1. Spirit Fanfics >
  2. Cinquenta Tons de Incesto >
  3. Capítulo 27 - Ciúmes dela

História Cinquenta Tons de Incesto - Capítulo 27


Escrita por:


Capítulo 27 - Capítulo 27 - Ciúmes dela


Ana volta para casa à noite quando chega em seu quarto nota um imenso buquê de rosas vermelhas em cima de sua cama.

Se passaram pelo menos umas duas semanas e durante essas semanas Ana não falou com Christian e nem o viu. Ela pode dizer que não sentiu falta dele e do cheiro amadeirado dele e nem sentiu falta da presença dominante que Christian, mas ela estaria mentindo se dissesse isso. Ana mudou. Desde do dia em que viu Leila com Christian, ela se tornou uma pessoa mais diferente, ela vive saindo para curtir a noite com Henry, Kate e José, de vez em quando o Elliot acompanhava eles e ficava rindo junto com Henry, que por acaso ficou muito amigo de Elliot.

O assassinato de Leila ainda é um mistério, nem a polícia sabe quem fez aquilo e estão atrás dos assassinos de aluguel que fizeram o trabalho sujo para o verdadeiro mandante. Ana não sabe quem pode ter sido, mas IMAGINA quem pode ter sido, mas Ana acha que Elena nunca poderia ser tão má assim a ponto de matar uma pessoa. E Leila ainda estava grávida. Isso abalou a população de Seattle. Os policiais falaram com Christian, Ana recebeu essa notícia através de Elliot. Nenhum policial veio falar com ela, até porque ela nunca parou para conversar com a Leila.

Kate está cada vez mais apegada a Elliot, e Ana sente que ele também está MUITO apegado a ela, Ana se lembra muito bem de como Kate ficou quando Elliot veio se despedir delas quando Kate e Ana iam viajar para Londres. Ana também se lembra do Christian chegando para se despedir dela e isso faz ela dá um sorrisinho.

Ana está sentada na cama olhando a sua nova revista, que foi lançada semana passada e sorri quando vê uma pequena foto com sua Equipe de Preparação e Henry com a câmera na mão e sorrindo.

A revista dela foi muito bem recebida pelo público amante da moda e várias pessoas a elogiaram e é claro que teve poucas pessoas que fizeram críticas negativas, mas Ana não se abala por causa de poucas críticas.

Daqui a pouco Ana vai ter que se arrumar para ir a festa de aniversário de casamento de Grace e Carrick. 

Ana gostaria te ter um homem igual a Carrick, fiel, bonito, inteligente, compreensivo e acima de tudo, Carrick ama Grace. Ana ama os dois demais e não saberia o que seria da sua vida sem eles, com certeza teria passado a infância em um orfanato.

Henry entra quase arrombando a porta do quarto de Ana.

— Mas pra quê isso? – Ela pergunta olhando para o homem a sua frente.

— Hum, queria saber se minha acompanhante já está pronta mas pelo visto não está – Henry diz e Ana sorri, ela e Henry estão cada vez mais próximo e ele se mostrou ser um ótimo amigo, e de vez em quando ele e Ana se pegam, mas nenhum dos dois querem um relacionamento sério. E hoje Henry vai acompanhar Ana na festa, Kate vai com Elliot e José não poderá ir porque tem um "negócio" a tratar, segundo ele disse.

— Bom, meu acompanhante, eu vou me arrumar agora, então queira se retirar, por favor – Ana pede e Henry sorri maliciosamente para ela e caminha devagar até onde Ana está sentada e pula em cima dela e se acomoda entre as pernas de Ana, que o encara surpresa e depois ri.

— Hum, será que eu poderia participar desse banho? – Henry fala aninhando a cabeça na curvatura do pescoço de Ana.

— Deixa eu pensar... NÃO – Ana diz e é atacada pelos lábios de Henry em seu pescoço e ela arfa surpresa e fica quieta apenas sentindo os lábios dele em sua pele. Ela não sente AQUELE calor quando Henry faz isso, AQUELE calor só existia quando Christian apenas tocava nela, mas Henry a deixa excitada também.

Henry sobe o beijo para o queixo de Ana que apenas espera ele chegar em sua boca. E assim Henry faz, ele encosta os lábios nos dela e assim iniciam um beijo lento, muito diferente dos de Christian.

Depois de minutos se beijando ele se separa e a encara.

