História Cipher - Jenlisa - Capítulo 12


Escrita por: e Amo_JenLisa

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Blackpink, EXO, Got7, Red Velvet, TWICE
Personagens BamBam, Dahyun, Do Kyung-soo (D.O), Irene, Jackson, Jennie, Jeon Jungkook (Jungkook), Jisoo, Joy, Kim Jong-in (Kai), Kim Namjoon (RM), Lisa, Momo, Nayeon, Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Rosé, Seulgi, Tzuyu, Yeri
Tags Blackpink, Chaesoo, Jenlisa
Visualizações 88
Palavras 2.618
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Luta, Mistério, Orange, Policial, Romance e Novela, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olha quem voltou!? Eu mesma!

Fiquei doente por alguns dias, e não pude mexer muito no computador ou no celular, por conta disso, minha amiga (@Amo_JenLisa) teve que escrever por mim, eu espero que ela não tenha traumatizado vocês com as loucuras dela....

Muito obrigada, para aqueles, que, se preocuparam comigo me desejando melhoras, eu realmente amo muito vocês ❤❤

Enfim....

• Boa leitura

• Ignorem os erros

Capítulo 12 - Capítulo - Punishment part. 1


Fanfic / Fanfiction Cipher - Jenlisa - Capítulo 12 - Capítulo - Punishment part. 1


Jennie Kim's Point Of View.


Caminhei em passos lentos ao lado de Jongin até a entrada da Jongin's Enterprise. Ele me olhou de canto, e lançou um sorriso feliz. Na noite anterior fizemos as pazes, logo após eu ter chegado do Sky Room. Meu marido já estava em casa, deitado em nossa cama enquanto assistia os comentários do jogo que havia saído para ver. E eu, como boa esposa, dei ao mesmo o carinho que tanto ele havia pedido na noite anterior. O que rendeu um homem bem humorado no dia seguinte, a ponto de realizar um pequeno pedido meu.


- Tem certeza que não quer que eu peça para alguém do RH fazer isso? – perguntou, enquanto acenou para um dos funcionários. 


- Tenho, meu amor. 


Passamos pelo sistema de identificação biométrica na entrada, recebendo alguns olhares discretos. Na C.E os funcionários sempre mantinham em uma postura séria, sem demonstrar qualquer tipo aparente de distração. Tudo se devia aos supervisores rigorosos, a mando de Jongin. Atravessamos a ala principal da entrada, caminhando em direção aos elevadores do outro lado. Dois dos três elevadores estavam ocupados, dando a escolha do que estava na lateral esquerda. Não demorou muito, e logo estávamos no ultimo andar, onde ficava a sala de meu marido. Aquela área ficava reservada unicamente para sua sala, tendo divisória somente para a mesa da secretaria, que até o momento estava completamente vazia. 


Atrasada, que ótimo. 


- E depois diz que não tenho razão. – falei ao deslizar a ponta dos dedos sobre a madeira fria da mesa de Nayeon. 


Jongin me lançou um olhar, que dizia "você está exagerando". Mas logo virou-se em direção a sua porta, entrando em sua sala. Caminhei rapidamente sobre meus saltos finos, logo atrás do mesmo. Meu marido largou sua pasta de couro marrom sobre a mesa, e então desabotoou os três últimos botões de seu paletó, na cor azul marinho, sendo coberto por linhas finas de giz. Ele sentou em sua cadeira, e deixou sua atenção se roubada pelos papeis que estavam sobre a mesa. Eu me aproximei do mesmo, levando as mãos até seus ombros onde apertei devagar. 


- Não vou demorar muito aqui, ok? Tenho que ir para a galeria com Jisoo. – disse, depositando um beijo na nuca dele. 


- Tudo bem, querida. Eu também tenho uma serie de reuniões hoje. 


Jongin olhou para fora da sala, provavelmente a procura de algum sinal de Nayeon. Levantou parcialmente o braço para olhar as horas em seu relógio de ouro, já passava das oito e nem um sinal. 


- Ela nunca se atrasa. 


- Jisoo me contou que viu ela no Sky Room ontem. Deve estar de ressaca. 


Antes que eu pudesse falar mais alguma coisa, ouvimos o barulho do bipe do elevador. Dando espaço para uma Nayeon apressada, e um tanto desajeitada. A mulher ainda tinha o rosto com leves marcas de quem havia acabado de acordar. Seu uniforme contava com ondulações amassadas de puro desleixo. 


- Desculpe a demora Sr. Jongin. – disse assim que pôs os pés dentro da sala. 


