1. Spirit Fanfics >
  2. Cinquenta Tons de Incesto >
  3. Capítulo 2 - O flagra

História Cinquenta Tons de Incesto - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Capítulo 2 - O flagra


Grace desce na frente de Anastasia e prepara tudo, todos se viram pra olhar as escadas onde Ana irá descer.

A música começa e Ana, lá de cima, respira fundo e toma coragem e desce as escadas com a determinação que aprendeu com os Grey's.

Ela começa a descer e olha para todas as pessoas, todos olham para ela com admiração, seus olhos passam por cada convidado, passam por seu pai, sua mãe, Elliot e param em Christian que está próximo a escada a olhando com os olhos cinzas tempestuosos e estão escuros, Ana nunca tinha visto Christian a olhar daquela maneira e isso a vez aquecer por dentro. Assim que chega no ultimo degrau seu pai, Carrick, vem em sua direção e pega a sua mão e Ana encara o pai, que está com um sorriso enorme no rosto. Ele a guia até a pista de dança onde irá dançar a primeira valsa com ele.

A música começa e Carrick a leva de um lado pro outro na pista.

— Você está linda, minha filha – Ele diz e ela sorri emocionada para o mais velho.

— Obrigada, pai, obrigada por tudo – Ela diz e no final da dança abraça seu pai, que a acolhe com carinho em seus braços. Ana está tão emocionada, que mal consegue segurar as lagrimas que se acumulam nos cantos de seus olhos.

— Eu que agradeço a Deus por ter colocado você em nosso caminho – Carrick diz no final da valsa e dá um beijo terno na testa de sua filha. Todos aplaudem e Ana sente alguém tocando-a na cintura e quando se vira da de cara com Christian que está magnífico naquele terno preto. Os cabelos de cobre bagunçados e os olhos cinzas escuros e sombrios a encarando de maneira que faz ela estremecer sem ninguém perceber.

— Posso dançar com você agora? – Christian pergunta com a voz forte.

— Claro, baby – ela diz sorrindo lindamente para ele. Christian sente como seu mundo tivesse ficado mais colorido depois desse sorriso.

Ele olha pro lado e vê Elena o encarando com um postura Dominadora, mas ela não vai estragar o aniversario de sua Anastasia por causa de ciúmes. Ele a ignora e puxa Ana pela cintura e sente o pequeno e delicado corpo tocar o seu inocentemente.

Ele começa a bailar com ela por toda a pista de dança retirando suspiros de adoração da maioria das mulheres.

— Feliz aniversario, Baby – ele diz com a boca próximo ao ouvido da mais nova para que ela consiga escutar, ele a vê se arrepiar e Christian sente uma sensação de excitação. O que? Mas como assim? ele não pode sentir isso por ela, ela é apenas sua irmã.

Irmã ADOTIVA – o consciente de Christian berra em sua cabeça.

— Obrigada, Chris – Ela diz e ele dá um pequeno sorriso ao escutar sua pequena falar o apelido que só ela pode usar.

— Você está divinamente linda – Ele diz e a encara e vê o rubor subir por sua bochecha a deixando mais linda e meiga. Pensamentos de ver esse vermelho na bunda branca e perfeita de Anastasia depois de umas palmadas que ele mesmo dá passam por sua mente o fazendo ficar excitado. Christian se assusta com isso e levemente balança a cabeça para se livrar desses pensamentos. Ele foca apenas na mão envolta da cintura fina de Anastasia e seu corpo delicado roçando no dele. Puta merda, Christian sente seu corpo mais quente que o normal.

Assim que a valsa acaba, ele vê Elliot vir andando até a direção dos dois. Ele dá um suspiro baixo.

— Então, quem quer dançar com o bonitão e o mais gostoso da festa? - Elliot pergunta abrindo os braços e abraçando sua irmã caçula.

Christian se afasta de Ana e Elliot e quando vê já está andando no jardim da mansão.

Ele senta na cadeira de ferro pintado de branco que enfeita o jardim imenso da família e relaxa. Como ele pode sentir desejo por sua irmã? Mesmo ela não sendo irmã de sangue, isso é errado, mas seu corpo fala o contrário.

— Notei que você ficou estranho depois da valsa – Christian escuta uma voz feminina e já sabe quem é.