— Acho melhor eu ir me arrumar – Ana diz e Henry assente e sai de cima dela e sai rapidamente do quarto e Ana fica por alguns segundos parada apenas pensando no que acabou de acontecer.

Depois que ela percebe que não tem sentimentos amorosos muito fortes por ele, ela se levanta e rapidamente entra no banheiro toma um banho quente e muito relaxante e sai do banheiro apenas enrolada em uma toalha felpuda e macia, ela caminha até o closet onde veste apenas uma calcinha de renda que não marque o vestido. O vestido é preto e tem uma abertura enorme nas costas então ela não pode usar sutiã. O vestido tem detalhes com pérolas e Ana o veste e vê que ele vai até a metade de sua coxa e fica feliz quando percebe que ele se aderiu a suas curvas.

Ana caminha até o banheiro e faz a maquiagem, passa o batom vermelho e arruma seu cabelo, o prendendo e coloca uma pulseira prata linda junto um brinco de pérolas e sai do banheiro e calça o sapato alto que esta ao lado de sua cama e quando termina se olha satisfeita no espelho, ela fez um bom trabalho e está elegante e ao mesmo tempo sensual.

Ela demorou uma hora para se arrumar e ouviu alguém batendo em sua porta e viu que era Kate. Ela estava linda com um vestido branco e com o top azul e um salto cor da pele e seu cabelo loiro soltos e lisos.

— Uau, Ana, você está linda, acho que alguém vai babar em você – Kate diz e sorri maliciosa e pisca para Ana que faz uma careta.

Christian vai estar na festa e Ana finge que não liga, mas no fundo esta se remoendo para vê-lo. Ela ouviu dizer que Christian estava mais fechado e com um humor do cão, ele chegou a despedir dez pessoas de sua empresa depois da última conversa com Ana. Grace disse que ele não dá mais notícias e nem atende quando ela liga e não quer falar com ninguém, ele se fechou novamente em sua bolha particular e Ana pode até se sentir culpada, mas ele errou com ela, agora está recebendo as conseqüências dos atos dele. Ouviu até boatos de que estava saindo com uma mulher, Ana sentiu seu coração afundar quando escutou isso, mas ficou sabendo que era Ross e assim ela relaxou. Ross é lésbica e está noiva de uma mulher lindíssima, é o casal de mulheres mais poderoso que Ana já viu, elas são incríveis, então Ana não se preocupa.

— Kate, você está linda também, mas eu não me vesti para “alguém” babar, eu apenas achei o vestido bonito e queria usá-lo, me vesti assim para eu mesma ficar satisfeita – Ana diz explicando e Kate assente sorrindo.

— Ok então, vamos logo, estou ansiosa para ver a decoração do local, ouvi dizer que muitas pessoas foram convidadas e Grace disse que tinha muita gente trabalhando para deixar a festa perfeita – Kate diz com os olhos brilhando de ansiedade.

— Mamãe deve estar feliz, assim como o meu pai – Ana diz e as duas descem as escadas e vêem Elliot e Henry esperando pelas duas e rapidamente eles se levantam quando vêem as mulheres.

— Uou, você está linda, Ana – Henry diz e faz Ana dar uma voltinha e seus olhos olham para o decote nas costas de Ana e sorri.

Elliot elogia muito Kate, que fica toda vermelhinha, chega até a ser fofo.

Henry dirige o carro de Ana, já Elliot e Kate foram em outro carro.

— Você está tão sexy – Henry diz e Ana ri.

— Você não está de se jogar fora – Ana diz e é verdade, Henry está com uma blusa preta e um blazer azul escuro por cima que o deixa muito lindo. Seus cabelos estão penteados para trás e alguns fios se soltam e caem em frente a seu rosto e seu olhos estão mais brilhante que o normal.

— Fico feliz que tenha agradado, espero chegar logo no seu apartamento, ou melhor, na sua cama – Henry diz e Ana ri e olha maliciosa para ele.

Talvez ela possa tentar fazer isso com outra pessoa, afinal ela só fez sexo com Christian e quer se esquecer de vez dele, mesmo ele tendo mandado aquelas lindas flores vermelhas e com um cartão apenas escrito “Christian Grey". Nada, nenhuma frase. Ana achou estranho, mas ficou com as flores.

— Quem sabe você esteja com sorte hoje – Ana diz e Henry a olha esperançoso.

— Isso me excita – Ele responde e Ana sorri e eles param em frente a badalada mansão Grey, que está lotada até o talo com carros luxuosos e pessoas bem vestidas.