Jongin fitou a mulher por alguns segundos, assim como eu. Deslizei os finos dedos sobre os ombros de meu marido, enquanto analisava a postura de Nayeon a nossa frente. A imagem de Lisa agarrada naquela mulher se desenhou em meus pensamentos, fazendo-me expulsar qualquer tipo de dó que eu poderia ter. 


- Nayeon, eu quero que você passe no RH. Nós não vamos mais precisar de seus serviços. 


A mulher deixou que seu queixo caísse em surpresa, não esperava por tal noticia aquela hora da manhã. Eu respirei fundo, erguendo a cabeça em uma postura firme. 


- O-o que? 


- Exatamente isso que ouviu. 


- M-mas senhor, eu sei que me atrasei e sinto muito. 


- Não se preocupe, vamos pagar tudo conforme a lei. 


- Foi pelo meu atraso? 


- Sua falta de compromisso, minha querida. Você não está enquadrada nos quesitos da Jongin's Enterprise. E eu tive que tomar providencia. – falei, caminhando para mais próximo da mulher. 


Eu sentia o olhar furioso da secretaria sobre mim, como se ela soubesse exatamente que fui eu quem ordenou sua demissão. No fundo ela sabia, as mulheres sempre sabem, mas eu honestamente não me importava nenhum pouco o que ela achava ou não. Movi meus lábios em um sorriso, para a mesma que apenas me fitou. 


- Tudo bem, com licença Sra. Jongin. 


A mulher saiu da sala, e eu me permiti caminhar logo atrás dela. Fechei a porta, para que Jongin não escutasse absolutamente nada do que se passava do lado de fora. A secretaria começou a arrumar suas coisas, enquanto eu apenas assistia tudo. Ela não me parecia estar triste ou chateada, sua expressão carrancuda revelava raiva. 


- Foi você não é? – murmurou. - Que fez ele me demitir?! 


- O que?


- Não se faça de sonsa! Você me demitiu! – esbravejou. 


- Sim. – disse, aproximando-me mais da mesa.


- Como pode ser tão megera? 


Ela me encarou sem qualquer tipo de respeito. Eu franzi o cenho na direção da mulher, que agora parecia ter as garras de fora. 


- Eu deixei bem claro da ultima vez para você ter cuidado. 


- Você acha que é dona do mundo?


Ela estava mesmo querendo medir forças comigo?


- Do mundo ainda não. Mas dessa empresa sim. Agora pare de encher minha paciência e pegue suas coisas, saia daqui. 


- Você ainda vai se dar muito mal Sra. Jongin. 


- Estou recebendo ameaças? – perguntei, enquanto repousava minhas duas mãos sobre a mesa da mulher. – Porque se for, eu devo dizer que posso ser bem melhor do que você em fazer isso. 


- Você é uma...


- É melhor você ficar calada. Não aconselho terminar sua frase.


Nayeon se afastou, lançando-me um olhar furioso. Agarrou sua bolsa, na qual despejou seus objetos pessoais, e se retirou em passos apressados e duros. Assim que a mulher desapareceu no elevador, peguei o celular no bolso de minha calça jeans azul claro. Vasculhei a agenda telefônica por alguns segundos, até encontrar o nome de Lisa. Não demorou muito, apenas três toques e eu pude ouvir a voz rouca da mulher no outro lado da linha. 


- Sim senhora Jongin? – eu podia notar uma pitada sarcástica em sua voz. 


- Bom dia agente Manoban. 


- Bom dia. 


- Eu vou precisar de seus serviços hoje, estou na empresa de meu marido. Pode vir até aqui? – perguntei, sem qualquer tipo de incomodo na voz.


Lisa com toda certeza pensava que eu estaria cuspindo fogo. 


- Claro, estou saindo da delegacia em quinze minutos, chego logo. 


- Tudo certo, obrigada, querida. – disse, ao desligar. 


Guardei o telefone no bolso, soltando um suspiro animado entre os lábios. Eu ia adorar ver a cara de Lisa ao saber que sua doce Nayeon havia sido demitida. Fiquei por alguns segundos divagando sobre nossa possível conversa, quando ouvi novamente o bipe do elevador. De longe vi John caminhar na direção da sala de Jongin, ao lado de uma bela mulher. 


- Bom dia Sra Jongin. – o homem falou. 


- Bom dia, John. – disse, deixando meus olhos sobre a bela loira ao seu lado. 


- O Kai está?


Eu assenti com um breve sorriso, e caminhei para sala de meu marido, sendo seguida por ambos. Jongin franziu o cenho assim que os fitou, mas logo relaxou. Eu caminhei até seu lado novamente. 


