1. Spirit Fanfics >
  2. City of Angels >
  3. Capítulo Único

História City of Angels - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


é uma song fic e espero que gostem, até porque é uma das minhas músicas favorita. os cantores são Arrows to Athens.

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction City of Angels - Capítulo 1 - Capítulo Único

CITY OF ANGELS

 

Cante-me uma sinfonia
Uma para os perdidos fora do meio
Cidade dos sonhos caídos
Cidade dos anjos

Hinata perdeu o brilho no olhar e a si mesmo, quando seu irmão morreu. Perdeu-se de si mesma, se isso era possível. Ria conforme os pensamentos iam surgindo em sua mente, mas nunca, nunca em sua vida pensou que seria alguém que passaria por algo do tipo. Viveu uma vida tranquila até sua adolescência. Mas quem poderia dizer que veria seu irmão ser morto?

A quanto tempo isso havia acontecido, a quantos anos ela não conseguia seguir em frente? Estava se questionando quando estava chegando de frente ao terapeuta. Era verdade que tinha que encontrar suas respostas para poder seguir em frente, mas como tirar a triste de um coração tão triste?

Enquanto entrava deu de cara com um homem alto, dos olhos pretos. Olhos mais escuros do que a mais escura noite do ano. E calmamente se dirigiu ao local. Não poderia negar que aquilo mexera com ela.

Chegou ao consultório ainda meio aérea pois realmente achou bonito. Mas por qual motivo também estava ali? Pensava que somente doidos, entrava ali. Bom mesmo que a psicóloga não concordasse com tal afirmação, não a fazia mudar de ideia.

Tinha desenvolvido uma amizade com sua psicóloga, a loira era muito mais divertida fora daquela sala que havia alugado para trabalhar.

- Ola Hina – saudou assim que chegou

- Ola Ino, como vai – respondeu simplesmente.

A loira começou a falar sobre outras coisas, do dia a dia, mas acabou ouvindo somente a ultima parte.

- Então sobre o que quer comentar hoje?  - questinou

- Sinceramente? Eu não faço a mínima ideia.

- Poderia me dizer porque está tão aérea pra não responder todas as minhas perguntas? – questionou

A pequena Hyuuga achava incrível o fato de como ela mudava de uma hora para a outra quando estava no serviço, mas a achava competente o suficiente para ter qualquer resquício de medo.

- Não sei, estava pensando em um rapaz que acabei de encontrar – disse por fim

- rapaz? – questionou

- sim, dos olhos pretos. – se remexeu na cadeira enquanto falava.

- Não precisa ficar nervosa somente por isso, não fiz nada. – disse tentando acalma sua paciente

- eu sei, mas é que realmente algo nos olhos dele me chamou atenção, era tão profundo. Nunca tinha visto olhos assim Ino – disse tentando entender seus próprios pensamentos

Ino sorria, sabia que poderia fazer algo para ajudar, não somente ela, mas para Sasuke também, sabia de quem a morena estava falando, e sabia mais ainda que os dois precisam recomeçar.

- Entendo, e não achou ele bonito? – perguntou sacaneando a amiga

- Ino! – esbravejou

Mas o rosto dela corado, era o que precisava pra pensar em um plano.

 

Havia uma menina com o céu cheio de estrelas
Em seus olhos
Ela estava perseguindo o mundo, que estava tão rápido
E a deixou para trás

 

Hinata estava caminhando, olhava tudo, olhava o céu. Aquela noite estava quente o suficiente para se irritar e não conseguir dormi. Era 5 da manhã e quem disse que estava conseguia ficar dentro de casa.

Saiu do apartamento em que morava e foi andar pelo parque, já estava quase na hora do sol nascer, e teria que trabalhar. Mas um dia sem dormi.

Voltou para casa e se preparou, aproveitaria que ainda estava cedo e iria caminhando ao serviço.

“O amor é forte como a morte” – repetia para si mesma, durante o caminho.

Chegou 10 minutos adianta. Parando na porta viu o mesmo rapaz da clinica, com uma criança. Sorriu, ele devia ser uma pessoa dedicada a sua filha. Sorriu com a cena. Ele viu ela chegando e a cumprimentou. Sorriu de volta e mandou a criança o cumprimentar.

