1. Spirit Fanfics >
  2. Citrus curtas >
  3. Você é Minha Razão de Viver

História Citrus curtas - Capítulo 58


Escrita por:


Capítulo 58 - Você é Minha Razão de Viver


Fanfic / Fanfiction Citrus curtas - Capítulo 58 - Você é Minha Razão de Viver

— Mei, volte aqui!

A garota não deu ouvidos, correu para fora da mansão fazendo sua família se decepcionar e ficar envergonhado com a atitude de um Aihara, desde que seu pai foi embora ela foi usada como um fantoche pelo seu avô, o homem esperou que ela atingisse uma certa idade para procurar um noivo para ela e poder ter um herdeiro para a Academia, Tadashi Aihara nunca aceitou que uma mulher herdasse seu instinto, um homem ignorante achando que uma mulher não cuidaria dos negócios da família. Mei não queria isso, ela queria ser livre como as outras garotas, sempre via na televisão mulheres tomando cargos importantes e respeitoso, mas porquê ela foi logo para uma família infeliz que só pensava em dinheiro?

 

Meu correu com todas as suas forças, tinha acabado de chorar e as ruas estavam alagadas, ela não se importou que seu vestido formal estava sujando por causa da lama, ela precisava de um tempo sozinha. Ela parou no parte pouco movimentada, caiu encostada no muro pequeno e chorou, soluçava muito até nem conseguia respirar direito, ela apenas queria carinho de alguém e não ser usada como um receptáculo como seu avô a ver. Mei nunca foi feliz, ela não se lembra a última vez que ela sorriu, ela se sentia uma merda, pensou em se matar muitas vezes mas os funcionários da mansão sempre falavam para ela ser forte que isso logo vai passar, mas até quando?

*Ouf* *ouf* *ouf*

Um cachorro da raça akito balançou a cauda enquanto encarava a morena fazendo ela tremer de medo, como ela mal saía de casa ela nunca tinha visto um cachorro de perto. O cachorro colocou a língua pra fora e balança o traseiro de tanto estava feliz por ver Mei alí, a morena pensou que ele ia atacar ela, mas o animal começou a lamber sua bochecha.

— Punka, não! — Uma voz feminina gritou, pegando a coleira do cachorro e afastando para longe da morena. — Sinto muito, ela gosta muito de pessoas novas.

Mei olhou para a garota que a salvou da cadela energética, a garota tinha cabelo dourado e olhos verdes, esmeralda que Mei pensou que brilhava mais que o sol. Yuzu ficou surpresa ao vendo Mei encolhida no muro e lágrimas ainda rolando em sua bochecha.

— Oh meu Deus, você está bem?! Ela fez algo para te machucar. — A loira logo soltou sua cachorra para tentar ajudar Mei que se encolheu quando ela pôs a mão no seu joelho. — Calma, não vou te machucar só quero ajudar.

A loira deu um sorriso doce e gentil para ela, Mei corou e pensou o quão linda a loira era. A garota alta ajudou Mei levantar-se e ajudou para ir à um banco próximo enquanto Punka as seguia.

— Então... Meu é Yuzu Okogi! Nasci aqui no Japão mas a maior parte da minha vida vivi na Espanha. — Yuzu disse dando um sorriso de orelha à orelha para Mei.

"Que inveja." Pensou Mei, ela não parava de olhar para Yuzu. Ela era muito diferente aqui, onde padrão de cabelo era marrom e preto.

— Bom, voltei para cá semana passada para o velório da minha mãe. — Yuzu fez um sorriso forçado.

Mei ficou chocada com a notícia, pensou como Yuzu poderia sorrir por essa perda enorme.

— Eu sinto muito...

Yuzu balançou a cabeça.

— Tudo bem, ela sempre diz que é melhor eu sorrir e seguir em frente que ela estaria lá em cima cuidando de mim! — Yuzu olhou determinada para o céu azulado, ela olhou para Mei. — Você tem alguém assim?

Mei abriu a boca mas não saiu nada, ela mordeu o lábio inferior.

— Não tenho, ele me abandonou.

— Oh... Que pena, mas você tem a mim! — Yuzu disse.

Mei pulou olhando surpresa para Mei que sorriu novamente para ela.

— Podemos ser amigas e eu posso ser seu motivo para ser feliz.

Punka latiu.

— Oh, e a Punka também! Nós duas podemos fazer você feliz! — Disse Yuzu acariciando a cabeça da sua cadela.

Depois que Mei conheceu Yuzu ela se sentiu mais feliz do que antes, depois de passar a tarde inteira com Yuzu ela voltou para casa, a família Udagawa e Aihara estavam lá esperando ela, mas seu avô estava furioso.

— Onde você estava?! — Gritou Tadashi, seu rosto estava vermelho de raiva.

Mei olhou para seu avô em seguida para a Udagawa.

— Obrigada pela visita, mas cancele esse casamento. — Disse Mei seriamente, ela subiu para o quarto, deixando todos sem palavras.