- Bom dia, senhor. – disse ela.


- Jongin, essa é Park Chaeyoung, a nova contratada. Chaeyoung, esse é o  Kim Jongin, e sua esposa, Jennie Kim. 


Meu marido de forma gentil levantou-se de sua cadeira e estendeu a mão a bela mulher. Chaeyoung era dona de um corpo maravilhoso, uma pele clarinha e delicada. Seus traços eram finos, acompanhados de lábios carnudos e cabelos longos e loiros. Com um belo sorriso, ela cumprimentou o homem e logo depois a mim. 


- Muito prazer. 


- Bom, como você me avisou da demissão da Nayeon. A indicada para substituí-la está no financeiro de nossa empresa. Chaeyoung havia sido contratada para o faturamento, mas tem ume extenso currículo para contábeis. – John deu uma breve pausa e então continuou. – Mas como sei que todos os funcionários do financeiro precisam passar por sua supervisão, trouxe a moça aqui. 


Jongin assentiu. 


- Ela fez a entrevista? 


- Sim senhor, ela passou pela seleção e com uma ótima posição eu diria. 


Chaeyoung sorriu animada.


- Se ela foi tão bem assim, não me incomodo. Só leve ela para fazer o cadastro no sistema e tirar o microchip. 


- Ela foi indicação sua? – perguntei a John. 


O homem lançou um olhar rápido para a mulher ao seu lado, e depois voltou à atenção a mim. 


- Não senhora, eu só trouxe a pedido do Marcus. 


- Então, seja muito bem vinda, Chaeyoung. – disse com um sorriso para a mulher.


- Muito obrigada! Eu darei o melhor de mim para sua empresa. 


- Assim espero. Mas não duvido disso. – Jongin falou de forma gentil. 


- Tenha um bom trabalho Srta. Park. 


Ela assentiu antes de se retirar ao lado de John. Assim que os dois se puseram para fora da sala, Jongin me fitou e se aproximou. 


- Você vem uma vez ou outra aqui e vai mudando tudo. 


- Só tirei sua secretaria incompetente, meu amor. 


- Seus ciúmes é uma coisa. 


O homem tocou em minha cintura, fechando as mãos em meu corpo, no qual puxou para mais junto de si. Fechei os olhos assim que senti os lábios de Jongin se unirem aos meus em um beijo calmo.


- Quem é a moça que será sua secretaria agora? – perguntei ao soltar os lábios dele. 


- Rachel, aquela morena do financeiro. Ela é de minha confiança, e pelo visto já conseguimos uma boa substituta para o lugar dela lá. Essa moça, Chaeyoung, me parece à primeira vista competente. 


- Sim, parece. Espero que dê certo. 


- Vai dar sim.


Meu marido me fitou por alguns segundos, e assim que se aproximou para beijar meus lábios, meu celular tocou. 


- Deve ser Lisa. Eu vou para galeria, tenho um contrato para revisar! Querem fazer uma exposição de arte moderna na galeria.


- Não pode ficar mais um pouquinho aqui comigo? Tenho reunião daqui a meia hora. 


Levei as mãos até o rosto de meu marido, trazendo seu rosto para mais junto do meu. Beijei seus lábios rapidamente e me afastei.


- Não posso, como disse, tenho mil coisas para resolver. Mas vejo você em casa, querido. 


Ele suspirou, encostando-se da estante atrás de si. 


- Tudo bem, bom trabalho. 


Eu parei na soleira da porta, encarando o mesmo com um sorriso. 


- Para você também, meu amor. 


Tirei o celular do bolso assim que entrei no elevador, mandando uma rápida mensagem para Lisa, pedindo que me esperasse na entrada principal. Assim que saí do elevador, vi Nayeon no fundo do corredor conversando com outra mulher, que eu julgava ser a recepcionista. Assim que a mulher colocou os olhos sobre mim, notei sua fúria iminente, então soltei apenas um breve sorriso e continuei meu caminho até Lisa, que me esperava do lado de fora. 


Uma peça derrubada. 


Mero peão.


Assim que vi a agente parada na entrada um novo sorriso se instalou em meus lábios, sorriso que tratei de cortar rapidamente. Coloquei meu óculos de sol no rosto, e caminhei até o luxuoso carro que estava preparado para mim na entrada. O motorista abriu a porta assim que me viu, senti os passos de Lisa logo atrás de mim. Mas eu nem sequer dei atenção. 


- Vou no meu carro. – disse ela ao se aproximar da janela do carro.


