História Cinza é a Cor Mais Quente - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Inazuma Eleven (Super Onze)
Personagens Aki Kino, Edgar Valtinas, Endou Mamoru, Fideo Ardena, Fudou Akio, Fuyuka Kudou, Haruna Otonashi, Ichinose Kazuya, Kia Hiroto, Kidou Yuuto, Midorikawa Ryuuji, Natsumi Endo, Shirou Fubuki, Shuuya Goenji, Tachimukai Yuuki, Tobitaka Seiya, Tsunami Jousuke, Utsunomiya Toramaru
Tags Aki Kino, Aki X Haruna, Akio Fudo, Ardena Fideo, Endo X Tachimukai, Entachim, Fideo X Handa, Fubuki X Goenji, Fudo X Kido, Fuyuka Kudo, Fuyuka X Natsumi, Goenbuki, Goenfubu, Goufubu, Haruna Otonashi, Hiromido, Hiroto Kiyama, Hiroto X Midorikawa, Ichinose X Lika, Josuke Tsunami, Kazuya Ichinose, Lika Urabe, Natsufuyu, Natsumi Raimon, Ryuji Midorikawa, Satoru Endo, Seiya Tobitaka, Shinishi Handa, Shiro Fubuki, Shuya Goenji, Tobimaru, Tobitaka X Toramaru, Tobitora, Toko X Tsunami, Toko Zaizen, Toramaru Utsunomiya, Toratobi, Tsutoko, Yuki Tachimukai, Yuto Kido
Visualizações 100
Palavras 6.208
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, FemmeSlash, Festa, Ficção, Hentai, Lemon, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Voltei!

Vindo aqui entregar um presente meu para vocês! Presente porque é do meu aniversário!

É meu presente pra vcs! Um capítulo novo!

Resumo do que aconteceu no capítulo anterior: Fudo e Kido, finalmente aconteceu! Tobitaka foi dar uma ajudinha e ganhou um beijinho (Não o doce! Beijo mesmo! Do Toramaru!)! Fubuki conheceu mais o Goenji por dentro, e hoje será o Goenji que irá conhecer o Fubuki por dentro (Vcs me entenderam, se não entenderam... SEXO!)! Toko e Tsunami embarcaram numa proposta indecente... SEXO!

Aliás, por enquanto os capítulos atuais só vai ter isso... SEXO! Talvez o 13 não tenha. Então depois não reclamem.

Outra coisa, iremos focar o capítulo em Fubuki x Goenji, Ichinose x Lika e Tobitaka x Toramaru principalmente.

Aki x Haruna e Hiroto x Midorikawa serão os casais que vão demorar mais um pouco...

Mas outra coisa, devido uma das regras do spirit proibir pôr imagem de cenas que contenham nudez ou sexo, fui obrigado a censurar a imagem. Isso porque a original mostra o que provavelmente muitos queria ver. Mas assim até que ficou bom, parece que o Fubuki e o Goenji estão apenas se olhando (Coisa que é bem mais do que isso na imagem original). E tbm estou seguindo a regra, então... Tá tudo bem.

Só avisando que a maior parte da fanfic será apenas para a 1° vez de Fubuki e a 666° vez do Goenji (Entenderam a referência).

Mas vamos ao principal, lá vai...

Capítulo 11 - Pra Tudo Tem Uma "Primeira Vez"


Fanfic / Fanfiction Cinza é a Cor Mais Quente - Capítulo 11 - Pra Tudo Tem Uma "Primeira Vez"

Tobitaka POV

"Por que fez isso?" Ele pergunta após uma breve pausa depois de nosso beijo.

"Não sei" Admito.

Ele está corado mas parece um tanto inseguro.

"Eu achei que devesse fazer algo. Seria horrível de minha parte te deixar aqui e ainda mais nessa situação que você está. Eu gosto de você" Falei enquanto começo a tirar o pente do meu bolso.

"Eu não sei mais nada... Eu não sei mais o que eu quero... Sinto como se quisesse morrer..." Ele falava chorando enquanto começo pentear meu cabelo.

"Precisa de um consolo? Bote pra fora, diga pra mim. Vai se sentir melhor" Falei e ele falou muitas coisas.

Eu apenas o ouvia calado, isso ajudava passar o tempo enquanto eu apenas fingia prestar atenção. Realmente são apenas coisas chatas da vida dele, a única coisa interessante só veio depois dele falar do estupro.

"Eu... Só quero agradecer por ficar comigo..." Toramaru falava e então do nada ele me surpreendeu e arrancou um beijo de mim.

"Eu fiz isso porque quero mostrar meu agradecimento..." Ele falou corado, aham, agradecimento, sei...

"Tobitaka... Me desculpe por ter feito isso... Mas... Eu... Eu só... Quero deixar claro de que não quero namorar com ninguém agora... Estou péssimo depois de tudo o que eu passei... Eu sinto que não posso confiar mais em ninguém" Já ouvi isso antes em algum lugar.

"Pode confiar em mim. Vou te ajudar a superar o que você passou, bem, vou pegar uma água para nós..." Falei fazendo menção de me levantar mas ele agarra me braço com força, sinto o meu sangue ficar preso quando Toramaru me segura como se quisesse decepar meu braço esquerdo.

"Não! Não! Não! Por favor! Fica comigo!" Ele gritou chorando, aquilo realmente me assustou.

Toramaru me abraçou com toda sua força. Ele me apertava forte e acho que nem ligava para os machucados do corpo dele ou para os fios em sua pele. Seu corpo era pressionado com toda força no meu. Ele molhava meus ombros com suas lágrimas e eu nem me importava.

