História City of bones (Taekook, Baekmin e Namjin) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Bleach, EXO
Personagens Baekhyun, Isshin Kurosaki, Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Masaki Kurosaki, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Baekmin, Instrumentos Mortais, Namjin, Taekook
Visualizações 46
Palavras 758
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, LGBT, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shounen, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


HELLOUS.
Minha primeira fic que vou levar a sério! !!
Dêem amor a ela♥

Agora fiquem com o cap♥

Capítulo 1 - Pandemônio


Fanfic / Fanfiction City of bones (Taekook, Baekmin e Namjin) - Capítulo 1 - Pandemônio




- você só pode estar brincando - disse o segurança, cruzando os braços sobre o peito imenso. Ele encarou de cima o garoto com a jaqueta vermelha de zíper e balançou a cabeça raspada. - Você não pode entrar com isso.

Os cerca de cinquenta adolescentes na fila da boate Pandemônio se inclinaram para frente, a fim de ouvir a conversa. A espera para entrar na boate sem restrição de idade estava longa, principalmente para um domingo, e, em geral, não acontecia nada demais nas filas. Os seguranças eram ferozes e cortavam instantaneamente qualquer um que aparentasse estar prestes a provocar confusão. Kim Taehyung, de 15 anos, na fila com seu melhor amigo, Baekhyun, se inclinou para a frente, assim como todas as outras pessoas, esperando alguma agitação.

- Ah, qual é. - O menino levantou o objeto por cima da cabeça. Parecia uma viga de madeira, com uma das pontas afiadas. - É parte da minha fantasia.

O segurança ergueu uma sobrancelha.

- Que seria de quê?

O menino sorriu. Ele parecia normal o suficiente para o Pandemônio, pensou Tae. Tinha cabelos pintados de azul que pendiam de sua cabeça como os tentáculos de um polvo assustado, mas não tinha tatuagens no rosto ou grandes piercings nas orelhas ou nos lábios.

- Sou um caçador de vampiros - disse, apertando o objeto de madeira. Dobrava com a mesma facilidade de uma folha de grama dobraria de lado.- É falsa. De borracha. Está vendo?

Os olhos grandes do menino eram verdes, excessivamente brilhantes, Tae notou: cor de grama da primavera. Lentes de contato coloridas, provavelmente. O segurança deu de ombros, repentinamente entediado.

- Tá bom...! Pode entrar.

O menino passou por ele, rápido como um raio. Tae gostou do movimento dos ombros dele, do jeito que ele mexeu o cabelo ao entrar. Existia uma palavra que a mãe dela teria usado para descrevê-lo _ despreocupado.

- Você o achou bonitinho - disse Baek, parecendo resignado. - Não achou?

Tae deu uma cotovelada nas costas dele, mas não respondeu.


~quebra de tempo~


Lá dentro, a boate estava cheia de fumaça de gelo-seco. Luzes coloridas enfeitavam a pista de dança, transformando-a em um multicolorido reino de azul, verde, rosa-shocking e dourado.

  O menino da jaqueta vermelha passou a lâmina afiada na mão, com um sorriso indolente nos lábios. Havia sido tão fácil _ algum encantamento na lâmina, para fazer com que parecesse inofensiva. Outro encanto em seus olhos e, assim que o segurança o encarou, ele entrou. Evidentemente, ele poderia ter passado sem toda comoção, mas aquilo fazia parte da diversão _ enganar os mundanos, descaradamente, na frente deles, curtir olhares vazios naqueles rostos que tanto lembravam ovelhinhas de rebanho.

  Não que os humanos não tivessem utilidade. Os olhos verdes do menino examinaram a pista de dança, onde braços vestidos em peças de seda e couro preto apareciam e desapareciam nas colunas giratórias de fumaça enquanto os mundanos dançavam. Garotas mexiam em seus cabelos longos, garotos balançavam os quadris vestidos de couro e peles nuas brilhavam com suor. Vitalidade simplesmente transbordava deles, ondas de energia que os enchiam de uma tontura inebriante. O lábio do menino se contraiu. Eles não sabiam a sorte que tinham. Desconheciam o que era prolongar a vida em um mundo morto, no qual o sol se pendurava vacilante no céu como uma brasa queimada. Tinham vidas que flamejavam tão brilhantes quanto chamas de velas _ e eram igualmente fáceis de ser apagadas.

  A mão do menino apertou a lâmina que carregava. Havia começado a adentrar a pista de dança quando uma menino surgiu da multidão de dançarinos e começou a caminhar em sua direção. Ele o encarou. Ele era lindo, para um humano _ cabelos quase exatamente da cor de tinta preta, olhos como carvão. Usava regata preta com um casaco da mesma cor, calça jeans rasgada. O garoto sorriu, passando por ele, acenando com os olhos. Ele se virou para seguir o garoto, sentindo nos lábios o doce sabor de sua morte eminente.

O menino foi até o garoto, sentindo a pele pinicar com a proximidade do garoto. De perto, ele não era tão perfeito: dava para ver o excesso de maquiagem sob os olhos. Te peguei, pensou o menino.

  Um sorriso descontraído curvou os lábios do garoto. Ele foi para o lado, estava se apoiando em uma porta fechada. ENTRADA PROIBIDA-DEPÓSITO estava escrito em tinta vermelha. O garoto entrou. Deu uma olhada para trás _ninguém estava olhando. Muito melhor se ele quisesse privacidade.

  O menino entrou na sala depois do garoto, sem perceber que estava sendo seguido.


Notas Finais


Eu gostaria e muito se vcs me falarem o que acharam¿♥

Até o próximo cap♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...