História Ciúmes - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Demon Slayer: Kimetsu no Yaiba
Personagens Inosuke Hashibira, Tanjirou Kamado
Tags Ciumes, Iky, Inosuke X Tanjiro, Inotan, Inotaniky, Kimetsuiky, One, Pwp, Tanjiro X Inosuke
Visualizações 220
Palavras 1.884
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


• Tentando melhorar minha escrita em outros meios djdjd
Agora falta treinar ação, mas ainda não tenho uma ideia de fic para isso.
Então tá aqui a segunda putaria que escrevi na vida inteira :v

• Não tava a fim de criar outra fic só pra pwp, então taquei nessa.

• Se gostar, favorite e comente!

Capítulo 2 - Extra


Tanjiro deslizou os lábios pela pele desnuda do tronco, trilhando um caminho do peitoral até o canto da boca do marido, que acabou por inevitavelmente sorrir. Inosuke afundou uma das mãos nos fios ruivos e, sorrindo divertidamente, puxou Tanjiro para um beijo de forma agressiva. O que começou calmo logo se tornou afoito e intenso e o moreno puxou com moderada força as madeixas alheias, trazendo-o junto de si para mais perto da cabeceira da cama. As costas de Inosuke bateram com força contra a madeira, causando certo barulho, mas nenhum dos dois deu importância. 

As mãos de Tanjiro apertaram a sua cintura quando se afastaram e Inosuke não demorou muito para se livrar do moletom do parceiro, jogando-o em algum canto aleatório do chão. Ele percorreu as mãos pelo torso do outro, acariciando de leve e arrancando suspiros baixos de Tanjiro. Inosuke as parou nas coxas musculosas, agarrando-as com vontade e puxando o namorado para o seu colo.

Voltaram a se beijar e Tanjiro enlaçou os braços no pescoço de Inosuke, que encaixou as suas mãos na cintura alheia com certa possessividade. Ambos gemeram arrastado quando sentiram os membros despertos se friccionarem, mesmo que por cima das roupas. Inosuke soltou os lábios de Tanjiro, por mais tentadores que fossem, e passou a distribuir beijos pelo pescoço. Tanjiro deslizou as mãos pelos ombros do moreno, indo pelas costas largas e alcançando a cintura de Inosuke, por onde brincou com a barra da calça moletom por alguns instantes. Mas a mordida impaciente que recebeu o fez rir suavemente e se apressar, se levantando um pouco para ajudar a retirar a peça, descobrindo assim a ausência de cueca.

Tanjiro posicionou suas pernas em cada um dos lados dos quadris de Inosuke, ficando um pouco levantado para se despir de sua calça com mais praticidade. Logo voltou a se sentar, suspirando baixo ao sentir o membro ereto tocar suas nádegas e arrancando um gemido de Inosuke, que logo foi calado por Tanjiro ao ter seus lábios tomados em outro beijo.

Inosuke arranhou as costas do namorado e soltou um baixo e sôfrego gemido próximo ao ouvido dele quando sentiu a mão de Tanjiro tocar seu membro sensível, arrepiando o ruivo por completo. A mão subiu e desceu em uma carícia envolvente, tirando suspiros satisfeitos de Inosuke, que ficou feliz ao receber a atenção que queria. Mas Tanjiro logo parou, rindo ao notar a expressão irritada que foi dirigida a si.

— Não assim, querido — declarou em um sussurro, arranhando de leve o peitoral de Inosuke, que suspirou. — Vamos adiantar isso.

Inosuke não questionou, já sabendo o que ele faria. Tanjiro saiu de cima de si e o moreno abriu as pernas, vendo o outro se abaixar. Seu membro teve atenção novamente, porém dessa vez era acariciado pelos lábios e a ponta da língua de Tanjiro. Quando, sem aviso, ele desceu, engolindo-o por inteiro, Inosuke teve que morder a própria mão para evitar um gemido muito alto.

A sensação quente e molhada unida à erótica visão que tinha fez Inosuke soltar um baixo rosnado e agarrar com força os fios de Tanjiro, ajudando a ditar o ritmo. A velocidade aumentou e Inosuke o puxava com cada vez mais força, sentindo seu corpo esquentar ainda mais e o suor escorrer pela sua pele. Estava prestes a ter um orgasmo quando Tanjiro parou e se levantou, tirando um gemido insatisfeito do moreno que já estava ficando impaciente. O ruivo sorriu divertidamente com isso.

