1. Spirit Fanfics >
  2. Círculo de Fogo >
  3. 00: Prólogo

História Círculo de Fogo - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES ANTES DE LER:

⚛ A fanfic tem casais secundários, o foco é e será SasuHina, mas teremos momentos de alguns deles ao longo da história. Se você não gosta, é melhor não ler, porque não vou e não pretendo trocar. Prestem atenção nas tags.

⚛ É uma songfic, ou seja, todos os capítulos tem uma música. Sintam-se à vontade para escutá-las, há uma playlist. Sempre deixarei o link nas notas finais de cada capítulo. Em breve, teremos um trailer também.

⚛ A personalidade do Sasuke e da Hinata estão modificadas por dois fatores. A da Hinata por coisas dentro da própria história, que será explicado ao decorrer dos capítulos, tem uma justificativa pra ela ser... Diferente da Hinata que a gente conhece. E o Sasuke, eu tentei reproduzir o tipo de personalidade que eu imaginaria se ele tivesse tido uma criação normal, sem ter passado por muita merda. Ele ainda tem uns troço dele, mas a personalidade dele é mais suavizada aqui, chegando até a ser "inocente" em determinados momentos. Espero que entendam e que isso não os desmotive a ler a história.

⚛ Atualização semanal. Tenho capítulos prontos. A narração irá mudar e sempre alternar entre os personagens e a terceira pessoa pra que vocês possam entender tudo que está acontecendo. Com exceção do prólogo, sempre teremos o nome do personagem que está narrando para que não haja confusão.

⚛ O Neji não possuí a cor dos olhos dos Hyuuga. A cor será descrita como "azul acinzentado" ou algo do gênero.

⚛ A ideia de contar dias para uma execução é inspirada na fanfic "Cem" da Tilim. Mas só isso também. Não é plágio, nem nada do tipo.

⚛ Acho que é só isso, se precisar dizer algo mais, direi nas notas. Boa leitura.

⚛ Capítulo revisado em: 16/01/2020

Me sigam no instagram: @devilwishess

Capítulo 1 - 00: Prólogo


CÍRCULO DE FOGO

#

PRÓLOGO

“Mesmo que os problemas do passado não possam ser apagados, não jogue sua vida fora... É como em tempos de memórias distantes. Espero que nós possamos entender algum dia.”

D-tecnolife – UVERworld

.

 

Destino. Uma simples palavra com apenas três sílabas muito fácil de ser pronunciada, porém o seu real significado é algo que nós jamais iremos entender completamente.

Sempre acreditei que tudo estava predestinado, como um enorme livro escrito por Deus. Onde as pessoas teriam o tipo de vida que elas mereciam ter.

Tudo isso mudou quando a conheci.

Me lembro perfeitamente do dia em que minha vida mudara para sempre. Era dia primeiro do mês de junho, o sol reinava no céu, infernal, queimando a minha pele já bronzeada. O que me irritava profundamente. Para piorar, o tempo estava seco, deixando tudo uma porcaria só.

Andava em direção do bar para relaxar um pouco, afinal era a minha primeira folga em meses, porque como dizia o xerife Hyuuga: O crime não tira folga.

Por isso, estava disposto a fazer aquele mísero dia valer a pena me divertindo um pouco. Tudo que eu procurava era paz, mas nem isso eu poderia ter. Tudo que tinha para dar errado, deu.

Acredite.

Meu precioso dia de folga tinha ido para o lixo quando fui chamado por um oficial, dizendo que o xerife Hyuuga acabara de chegar e que era para eu voltar para a delegacia imediatamente, pois ele queria tratar de um assunto urgente. Os olhos do oficial estavam apavorados e quando perguntei o que havia ocorrido, ele me dissera que era melhor ver com meus próprios olhos, o que me deixou preocupado.

O que diabos poderia ter acontecido para ter sido chamado?

Cheguei o mais rápido que consegui na delegacia. Abri a porta exasperado, quando me deparei com algo que jamais imaginaria que veria:

Primeiro: Neji Hyuuga, o grande xerife, todo rasgado e sujo de sangue, a única coisa que o havia salvado era o chapéu.

Segundo: Hinata. Simplesmente a criminosa mais perigosa e procurada de todo os Estados Unidos. Assassina, ladra e calculista. A recompensa por sua cabeça era gigantesca, daria para viver por anos no puro luxo, o preço por ela morta conseguia ser maior do que qualquer recompensa de outro criminoso vivo.

Continuei parado na porta incrédulo.

Jamais conseguiram pegá-la. Ninguém era esperto o suficiente. Os caçadores de recompensa sempre iam atrás dela, nunca voltavam, outros tinha a sorte de não a encontrar. E agora ela estava ali, na minha frente.

