1. Spirit Fanfics >
  2. Cinquenta tons de Vkook >
  3. Three - 3

História Cinquenta tons de Vkook - Capítulo 3


Escrita por: e Bolinho_10


Notas do Autor


Boa Leitura ! ❤

Capítulo 3 - Three - 3


Fanfic / Fanfiction Cinquenta tons de Vkook - Capítulo 3 - Three - 3



Capítulo 3



Eu reviro meus olhos para mim mesmo. Mantenha o controle, Tae.

A julgar pelo edifício, que é muito clínico e moderno, eu imagino que Jeon está em seus quarenta: em forma, bronzeado, e de cabelos escuros para combinar com o resto do pessoal.

....


Outra elegante, impecavelmente vestida loira sai de uma grande porta à direita. O que é isso tudo com as loiras imaculadas? É como Stepfordaqui. 

Respirando fundo, eu me levanto. 

— Senhor Kim? — A mais recente loira pergunta.

— Sim, — eu gaguejo, e clareio minha garganta.

 — Sim.—  Falo novamente. Agora, isto soou mais confiante.

— O Sr. Jeon irá recebê-lo em um momento. Eu posso pegar seu casaco?

— Oh, por favor. — Eu luto para tirar a jaqueta.

— Já foi oferecido a você alguma bebida?

— Hum, não. — 


Oh Deus, a Loira Número Um está em problemas? A Loira Número Dois franziu o cenho e olhou a jovem na escrivaninha 

— Você gostaria de um chá, café, água? — Ela pergunta, voltando

sua atenção para mim.

— Um copo de água. Obrigado— eu murmuro.

— Olivia, por favor, vá buscar para Senhor Kim um copo de água. _

 A voz dela é grave.

Olivia foge imediatamente e se apressa para uma porta no outro lado do saguão.

— Minhas desculpas, Senhor Kim, Olivia é nossa nova estagiária.Por favor, sente-se. O Sr. Jeon levará mais cinco minutos.


......

Olivia retorna com um copo de água gelada.

— Aqui está, Senhor Kim.

_ Obrigado- agradeço.

A Loira Número Dois macha para a grande escrivaninha, seus saltos clicando e ecoando no chão de arenito. 

Ela se senta, e ambas continuam seu trabalho.

Talvez o Sr. Jeon insista que todos os seus empregados sejam loiros.

Eu me pergunto ociosamente se isto é legal .



....



Quando a porta do escritório abre , e um alto, elegantemente vestido, atraente homem Afro-Coreano, com curtos dreads sai. 

Eu definitivamente vesti as roupas erradas.


Ele se vira e diz pela porta. 

— Golfe, esta semana, Jeon.


Eu não ouço a resposta.


O homen tão misterioso. Ele vira-se, me vê, e sorri, seus olhos escuros enrugando nos cantos. 

Olivia salta e chama o elevador.Ela parecese destacar em pular de sua cadeira. Ela está mais nervosa que eu !

.....

— Boa tarde, senhoras e senhores — ele diz enquanto parte pela portad deslizante

— O Sr. Jeon verá você agora, Senhor Jeon.  Siga-me, — A LoiraN Número Dois diz.


Eu estou bastante trêmulo tentando suprimir meus nervos. Juntando minha mochila, eu abandono meu copo de água e faço meu caminho para aporta parcialmente aberta.

— Você não precisa bater, apenas entre. — Ela amavelmente sorri.

Eu empurro a porta aberta e cambaleio, tropeçando em meus próprios pés, e caio de cabeça dentro do escritório.

Merda dupla: eu e meus dois pés esquerdos! Eu estou em minhas mãos e de joelhos na porta de entrada do escritório do Sr. Jeon, e mãos gentis estão ao meu redor me ajudando a levantar. 

Eu estou tão envergonhado, maldita falta de jeito. 

Eu tenho que lançar meu olhar para cima. Puta que pariu, ele é tão jovem.

— Senhor Park — Ele estende uma mão com longos dedos para mim, uma vez que eu fico de pé. 

— Eu sou Jeon Jungkook. Você está bem? Você gostaria de se sentar? 

Tão jovem, e atraente, muito atraente. Ele é alto, vestido em um fino terno cinza, camisa branca e gravata preta, com incontroláveis cabelos cor de cobre e intensos, luminosos olhos cinza claro que me observando.

 Leva um momento para eu encontrar minha voz.            