"Por favor, não me deixe sozinho! Eu tenho medo! Sempre que fico só, tenho a sensação de que a mesma coisa vai acontecer" Ele choramingou.

"Não se preocupe. Você não está mais sozinho. Além de sua mãe, eu vou cuidar de você" Falei tentando o confortá-lo.

Pensando bem, não será uma tarefa fácil dizer a ele que eu o amo. Vou deixar a poeira abaixar, e quando chegar a hora certa, eu digo a verdade. Até lá, vou aproveitar para cuidá-lo e amar ele ainda mais.

"Posso te contar uma coisa? Eu estou pensando estudar outra coisa ao invés de engenharia. Depois do que aconteceu comigo hoje..." Toramaru falava mas eu o interrompi.

"Ontem. Você ficou falando e já são mais de meia-noite" Corrigi e sorri para descontrair um pouco.

"Bom... Eu não quero deixar isso passar. Eu quero fazer justiça" Ele disse determinado e admito que estranhei aquilo.

"Vai imitar aquela moça do filme que matou os caras que estupraram ela?" Brinquei.

"Referência à Doce Vingança? Não é isso... Pode parecer estranho, mas..." Toramaru falava e se levantou um pouco para sussurrar em meu ouvido.

A essa altura eu tava mais preocupado com o fato dele estar se mexendo tanto invés de repousar, do que o que ele cochichava no meu ouvido...

Fubuki POV

Subiamos as escadas e Goenji estava morto de tanto prazer. Subiamos as escadas e às vezes ele sempre me parava para nos beijarmos.

Já no corredor principal do segundo andar, Goenji me pega com força e rasga minha camisa. Desgraçado! Era uma das minhas camisas favoritas!

"Eu te compro outra, afinal, quando você está comigo, você pode ter tudo o que quiser" Ele murmura ofegante e sedutor. Tudo, menos você do jeito que eu quero!

Goenji abre a porta do quarto que parecia ser seu e logo entramos. Tinha uma televisão pendurada na parede de seu quarto cinza, piso preto, uma grande janela de vidro escuro e grosso que dava abertura para uma pequena varanda. Havia também um armário cinza-escuro, uma mesa preta ao lado da cama com um vaso branco com rosas da mesma cor lá dentro. Também havia um ar-condicionado e duas lâmpadas que ajudavam a clarear mais o ambiente. A cama de casal tinha lençóis brancos e cinza... O que será que o Goenji tem com essas cores?

Será que o quarto dele é cinza, preto e branco pra mostrar a personalidade sobria dele? De qualquer jeito o quarto nem parece fazer o estilo dele.

Goenji me coloca na cama enquanto faz um movimento com a mão para que eu retirasse minha calça e assim eu fiz. Seria fácil, considerando que eu já estava sem sapatos.

"Seu quarto é bem escuro" Falei abaixando o zíper da minha calça e dei um sorriso malicioso.

"Mandei mudar o antigo padrão do quarto, estava farto. Digamos que eu tenha optado por um padrão mais escuro, porque Cinza é a Cor Mais Quente" Ele disse e fez questão de dizer a última frase de um jeito sedutor. O que será que ele quis dizer com Cinza é a Cor Mais Quente? É o meu cabelo?

Fiquei desligado por alguns segundos e do nada já estou sem calça e cueca. Goenji tinha jogado minhas roupas no chão e tira sua camisa, revelando seu corpo mais musculoso que o meu.

Fico de boca aberta hipnotizado com tal cena. E ele sorri malicioso, provavelmente ele sabe que eu estou gostando do que estou vendo.

Ele abaixa a calça, revelando que ele não usava cueca. Seu membro estava estupidamente duro, devia ter uns 20 centimetros. Isso vai doer!

De qualquer jeito acho que irei gostar. Era a primeira vez que eu o via sem qualquer tipo de roupa. Era o jeito que eu queria o vê-lo.

"Pelo visto você está gostando do que vê. Tá corado e com o membro duro, aliás, você tem um corpo lindo" Ele falou e sinto minha pele esquentar mais.

"Tão tímido e lindo... É uma honra pra mim saber que serei o primeiro a te levar pra cama" Ele falou subindo na cama comigo. E por mim ele será o único, realmente eu te amo, Goenji.

Fico deitado de barriga pra cima enquanto que Goenji fica de quatro sob mim. Seu rosto está muito próximo ao meu, sinto sua respiração quente em contato com meu pescoço.

Estamos ambos nus um para o outro. Mesmo um tanto inseguro, eu não demonstro vergonha ou medo, o que era um alívio.

Eu sentia a sua respiração descompassada enquanto ele me olha do jeito mais safado o possível. Tento agarrar seu rosto mas do nada ele agarra meus pulsos usando suas duas mãos.

Só então chego a lembrar de que nunca o toquei. Pelo menos nunca quando quis, todas as vezes foram sem querer mas ele nunca me deixou tocá-lo. O encaro um pouco desconfiado e noto seu olhar, posso ver desespero no brilho do olhar dele.

"Me desculpe pelo meu comportamento, mas não me toque, por favor" Falou ele e pelo visto ele falava sério. Realmente ser tocado parecia ser algo que lhe aflige.

"Você vai ficar aí só falando?" Pergunto sensualmente tentando mudar de assunto apenas para amenizar o clima. Não quero deixá-lo triste.

"Shiro. Sabe de uma coisa? Queria ter conhecido você antes" Goenji fala sedutoramente e deposita beijos calorosos em meu pescoço que me fazem arquear a coluna e gemer loucamente. Mesmo assim ele segura meus pulsos.

Sinto a glande de meu pênis tocando no dele, algo que me dava cada vez mais prazer. Ele pode não gostar de ser tocado, mas toda vez que o vejo, quero ele me toque. Como está fazendo agora.