- Seja Educada Yumi – disse baixinho para ela

Hinata sorriu, não era todo dia que via algo assim.

- Ohayo Yumi-chan – cumprimentou hinata com um sorriso doce.

Não iria deixar aquilo ficar estranho, afinal a criança estava claramente com vergonha.

- Ohayo tia Hina – cumprimentou com um sorriso no rosto.

- Vamos pra salinha? – questionou

A mesma somente assentiu. Seguiram para dentro, deixando um moreno para trás sorrindo bobo. Chegando na sala desejou a pequena tivesse um bom dia de aula.

Os dias passaram até que encontrasse novamente o moreno, mas quando aconteceu, estavam novamente na clinica.

Sorriu para o moreno que lhe deu um sorriso de canto.

- Ola Hina – disse para ela

Aquilo a pegou desprevenida e chegou a pensar em como responder ele, mas não sabia.

- Olá Senhor como vai? – disse por fim

- Sasuke. Uchiha Sasuke – disse estendendo a mão para ela.

- Prazer Sasuke – respondeu lhe cumprimentando também. Mas nenhum dos dois esperava que ao tocar as mãos pudessem sentir que aquela era a melhor sensação que ambos já haviam sentidos. Se encaixavam e a eletricidade entre eles atraíram ambos os olhares.

E olhando nos olhos dele proferiu.

- Hinata. Hyuuga Hinata – disse com um sorriso

Ela correu por dias
Mas os dias se tornaram anos
A esperança foi embora
Conforme um sorriso se tornou lágrimas

Era 3 de julho, havia mais de dois meses que Sasuke e Hinata estavam saindo, se conhecendo. Era o melhor dos dois em anos e somente a terapeuta de ambos, sabia descrever com as palavras certas como aquilo estava fazendo bem para ambos. Era o recomeço que precisava.

Conhecera Sasuke e soube mais sobre ele, como o fato de Yumi ser sua sobrinha e não filha. Que tinha um irmão mais velho. Era advogado e que trabalhava na empresa da família. Descobriu que ele amava fotografia e por isso tinha uma coleção de fotos de Hinata em cada lugar em que eles foram, em cada padaria, restaurante e também em suas casas.

Hinata nesse dia não foi trabalhar afinal, era sempre no mesmo dia que faltava. A escola já sabia e não reclamava afinal a diretora Tsunade deixaria sempre no tempo dela.

Recebeu inúmeras ligações e mensagem de Sasuke e todas foram recusadas, não lidas e muito menos respondidas. Era o dia dele. Dia de Hyuuga Neji. Seu irmão, amigo. Não poderia superar facilmente a morte não é?

As lagrimas escorriam por todo o local. Pensando em como seria se ele ainda estivesse ali, se realmente aquele lugar seria triste e solitário. Queria ele de volta. A dor do seu peito estava aberto, e por mais que esperasse que as coisas continuassem a melhorar, ninguém jamais poderia curar seu coração, e colocar de volta o brilho nos olhos.

Dormiu chorando durante aquela tarde. Acordou por volta das 9 da noite com batidas na porta. Não estava esperando ninguém e não queria receber ninguém.

Ouviu as batidas mais uma vez.

- Quem é? – questionou.

Rogava aos céus para que não fosse nenhum assassino pois não tinha como se defender de um.

- Sou eu – a voz soou do outro lado da porta

Hinata reconheceria aquela voz, até mesmo em uma multidão. Sasuke estava ali, por ela.

- Vá embora – respondeu

- Abre essa porta Hyuuga Hinata. Agora! – disse em tom duro e firme

- Não quero – disse outra vez

- Hime, por favor abre a porta – disse com uma voz abatida.

Hinata abriu, pelo que o conhecia sabia que ele não iria embora enquanto não ouvisse uma explicação.

Assim que abriu a porta, sentiu um alivio em seu coração, porque pelo menos ele não havia fugido.

- Pode entrar

Mas em vez disso ele me deu um abraço, um abraço tão forte, como se quisesse tirar toda a dor que eu carregava e pegasse para ele. Um abraço que se ela pudesse moraria ali, onde nada a atingiria.