— O que?! Mei Aihara, o que está insinuando?! — Gritou Tadashi.

Udagawa sorriu orgulhoso com a atitude de Mei.

— Tudo bem, senhor Aihara. Esse foi a escolha dela, é melhor a gente respeitar.

Dito isso, a família Udagawa foram embora, enquanto a família Aihara estavam decepcionado pelo chefe da empresa.

— Quem botou isso na cabeça dela?!

 

Um mês se passou e Mei estava mais livre, toda terça, quinta e sábado ela e Yuzu se encontravam para conversar e passear pela praça. Hoje não foi diferente, ela sorriu quando viu Yuzu sentada no banco a esperando como sempre.

— Mei! — Yuzu pulou do banco para dar um abraço forte na melhor amiga.

Mei fez diferente ela abraçou Yuzu dando um beijo na boca da loira, deixando ela surpresa. Ao separar ela sorriu animada.

— Yuzu, nesse tempo eu estava com medo se isso era coisa da minha cabeça mas agora sei que isso é verdade, eu te amo Yuzu! — Mei sorriu para a loira, segurando suas duas mãos.

Yuzu ficou sem palavras, ela corou instantaneamente e sorriu dando um abraço na morena e a jogando para cima.

— Sério?!

— Sim!

Aa duas riram enquanto Punka latia animada para as duas. Yuzu pousou Mei no mão, a morena pegou o queixo da loira para olhar nos olhos.

— Eu quero viver com você Yuzu, por favor seja minha namorada. — Mei esperou ansiosamente pela resposta.

Yuzu pensou e sorriu de brincadeira.

— Um beijo é sim e um abraço é sim!

Yuzu a beijou e abraçou sua nova namorada. Mei se sentiu a mulher mais feliz do mundo, ela não queria que esse dia terminasse.

 

Novamente era o dia de ver sua namorada, Yuzu Okogi. Mei correu para a praça para ansiosamente ver a loira a esperando mas agora ela não estava mais lá, o que tinha acontecido com ela? Mei a procurou por toda praça, achando que era uma brincadeira dela, mas ela não apareceu nesse dia, Mei queria chorar ela era a única razão para ela ser feliz.

*Ouf* *Ouf* *ouf*

Mei conhecia esse latido muito bem, era a cachorra de Yuzu correndo até ela, a cachorra estava agitada e com umas sujeira pelo pêlo.

— Punka, o que houve?

A cachorra puxou a saia de Mei, gesticulando para seguir ela e Mei não pensou dias vezes, pode ser que tinha acontecido algo com Yuzu. Após a cachorra parar em um beco ela viu três homens de terno espancando Yuzu enquanto a loira se encolhia tentando se proteger, os homens riam do estado que a loira estava.

— Parem com isso! — Mei gritou correndo até os homens e os empurrando para longe, Mei abraçou o corpo caído de Yuzu. — O que vocês pensam que estão fazendo?

Mei olhou para os rosto dos homens e tremeu quem eram, eram os guardas do seu avô. Os homens pararam de violentar para não machucar Mei.

— Seu nós pediu para dá uma lição nessa puta. — Disse o homem apontando para Yuzu que tremia de medo.

— Seus monstros... EU VOU LIGAR PARA POLÍCIA!

Mei os ameaçou e os homens fugiram deixando as duas sozinhas.

— Yuzu... Yuzu amor... — Mei virou a loira com cuidado e viu o que horrorisou, Yuzu estava com um olho roxo, um nariz quebrado e sangrando e uma grande contusão na bochecha.

— Seu avô quer me matar... *Arfando* Ele quer tirar você de mim... — Disse Yuzu ameaçando as lágrimas sair.

Mei chorou ao ver sua namorada invulnerável e com medo, estava com saudades daquele sorriso que sempre faz sorrir todos os dias.

— Ele me ameaçou a voltar pra Espanha e nunca mais te ver... *Arfando* Ele continuou com as ameaças desde que a gente começou a namorar... — Disse Yuzu tremendo de medo.

— Por que você não me falou... Eu teria-

— Não! Ele disse que ia mandar homens te estuprar para ter um novo herdeiro a força! — Yuzu gritou mas gemeu de dor sentiu o estômago arder. — Durante essas ameaças eu trabalhei para conseguir dinheiro para duas passagens.

Mei tremeu ao ouvir isso.

— Mei, por favor... Fuja comigo...

Mei acariciou gentilmente a bochecha da namorada.

— Por favor me tira desse inferno...

Yuzu sorriu.

— Eu irei...


Notas Finais


Sério gente, eu tava no mundo da lua enquanto escrevia sem ver qual palavras eu tava colocando na história.
E quando foi ver já tinha terminado.

Cachorra de Yuzu:
https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn%3AANd9GcTtNsNdMMaU695qGsO53E6ybaNqFC2kDwXXSYA9kuvyG85VlWeL

〜(꒪꒳꒪)〜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...