1. Spirit Fanfics >
  2. Circenses >
  3. O Casaco na Árvore

História Circenses - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Sei que demorei muito, mas antes tarde do que nunca hehe. Eu não sei nada sobre signos, mas já me disseram que sargitário tem dificuldade para cumprir promessas, é meu ascendente, então...
Agora falando sério, sei que não tá de boa. Demorei muito para postar os capítulos. Eu tive um bloqueio e fiquei com muita dificuldade para escrever, por isso esse capítulo está um pouco menor do que o normal.
Comecei a perceber que meu engajamento com as fanfics que tem um cronograma são melhores, e que quando os autores demoram muito para postar eu desanino. Eu vou começar a criar uma rotina de postagem, ainda está em planejamento, mas acho que toda semana tem cap novo, provavelmente as segundas.
Queria agradecer a todo mundo que favoritou, comentou e/ou está acompanhando a fanfic.
Inclusive, postei uma nova, Vicious, vai dar uma conferida!

Capítulo 6 - O Casaco na Árvore


 

Eu olhei para o Naruto, a baba escorrendo pelo canto da sua boca, e o rosto pintado, que o fazia parecer mil vezes mais ridículo do que ele realmente é. A Haruno achou que seria uma ótima idéia pintar o rosto dele, com vários desenhos no mínimo engraçados, e eu é claro, não sou tão bondoso ao ponto de interferir na humilhação do meu melhor amigo, além do mais, eu não sou louco o bastante para contrariar a rosada. 

Se eu o fizesse ela daria um jeito de me fazer dormir e faria a mesma coisa, mais em uma proporção muito pior. O Uzumaki teve sorte que ela só pintou seu rosto. Segundo Sakura isso é uma punição por ele ter dormido durante o último filme da nossa maratona de Harry Potter (que eu não consideraria uma maratona pelo fato de nós estarmos assistindo um filme a cada sexta), e nos outros sete. 

Algo que descobri sobre a Haruno, é horrível assistir filmes com ela. Principalmente os baseados em livros, ela fala cada cena que é diferente da obra em que o filme é baseado, cada fala, cada personagem, parece que decora todo o livro, o livro inteiro, é como se fosse uma Hermione da vida.Pelas minhas previsões ela só vai parar de reclamar da morte alterada de Voldemort por motivos inteiramente comerciais semana que vem, se nós tivermos sorte. 

Outra coisa é que ela sofre de vergonha alheia, muito. Em todas, repito, TODAS as cenas constrangedoras ou vergonhosas ela abre a merda da porta do trailer e sai, deixando a gente com frio, e quando volta ela fica perguntando o que aconteceu, atrapalha tudo e não dá para ouvir o que os atores falam. Eu fico com uma vontade de mandar ela calar a boca, mesmo que a cara que ela faça quando sente vergonha alheia seja...fofa? Acho que engraçada se encaixa melhor.  

O filme terminou e agora eu  Kiba, Shino e Lee precisamos acordar o Naruto e tentar fazer com que ele vá por si mesmo para o nosso trailer, eu acho que seria mais fácil se a gente tentasse acordar uma pedra.  Kiba já pegou um balde de água, mas foi barrado por Temari. 

 

“Não vai ser você que vai ter que limpar isso, nem dormir com a cama úmida.”

 

Sakura disse que funciona bem na base da porrada, mas eu não posso deixar Naruto sair daqui com um dente a menos, embora seja verdade que eu amaria ver a situação.  No final, Lee pegou o computador de Sakura e o posicionou bem perto do ouvido dele, clicando e dando início ao grito da cabra, aquela do meme, que não durou muito, mas foi muito eficiente acordando a criatura, ou melhor, o bicho preguiça. 

- Vai se foder! - ouvi a voz de Naruto gritar. - O que é isso na minha cara? 

- Tinta, maquiagem e giz de cera. - Sakura responde com um ar zombeteiro por trás da cara séria. Eu  já percebi isso suas feições estão sempre, ou pelo menos na maioria das vezes, sérias, mas ela pode ser per divertida quando quer.

- Naruto, lave o rosto logo, ‘tá muito tarde da noite pros seus escândalos agora. - eu disse, estou morrendo de sono e sem saco para ouvir as reclamações dele agora. - Além do mais, você vai precisar ir naquele negócio que o Orochimaru combinou amanhã cedo.

    Ouço resmungos e reclamações, principalmente por parte de Temari e Sakura, elas também vão para algum lugar, que ninguém me diz aonde é, para fazer alguma coisa que ninguém me fala o que é.

- Puta que o pariu. Eu tenho que ir “mermo”? - ouço Naruto se juntar as reclamações. 

- O que você acha? - ouço Sakura retrucar. Ouvindo ela Naruto resmunga.

- Vou dormir, depois que vocês ficarem para fora não me encham o saco. - eu digo, abrindo a porta. 

- Sasuke tem razão, já está tarde, daqui a pouco Kabuto tranca os trailers. - a rosada argumenta enquanto eu ando para fora do trailer e em seguida paro, esperando os outros, numa maneira gentil de fazer com que Naruto, Kiba, Shino e Lee deixem-a dormir, dava para ver o cansaço em sua voz, percebi que tinha algo estranho, mas nada disse. Acho que Naruto percebeu também, já que na mesma hora ele se pôs a levantar e se dirigir para fora, levando Kiba e Lee consigo, enquanto Shino vinha atrás de boa vontade.

    Entramos no trailer, Naruto estranhamente quieto, o que não me passou despercebido. Me deito apagando as luzes e vejo que os outros estão se encaminhando para a cama também quando Kabuto aparece na porta do trailer, trancando-a. Vejo tudo ficando mais escuro e sinto o cansaço de um dia de treinos me possuir. 