— Você gosta de parar no meio, né, seu maldito?

— Você é muito impaciente. Seja um bom menino e fica caladinho, sim? — disse apenas, a voz soando melodiosamente irritante. Inosuke o observou abrir uma das gavetas do criado mudo, retirando um recipiente transparente. Tanjiro o olhou em um misto de malícia e deboche. — Ainda está insatisfeito, meu bem

— Você fala demais nos momentos que não precisa — falou, tirando o frasco das mãos dele. Tanjiro retirou a própria cueca, também jogando-a em algum canto desconhecido com as demais peças. Inosuke lambuzou os próprios dedos com o líquido antes de colocar o frasco em cima do criado mudo. — Senta.

Mas Tanjiro já havia se sentado à sua frente e aberto as pernas sem hesitar, apenas o aguardando. Para uma alguém  de modo tão inocente, era uma pessoa surpreendentemente direta em situações assim. Inosuke não desaprovava, inclusive sorriu diante de tal cena antes de penetrar o primeiro dedo, tirando um grunhido de Tanjiro. Como sempre, sentiu o dedo sendo apertado e sugado, e começou os movimento para alargar a entrada. Depois de certo tempo e à pedido do próprio Tanjiro, aumentou o ritmo e inseriu o segundo dígito. Colocou o terceiro quando sentiu que era seguro, diminuindo a velocidade ao notar a careta um tanto dolorida do namorado.

Ficaram um tempo na preparação, até que Tanjiro começou a mexer os quadris e murmurar meio impaciente para ele ir logo, puxando os fios negros da sua nuca. Inosuke obedeceu e retirou os dígitos de dentro dele, indo pegar o lubrificante para envolver o próprio membro ereto e facilitar a penetração. Quando viu que o namorado tinha terminado, Tanjiro voltou a ficar em cima dele, se apoiando nos ombros alheios e posicionando com certo cuidado o membro em sua entrada. Inosuke voltou a colar sua boca na dele, apertando a sua cintura, enquanto Tanjiro ia descendo devagar, rebolando, para alargar ainda mais a sua intimidade. Por fim, desceu por inteiro, fazendo ambos gemerem baixo contra os lábios um do outro.

Inosuke deslizou as mãos da cintura para as nádegas, apertando a carne com força, e encaixou o rosto na curvatura do pescoço de Tanjiro, sussurrando coisas indecentes. E, agarrando-se a Inosuke, o ruivo subiu o quadril lentamente com o auxílio das mãos do namorado, retirando-se quase que por completo antes de soltar o peso do corpo de uma só vez, gemidos altos escapando da boca de ambos porque atingiram tão fundo que Tanjiro sentiu as pernas amolecerem um pouco pela sensação que o percorreu e Inosuke rosnou baixo com a sensação quente que o envolveu.

Os movimentos rápidos e fundos continuaram e Tanjiro pendeu a cabeça para trás, gemendo. Inosuke suspirou e raspou os dentes em seu pescoço. Os sons se tornaram mais altos quando o moreno descobriu o ponto sensível e passou a estocar repetidas vezes nele, cada vez com mais força. Ele retirou uma das mãos da bunda de Tanjiro e passou a estimular o membro esquecido do ruivo.

Naquele sobe e desce frenético, ambos já estavam ofegantes, suados e com as mentes nubladas. Inosuke logo urrou, apertando a cintura do outro com mais força, e se desfez dentro dele. Sentindo o líquido o preenchendo, Tanjiro logo atingiu o ápice.

Inosuke se retirou de dentro do namorado, sentindo-se arrepiar com baixo gemido que ele soltou. Ele ofegou, encaixando novamente o rosto no ombro e sorriu suavemente ao sentir mãos acariciando seus fios negros, seguido de um beijo no topo de sua cabeça.

