1. Spirit Fanfics >
  2. Circus >
  3. Let Me Know You!

História Circus - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Hello meus coelhinhos da cartola, cheguei com o segundo capítulo e espero que esteja do agrado de vocês, até as notas finais!

Capítulo 2 - Let Me Know You!


Fanfic / Fanfiction Circus - Capítulo 2 - Let Me Know You!


    No dia seguinte, fiz todas as minhas obrigações dentro do possível com o pessoal do circo, geralmente eu não costumava sair para passear como os outros integrantes, já que a maioria das pessoas que já me viram se afastariam então preferi ficar em meu "quarto" ajeitando algumas coisas.

...

Já a noite, após minha apresentação e tudo ficar quieto com o término do espetáculo e cada integrante em seus "quartos", eu fui finalmente comer alguma coisa pois estava faminto e com vontade de comer carne, só que esse era o problema, comer carne, coisa que não tinha e eu não teria como pedir ao dono para sair pois ele já deveria estar dormindo.

Comecei a ficar agoniado pois quando esses desejos atacam, eu considero como algo perigoso por mais que me controle, tanto que minha visão já estava como a de serpente.

-Olá Jaehyun!

-Pode voltar! -fechei os olhos pois já sabia quem era.

-Ah mas acabei de chegar!

-E vai acabar ficando no meu estômago se não for agora! -disse quase sibilando.

-O que houve? Você está suando, está com desejo de carne? Posso trazer para você, já volto!

Em um segundo ele já não estava mais em minha frente e também não demorou a voltar com um coelho vivo na boca. Essa não...

-Um coelho?

-Está com pena?

-Eu gosto de coelhos, não gosto de comê-los, são muito fofos para isso!

-Você é uma cobra gigante Jaehyun, come!

Ele empurrou em direção a minha boca e senti minha garganta secar e a vontade aumentar, mas ao olhar para aquela carinha pequena branquinha com as orelhas acinzentadas eu consegui resistir.

-Dispenso!

Peguei o peludo de suas mãos e coloquei em uma gaiola que tinha ali, as vezes aparecia algum bicho em meu "quarto" e depois eu soltava ele em alguma floresta então até eu soltar, deixava na gaiola.

-E vai comer o que então?

-Você, se não sumir daqui!

-O que você come?

-Eu prefiro não comer nada, não quero fazer um estrago, amanhã cedo saio e vou numa floresta que já vi por aqui.

-Então pode ao menos me escutar um pouco?

-Mais?

-Por favor Jaehyun! Você não tem um pingo de curiosidade em saber o que tenho para te dizer sobre seres como você?

Por um instante fiquei quieto pensando no que ele disse, há um tempo eu quis saber o porque de eu ter nascido assim, mas parei de pensar já que não chegava a alguma conclusão ou pelo menos a um pensamento que fizesse sentido, então creio que não fará mal saber agora.

-Então diga. -disse e ele se sentou no chão e sorriu.

-Bem, como te disse, existem outros iguais a nós, mas é a primeira vez que vejo uma serpente. Como você sabe, as vezes ocorre de um bebê ter algum problema durante a gestação, então as mães que descobrem logo, algumas optam por sacrificar um animal e beber seu sangue para que a parte animal se una ao bebê e ele nasça saudável, só que quando funciona, o bebê nasce metade humano e metade animal, permanecendo assim a vida toda.

Se era estranho? Eu me sentia escutando uma lenda sendo contada por minha avó, além de que não fazia muito sentido.

-E antes que me pergunte, existe sim um ritual para fazer isso, então a sua mãe fez isso com uma cobra e você nasceu assim por isso.

-É loucura! Quer dizer que a sua foi com uma raposa vermelha?

-Sim, se quiser pode perguntar a sua mãe!

-Eu não tenho mais uma família.

-Então foi por isso que veio viver no circo?

-Isso não importa, mais alguma coisa?

-Sim, nós vivemos em uma montanha aqui perto, costumamos mudar de lugar quando as condições não estão favoráveis à nossa sobrevivência, então se quiser ir eu te levo lá!