O que você tem Goenji? Por que é o primeiro e único a me trazer tamanha sensação de prazer que nunca senti com algum menino ou alguma menina. O que você tem para me atrair? Seria seu dinheiro? Seu jeito enigmático? Ou seria seu jeito sensual que não mostra mas posso ver o quão instigante é?

"Shiro. Você é meu, só meu e de mais ninguém" Ele murmura em meu ouvido, arrancando suspiros de mim.

"Isso meu amor. Agora geme, geme pra mim... Não! Não faça isso agora, quero ouvi-lo quando eu estiver dentro de você" Goenji falou.

Goenji se levanta e vai até o armário e tira de uma gaveta algo. Depois de ver um pouco, é uma gravata cinza.

"Seja meu essa noite" Goenji falou ofegante esticando a gravata de cetim cinza.

"Eu serei seu muito mais do que apenas em uma noite" Falei. Espera! Eu falei isso?! Por que eu estou dizendo isso?!

Goenji dá um sorriso malicioso.

"Mostre os pulsos" Ele falou e rapidamente entendo seu objetivo. Faço o que ele diz. Goenji enrola sua gravata com cheiro de amaciante e também posso sentir seu odor vindo daquele pedaço de pano.

Goenji enrolava a gravata de cetim em meus pulsos. Não estava amarrada do tipo forte para prender meu sangue, mas estava bem presa.

Me deito outra vez na cama e ponho os braços para cima.

Goenji e eu ficamos com os rostos bem próximos e outra vez nos beijamos. Como sempre, Goenji me domina. Ele move meus lábios usando os seus, seus beijos calorosos e sua língua invadem minha boca.

Sinto leves choques de excitação quando minha língua entra em contato com sua. Começo a achar que ele tava querendo tirar um pouco da minha dignidade com um beijo de língua, e ele conseguiu.

O beijo fora ofegante, mesmo com o ar sendo escasso, nenhum de nós dois estava querendo uma trégua. Goenji é bem mais selvagem do que eu pensei.

Seus beijos avançam cada vez mais no ritmo e ficam cada vez mais selvagens e vorazes. Eu gosto!

Goenji morde meu lábio inferior e o puxa levemente. Outra vez ataca minha boca e dessa vez, seu foco parece mais ser um beijo de língua.

Me entrego e ele faz o que quer. Nossas línguas se chocam uma na outra diversas vezes, depois ele puxa meu rosto e me força beijá-lo outra vez.

Goenji ainda brinca mais um pouco com meus lábios e aos poucos desliza sua boca até chegar ao meu pescoço, no qual ele abocanha e gemo alto.

"Aaaaahhhhh!" Gemi e ele deu um sorriso malicioso, em seguida volta sua boca ao meu pescoço, onde ele deposita mordidas, beijos, lambidas e chupões.

Goenji vai mais pra baixo e dessa vez abocanha meu mamilo esquerdo, enquanto que ele me chupa nesse, no outro ele usa as pontas dos dedos para massagear levemente, causando cada gemido meu... O que você está fazendo comigo, Goenji?

Sinto meu corpo gelar, sinto até meus mamilos endurecerem do mesmo modo como aconteceu com meu pênis.

Goenji dava chupadas e lambidas em meus mamilos enquanto meu corpo enchia de adrenalina, eu podia sentir meu corpo trabalhando por dentro, tudo isso por causa do poder que ele tem sobre mim.

Goenji depositou umas lambidas em meu outro mamilo e quando o encarei, ele estava olhando pra mim com uma cara de pervertido. Porra! Não aguento e despejo meu sêmen em seu abdômen malhado e de súbito ele para de me chupar, o que por sinal, era bom, considerando que meu mamilo já estava adormecido.

"Essa é a primeira vez que você goza?" Perguntou ele sorrindo malicioso e eu apenas corei, não falei nada.

"Vou encarar isso como um sim. Estou me sentindo muito bem em saber que você está gostando, espere só o que vem mais" Goenji falou e sentou-se ao meu lado e começou a lamber o sêmen que eu havia ejaculado.

Goenji lambe seus dedos até não sobrar mais nada, em seguida ele avança novamente em meus lábios. Outra vez nos beijamos, dessa vez era um beijo muito mais voraz que os outros, sem qualquer amor, era cheio de luxúria mesmo.

Eu não fico atrás ao corresponder seus beijos, caralho! Goenji, você me excita! Sinto claramente o gosto do sêmen em minha boca, sei lá, não é um gosto muito bom, mas misturado com o gosto da boca de Goenji... Fica uma delícia.

Por vezes nossas línguas esbarram provocando gemidos meus. Já Goenji torna-se mais satisfeito com isso. Ele me dá mais um beijo e depois desliza sua lingua por todo meu corpo.

Sua língua quente e úmida passeia por minha boca, meu queixo, pescoço, onde ele por acaso morde e chupa por alguns segundos e novamente volta deslizar sua língua, depois passa pelo meu peitoral, onde ele aproveita para lamber e chupar meus mamilos e meu tórax.

Curvo a coluna em forma de arco e gemo alto novamente.

"Isso Shiro, geme mais pra mim" Goenji pediu e voltou a lamber meus mamilos. Acabo jogando seu joguinho de sedução e obedeço.

"Aaaahhh... Eehhh... Mais Goenji... Hummm... Ohhhh... Ehhhhh" Gemo e ele parece ter gostado, e eu também.

"Safado" Ele sussurra sedutoramente e em seguida desliza sua língua pelo meu abdômen definido, é claro, menos que o dele. Goenji é bastante musculoso.