— Hum hum. Perfeitamente — eu murmuro. 

Se este cara está acima dos trinta então eu sou o tio Macaco. 

Em uma confusão, eu coloco minha mão na dele e nós levamos um choque. Quando nossos dedos setocam.

Eu sinto um estimulante e estranho calafrio, correndo através demim. Eu retiro minha mão apressadamente, envergonhado. Deve ser estático. Eu pisco rapidamente, minhas pálpebras harmonizando minha frequência cardíaca.

— O Senhor Park está indisposto, então ele me enviou. Eu espero que você não se importe, Sr. Jeon.

 E você é? — Sua voz é morna, possivelmente divertida, mas édifícil dizer por sua expressão impassível. Ele parece ligeiramente interessado, mas acima de tudo, educado.  

— Kim Taehyung. Eu estudo Literatura inglesa com Park, hum… do Estado de Busan.

 Entendo, — ele simplesmente diz. 

Eu penso ver um fantasma de um sorriso em sua expressão, mas eu não estou certa.

— Você gostaria de assentar? — Ele acena em direção a um sofá de couro branco em forma de L.

Seu escritório é muito grande para um homem só. Na frente das janelas que vão do chão ao teto, há uma enorme escrivaninha moderna de madeira escura, que seis pessoas poderiam comer confortavelmente aoredor. Combinando a mesa de café com o sofá. Todo o resto é branco, teto,pisos e paredes, exceto, a parede perto da porta, onde estava um mosaicobpendurado de pequenas pinturas, trinta e seis delas dispostas em umquadrado. 

Elas são primorosas, uma série de objetos mundanos esquecidos,pintados com tal detalhe preciso que eles parecem com fotografias. Exibidosjuntos, eles são de tirar o fôlego.

— Um artista local. Trouton, — Jeon diz quando ele pega meu olhar.

— Elas são adoráveis. Elevando o ordinário para o extraordinário, —eu murmuro distraído, tanto por ele como pelas pinturas. 

Ele vira sua cabeça para um lado e me fixa atentamente.

— Eu concordo plenamente, Senhor Kim, — ele responde, sua voz suave e por alguma razão inexplicável eu me encontro corando.

Além das pinturas, o resto do escritório era frio, limpo e clínico. Eu me pergunto se isto reflete a personalidade do Adônis, que afunda graciosamente em uma das cadeiras de couro branco á minha frente. 

Eu agito minha cabeça, transtornado com a direção de meus pensamentos, recupero as perguntas de Jimin da minha mochila.

Em seguida, eu instalo o mini gravador e sou toda dedos e polegares, o deixando cair uma segunda vez na mesa de café à minha frente.

.....


 O Sr. Jeon não diz nada, esperando pacientemente “eu espero” enquanto eu me torno cada vez mais envergonhado e frustrado.

 Quando eu tomo coragem para olhá-lo, ele está me observando, uma mão relaxada em seu colo e a outra embaixo de seu queixo e arrastando o seu longo dedo indicador através de seus lábios. 

Eu acho que ele está tentando conter um sorriso.

— Desculpe-me, — eu gaguejo. — Eu não estou acostumado a isto.- me defendo

— Leve o tempo que você precisar, Senhor Jeon — ele diz.

— Você se importa se eu gravar suas respostas?

— Depois que você teve tantas dificuldades para instalar o gravador, agoraque você me pergunta?

Eu coro. Ele está tirando sarro de mim? 

-Eu espero - Jeon diz.

 Eu pisco para ele,sem saber o que dizer, e acho que ele fica com pena de mim porque ele cede.

— Não, eu não me importo.

— Será que Jimin, eu quero dizer, o Senhor Park, explicou para o que é a entrevista?

— Sim. Para aparecer na edição de graduação do jornal estudantil quando eu autógrafar o diploma na cerimônia de graduação deste ano.


Oh!  Isto é novidade para mim, e eu estou temporariamente preocupada pelo pensamento de que alguém não muito mais velho do que eu, Ok, talvez uns seis anos mais ou menos, e ok, mega-bem sucedido, mas,ainda assim, vai me apresentar em minha licenciatura. Eu franzo a testa,arrastando minha teimosa atenção de volta à tarefa à mão...






Até logo ! ❤

Votem e comentem suas ideias!❤


Notas Finais


Capítulo 4 amanhã , se der !
Bjus ! ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...