A condição dela não era das melhores. A blusa branca de mangas longas estava em farrapos, ensanguentada e suja de terra. A calça marrom também estava rasgada e suja, os sapatos cheios de lama vermelha. Pude notar vários hematomas por todo o corpo, provavelmente havia levado uma bela de uma surra.

Hinata abriu os olhos, até então fechados, e olhou diretamente para mim. Nunca imaginei que algum humano poderia possuir olhos daquela cor. Nunca saberia que aquela criminosa tinha tamanha artimanha, os vários cartazes que possuíam sua face eram em preto e branco.

O olhar dela era intenso, parecia que a qualquer momento eu iria me render àqueles olhos. Era como uma tempestade. Seria por isso que ninguém conseguia pegá-la? Não fazia a mínima ideia, mas fui tirado do transe quando um sorriso de puro escárnio brotou em seus lábios ensanguentados.

Oh. A maldita sabia o que podia fazer com aqueles olhos... Diferentes.

Desviei o olhar do dela com dificuldade e vomitei perguntas ao xerife:

 — O que houve aqui? Cadê os vinte homens que o senhor levou? — Olhei-a novamente, estava acorrentada com grossas correntes nos pés e nas mãos. — O que houve, xerife?

 — Acalme-se, Uchiha — Neji pediu com aquela habitual máscara de frieza e arrogância. — Ela os matou — disse ao desviar os olhos para a assassina. — Um informante havia dito uns dias atrás onde ela estaria, por isso sai daqui com uns homens ontem pela manhã, tinha que resolver isso pessoalmente.

Notei algo estranho quando ele disse “pessoalmente”. Sua voz havia ficado trêmula, mas talvez tenha sido apenas impressão minha.

— Consegui prendê-la.

No exato momento em que Neji disse que havia a capturado, ouvi a gargalhada da criminosa — quase maléfica — invadindo o cômodo. Fitei-a e a observei enquanto continuava a rir, até que por fim, revirou os olhos como se tudo aquilo apenas se tratasse de uma boa piada.

— Quando ela será executada? — perguntei. 

Já sabia que isso aconteceria, era o destino plausível de todos os criminosos perigosos.

— Foi por isso que mandei chamá-lo, Uchiha. Já recebemos ordens de como agir no caso. O governo decidiu que ela será transferida para o Texas, será julgada e condenada lá.

Suspirei fundo. Era normal que isso acontecesse também. A única coisa que não conseguia entender, era onde eu entrava nessa história toda.

— Onde eu entro nessa história?  — perguntei sem ao menos tentar disfarçar o meu desconforto.

 — Não se afobe. A questão é que irão demorar duzentos dias para que ela seja transferida — avisou. Duzentos dias? Como assim? Em circunstâncias normais não a deixariam viver nem meia hora. Por que deixariam uma criminosa perigosa como ela, viver quase um ano? E como se lesse meus pensamentos, o xerife terminou: — Segundo o governo, eles ainda têm muito o que providenciar para poder transferir uma criminosa do porte dela.

— Então porque simplesmente não a executam aqui?

Para que todo esse trabalho se podíamos acabar com ela ali mesmo? Não compreendia.

 — Criminosa de nível federal.

Vi que ele achava aquilo tão ridículo quanto eu, mas nada poderíamos fazer contra ordens superiores.

— Entendo. O que iremos fazer? Duzentos dias é muita coisa. — Sentei na cadeira livre na frente da mesa do xerife e comecei a pensar por qual motivo precisavam de duzentos malditos dias para resolver algo muito simples. Para seguir um procedimento que era feito com todos os criminosos normais.

— Você deve ter consciência que ela não pode ficar aqui — disse, fitando-me com aqueles olhos frios. Assenti de leve. — Se ficar aqui, irá fugir ou virão buscá-la. — Ele não se referia aos “mocinhos” e sim ao bando maléfico de Hinata. — Então, já foi decidido que ela irá para a casa de confinamento nas montanhas. — Por que será que eu não tinha um bom pressentimento sobre essa história? — E você agora, está encarregado de vigiar e cuidar dela pelos duzentos dias.

Arqueei uma sobrancelha e esperei pelo momento em que ele me diria que isso era apenas uma piada de mau gosto. Mas o silêncio se estendeu por tempo mais do que o suficiente para que eu soubesse que ele estava falando sério.

Deus, o que eu tinha feito pra merecer isso?


Notas Finais


PLAYLIST: https://open.spotify.com/playlist/63HDXr2M1IL65uMuqHEp9W?si=2rmo7Jm0SJuI1zoDhSBx8Q

Até semana que vem! É só o começo de uma GRANDE aventura, espero que estejam dispostos e que não deixem ships secundários impedirem de lerem uma história que pode ser bem legal, modéstia a parte. Agradecerei se comentarem. É sempre um incentivo!

Beijão!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...