Goenji morde levemente os gominhos do meu abdômen, arrancando meus gemidos. Agora sim já acabou a sedução, agora sim vai começar a putaria.

Goenji desliza mais um pouco pra baixo sua língua e chega até minha região pubiana. Ele começa a lamber toda minha virilha e tudo por perto, com exceção dos meus órgãos genitais.

Goenji lambe minha região pubiana que tinha alguns pêlos cuidadosamente aparados. Olhei de canto por uns segundos e vi o meu sonho de consumo, seu membro estava duro e parecia não estar aguentando para entrar em mim, em cima eu podia ver alguns pêlos loiros também aparados.

"Pêlos cinzas" Goenji brincou e antes que eu pudesse fazer mais alguma coisa, sinto um leve desconforto mas também uma onda de prazer, Goenji engole minhas bolas e usa sua língua para se deliciar lambendo ambas, sem tirar de sua boca.

Depois ele tira e continua lambendo. Nessas horas é ruim de estar amarrado, eu apenas gemo e suspiro aproveitando e me deliciando com o Goenji trepador, acho que ele se intitula assim.

"Você quer me chupar?" Ele pergunta de súbito. Não! Não quero!

"Quero" Puta merda!

Respondo corado, algo que eu não deveria ter dito, mas agora já foi. Ele se move e fica sob mim, mas ao contrário. De modo que ambos estamos com os rostos apontados um para o membro do outro.

Goenji não hesita e engole o meu com toda volúpia. Hum! Ele agarra meu membro enquanto faz movimentos de vai e vem neste. Goenji sugava e lambia meu membro indo de cima para baixo frenético. Não teve parte de meu membro que não tivesse conhecido a boca quente do loiro.

Fico encarando seu membro duro pulsando e balançando em cima de mim, em seguida me levanto e engulo seu pênis, e começo a chupá-lo.

Sou um pouco inexperiente no assunto. Várias vezes meus dentes esbarravam no membro de Goenji, dando a impressão de estar mordendo aquele pedaço de pecado.

Com o tempo eu pego jeito e não demora muito para que nós estivéssemos no mesmo nível.

"Hum... Oooohhh! Shiro, que boca gostosa" Goenji gemeu, enquanto eu sorrio satisfeito.

Volto a lamber com maestria toda as extensão do pênis e a glande, enquanto ele faz o mesmo. É claro que ele faz melhor. Contudo, ambos gememos de satisfação e prazer. Ele para de chupar e sai.

"Tá pronto pra deixar de ser virgem?" Perguntou Goenji dando um sorriso malicioso enquanto massagea seu membro duro, pulsante e com fome de sexo.

Assenti ainda um pouco nervoso e ele percebe isso. Goenji me beija outra vez.

"Não se preocupa. Eu vou tomar cuidado, afinal é o primeiro com quem faço isso e ainda é virgem e eu não vou te machucar" Ele fala e eu confio, mas sei que o negócio de não me machucar é apenas agora, porque ele vai querer me machucar. Afinal o Goenji fode, e forte.

"Fazer isso?" Pergunto.

"Fazer amor" Responde calmamente.

Goenji se posiciona atrás de mim e abre minhas pernas. Ele se levanta e pega um pacote de dentro de uma gaveta.

"Imagino que você queira que sua primeira vez seja segura" Goenji falou levantando o pacote de camisinha e outra vez eu apenas balanço a cabeça concordando.

"O que foi? Tá com um pau na boca?" Ele perguntou malicioso e eu fico corado, minha pele esquenta.

"Ou quer ficar com o meu pau na sua boca?" Goenji é bem mais selvagem do que eu pensava. Imagino como será nas próximas vezes.

Goenji abre o pacote e desenrola a camisinha em seu membro. Mordo meu lábio inferior enquanto meu corpo formiga e sinto uma onda de calafrio. Só se perde a virgindade uma vez, e agora sou eu, e tinha de ser com você Goenji.

Goenji termina de colocar a camisinha em seu membro e em seguida afasta as minhas pernas, pondo-se entre elas.

"Isso vai doer?" Pergunto corado.

"Não... Em mim não vai doer" Sua resposta fria mas ao mesmo tempo sedutora, me faz gelar o sangue, mas me excita.

Goenji levanta minha perna direita e põe em seu ombro, ele nem começou a me penetrar e já sinto um pouco de dor.

"Tenho que preparar esse local inexplorado, afinal você me dá a honra de ser o primeiro a conhecer sua bundinha gostosa" Goenji fala e dá um tapa na minha nádega.

Desgraçado! Isso dói!

"Acredite Shiro, sou muito partidário numa surra. Ver sua pele clarinha... Não sabe que loucuras eu quero... Poderia foder com você a noite toda, do anoitecer ao amanhecer..." Ele disse maliciosamente e chupa minha coxa, me fazendo gemer.

"Mas hoje apenas faremos amor" Ele fala massageando minhas coxas, às vezes sua mão ia um pouco mais adiante e às vezes desviava para meu membro ou para minha entrada.

Goenji começa a lamber seu dedo indicador da mão direita, ele lambia e chupava como se fosse uma felação. Lambi os beiços, parecia quando ele chupou meu membro.

Goenji faz o mesmo com dois dedos, e deixa os três dedos bem babados.

"O que vai fazer agora?" Pergunto e ele apenas sorri de um jeito perversamente sexy.

Goenji enfia um dedo em minha bunda e me contorço de dor.

"Do jeito que seus colegas de dormitório são pervertidos, fica um pouco difícil de acreditar que você ainda nunca tenha feito sexo com alguém. E ainda faltam mais dois dedos" Goenji sussurrou ofegante me fazendo engolir o seco.