Henry estaciona no local da família e ele desce e abre a porta para Ana. Ele segura a mão dela e os dois andam até a entrada da casa. Ana percebe os casais entrarem e rapidamente a recepcionista nota que ela é a filha de Grace e deixa ela e Henry passarem logo.

Assim que Ana entra com Henry, eles rumam para o jardim de trás da mansão e ficam admirados com o tapete branco no chão de grama e as mesas douradas com orquídeas roxas enfeitando. Tem colunas gregas baixas e em cima delas um jarro enorme com rosas brancas que lançam um perfume agradável no local.

— Nossa, sua mãe arrasou nessa festa – Henry diz e ela assente sem conseguir falar diante de tamanha admiração pela decoração do local. Parece um jardim mágico.

Eles seguem até uma mulher e ela sorri para os dois.

— Srta Grey, me acompanhe e levarei vocês até a sua mesa – Ela diz e Ana e Henry a seguem.

Assim que chegam a mesa grande, Ana percebe que já está sendo ocupada por Grace e Carrick e Christian, que só para constar está sozinho.

Ele a encara admirado e no segundo seguinte ele encara Henry com um olhar fulminante e que poderia matar o homem.

— Ana, minha filha – Grace se levanta junto com Carrick e Ana abraça a sua mãe adotiva com carinho e depois abraça Carrick com carinho também.

— Mãe e pai, esse é Henry um... amigo próximo – Ana diz e lança um olhar significativo para Henry, que sorri educadamente para Grace e Carrick. O olhar de Ana cai em cima de Christian e vê que ele está vermelho de raiva e segura os braços da cadeira com força que poderia quebrar.

Ana se dirige até Christian, porque se ela não o cumprimentasse os pais iam achar estranho. Christian se levanta e fortemente a puxa para um abraço apertado como se quisesse se fundir a Ana. Ela sente os dedos de Christian mexer no decote das suas costas e isso faz ela ficar arrepiada, ele toca nas costas nuas dela e sua mão quente desce até um pouco abaixo da coluna dela, Ana respira fundo.

Christian se separa de Ana e ela respira fundo mais uma vez e sente o cheiro dele e fica meio abalada pela saudade, mas com dificuldade se recompõe e puxa Henry pela mão.

— Christian, esse é meu amigo, Henry, e Henry esse é Christian, meu irmão – Ana diz e Henry aperta a mão de Christian e percebe que Christian usou de força exagerada para apertar a mão de Henry.

Essa festa vai ser fogo e a cadeira onde Ana vai sentar é ao lado de Christian... Agora ela vai ter que se segurar. E se ele fizer aquilo novamente, a masturbar por debaixo da mesa, Ana não aguenta uma segunda vez, talvez ela se atire em cima dele... ou não. Mas alguém interrompe os pensamentos confusos de Ana.

Elena Lincoln, mas conhecida como: A Rainha das vadias.
— - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - * * * - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Duas semanas...

Duas semanas que Christian não vê Anastasia.

Duas semanas com o coração apertado e um vazio extremo dentro do peito. Christian está acabado. Ele está com olheiras, está mais magro, é como se ele tivesse voltado no tempo onde Ana tinha viajado para Londres, ele ficou do mesmo jeito. Ele agora está mais focado no trabalho para esquecer das merdas que fez com Anastasia, ah se ele pudesse voltar no tempo, ele mudaria tudo, toda as merdas que ele fez e iria ficar ao lado de Ana e quem sabe ela ainda estaria grávida e eles teriam que abrir o jogo para a família.

Durante essas semanas ele mandou flores para Ana, como sinal de despedida, afinal ela disse que não o queria de volta e que iria apenas ver ele como irmão. Essas palavras feriram Christian muito, esse sentimento estranho de perda o deixa confuso. Muito confuso. Ele quer Ana mais do que qualquer mulher com quem já ficou, ele quer ela urgente, quer sentir o perfume, a pele dela sobre seus dedos, sentir os macios lábios dela colado nos dele e ver a expressão de prazer dela quando Ana chega ao orgasmo. Só de pensar nisso o membro de Christian já fica duro como rocha em sua calça. Ele já está a muito tempo sem se aliviar, mas não sente vontade de fazer isso com nenhuma outra mulher, só com Ana, sexo com Ana é o paraíso para o Grey.

Ele nunca ficou tão pra baixo como ficou depois de conversar com Ana e dizer tudo o que sentiu quando ela disse que estava grávida, ele achou ela ia voltar para ele, mas não foi isso que aconteceu.

