sozinha e pensei que talvez pudesse te fazer companhia.

— E quem falou que quero companhia?? — retruquei subindo um degrau para ficar da mesma altura que o pirata. Aquele comentário tinha me deixado com raiva, odiava pessoas assim. — E por algum acaso a gente se conhece? — falei batendo meu no seu peito.

Capitão Jack Sparrow soltou um sorriso de lado malicioso segurando meu pulso e em seguida seu rosto ficou pensativo. Como se estivesse tentando lembrar qual seu nome ou de onde nos conhecíamos.

— Talvez sim. — falou soltando minhas mãos — Sou Lucas minha fada — disse me dando uma piscadela.

O olhei fixamente por um tempo, vendo o mesmo abrir outro sorrio de lado.

— Lamento, mas vim acompanhada — falei me afastando do mesmo.

— Engraçado... eu não me lembro de te ver chegando com um garoto. — o tom de deboche transbordou por sua voz — E olha que preste muita atenção em você e naquela ruivinha linda.

Merda! Estava cansada daquele esquisito dando em cima de mim. Parecia que ele não desconfiava que eu não estava afim. Talvez o novo sexo do meu melhor amigo me tirasse dessa enrascada.

— Não me lembro de ter dito que gostava de garotos — disse por fim abrindo um sorriso

—  Você está brincando, não é? — falou com os olhos arregalados.

Acabei dando risada da sua cara de assustado.

— Eu vim fazer companhia para minha amiga — Confessei o empurrando pelo peito para longe de mim — Mas não pensei que vou te ajudar a chegar nela.

Ouvi o mesmo começar a gargalhar.

— Está dizendo para eu desistir é isto? — Perguntou ainda rindo — Deve ser porque você já cumpriu o seu trabalho.

— Do que você está falando? — Perguntei confusa.

— Parece que aquela princesa já encontrou seu príncipe e seu trabalho já está concluído... — disse enquanto se aproximava — Fada Madrinha — sussurrou no meu ouvido.

Este gesto fez um arrepio percorrer por meu corpo. Aquele garoto era tão irritante, mas tinha algo no seu sorriso que me atraia. Rodeou minha cintura com a mão direita colando nossos corpos.

 — Minha fada madrinha – sussurrou com uma voz sexy, selando seus lábios no meu.

Aquele beijo me pegou de surpresa, não sabia o que deveria fazer. Se o correspondia ou não. Por fim acabei deslizando uma das minhas mãos para sua nuca aprofundando o beijo, enquanto com a outra explorava o corpo alheio.

Sua mão esquerda subiu ate minha nuca puxando levemente meu cabelo fazendo o beijo ficar mais intenso, sua outra mão deslizou sutilmente da minha cintura a te minha bunda apertando levemente a mesma. Sou despertada do transe pelo toque padrão de um Iphone, fazendo com que eu o empurre com força para longe de mim.

Sorrindo Lucas pega seu celular que estava tocando do bolso e o atende.

— Fala Guilherme — fazendo uma careta ao ouvir algo do outro lado da linha — Bom digamos que atrapalhou sim..., mas fala logo o que você quer — ele falava ao telefone como se eu não estivesse parada ali o encarando sem entender nada — Se eu vi uma garota fantasiada de fada? — Perguntou alto o suficiente para eu ouvir, acenei negativamente com a cabeça e exclamei com os lábios em silencio “eu não estou aqui

— Eu não a vi não. Mas pode deixar que se eu encontrar te aviso sim. — Desligou e me encarou guardando o celular no bolso novamente. — Parece que está rolando uma recompensa pela sua cabeça por aí — debochou

Bufei de ódio pela piada sem graça. Mas me sentia agradecida por ele não ter me entregue, apenas o encarei uma ultima vez e sigo para a saída da quadra digitando uma mensagem de texto para Herryck e sempre me certificando de não ser seguida por aquele pervertido delicioso.

Caminhei ate a minha árvore favorita que ficava no jardim do colégio pensando no rumo que as coisas teriam tomado se o telefone dele não tivesse nos interrompido. Não acho que as coisas teriam ficado em simples beijinhos, as coisas estavam realmente esquentando naquela quadra.

Deus me livre. Mas bem que o pirata era gostoso....

Sou tirada dos pensamentos pelo toque do meu celular. Ao olhar no visor da tela uma onda de medo domina meu peito, eu estava tão ferrada. Era a minha mãe. Sinto um nó em minha garganta e sou obrigada a forçar a minha voz a sair.

— Alô — fiz feliz ao notar que minha voz sai sem falhar.

— Olá senhorita Bianca... Tudo bem? — sua voz estava calma, calma demais. Ela sabia.

Meu Deus, estou lascada, ferrada, frita, morta qual outra palavra define ser expulsa deste planeta?

— Mãe olha eu po... — Tento falar

— Olha nada! Sabe o que aconteceu? Charley me ligou agora pouco perguntando sobre Herry e adivinha — ela fez uma pausa — Ela pediu para a visar a ele que o mesmo não poderá dormir aqui em casa hoje e que é para ele voltar para casa assim que vocês terminarem seja lá p que estiverem fazendo. — outra pausa — Agora a mocinha poderia me explicar o que está acontecendo Bianca! — Falou rapidamente me deixando ainda mais apreensiva.

— Olha mãe... Tento novamente

— Sabe que me deixou mais surpresa é o fato de você tirar o carro da garagem sem eu perceber. Como você conseguiu isto garota? — falou indignada — Acabei de me perguntar... onde você iria com o carro e com o filho da nossa vizinha? Por eu tenho quase certeza de que você não o usou para atravessar a rua e passar a noite na casa dele matando a saudades igual você havia me pedido. — Sua voz soou sarcástica, e deixava transbordar sua irritação.

— Mãe, olha eu posso ... — tentei uma última vez,

— Você não pode nada Bianca!! Pega o seu amigo e já para casa!! Agora — Ordenou desligando o telefone.

Respirei fundo. Tinha quase certeza de estar com sérios problemas auditivos depois dos gritos da minha mãe ao telefone. Digito o número já decorado do meu melhor amigo e enquanto o telefone completava a ligação, eu penso para quem eu deveria deixar minha coleção de salto alto e meu testamento, por que era certo que quando eu retornasse para a minha casa, eu seria uma pessoa morta.

— Hey Cinderela, desculpa te atrapalhar mais temos que ir agora! — despejei assim que ele atendeu o telefone. O ouvi confirmar e encerrei a ligação caminhando ate o carro.


Notas Finais


Gostaram? Comentem e compartilhe para dar aquela forcinha <3

Beijos da Unicórnio mãe e ate o próximo - Joey J.Ross


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...