Goenji enfia outro dedo e dessa vez doeu mais. Realmente minha entrada era muito apertada. Sinto Goenji abrir os dedos dentro de mim como se fosse uma tesoura.

Seus dedos abertos também faziam meu ânus se abrir mais, mas ainda sentia dor. Goenji penetra seus dedos cada vez mais para me abrir mais por onde ele não havia feito antes, sinto uma grande onda de prazer, Goenji estava tocando minha próstata.

Mordo o lábio para conter a dor e sinto lágrimas se formarem em meus olhos.

"Relaxa" Ele diz me vira de lado em seguida deita-se atrás de mim e volta abrir minha perna, isso sem tirar seus dedos de dentro de mim.

Goenji vira meu rosto e voltamos a nos beijar, Goenji aproveita e acrescenta mais um dedo dentro de mim.

Gemo de dor, mas também de prazer. Goenji me beija para me distrair da dor enquanto começo a me acostumar com minha entrada levemente larga.

O beijo ofegante e cheio de desejo foi encerrado e dei um sorriso safado para Goenji.

"Seu safado! Quer mais do que meus dedos, não é?" Goenji perguntou maliciosamente e eu corei.

Goenji retira cuidadosamente seus dedos de dentro de mim e pressiona seu membro duro encapado em minha roda.

"Só mais uma coisa, é camisinha de pimenta" O que?!

Goenji segura meu ombro com uma mão e minha perna com a outra e começa a deslizar lentamente seu membro por dentro de mim.

Eu podia sentir a ardência da pimenta em minha bunda. Seu pênis deslizava vagarosamente por dentro de mim, seus pelos pubianos arranhavam a base de meu ânus.

Mordo o lábio com tanta força que chego a fazer minha boca sangrar levemente, sinto o gosto do ferrugem. Mas ainda assim, não é o suficiente. O pênis de Goenji além de ser grande, é grosso também. A dor é maior.

Sinto as paredes de meu ânus serem esfoladas. Ainda estava um pouco apertado, ainda bem que Goenji preparou minha bunda antes, senão teria doído mais.

Goenji lambe loucamente minha costa em linha reta seguindo minha coluna. Ele chupa minha costa enquanto continua me penetrando, ele ultrapassa minha próstata com seus 20 centímetros de puro tesão.

Goenji chega ao máximo e enquanto me delicio com a puta dor que sinto. Do jeito que anda, acho que dá certo, ele é sádico e está me transformando em masoquista.

"Shiro? Está pronto para sua primeira vez?" Ele pergunta enquanto que eu apenas balanço a cabeça assentindo.

Goenji se move frenético dentro de mim, fazendo movimentos de vai e vem com seu pênis dentro de mim.

Ardia, doía, mas ainda assim era bom. Goenji dava estocadas dentro de mim, me fazendo dar altos gemidos de tesão que ecoavam nas paredes.

"Aaahhh... Owwww... Goenji... Ahhhh... Mais..." Eu gemia loucamente enquanto era penetrado.

"Isso, Shiro. Geme meu nome" Ele falou ofegante dando estocadas em mim.

"Mais Goenji... Goenji..." Eu o obedecia enquanto ele estocava na minha bunda. Goenji continua dando estocadas com seu pênis dentro de mim, fazendo movimentos de vai e vem.

Ele atravessa o braço por baixo de uma das pernas e segura meu ombro. Forçando-me abrir minha perna cada vez mais. Goenji continua com estocadas mais fortes e usa a outra mão livre masturbar meu membro, minha primeira vez está sendo mais quente do que eu pensava, de lado..

As estocadas passam a ser cada vez mais aceleradas, sinto meu membro se contrair com Goenji que continua me masturbando, eu estava gozando.

"É bom, não é? Te deixo mais excitado" Ele sussurrou em meu ouvido e sinto o membro dele se contorcer dentro de mim. Não sei o que doía mais, meu pênis com sua mão apertando e masturbando-me, ou minha bunda que ardia com a pimenta da camisinha.

Goenji ejacula seu líquido quente dentro de mim e ainda tenta estocar mais um pouco, mas ele já estava sem força.

Goenji sai de dentro de mim e eu apenas me viro de frente pra ele. Ficamos nos encarando por alguns segundos, ele puxa meu rosto e voltamos a nos beijar intensamente.

***

Acordo enrolado no meio de lençóis em um quarto escuro com pouca iluminação. As paredes são cinza-claro, piso preto, cama com lençóis brancos. Não era o quarto do Goenji, era outro quarto.

Estou nu, e me sento, sinto uma fisgada de dor vindo de minha entrada. Estou dolorido, deliciosamente dolorido. Enrolo apenas os lençóis em meu corpo e lembro que minhas roupas que ainda ficaram em bom estado, estão no quarto dele, provavelmente.

Saio do quarto e vou até o quarto de Goenji. Abro a porta e pra minha surpresa, ele está acordado. Ele está mexendo no celular, deitado em sua cama. E aparentemente fica surpreso quando me vê.

"Como está?" Ele pergunta sorrindo maliciosamente e guarda o celular. Eu sei o que quer.

"Dolorido, mas querendo mais" Falei mordendo o lábio inferior e ele sorriu.

"Que horas são?" Pergunto.

"2 da manhã" Goenji responde.

Só então me lembro de perguntar.

"Por que me levou para o outro quarto?" Perguntei sorrindo e sentando na cama.

"Conversamos sobre isso ontem à noite. Mas caso tenha se esquecido, pois eu tenho certeza de que a única coisa que lembra é de me ter dentro de você, mas aquele quarto é seu. Você dormirá nele de sexta-feira até domingo. Pode decorar como quiser. E não dormiremos juntos, acredite, é melhor pra você" Ele falou e mesmo bolado, assenti com o que ele havia dito.

