História Circense Girl - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Jeff The Killer, Slender (Slender Man)
Personagens Personagens Originais
Visualizações 48
Palavras 857
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Fluffy, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 6 - Sentença de Morte.


Tudo ao meu redor estava lento. Não havia cores e a atmosfera pesava. Olhei ao redor, o público me encarava...mas todos estavam sem olhos e eram pálidos como papel.

Tentei gritar, mas som nenhum saia.

- Bem vindos ao shown de horrores, querida.- olhei para frente com os olhos arregalados. Laughing Jack se aproximava, balançando uma arma na mão. Tentei me mover, mas minhas mãos estavam atadas.

O palhaço parou na minha frente, o rosto colocado no meu e sorriu.

- E a atração principal, é você.- ele rosnou.

 

Todos estavam em volta da garota desacordada. Mas Stella se afastou, algo havia chamado sua atenção. Se aproximou das fitas que a amiga usava  e a pegou.

Não estava rasgada, alguém havia cortado.

- Caleb.- ela chamou o rapaz, que veio perplexo para seu lado.- Olha isso.

Os olhos dele se arregalaram e ficou mais trêmulo do que já estava.

- E-Está cortado.- ele sussurrou.- A-Alguém tentou mata-lá.

Um homem entrou correndo pela lona, estava paralisado.

-P-Pai? - Caleb chamou e foi até ele.- O que houve?

- Além de sua amiga quase morrer.- Stella sussurrou, estreitando os olhos.

- O senhor Eloy foi morto.- Robert sussurrou, se apoiando no filho. - O dono do circo morreu.- ele berrou.

Os múrmuros da plateia enchia no ar.

- Duas tragédias em uma noite.- Stella resmungou, largando a fita.- Era tudo que o circo precisava.

 

Agnes correu para fora da tenda aos prantos, acabando por tropeçar e caindo de joelhos.

- Ei Agnes, se acalme.- Laughing Jack correu até a menor, se ajoelhando ao seu lado.

-M-minha irmã...- a menina falou entre soluços.- Eu não posso perde-lá.

- Foi apenas um acidente, pequena, acontece.- o palhaço apertou ela em seus braços.

- E o Senhor Eloy? O cara acertou ele com um facão por acidente?

- Nem todo circo fecha as cortinas com o melhor show, Agnes.

A menina nada falou, apenas se aconchegou no peito do Jack, chorando com a ideia precipitada de perder dua irmã e não percebendo o sorriso sinistro do palhaço.

 

A pequena bailarina observava pelo vidro, a irmã adormecida  presa nos fios á mais de uma semana. Não dormia direito, sentia que o coração ia explodir e parecia que as lágrimas havia se esgotado.

- Agnes? - ela escutou Laughing Jack a chamou.- Posso falar um instante com você?

- Não está vendo que não é um bom momento, Jack? - sussurrou, olhando para ele.

- Por favor? - estendeu a mão para a jovem, que suspirou, desistindo.

Eles se afastaram um pouco do quarto que Julieta repousava. Agnes se encostou na parede, encarando seriamente o palhaço.

- E então?

- Agnes, você gosta de mim? - Jack foi direto.

- Como assim? - ela franziu a testa.- Sim...- mas a garota estava receosa pela primeira vez.

- Foge comigo?

- Do que está falando? - Agnes foi pega de surpresa.- Eu não posso fazer isso, tenho uma vida aqui.

- Por favor, Agnes, você sabe que aqui nós nunca ficaremos em paz aqui. Principalmente com sua irmã em cima da gente, se ela descobrir, estamos ferrados.- o palhaço pegou sua mão.

- Não, isso já foi longe demais.- ela se desprendeu, assustada.- Acho melhor ficarmos longe um do outro.

Agnes voltou para o quarto de Julieta, para continuar velando seu sino. Mal sabia a jovem menina que havia assinado seu óbito.

 

[...]

Senti a sensação de estar sendo sufocada, era agoniante e me levantei, me debatendo.

- Ei calma, Judy.- escutei uma voz conhecida.- Você está segura.

Minha visão se estabilizou e vi Caleb na minha frente, com uma expressão preocupada no rosto.

- Graças á Deus.- ele suspirou, se jogando na poltrona.- Pensamos que ia te perder.

- O que aconteceu?- minha voz saiu num sussurro fraco.

- Uma tentativa de assassinato.- Caleb respondeu, sem me olhar.- Alguém cortou suas fitas.

Meus olhos se arregalaram e senti a raiva queimar em eu peito.

- Foi ele.- cerrei os punhos.- Aquele palhaço filho da...

- Julieta, se acalme!- Caleb arregalou os olhos.- Tem mais coisa que você precisa saber.

- O que? Fala logo!

- O Senhor Eloy foi morto.- ele suspirou,esfregando as mãos.- Meu pai encontrou ele.

- Eu...sinto muito.- senti minha garganta fechar.- Por todos nós.

- Judy, me desculpe por aquela nossa briga...- ele começou, mas interrompi.

- Eu que fui uma idiota.- suspirei, encarando teto branco.

- Não...eu estou escondendo algo... e eu não aguento mais..- seus olhos ficaram marejados.

- O que? - encostei nossas mãos levemente.

- Eu vi...Agnes e Laughing Jack juntos uma noite...e-eu não queria, mas ele me viu e disse que se contasse para alguém, iria matar meu pai.- Caleb desabou em lágrimas.- Eu não aguento mais.

-O-Oque? sussurrei, sentindo tudo ao meu redor parar.- Ele é um monstro, mas ninguém acreditou em mim, temos que acabar com ele.

Eu estava fora de mim e senti duas mãos me seguraram e me deitarem.

- Apaguem ela.

Continuava me debatendo, quando me injetaram algo que me deixou relaxada e tonta.

E tudo se silenciou. A última coisa que me lembro é o rosto daquele palhaço maldito.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...