- Certo, estou indo para galeria. 


Lisa apenas assentiu, eu podia notar a expressão divertida em seu rosto, então subi o vidro do carro antes mesmo que ela pudesse pronunciar qualquer palavra.


- Siga para galeria, Namjoon. 


Pelo espelho retrovisor, eu tive a imagem de uma Lisa em pé, olhando para meu carro que se afastava gradativamente. Sua expressão era confusa, e divertida. Ela estava acreditando mesmo que eu ainda estava irritada pela noite anterior, e eu realmente estava, mas já havia dado o troco. E um belo troco.


Lisa Manoban's Point Of View.


Vi o carro negro e luxuoso no qual Jennie estava se afastar. A morena tinha uma postura seria, um tanto irritada. Não fez questão sequer de falar direito comigo, mas eu não iria me importar. Não iria cair nos caprichos de uma provocadora, ela havia tido o que merecia.


Suspirei e voltei para meu carro, quando no caminho vi Nayeon sair pela entrada principal. Ela não tinha uma expressão boa, pelo contrario. 


- Hey. 


Me aproximei da morena, que me fitou seria. 


- O que houve? – perguntei preocupada. 


Nayeon me fitou novamente, e suspirou enquanto ajeitava sua bolsa no ombro esquerdo.


- E-eu fui demitida. 


- O que? Como assim? Aconteceu algo? 


Ela meneou com a cabeça negativamente, quando levou uma das mãos até o rosto para limpar suas lágrimas. 


- E-eu cheguei um pouco atrasada hoje, mas não sei o real motivo. 


Por um instante eu me senti culpada, Nayeon acordou tarde por ter ficado no hotel comigo. Nossa noite havia sido interessante, eu não negaria que a morena sabia muito bem como dar prazer a alguém, e fora isso, havia ajudado muito em minha investigação. 


- Tem certeza que não foi pelo atraso? Eu posso tentar falar com o Sr. Jongin.


- Não precisa, eu tenho certeza que foi a mulher dele que fez isso. Na verdade, nem duvidas tenho. Eu só não sei o que fiz para ela. 


Eu fechei os olhos rapidamente, pensando que fazia todo sentido.


Que filha da puta. 


- Eu sinto muito. – falei ainda pensando em Jennie. 


- Tudo bem, eu vou indo. Tenho uma carona para voltar pra casa.


- Certo, se cuida. Eu vou trabalhar. 


Nayeon beijou meu rosto rapidamente, e sorriu amarelo. 


- Ligo pra você depois. 


Eu apenas assenti e me afastei. Nayeon havia sido demitida, e eu sabia exatamente por quem, e o porquê. Como Jennie poderia ser tão má? Ela tinha poder para aquilo, e não se importava em usar. Entrei em meu carro, arrancando com o veiculo até a galeria Kim. Ela teria que me dar boas explicações. 


Em poucos minutos parei com o carro no extenso estacionamento da galeria. Sai do veiculo rapidamente, e trilhei caminho até a entrada. O salão principal estava vazio, e mesmo assim, podia se notar o quão grande e luxuoso aquele lugar era. Eu já havia passado em frente aquele lugar na noite anterior com Nayeon, e a morena havia me contado que Jennie era dona. Mas não fazia idéia do quão importante aquilo fosse ser. Deixei que meus olhos varressem todo ambiente, a procura de um sinal da mulher. 


- Que droga. 


Ouvi um pequeno barulho, quando um senhor de boa idade surgiu no salão. Ele usava um uniforme azul marinho, e um boné da mesma cor. Em suas mãos havia alguns itens para limpeza.


- Com licença, senhor. Sabe onde está Jennie?


O homem assentiu. 


- A senhora Kim está no segundo andar, em sua sala. Você pode subir por aquelas escadas da direita, vai encontrar uma sala logo de frente.


- Obrigada. 


Eu atravessei o salão vazio, ouvindo o barulho de meus sapatos no piso de mármore. Subi a enorme escadaria, que dava de frente para a sala que o senhor havia me informado. Me aproximei lentamente da porta de madeira, na qual bati duas vezes. A voz de Jennie soou ao fundo, permitindo minha entrada. A mulher que estava concentrada em um folhetim que tinha nas mãos, levantou a cabeça para me fitar. Ao ver minha expressão, ela sorriu.


Filha da puta.








Notas Finais


Tadinha da Nayeon ;-;

_

Meu Deus eu estou quase surtando aqui!!!! 75 favoritos com apenas 12 capítulos... Uou vocês são demais

❤❤❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...