Agora ele está aqui sentado em sua cadeira confortável em sua empresa e está encarando a parede como se ela fosse algo mais interessante de sua vida.

Ele passou essas últimas duas semanas pensando na morte de Leila, isso não abalou nada na vida de Christian, mas ele ficou muito surpreso e com uma vontade enorme de saber quem teve o sangue frio de fazer isso com uma mulher grávida e jovem igual Leila. Talvez ela tenha se envolvido com pessoas que não prestam ou estava no lugar errado na hora errada, mas os policiais falaram que foram assassinos de aluguel que fizeram aquilo. A pergunta que não quer calar agora é: Quem foi o mandante do crime? Ninguém faz ideia de quem seja.

Christian recebeu uma ligação de sua mãe dizendo que ia ter uma festa para comemorar mais um ano de casamento dela com Carrick. Todos os filhos vão ter que ir e claro que nenhum deles ia faltar, todos amam Grace e Carrick e não iam fazer uma desfeita desse porte.

Ana estará lá— Christian só conseguia pensar nisso.

Desde o dia do almoço quando ele teve mais uma oportunidade de tocar aquela parte de Ana que com certeza era a que mais o deixava de pau duro, ele ficou excitado ao ouvir Ana arfar com o toque dele e ela ainda fincou as unhas na mão dele o deixando mais excitado. Ela ficou selvagem. Ele queria sentir o gosto dela só mais uma vez, ele definitivamente está viciado em Ana.
— - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - * * * - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Christian já estava arrumado para ir a festa de Grace e Carrick, mas o que mais queria ver lá era a sua Ana, ele nunca iria desistir dela, e ela seria dele. Christian fará de tudo para ter Ana de volta. Desde do dia da boate e quando ele viu ela ficando com o Tyler, Christian ficou possesso, ele queria bater em Tyler até ele perder os sentidos. Nenhum homem iria tocar em Ana, só ele, Ana é dele e de mais ninguém. Por mas que José seja gay, Christian ficou se mordendo por causa da foto dos dois se beijando. Muitas pessoas perguntaram se eles estavam namorando e eles afirmaram e a uma semana atrás eles afirmaram que tinham terminado e que seriam apenas amigos mas isso não impediu ninguém de querer ver um ensaio fotográfico deles dois juntos e Christian não gostou nada de saber que Ana tinha aceitado esse ensaio fotográfico. Ele sabe muita coisa sobre a vida de Anastasia, afinal, ele pode estar longe dela mas ele sempre vai estar informado sobre a vida de sua Ana. Ele quer saber tudo sobre o dia dela, para onde ela foi, com quem saiu, com quem pode estar ficando, Christian odeia pensar que ela esteja ficando com outra pessoa sem ser ele, ele fica puto com isso, só ele tem o direito de tocar nela de maneira íntima.

Ele respira muito e desce as escadas do Escala e encontra Taylor na sala o esperando.

— Sr Grey, já vamos? – Ele pergunta.

— Sim, pode preparar o carro – Ele responde e Taylor assente e rapidamente sai da sala. Christian caminha até o pequeno bar e toma um pouco de whisky e desce pelo elevador até o estacionamento onde Taylor já está pronto e com o carro ligado. Ele só faz entrar e fechar a porta e já está andando com velocidade e segurança pelas ruas movimentadas de Seattle.

Se passam pelo menos uns vinte minutos e Christian se vê na frente da grande mansão Grey e com várias pessoas entrando com suas roupas de luxo e seus carros de luxo.

Taylor estaciona na vaga da família e Christian desce do carro e ajeita o terno preto e a gravata azul escuro.

Christian deixou os cabelos bagunçados mesmo e entrou na mansão e rumou para o jardim dos fundos da casa e entrou no local muito bem arrumado e muito bonito. Grace caprichou esse ano como sempre.

Christian desce as escadas e Grace e Carrick vem cumprimentar o filho. 

Grace abraça Christian e Carrick o cumprimenta com um aperto de mão acalorado. Os três caminham até a mesa que Grace destinou à família e os três se sentaram e conversaram um pouco sobre a vida. Christian estava mais preocupado em ver se Ana tinha chegado.
— - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - * * * - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Se passou pelo menos meia hora e ele a viu.