Goenji tira o lençol que cobria seu corpo e tenho uma surpresa, seu membro estava duro feito uma pedra. Eu podia ver ele salivar aquele pré-gozo que eu tanto queria.

"Ontem foi a primeira vez que fiz amor, eu prefiro foder, mas eu até gostaria de fazer amor com você mais vezes, e agora eu estou querendo" Goenji fala masturbando seu membro e eu tiro o lençol enrolado em meu corpo, deixando tudo meu à mostra.

***

Estou terminando de arrumar a mesa do café da manhã. Hoje fiz um café da manhã americano para o Goenji. São 06:00 horas, tomara que o Goenji acorde logo. Se bem que eu não estou fazendo as coisas rápido.

Minha bunda está dolorida, mas é tão bom. Só tenho que esconder esse fato dos meninos do dormitório 5. Mas também não será fácil esconder esses chupões no meu pescoço...

"Gostou de fazer amor, delícia?" Goenji pergunta me abraçando por trás. Ele é bom de cama e bom em chegar de fininho pra dar susto.

"Fiz café da manhã" Falei e ele vira meu rosto e nos beijamos.

Isso é estranho, na cama ele é selvagem, sozinhos em um momento qualquer ele é romântico, mas em frente de outras pessoas, ele me ignora e é levemente arrogante. Pra falar a verdade ele é sempre arrogante.

Saio de seus braços e pego o café que estava em um jarro.

"Olha, waffles de morango, frutas, sanduíches, café, pão, suco... Cuidado, vai estragar a gente" Ele brincou e eu sorrio levando a jarra em sua direção e ele estende a xícara.

Só então olhando para ele, percebo que Goenji estava apenas de cueca, algo que me surpreendeu. Eu estava vestindo a roupa que ele havia deixado no meu quarto.

Mas acordar ao seu lado em sua cama fora incrível. Que eu resolvi deixá-lo dormir.

Continuo distraído com seu corpo malhado e seu rosto belo que acabo tropeçando no chão e derramo café no Goenji. Ele me encara assustado, mas pra sua e pra minha sorte, o café estava morno.

"Shiro, isso não vai ficar assim! Você vai dar um jeito nisso!" Goenji gritou o que me deixou assustado.

"Eu sei, me desculpa Goenji, eu limparei a cozinha e a cueca... Qualquer prejuízo que eu tenha..." Falo desesperado procurando por um pano.

"Não precisa de pano, se você for limpar com a língua" Goenji murmurou enquanto eu estava perto dele.

Goenji tira cuidadosamente sua cueca e puxa meu rosto para perto do seu. Goenji já está nu novamente e com o membro ereto, mordo o lábio.

"Que tal? A gente dar mais uns pegas? Afinal, vai demorar mais um pouco para a gente fazer isso novamente" Goenji sussurrou sedutoramente e eu apenas abro a boca e engulo seu membro duro.

Quem diria que eu estaria me guardando para ganhar um presente delicioso como esse?

Tobitaka POV

Finalmente Toramaru saiu do hospital, depois de 3 semanas internado, ele recebe alta.

São 15:30 e eu estou aqui acompanhando ele para voltar para faculdade. Ele está usando uma camisa verde, calça jeans preta, sapato marrom e uma jaqueta azul-marinho e branca.

"E aí, faz dois dias que você não vinha me visitar, fiquei preocupado. O que houve?" Toramaru perguntou sorrindo docilmente quando já estávamos fora do hospital.

Abro a porta do carro de Natsumi que pedi emprestado para vir buscar Toramaru. Toramaru entra e eu atravesso a frente do carro, em seguida eu entro e saímos.

"Eu fiquei meio enrolado com vários trabalhos e com os favores que você me pediu, as novidades são: Fudo e Kido provavelmente estão escondendo um namoro mas o pessoal já desconfia, Haruna tá namorando um rapaz da área 1, Fubuki parece estar namorando com Goenji, Lika está querendo distância de Ichinose, Toko e Tsunami parecem estar namorando, Endo andou doente e Hiroto e Goenji quase brigaram aos socos por causa de Fubuki" Expliquei calmamente e ele ouvia em silêncio.

"E como foi a briga?" Ele perguntou animado. Esse idiota adora uma briga, coisa que nunca mostrou antes.

"Só foi discussão. Mas a Fuyuka ficou assustada. Já a Natsumi disse: Meu deus! Olha a briga, dois brigando pelo Fubuki. Vamos gravar pra colocar na internet. E ela gravou" Falei e Toramaru começou a rir, principalmente quando eu falei o que Natsumi havia dito e imitei a voz dela.

"E sobre o que aconteceu comigo?" Ele perguntou e percebi que seu bom humor havia sumido.

"A polícia prendeu só um dos cinco. Ele admitiu o crime. Só sei que ele era o tal careca forte que você havia dito. Não sei se vai ser necessário você ir na delegacia identificá-lo. Duvido que você lembre dos rostos deles" Falei o encarando.

"Pra falar a verdade, eu não lembro mesmo, talvez se eu visse o rosto..." Ele falava mas eu o interrompi e aproveitei para diminuir a velocidade do carro.

"Pode parar com essa puta ideia burra! Eu não vou te levar ou deixar você ver um dos caras que te estuprou! Eu não vou te deixar ir! Ainda mais do jeito que você está se arriscando! Quando vai contar seu plano para todos? Eu consegui o que você queria. Mas saiba, eu estou com raiva de você!" Gritei bem alto e ele fica em silêncio.

A dor começa a consumir meu corpo aos poucos, o arrependimento aumenta. Encaro Toramaru e só então percebo que ele estava chorando.