Pegou a mesma no colo e a levou para o sofá sentou e a colocou em seu colo, como se fosse uma criança.

- Hime, me diz o que houve? Porque tive que ligar no seu serviço e você não estava? – questionou aflito

- é hoje Sasu – assim que disse voltou a chorar

- o que tem hoje Hime, o que acontece hoje? – parecia mais aflito que antes

- era pro Neji estar aqui – disse por fim.

Agora há linhas no rosto
Da menina com as estrelas em seus olhos

Cante-me uma sinfonia
Uma para os perdidos e entre
Cidade dos sonhos caídos
Cidade dos anjos

Hoje fazia um ano em que o Sasuke e Hinata estavam namorando, era uma data especial para ambos, estavam felizes. Hinata estava fazendo o que sempre sonhara, estava trabalhando como Interprete e estava realmente feliz por ter conseguido superar seus medos.

Hoje Hinata iria fazer um jantar para Sasuke, queria muito questiona-lo e iria fazer tudo perfeitamente. Queria uma resposta.

Pegou o celular e ligou para Sasuke

- Sasuke poderia vim aqui em casa? – questionou

- Oi pra você também Hyuuga Hinata – disse rindo

- Oi Sasu, pode vim aqui em casa? – questionou novamente

- Pra que tanto queres minha ilustre presença hein? – brincou

- Oras, não posso querer ver meu namorado não?

- Claro que pode. Já estou saindo da empresa, as 7 apareço ai.

- Ok, dirija com cuidado tchau.

Hinata disse tudo tão rápido que nem deu tempo de ouvir a resposta dele.

Hinata foi se arrumar e terminar de arrumar a mesa para os dois. Iriam jantar na varanda aquela noite. Realmente queria surpreende-lo e estava dando o melhor de si.

A campainha tocou. Sasuke chegou. Passou uma mão na roupa se olhando mais uma vez.

Hinata pegou um paninho e foi abrir a porta.

- Oi Sasu – disse sorrindo

- Oi Hime

- Prende isso nos seus olhos – disse com a mão esticada entregando o pano para ele

Ele arqueou a olhou desconfiado

- Hinata o que você esta aprontando?

- Nada, nada

- Tsk.

Pegou a mão de Sasuke e começou a guia-lo até a sacada do apartamento.

- Pode tirar a venda – disse

Assim que tirou o moreno ficou sem reação. Hinata estava tão feliz que tudo estava conforme o planejado. Ele olhava ela embasbacado com tudo aquilo.

- Sasu, antes de sentar eu tenho algo pra te pergunta muita importante – disse

Sasuke se ajeitou, afinal não é todo dia que recebe uma dessas. Acenou positivamente para ela. Suspirou. Hinata estava tão nervosa que suas mãos estavam suando.

- Aceita se casar comigo? – falou tudo em um folego só.

Sasuke arregalou os olhos, não esperava isso de Hinata. Não esperava. Estava tão absorvido em seus pensamentos que mal tinha se dado conta que ela queria uma resposta.

Mas ele estava tão passado que ele começou a rir. Fazendo a pequena Hyuuga entrar em desespero e começar a chorar silenciosamente, enquanto ele ainda ria.

Quando Sasuke a olhou viu que ela estava chorando e viu que fez algo errado.

- Oh meu amor, claro que eu aceito. Me desculpe por ter rido disso, mas era eu quem deveria fazer isso. – disse por fim a abraçando.

Hinata ainda chorava, e Sasuke se martirizou por isso. Não era a intenção faze-la chorar.

- Sasuke não se ri de uma coisa dessas – disse tentando secar as lagrimas

Sasuke não se conteve e foi até Hinata beijando seu rosto, secando cada lagrima que ele tinha feito ela soltar, mesmo que não propositalmente.

- Para me desculpar corretamente Hyuuga Hime

Sasuke se ajoelhou e tirou uma caixinha de veludo do bolso

- Hyuuga Hinata, aceita se casar comigo? – questionou-a

Hinata não sabia o que dizer e simplesmente o abraçou

Cante de volta a melodia
Canção para os corações deixados nesses sonhos
Uma voz para os fora do alcance
A cidade dos anjos

As coisas finalmente estavam se encaixando e estava feliz o suficiente com isso, pois finalmente sua vida parecia ter ganhado um novo sentido. Hinata era o ser humano mais radiante do mundo.