Ela estava deslumbrante, magnífica, uma verdadeira rainha com aquele vestido apertado negro e com pérolas nos ombros. Suas pernas brancas e macias ficavam a mostra e isso fez a líbido de Christian vir com força. Mas o que lhe tirou o fôlego foi o decote enorme nas costas. Christian encarou aquilo com seu pau ficando cada vez mais apertado na boxer que estava usando. Ele tem que ter Ana essa noite, ele precisa dela mais do que tudo e isso é uma revelação.

Mas logo seu mundo se desmorona quando vê que ela está acompanhada por um homem e isso o faz ficar vermelho de raiva. Ou pior furioso demais para pensar em ter alguma conversa civilizada com ela. Ana apresenta o filho da puta para Grace e Carrick e ela vem na direção de Christian. Ele fica ansioso para ter ela em seus braços e antes dela dar o primeiro passo para abraçá-lo, ele a puxa com tudo para seus braços e a mantém ali enquanto absorve o cheiro viciante que Ana tem e cada vez ele fica mais envolvido com Ana, só em sentir o corpo dela colado ao dele, uma calor toma o corpo de Christian com força e ele se segura para não atacar os lábios dela com voracidade e com desejo.

Ana sai de seus braços antes do que ele gostaria e ainda tem a audácia de apresentar o homem com quem veio.

Henry, O filho da puta.

Ana senta ao lado de Christian e Henry senta do outro lado de Ana e juntos eles começam a conversar e Christian fica cada fez mais puto até ele se tocar que a conversa na mesa parou e Ana está encarando alguma coisa com ódio puro no olhar. Elena se aproxima da mesa deles e dá um sorriso para Grace que Christian achou falso, mas deve ter sido impressão dele. Ana segue Elena com o olhar e não desvia. Christian se vê obrigado a levantar para cumprimentar Elena e sente os olhos de Ana fulminarem os dois. Pelo menos ela ainda sente ciúmes dele com Elena, Christian esconde a satisfação que acabou de ter e se senta quando Elena caminha em direção a Ana, que não se levanta e finge que não viu Elena. Grace lança um olhar de repreensão a Ana e se levanta para apresentar o companheiro de Ana.

— Elena, querida, esse é Henry, um amigo de Ana – Grace o apresenta e Henry se levanta e cumprimenta Elena com um sorriso e Christian nota um interesse da parte de Elena para cima de Henry.

— Um prazer conhecê-lo, Henry – Elena diz com um sorriso malicioso para ele e Ana cruza os braços e bufa baixo. Christian encara ela e percebe que ela não está feliz que Elena dê em cima de Henry.

— E Henry essa é Elena Lincoln – Grace apresenta Elena a Henry.

— Prazer em conhecê-la Senhora Lincoln – Henry diz e dá ênfase no "Senhora" e Ana dá uma risada baixa e olha para Henry que dá um sorriso para ela e Elena se mexe em desconforto, ela odeia quem a chama de senhora, quer ser chamada de senhorita porque é divorciada.

— Oh não me chame de Senhora, me sinto velha – Elena diz recobrando as palavras.

— Mas é apenas a realidade – Ana fala baixo e só Elena, Christian e Henry escutam o que ela diz. Christian encara Ana tentando esconder o sorrisinho que quer marcar seu rosto. Ana é realmente uma pessoa que adora desafiar e Christian é uma pessoa que adora desafios. Principalmente quando eles podem se tornar prazerosos.

Elena encara Ana com ódio mortal nos olhos e Ana nem liga e Henry senta novamente ao lado de Anastasia.

Elena se senta de frente para Christian.

Logo depois Elliot e Kate chegam e eles começam a conversar e Christian se sente o tempo todo incomodado com Ana e Henry. Eles ficam dando risadinhas e conversando um no ouvido do outro. Christian encara os dois e vê a mão de Henry nas coxas perfeitas de Ana, ele está acariciando Ana.

PORRA, ELE ESTÁ ACARICIANDO A MINHA ANA— Christian pensa enquanto olha mortalmente para a mão boba de Henry na coxa de Ana.

Christian se levanta com tudo da mesa fazendo a cadeira cair no chão e sai bufando do local e caminha até um lugar onde não tem ninguém e fica ali tentando trazer o seu auto controle de volta, mas a imagem de Henry fazendo sexo com Ana entra o tempo toda na mente de Christian o deixando mais perturbado ainda.

Ela vai ser minha essa noite, eu não vou aguentar mais ficar sem ela – Christian pensa enquanto se encosta em uma árvore e respira fundo.


Notas Finais


Espero que tenham gostado ♥️ mandem muitos comentários e deixem seu favorito 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...