-------------------------------------

    Quando acordo Naruto e Lee já saíram, pergunto a Kiba e Shino onde eles foram e recebo:

“Para o espetáculo do Orochimaru em Los Angeles” 

como explicação. 

    Troco de roupa e passo água na cara, ponho um casaco e vou para o lado de fora.  Está tudo mais vazio do que o normal, sinto falta de vários dos chamados veteranos, que estão aqui a mais tempo, provavelmente estão nesse negócio de Orochimaru em LA também. Não teremos nenhuma apresentação esse fim de semana, devido a isso todos estão dentro dos trailers conversando animadamente, decido que não vou treinar, minhas costas estão me matando, além do mais, mereço um descanso uma vez na vida.

    Meu agasalho parece uma blusa regata quando uma rajada de vento me atinge, me deixando com muito frio. Ando até o cascalho se transformar em uma grama, onde estão alguns tatames, provavelmente de alguém que começou a treinar e deixou largado quando parou. Sento em um deles e passo a contemplar o céu cinza, com indícios de chuva. 

Xingo quando começo a me molhar, mas continuo ali, parado, me lembrando de quando corria na chuva com meu irmão, mas é claro, isso foi antes dele se casar e ir formar uma família em outro país. 

    Fico um tempo lá, sentindo os chuviscos molharem minha roupa e pensando na minha família, até que decido levantar. Quando vou virando as costas percebi uma coisa. Um tecido preto pendurado em uma árvore, parcialmente molhado por causa das folhas verdes, que protegeram o tecido um pouco da água. Pego ele na mão e reconheço como sendo de Sakura, mesmo que ela nunca use, sempre está pendurado na cabeceira da cama. Me surpreende, aqui é relativamente afastado do acampamento onde eles deixaram os trailers.  Mas ela com certeza não treinou com os tatames, o equipamento de  trapézio fica embaixo da tenda do circo, onde acontecem as apresentações. 

    Pego o casaco o analisando, era um moletom comum, percebi que dentro tinham alguns desenhos e frases, letras infantis, percebi que provavelmente foi Sakura que escreveu, mas era possível diferenciar duas outras caligrafias, e então uma lâmpada se acendeu em minha mente, a voz de Sakura pareceu invadi-la, como se um replay estivesse passando na minha mente.

 “Você não chama ninguém de filha da puta nessa merda porque tem uma grande chance de que isso seja verdade, não chame ninguém de filha da mãe por que tem uma grande chance de que ela tenha abandonado a pessoa na rua, você não fala de paternidade ou maternidade nessa merda porque a maioria das pessoas tem algo com isso.” 

O casaco tinha um cheiro estranho, uma mistura de café com alguma outra coisa que eu não faço a mínima ideia do que é.

Só consegui pensar nisso por todo o resto do dia.  Tanto que deixei o leite fervente cair por todo o fogão, recebendo uma bronca de Kiba, e um risinho de canto do Shino. 

- Sasuke, você ‘tá mais avoado do que normalmente. O que foi? A lerdeza destravou e te consumiu totalmente? Ou você já era lerdo e ninguém notou?

- Uhmm. - resmunguei, não estou com nenhuma paciência para isso a essa hora da noite. 

    Subi na minha cama e olhei pela superfície translúcida, por isso quis ficar nessa cama, a vista para fora é reconfortante. A neve branca refletia a luz reluzente da lua, criando um aspecto puro, se não fosse melancólico. Peguei o casaco que tinha deixado dobrado perto da janela, pensei em tentar ler o que estava escrito, mas achei que talvez fosse algo íntimo demais de Sakura, vou devolver no trailer dela antes que chegue da cidade, o que vai demorar uns dois dias. 

    Fico pensando no que eles estão fazendo lá, Naruto disse que vão fazer uma performance para algum parceiro de tráfico do Orochimaru, Danzou. Faz um tempo desde que me ficou claro o consumo de drogas no circo quando está fechado, Orochimaru ganha muito por isso, todas horas representantes de outras pessoas vem com uma maleta e saem com um lote de cocaína.  

    Os dias passaram rápido, devolvi o moletom de Sakura e deixei ele na cabeceira da cama onde costumava ficar. Ao meu lado Kiba está agradecendo que eles vão chegar a tempo da quarta do brigadeiro que ele decidiu fazer para comemorar e para eles nos contarem como foi em Los Angeles. Eu não estou particularmente animado para saber, mas o moreno e Lee estão quase pulando na cadeira. 

    Nós ouvimos os gritos de Naruto de longe e sabemos que eles chegaram. O cabeça de panela e o bafo de cachorro vão correndo em direção ao barulho, enquanto eu e Shino os acompanhamos atrás, observando a euforia. Cumprimentamos Temari e quando eu procuro a rosada vejo uma figura pálida no lugar da feição dura de sempre, parecia angustiada, tinha algo errado. Ela cumpreimenta todos tentando fingir a indiferença, mas posso perceber que algo a está corroendo por dentro, ela acena com a cabeça depois de balbuciar algo sobre uma dor de cabeça e vai em direção ao trailer, mas posso ver a curva que ela faz em direção a árvore onde eu estava a alguns dias atrás. 

"Lamentar uma dor passada, no presente, é criar outra dor e sofrer novamente."

William Shakespeare


Notas Finais


Algo não me agradou, mas é a vida, postei logo porque não queria demorar mais. Não achei nenhuma frase, mas amanhã procurarei melhor. Eu não consegui revisar esse capítulo porque acabei de terminar de escrever e prometi pra vocês que postaria até hoje. A bateria do meu computador tá acabando e meu carregador tá ruim, então escrevi as notas muito rápido, depois vou revisar tudo e procurar a bendita da citação para colocar no final.
Beijinhos, Arthenas.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...