Havia um menino com o mundo
Na palma de suas mãos
Brilhante como uma estrela, mas ele queimou tudo
O que tinha

Havia se passado mais de anos em que Sasuke tentava seguir sua vida, não seguira o caminho que desejava, nunca fez nada do que quis. Havia deixado de sonhar a tanto tempo que se perguntasse qual era seu sonho ou o que ele gostaria de ser, não saberia responder.

Seus pais morreram em um arrastão e não conseguia digerir tudo aquilo. Sua vida era um eterno preto e branco. Onde estava a vida e a cor? Nem ele mesmo sabia. Poderia ter o mundo em suas mãos, mas se afundou nas suas dores. Mudou de país e começou a viver como um vagabundo, a única coisa que fazia era se matar na bebida.

Estava a tanto tempo nessa vida que nem sabia mais o que poderia viver. Tudo começou a perder o sentido tentou seguir em frente, mas a quem ele estava querendo enganar? Ele não era bom em nada. Fez o que seus pais se orgulhariam, mas isso não o deixava feliz.

Voltou ao Japão a pouco de um ano, e estava indo ao Terapeuta, seu irmão o ordenou a ir, o que fazia. Nunca admitiria que o estava fazendo bem. Mas ainda sim, sentia que seu irmão sabia da sua melhora.

Estava saindo de uma consulta quando a viu. Ela estava um vestido soltinho simples com os cabelos soltos, e simplesmente seguiu em frente. Queria que ela tivesse dito um oi. Mas não foi isso que ela fez. Quem sabe em uma próxima?

Passou as semanas torcendo aos céus para que a visse de novo, mas nada acontecia, não a via.

Foi diretamente para casa, queria ver sua sobrinha, pois era a única pessoa que conseguia anima-lo.

Assim que chegou, sentiu suas pernas serem envolvidas por um pequeno ser.

- Ola Yumi-chan

Disse a pegando no colo e indo até a cozinha, deveria estar quase com o almoço pronto, mas realmente estava com fome.

A garotinha estava em um abraço tão apertado no pescoço do Uchiha, que enquanto tentava tira-la não conseguiu.

- Se você não desgrudar do tio aqui eu vou fazer cosquinha em você – disse tentando soar como uma ameaça

Ela deu um sorriso de canto, queria isso mesmo. Então assim o fez

Yumi ria tanto que começou a ficar vermelha

- vou comer novamente em pirralha se não eu vou te perseguir hoje até você cansar

- Claro tio Sasu bakaa

Sasuke olhou para a sobrinha assustado, quem havia ensinado a ela tais coisas. Com certeza era coisa de seu irmão

- Não pode dizer isso – repreendeu

- Papai disse que posso sim – retrucou

Isso não era horas de ficar retrucando com uma criança. Mas Itachi apareceu e gritou

- Porque ensinou a minha sobrinha fofa a falar coisas feias hein Itachi? Ela me chamou de Bakaa – berrou a ultima parte fazendo todos dali gargalharem.

Negociando sua vida
Fazendo furos em suas veias
Com medo da altura
Foi uma longa queda da graça
Mas se você ouvir perto
Ainda pode ouvir o menino no homem

Estava de baba essa semana. Itachi e Ino foram viajar, sabe se lá pra onde. A levava e buscava todo dia. Até que em uma manhã, viu a mesma moça da clinica.

Sorriu abobalhado, em tantos lugares para encontra-la, havia sido na escola da sobrinha? Sorriu, a vida realmente é um quebra-cabeça. Assim que ela chegou perto suficiente para o ouvir cumprimentou e fez Yumi a cumprimentar também.

Tentou de alguma forma deixar claro que era apenas sua sobrinha, não que a amasse menos por isso, mas não queria que ela o entendesse mal. Afinal, não esquecera ela pela semanas que se passaram. Mas nem isso teve tempo para poder falar

Ela entrou dentro da escola tão rápido quanto chegou.