-Eu vou embora daqui a 1 semana, tenho uma vida aqui, não posso ficar saindo!

-E você por acaso é feliz?

Com aquilo eu me calei, ele já parecia estar cansado de lutar por hoje. Eu não era feliz, mas também não deixaria o local que me acolheu por uma aventura.

-Isso também não importa.

-Bem, não vou desistir de você até ir embora, então se quiser, sabe onde me encontrar, até logo, durma bem!

Disse e assim levantou indo em direção a saída da tenda.

-Ah, já que você gosta de coelhos, lá tem um menino que nasceu metade coelho angora, então ele é maior que esse da gaiola e bem peludo!

Sorri fraco por um instante e vi ele sair de vez, então peguei algumas frutas e deixei dentro da gaiola para o coelho comer caso sentisse fome, logo deitando e voltando a pensar nas coisas que escutei da raposa, acabando por dormir um tempo depois.

...

No dia seguinte, acordei bem cedo e pedi ao dono do circo para poder sair e caçar alguma coisa, prometendo também que caçaria algo para o almoço. Assim que tive sua permissão, voltei a minha cabana e peguei o coelho, vendo que ele havia comido as frutas todas.

-Nossa, você come muito!

Ri fraco e segui o caminho para a floresta, até que senti algo puxando levemente minha camisa, então me virei e vi um rosto conhecido que sorria lindamente.

-Para você! -o garotinho estendeu uma folha de papel com alguns traços que formavam um menino abraçando uma cobra grande.

-Para mim? Obrigado, quem são esses?

-Eu e você! Queria ter te dado ontem mas a mamãe não quis ir no circo de novo, ela tem medo de você, disse que você machuca as pessoas, os animais para comer, mas ela também faz isso e a gente come em casa, então ela não é diferente de você.

Eu estava espantado, nunca ouvi ninguém falando assim, principalmente uma criança dessa idade e desse tamanho.

-E você não tem medo?

-Não, eu gosto de animais e foi a primeira vez que vi alguém virando um, é muito legal, queria ser como você!

Ao escutar aquilo fiquei um pouco triste pois ele não sabia o que estava dizendo realmente, mas não iria estragar a visão boa que aquela criança tinha então sorri e me abaixei a sua altura, fazendo carinho em seus cabelos.

-Não fique triste em não ser como eu, na verdade é até bom porque você não precisa trocar de pele 3 vezes por ano e eu fico muito vermelho quando isso acontece.

-Como uma pimenta?

-Sim, igual a uma pimenta!

-Deve ser engraçado! -acabei rindo com ele e vi ele sorrir e arregalar os olhos ao ver o coelho em minha outra mão. -Você tem um coelhinho!

-Ele não é meu, apareceu ontem a noite na minha cabana quando fui dormir, só que não posso ficar com ele. Você pode cuidar dele por mim?

-De verdade?

-Sim, só não deixa sua mãe fazer ele de jantar!

-Não vou deixar, obrigado! Vou cuidar muito bem dele!

-Agora vai lá, sua mãe deve estar te esperando e obrigado pelo desenho, vou guardar com todo carinho!

-Espero ver você de novo!

Assim entreguei o coelho a ele que pegou e sorriu fofo, logo voltando para dentro de casa, não sem antes acenar e sorrir mais uma vez. Acabei sorrindo bobo e olhei o desenho mais uma vez, logo o guardando bem em minha roupa e adentrando a floresta para poder caçar, já sentindo o cheiro de algumas possíveis presas e em meio a elas, um cheiro que já estava ficando conhecido até demais.

    -Taeyong.



Notas Finais


E então, o que acharam? O garotinho ainda estou pensando em quem possa ser mas estou aberta a sugestões.
Bem, para quem gosta de JaeYong tenho uma ou mais de uma estória no perfil então quem quiser dar uma olhada já sabe onde encontrar, também tem JohnTen, tem de outros grupos também então fiquem a vontade!
Até o próximo capítulo! 🐰


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...