Elena.

— Não fiquei estranho – ele diz sem a olhar.

— Oh meu menino, eu conheço você mais que ninguém e sei que você ficou desejando sua irmã – Elena fala com divertimento.

— Pare com isso Elena – Christian começa a ficar com raiva. Elena se apruma e o olha.

— Sei que aquela garotinha é bonita e tal, um dos meus ex-submissos ficou encantado com ela – Elena falou e Christian sente o sangue ferver e segura Elena com força no braço.

— Nunca, NUNCA, apresente um deles para ela, me escutou? - Christian fala possesso com ela.

— Esta merecendo um castigo, meu menino, vou resolver isso agora – Elena diz retirando as luvas pretas das mãos.

— Não, você não vai, sabe porque? porque estou terminando tudo o que começamos. Adeus Elena, nunca mais encoste um dedo em mim senão irá se arrepender profundamente – Christian fala com um olhar ameaçador fazendo a mulher mais velha se encolher.

— Chris... – Elena diz usando o apelido que Ana usa com ele e Christian fica mais furioso.

— Nunca mais me chame assim – Christian diz e Elena fica com os olhos marejados.

— Você não pode fazer isso comigo, meu garoto – Elena diz se apoiando em seu peito. Christian fica tenso e a sensação o sufoca, ele retira as mãos de Elena bruscamente de seu peito.

— Não toque em mim – ele diz e sai do local bufando de raiva e com a respiração ofegante.

Ana está dançando com Elliot e ele fica rodopiando ela para todos os lugares da pista de dança.

— Minha nossa, Lelliot, está me deixando tonta de tanto me rodar – Ana diz rindo e logo se segura ao irmão.

Elliot dá uma risada e eles finalizam a dança e todos aplaudem e Ana nota que Grace está quase chorando. Ela caminha até ela e a abraça.

— Não chore, mãe, por favor – Ana diz apertando Grace em seus braços.

— É choro de alegria, minha filha – Ela diz limpando as lágrimas nos cantos dos olhos.

— Mesmo assim – Ana diz.

A festa vai tomando seu rumo, até que Ana sobe pra trocar de roupa e coloca um vestido de festa mais curto e confortável.

Assim que desce percebe olhares masculinos em sua direção, Ana cora um pouco e logo sente a presença de alguém a trás de si, ela se vira e vê Christian olhando pra ela de maneira reprovadora.

— O que foi? – Ana pergunta inocentemente já sabendo o porque do irmão está assim. Ele cerra a mandíbula.

— Ora, o que foi, esses homens agora estão babando em você, não tinha um vestido mais longo não? – Christian fala com os dentes cerrados e Ana ri o segurando no braço.

— Ora, Chris, pare com isso, machismo aqui não – Ela diz piscando um olho e Christian dá um sorriso, só ela pra fazer ele dá um sorriso depois de uma briga com Elena.

— Christian posso fazer uma pergunta? – Ana pergunta enquanto anda com Christian até a mesa de ponche.

— Claro – Ele diz servindo um pouco de ponche a Ana e bebendo um gole logo em seguida.

— Porque Elena não gosta de mim? – Ana pergunta inocentemente e Christian quase engasga com seu ponche surpreso com a pergunta de Ana.

— Ah... porque você acha isso? – Ele pergunta tentando parece normal.

— Porque ela me olha como se eu tivesse roubado algo que pertence a ela, não sei, só sei que ela sempre foi assim comigo – Ana fala de cabeça baixa. Christian ergue o rosto da sua menina com o dedo indicador.

— Ei, a Elena é assim mesmo, não ligue, hoje é seu dia divirta-se – Ele diz e ela dá um sorriso.

A festa passa com uma rapidez imensa, Christian vive com os olhos em cima de Ana, querendo saber o que ela está fazendo, onde está e com quem está. No final todos se despedem e vários convidados vão embora, Christian nota que Elena está o encarando ao lado de seu marido, ele apenas desvia o olhar. Assim que todos vão embora, Ana sobe até seu quarto e retira a roupa e vai tomar um banho, ela nunca ficou tão feliz quanto hoje. Sua festa foi perfeita, ainda mais perfeita porque seu irmão estava lá.

— - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - * * * - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Se passam 2 anos e Ana está com 17 anos e Christian está com 23 anos, seu império cresceu e agora Christian é um dos homens mais ricos de Seattle, sua vida é corrida, mas sempre que pode visita sua família, principalmente sua irmã, Anastasia.

Ana está fazendo o terceiro ano do ensino médio, está quase indo pra faculdade, o que a deixa realmente muito feliz.

Era uma noite linda de sexta-feira, Ana está namorando com um menino chamado Josh, seu primeiro namorado de apenas 19 anos. Josh é um menino que já faz faculdade, é lindo, fofo e muito carinhoso, e sempre que podem os dois ficam se pegando por vários lugares, mas nunca se aprofundaram, até uma noite.

Ana resolveu apresentar seu namorado para a família, todos estavam ali, seu pai, sua mãe e Elliot, o único que faltou foi Christian, o que fez Ana ficar muito triste, mas logo deixa isso de lado.

— Pai, mãe, esse é meu namorado, Josh Marshall – Ana diz olhando para a família, seu pai se levanta e vem na sua direção.

— É um prazer conhecê-lo, Josh – Carrick fala apertando a mão do garoto.

— Prazer em conhecê-lo, Sr Grey – Josh fala todo formal.

— Que isso, menino, me chame de Carrick, faz eu me sentir mais jovem – Ele diz e todos nós rimos.

— Oh, querido, você pra mim vai ser sempre jovem – Grace diz de maneira doce.

Ana e Elliot fazem um "bléeee" e logo depois riem.

— É um prazer conhecê-lo, Josh, me chamo Grace – Grace estende a mão e Josh a beija na mão.

— Prazer em conhecê-la, Sra Grey – Ele diz sorrindo.

— Me chame apenas de Grace – Ela diz e Josh assente.

Elliot se levanta e caminha até nós.

— Iai garoto, quais são sua intenções com minha irmã? – Elliot pergunta e Ana dá uma risada.

— Não se preocupe, Sr Grey, são as mais puras – Josh fala e Ana sente ele a apertar pela mão e ela dá um sorriso misterioso.

Puras??? Sei— Ela pensa e segura a risada.

— Hum, então, só quero falar que se você der uma mancada, eu e Christian caçaremos você – Elliot fala e Josh engole em seco.

— Oh por favor né, Elliot, não assuste meu namorado – Ana diz abraçando Josh que a abraça também.

— Desculpe, mas é a verdade – Elliot fala e dá de ombros.

Se passando as horas o jantar termina e Elliot vai embora para seu apartamento, enquanto Grace e Carrick se retiram para dormir. Ana fica sozinha com Josh lá em baixo.

— Vamos assistir um filme? - Ela pergunta e ele assente. Ana segura na mão de Josh e os dois vão para a sala. Ana coloca um filme de ação e os dois ficam assistindo até ela sentir a mão boba de Josh na sua coxa, a sala está toda escura a única coisa que a deixa iluminada é a luz que sai da televisão.

Ana se remexe e a mão de Josh entra dentro de sua blusa e acaricia a sua barriga a deixando arrepiada.

Ela se vira para Josh e o puxa para um beijo. Ele aprofunda o beijo e a puxa para seu colo.

Ana se senta no colo de Josh e fica com as pernas em volta da cintura do garoto mais velho, Josh retira o moletom vermelho que a garota usa a deixando apenas com uma regata branca de tecido fino. Ana retira o casaco jeans escuros de Josh o deixando de regata escura bem sexy deixando seus bíceps a mostra. Ela passa a mão por seus braços fortes e passa a unha arranhando de leve o local fazendo o garoto deixa espaçar um gemido. Ana sente a ereção de Josh já dá sinal de vida e ela mesma não sabe o que fazer, já que ainda é virgem, segue seus instintos e rebola em cima dele que segura a sua cintura e a aperta com força. Josh volta a beijar Ana com voracidade e ela coloca as mãos nos cabelos do garoto o bagunçando. Josh enfia suas mãos por dentro da regata de Ana e sobe até tocar nos seios da garota que geme quando ele a massageia naquele local. Ela joga a cabeça pra trás gemendo enquanto o garoto continua com as carícias gostosas em seus seios.

— QUE PORRA É ESSA? – Ana se assusta com a voz possessa de Christian que vem direto da porta de entrada da casa e as luzes da sala se acendem.