O tempo passou e não a viu mais chegando na escola. Havia se frustrado com isso. Queria vê-la e pedir seu numero.

Até que voltou a vê-la na clinica e não deixaria outra oportunidade passar.

- Oi Hina

Quem diria que um momento de coragem o levaria a ter momentos tão felizes.

Era a segunda que estavam saindo e decidiram fazer um piquenique. Como sempre estava levando sua câmera fotográfica. Jamais deixaria passar um momento sem tirar foto. Principalmente com ela, parecia que o tempo passava tão rápido que tinha a sensação de querer eternizar cada momento com ela.

- Sasuke, e a Yumi-chan como ela esta?

- Está bem, hoje está com o pai dela, ele tirou uma folga hoje.

Hinata o fitava com os olhos tão atentos, que Sasuke parou o que estava fazendo, tirou a câmera rápido e tirou uma foto para si. Enquanto a morena estava rindo desse ato chegou até ele e passou as mãos sobre o rosto dele.

Sasuke fechou os olhos e aproveitava cada toque, queria eternizar na mente o seu toque, seu cheiro. Aproveitou com carinho. E quando estava, sentindo a mão dela sair. Segurou e abriu os olhos.

Estavam tão perto que não restistiu e acabou por beija-la. Era o primeiro beijo de ambos, e estavam tão absortos em sua bolha particulares. Sasuke a olhava com devoção. Estava abrindo seu coração novamente e isso o assustava um pouco mais não iria recuar.

- Estou sentindo algo por você e não quero algo passageiro Hinata

- nem eu quero algo passageiro Sasuke

- Você quer ficar pra sempre na minha vida Hinata? – questionou profundamente

Não era um pedido de casamento, mas sabia que queria Hinata. Queria tanto ela que não iria abrir mão da mesma por nada nesse mundo.

- Quero Sasuke

Sasuke abriu um sorriso. Queria ir a fundo. Com ele não tinha meios sentimentos era sempre por inteiro quando decidia algo. O amor que ele sentia era tão duro como a morte.

Havia mais de 2 meses que estavam se conhecendo, conheça o gosto dela por doce, soubera da morte do irmão. Sabia que ela cantava enquanto cozinhava e que era formada em Japonês com especialização em língua estrangeira.

Queria fazer uma surpresa para Hinata, queria pedi-la em namoro, mas ela sumiu. Literalmente ela tinha sumido do mapa. Não atendia o celular, não respondia as mensagens.

Estava tão nervoso achando que a mesma não o queria mais que começou a ficar preocupado. Porque não falar mais com ele? O que tinha feito de errado? Ele tentava passar todos os dois meses que tinham vivido juntos sempre que podia, mas nada, não havia nada em sua mente que explicasse esse sumiço.

Fora no serviço de Hinata, e a diretora dissera que ela nunca ia trabalhar no dia 3 de julho. Caminhou em direção ao carro. Iria na casa de Hinata, alguma coisa estava acontecendo e iria descobrir.

Pensava que ela não queria mais nada com ele, pensava que havia se cansado dele. Mas queria saber, queria ouvir ela falar. Mesmo que aquilo fosse quebrar ainda mais seu coração. Queria ouvir sua voz. Mesmo que pela ultima vez

Assim que abriu a porta, e viu seu rosto inchado, provavelmente tinha chorado, mas porque? Esse era o questionamento do moreno.

- Hime, me diz o que houve? Porque tive que ligar no seu serviço e você não estava? – estava aflito

- é hoje Sasu

Sasuke não entendeu nada então tornou a questionar

- o que tem hoje Hime, o que acontece hoje?

- era pro Neji estar aqui – disse por fim.

Assim que disse o nome entendeu o que estava acontecendo. Ele era o irmão que havia perdido. Hinata estava com seus demônios a assolando e a única coisa que poderia fazer era estar ao lado dela.

Deixou a chorar em seu colo, por horas. Colocou na cama e ficou ali velando por seu sono.

Hinata nem sabia, mas estava livrando todos os anos que se sentiu sozinho e perdido. Aquela pequena mulher tinha tanto poder sobre ele que se questionava realmente o que seria da sua vida se um dia ela decidisse sair de sua vida. Estava perdidamente apaixonado.