Paro o carro em uma rua com nenhum movimento.

"Toramaru..." Falei e ele dá um tapa forte na minha mão.

"Como pode dizer isso?! Não acha que estou sofrendo com isso? Mas eu não quero que a polícia procure pra mim. Esse problema é meu! Como você ficaria se fosse eu? Não iria querer justiça?!" Foi a primeira vez que eu o vejo daquele jeito, realmente ele está me assustando.

Suspiro e me acalmo, seguro seu rosto e o viro para mim.

"Toramaru. Se eu perder você, eu não sei que merda eu sou capaz de fazer. Se eu não posso te impedir de fazer loucura, então eu vou ir com você. Vou te ajudar no que for preciso" Falei e dei um beijo em sua boca.

Toramaru no início se mostrara relutante. Mas rapidamente ele retribui meus beijos. Com o tempo é ele quem me domina. Toramaru tira o meu cinto e o seu. Agora sim não temos aquele cinto que nos prende.

Ele me empurra e fico deitado no banco do carro, enquanto ele sobe em mim.

"O que aconteceu com você? Do nada está pervertido, acho que eu te corrompi" Brinquei e ele sorriu.

"Você tá me querendo é lindo? Bom... Eu só vou deixar claro de que não quero nenhum relacionamento até eu fazer justiça com esse pessoal. Mas se for pra namorar com alguém, saiba que é o primeiro da fila e quando chegar a hora..." Ele fala num tom meio que sensual e começa a pegar em meu membro dentro da calça mas eu o interrompo.

"Me desculpe, mas eu não quero fazer isso, não ainda. Quero esperar até você ser meu de vez, e depois de tudo o que você passou... Só faremos isso quando estivermos pronto, você vai adorar" Falei e demos um outro beijo. Por enquanto só vamos ficar nessa amizade colorida.

Nos ajeitamos e colocamos o cinto de segurança.

"Ei" Toramaru me chama e eu o encaro.

"Não pense que só por eu ser o mais novo e o menor de nós dois, que eu serei o passivo sempre, não espere por isso" Ele falou e tateou o dedo por trás de mim e deu uma dedada na minha bunda.

"Pelo visto você já melhorou" Brinquei e novamente voltamos a nos pegar. Não demorou muito para os cintos de segurança ficarem soltos novamente.

Lika POV

"Pessoal, adivinhem quem arranjou emprego Floriculta da Yuri" Falei fazendo minha entrada triunfal no pátio e lá estavam Tachimukai,  Handa, Natsumi, Fuyuka, Fubuki e Goenji.

"Você" Goenji respondeu secamente, o que pra falar a verdade eu me admirei, era estranho, mas depois que Goenji começou a sair com Fubuki, ele anda menos careta. Mas quando perguntamos algo, eles negam que estejam juntos.

"Meus parabéns, deve ser seu sétimo emprego nesse mês" Fuyuka brincou.

Sento-me ao lado de Fuyuka e Natsumi me fuzila com seu olhar de ciúme.

"Não, precisa se preocupar com isso, eu não quero sua namorada... Porra! Aquelas dores de cabeça não param" Reclamei.

"Não sei que dor, você só anda indo pra aula e passa o tempo todo usando seu tempo livre pra comer, tomar banho, estudar e arrumar a casa. Parece mais que você está fazendo o possível e o impossível para tomar seu tempo" Handa retrucou descobrindo uma parte disso.

"Tá. É sério, mas ontem eu passei o dia todo com dores de cabeça. Aliás, eu trouxe flores como uma amostra grátis do lugar onde trabalho" Disse indo em direção da porta, onde eu havia deixado.

"Olá, Lika. Não te esperava aqui. Você está reclusa ultimamente" Ichinose falou aparecendo na porta.

Ele pega o ramalhete rosas vermelhas que eu havia deixado no chão e me entrega, dando um sorriso.

"Obrigado" Agradeço e jogo o ramalhete para atrás, isso sem o olhar seu rumo.

"Au! Espinhos!" Tachimukai grita.

Kido e Fudo também entram no pátio. Ótimo, agora muitos vão ficar me olhando.

"O que anda acontecendo? Eu te mando mensagens, pergunto das meninas sobre você, te procuro mas você não está presente, não retorna, faz as meninas mentirem. Tá fugindo de mim?" O desgraçado fala.

"Eu não menti. Só disse que ela tava com diarréia e também não queria ficar falando com ninguém" Natsumi falou, galinha!

"Eu não peguei diarréia!" Gritei e ela ri.

"Ela tá longe de todos pra ser exata e anda com fortes dores de cabeça" Fuyuka falou a verdade.

"Lika, fala a verdade, o que anda acontecendo com você?" Ichinose pediu e eu fugi...

"Lika!" Ele disse e segurou meu braço.

"Me solta porra!" Gritei. Já no corredor da área 8, ainda bem que o pessoal ficou lá no pátio e o corredor está sem movimento.

"Não. Você me dar um fora tudo bem, me ignorar também, mas eu quero saber o motivo de você estar agindo estranha. E não é só comigo" Ele foi direto. E se tem uma coisa que eu aprendi com o que eu passei foi ser direta, se encarar as coisas de frente, nada vai te pegar por trás.

"Quer saber o caralho da verdade?! É o seguinte, acontece que infelizmente eu acho que estou... Gostando... De você..." Depois de muito esforço eu consigo despejar as amargas palavras pelas quais eu não queria dizer por nada nesse mundo.

"Lika" Ichinose fala e segura meu pulso, muito contra minha vontade.

"Me solta!" Gritei e me livro de suas mãos.