Christian tinha chegado na casa de seus pais com uma pequena mala e quando entra vê a cena que fez seus sangue borbulhar e seus instintos assassinos falarem mais alto. Um filho da puta passando a mão nos seios de Anastasia e ela sentada no colo dele e ainda por cima ela estava gemendo pra ele. Christian nunca sentiu uma fúria como essa que estava sentindo agora. Ele estava doido para esmurrar aquele garoto até ele cair desmaiado.

— Christian? – Ana fala com a voz falha e sai de cima do garoto.

— O que está acontecendo aqui? - Ele diz com a voz mais controlada e cheia de raiva.

— Nada, esse é meu namorado – Ana diz agora em pé de frente pra ele e Christian a examina toda e vê que ela está com as bochechas coradas, com uma calça jeans apertada e com uma regata branca justa que dá pra ver até a cor de seu sutiã: preto. Seus cabelos estão um pouco bagunçados.

O garoto se levanta e Christian o examina também, ele tem cabelos loiro e os olhos verdes e está com uma regata preta e carregando um casaco jeans preto na mão, provavelmente Ana retirou esse casaco, e o filho da puta está de pau duro, ele está de pau duro por causa de Anastasia, o seu sangue volta a borbulhar com mais força e ele a encara.

— Prazer, Josh Marshall – o garoto ergue a mão em sua direção e Christian relutante aperta a sua mão.

— Christian Grey – Ele se apresenta com a voz ainda inflexível.

— Bom, tenho que ir – Ele diz olhando pra Ana, que sorri para ele docemente.

— Eu acompanho você até a porta – Ana diz e pega a mão de seu namorado e o leva até a saída. Antes que dele saia, ela o puxa pela a regata e o beija ali mesmo na porta de sua casa na frente de seu irmão possessivo. Josh enlaça sua cintura e a puxa para mais perto de seu corpo. Ela sorri entre o beijo.

Ela escuta um baque forte no chão e se assusta e se separa de Josh e se vira e vê que Christian soltou a mala dele com força no chão e a encara com os olhos escuros e os músculos do corpo tensionados.

— Bom, até amanhã – Ana diz para Josh que assente.

— Te ligo amanhã – Josh fala.

— Estarei esperando – Ana diz e fecha a porta assim que Josh dá a partida no carro e se vira para encarar seu irmão.

— Sabia que você poderia ter acordado o papai e a mamãe? – Ana pergunta cruzando os braços na frente do corpo.

— Isso não vem ao caso agora, eu quero saber o porque de vocês estarem quase se comendo aqui – Christian fala cuspindo as palavras com acidez.

— Ora mais, é isso que todo casal faz, dá uns amassos em cima do sofá enquanto vê um filme, isso é normal – Ana diz e no fundo sente grande prazer por ver o irmão sentir ciúmes.

— Não quando a menina é virgem – Christian fala e Ana cora.

— E quem disse que eu ainda sou? – Ela pergunta para irritá-lo.

— O QUE? - Christian dá mais um grito furioso.

— Pelo amor de Deus, dá pra parar de gritar? - Ana pede, mas no fundo achando graça.

— Você não é mais virgem? – Ele pergunta se aproximando dela como um predador.

— Isso não importa – Ana diz escapando de Christian e subindo as escadas rapidamente até que sente ser puxada pelo braço por um aperto de ferro e prensada contra a parede.

— Ei – Ana fala tentando empurrar Christian pelo peito, mas ele continua ali.

Ela sabe do medo de em ser tocado ali, naquele lugar, mas ele não sente medo quando ela o toca o que a deixa muito feliz, ele confia nela o suficiente para deixar ela tocá-lo.

— Me diga Anastasia, eu não estou de brincadeira – Ele fala com a voz ameaçadora.

— Quer saber? Sim, eu ainda sou virgem – Ana diz – Mas eu adorei quando Josh me tocou – Ana sabe que pode estar brincando com fogo, mas provocar Christian é algo que ela ama.

Christian fecha os olhos como se tivesse contando até 10 e depois abre os olhos e ela vê seus olhos cinzas quase pretos de fúria, raiva e... luxúria? O que?


Notas Finais


Me apoiem deixando seu comentário e favorito, por favor ♥️🙏


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...