Cante-me uma sinfonia
Uma para os perdidos e entre
Cidade dos sonhos caídos
Cidade dos anjos

Após o pedido de casamento entre os mesmo, Sasuke decidiu mudar. Não precisava seguir as coisas a risca. Tinha dinheiro o suficiente para ser livre, para realmente ser livre. Para fazer o que amava e iria fazer isso.

Teve uma conversa com Itachi e agradeceu aos céus, porque Itachi o apoiou com seu novo sonho.

Estava montando um studio de fotografia e se orgulhou quando o mesmo pegou seu primeiro serviço para uma revista, estava tão orgulhoso de si mesmo, que era uma revista de negócios. Iria fotografar seu irmão, aquilo era até irônico, mas sabia que tinha um dedo de seu irmão no meio.

Deixara de ser tão orgulhoso com o tempo que passou com Hinata.

Haviam se casado em menos de 6 meses depois do pedido, eram tão bom poder ser realmente um com Hinata que vivia sorrindo sozinho.

Os dois viviam plenamente feliz fazendo o que amava, era tão bom, pois o tanto que aprenderam um com o outro o fizeram que fossem livrem, finalmente livres.

Cante de volta a melodia
Canção para os corações deixados nesses sonhos
Uma voz para os fora do alcance
A cidade dos anjos

Ooh

Perdidos, mas não esquecidos
Vozes para os feridos
Você pode ouvi-los chamando?

Sasuke estava nervoso, afinal o que diachos sua esposa poderia querer para faze-lo parar toda sua empresa. Suspirava, não adiantava ficar suspirando pelos cantos, porque todos os dias sua única felicidade era sua esposa.

Hinata estava o olhando tão diretamente, sem nenhuma palavra aparentemente. Aquilo era uma tortura. Realmente Hinata estava tentando tortura-lo dentro de sua própria empresa, era uma coisa sem nexo isso.

Caminhou de frente para a esposa, olhou nos olhos dela e disse.

- Hime, eu estou aqui, pro que der e vier. Me diz o que minha amada esposa conquistou dessa vez, para que eu parasse a empresa.

Hinata arregalou os olhos não queria atrapalhar o serviço dele.

- Desculpa Sasuke volto outra hora

- Não, você ficará aqui até me contar o que aconteceu 

- Certeza? – questionou

- Como a água mais cristalina que você já viu.

Hinata tomou folego

- Estou gravida - proferiu

Hinata fechou os olhos e ao abrir Sasuke estava com os olhos cheios de lagrimas.

- é serio Hinata? – questionou tentando achar uma brecha para poder soltar toda a sua alegria ali

- Somente se 3 teste de farmácias tiverem errado, e mais dois de laboratório. 

Jogou os ombros como se não fosse nada.

- PAI HINATA EU VOU SER PAI – Gritava, pegou a no colo e girava

- Para de gritar Uchiha Sasuke – repreendeu

- você quer mesmo que eu não grite com a melhor noticia da minha vida? Por mim os ventos do mundo pode ouvir. – Estava tão eufórico que nada poderia para-lo naquele momento.

Era um momento tão único que ao sair da sala todos do andar estavam batendo palma para eles.  

Hinata se escondeu atrás de Sasuke e ele sorriu.

Cante-me uma sinfonia
Uma para os perdidos e entre
Cidade dos sonhos caídos
Cidade dos anjos

Sasuke estava a horas no hospital com sua família, estava lá aguardando. Não estava preparado para ver sua mulher passar por algum tipo de cirrurgia ou algo do tipo, mas tudo bem.

Estava cansado de esperar, mas assim que ouviu o choro de seus filhos, finalmente viu sentido novamente na sua vida. Afinal, não precisava de nada mais.

Cante de volta a melodia
Canção para os corações deixados nesses sonhos
Uma voz para os fora do alcance
A cidade dos anjos

Ooh
(Cidade dos anjos)
Ooh
(Cidade dos anjos)


Notas Finais


Espero que gostem de coração. Fiz com muito carinho <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...