"Lika..." Ele fala e aponta para minha mão e ao olhar primeiramente para sua, ele está segurando uma das pulseiras pretas de pano grosso que estava em meu pulso.

Em seguida olho para o meu e encaro meu pulso com aquela cicatriz medonha. Que dividia minha mão e meu braço.

"Lika..." Ichinose fala e eu corro.

Handa POV

Depois de Lika e Ichinose terem fugido, entram Aki e Toko no pátio.

"Alguém pode explicar o motivo da Lika estar gritando com o Ichinose?" Aki perguntou.

"Sei lá" Fubuki respondeu.

"Não faço ideia" Falei.

"Ela jogou flores em mim, eu não sei como, mas acho que entrou espinho em outras partes que eu prefiro não comentar..." Tachimukai falou tirando uma rosa do capuz de sua jaqueta.

"Goenji, o que eu deveria injetar num paciente que levou uma mordida de um cachorro feroz?" Fubuki perguntou enquanto escrevia em seu caderno.

"Eu acho que você deveria responder sozinho, Shiro" Goenji responde sorrindo maliciosamente.

Que estranho, após ele começar andar mais com o Fubuki. Goenji passa mais tempo na faculdade, coisa que não fazia antes. Para falar a verdade ele até anda mais simpático.

Será que ele e o Fubuki estão ficando?

Meus pensamentos são interrompidos quando Fideo chega sorrindo.

"Oi, pessoal" Fideo cumprimenta.

"Oi, meu bem" Respondo.

"Boa tarde Fideo" Fubuki fala.

"Eu vim trazer um amigo meu e quero que vocês sejam legais com ele" Fideo diz e todos o encaram.

"Eu não prometo nada" Natsumi falou.

De repente um rapaz de pele morena, cabelos azul-esverdeados de tom bem escuro, olhos pretos, alto e de porte atlético entra convidado. Ele usava uma camisa laranja, uma jaqueta preta, calça jeans azul e sapato preto. Eu o conheço muito bem.

"Esse aqui é o Rococó Urabe, é um dos meus melhores amigos. A partir de hoje, ele vai morar e estudar aqui na faculdade, ele é um aluno de Artes Plásticas e mora na área 1" Fideo apresentou ele.

"É um prazer pessoal" Rococó falou.

"Esses são meus amigos: Fubuki, Goenji, Tachimukai, Kido, Fudo, Toko, Aki, Natsumi e Fuyuka. E aquele ali é meu namorado, Handa" Fideo nos apresentou do jeito mais cínico o possível.

"Handa, finalmente nos conhecemos pessoalmente. Fideo me falou muito sobre você" Fideo não me falou nada sobre você, mas eu te conheço coitado. Eu sei quem você é.

"Ora, ora. Veja só quem saiu do Congo, pra furar o olho" Falei.

"Handa! Mais educação!" Fideo ralhou.

"Mais educação, meu cu!" Bufei de raiva.

"Perdoe meu namorado, Rococó" Desgraçado, ninguém aqui devia pedir desculpas. Deveria prestar atenção em seu namorado que sou eu!

"Bom, pessoal foi um prazer conhecer vocês. Eu preciso ir" Rococó fala. Já vai tarde.

"Eu te acompanho" Fideo se dispõe. Puta que pariu!

Fideo e Rococó caminham pela porta do dormitório 5. Fideo vira o rosto pra trás e sussurra:

"Depois a gente conversa" Ele não está de brincadeira, muito menos eu.

Fideo e o idiota do Rococó saem.

"Nunca te vi tão irritado antes" Kido comentou.

"Pois é, diferente de outros meninos, dessa vez você ficou vermelho de tanto ciúme" Fudo falou como se fosse em tom de deboche.

"Por que você quase fuzilou os dois?" Toko perguntou.

"É quando o Fideo me beijou, você não ficou tão irritado. Você nem ficou irritado" Fubuki falou.

"Vocês se beijaram?" Goenji perguntou num tom ameaçador para Fubuki.

"Você não respondeu minha pergunta" Toko insistiu.

"Sabe de onde vem meu ódio pelo Rococó? Devido ao fato dele ser o ex do Fideo, eles namoraram um tempo atrás enquanto a gente dava um tempo. E depois ele traiu o Fideo, e pouco tempo antes ele só ligava ou mandava mensagens para ele. E agora ele chega e novamente estão amiguinhos. Eu não vou ser corno, isso pode ter certeza, podem tirar o cavalinho da chuva se acham que eu vou perder o meu homem!" Falei ríspido e provavelmente todos ficaram admirados.

"Vou tirar o espinho do meu corpo" Tachimukai falou e saiu.

"Vocês se beijaram?" Goenji repetiu para Fubuki.

Rococó você não vai pegar o que é meu... Se bem que o melhor é eu ir até lá... Saio do pátio e vou até o corredor procurar o que é meu.


Notas Finais


Que capítulo movimentado! Eu não podia deixar um capítulo ruim no dia do meu niver!

Fubuki e Goenji, dando uns pegas... GOSTO!
Toramaru e Tobitaka balançando o carro... 😏
Lika e Ichinose em uma amizade colorida de cor cinza, preto e branco.

E os indicados para maiores ciumentos do capítulo de hoje foram:
Natsumi Raimon
Shinishi Handa
Shuya Goenji

E o vencedor é.......... Shinishi Handa, dando uma de seke possessivo... Que delícia!

Comentem! Favoritem! Avaliem! Mostrem para seus amigos! Seus vizinhos! Para os mendigos do seu bairro! Mendigos de outros bairros! Para outros aniversariantes! Para fãs de yaoi e yuri! Brigadão por tudo pessoal, e agora esperem o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...