— Vamos ter que tomar banho de novo — Tanjiro murmurou. Inosuke assentiu, concordando. Eles eram o tipo de casal que, por mais cansados que estivessem após a transa, se negavam a simplesmente ir dormir de tal forma. — Banho. De verdade.

Aquilo era uma clara advertência. Inosuke riu, sentindo Tanjiro tremer com a vibração que seu riso causou contra a pele sensível de seu pescoço. 

— Semana passada você não reclamou de ter seu banho interrompido quando cavalguei em você.

Tanjiro não respondeu, apenas sorriu discretamente de um modo estranho e, antes que Inosuke pudesse raciocinar, foi jogado contra o colchão com força de forma repentina. O ruivo se inclinou sobre si, beijando-o suavemente antes de olhá-lo um sorriso divertido, apoiando-se com um braço de cada lado do rosto de Inosuke. Era sempre bom poder ver o rosto corado e ofegante, os fios escuros colados no rosto úmido. Ele sabia que era o único capaz de deixá-lo assim e gostava disso.

—  Já que vamos ter que tomar banho, melhor aproveitarmos para não necessitar de um terceiro — sussurrou Tanjiro. Ele se inclinou, quase encostando os lábios na orelha de Inosuke. — Não concorda, amor?

Inosuke sorriu, envolvendo os braços no pescoço alheio. Já podia sentir seu membro ereto outra vez, raspando contra o de Tanjiro.

— Você sabe que sim.

Tanjiro sorriu e selou os lábios nos de Inosuke, não ligando para a forma como seu cabelo era puxado e sua nuca arranhada. Concentrou o peso do corpo em um dos braços e usou o outro para pegar o frasco ao lado. Interrompeu o beijo, se sentando em cima do quadril do moreno, e então passou a lubrificar seu membro. Preferia preparar Inosuke também, mas sabia que ele era impaciente demais para esperar por isso. Por fim, guardou o frasco e voltou a se inclinar sobre o namorado.

Vendo a expressão um tanto preocupada de Tanjiro, Inosuke passou a mão de leve por um dos braços dele, em uma carícia leve e tranquila. Sabia que o namorado era do tipo que odiava muito a parte dolorida do sexo, se sentia tremendamente culpado em fazer o parceiro sentir dor.

— Ei, nem faz tanto tempo desde a última vez que fiquei por baixo — lembrou, enlaçando a cintura alheia com as suas musculosos pernas e puxando-o para perto pela nuca. — Não vai doer tanto.

Tanjiro suspirou e assentiu antes de posicionar seu membro na entrada de Inosuke, penetrando-o com cuidado. O moreno mordeu o lábio inferior e arranhou as costas largas do ruivo, apertando fortemente a cintura dele com as pernas. Quando finalmente se viu inteiramente dentro do namorado, Tanjiro passou a distribuir beijos no rosto e no pescoço de Inosuke e carícias leves em seu torso, distraindo-o da dor.

Quando Inosuke começou a mexer os quadris em movimentos circulares, indicando que já estava pronto, Tanjiro passou a se mover lentamente dentro dele. Mas o namorado, impaciente como sempre, o chamou em um gemido e murmurou para parar de lerdeza e meter forte logo. Estimulado pelo o que ouvia, passou a dar estocadas fortes e fundas, segurando as pernas do outro em seus ombros.

Os lábios voltaram a se encontrar, porém em um beijo desajeitado pela movimentação rápida e constante dos corpos. O som das peles se chocando e dos suspiros e gemidos soltos somente os deixaram mais extasiados. Quando Tanjiro passou a masturbar Inosuke, arrancando gemidos dele, mordeu o lábio com força ao sentir seu membro sendo comprimido com mais força pela entrada apertada.

Em dado momento, repentinamente Inosuke se sentiu sendo virado e posto de quatro, apenas para ser penetrado com mais intensidade depois, fazendo ambos gemerem alto. Tanjiro continuou a estimular seu membro e passou a beijar as suas costas e os seus ombros.

Se sentindo nublados pelo prazer, ambos atingiram o ápice juntos. Tanjiro retirou-se de dentro do moreno, fazendo ambos suspirarem baixo, e Inosuke sentiu as pernas moles e caiu deitado na cama. O ruivo apoiou as mãos na cabeceira, evitando cair em cima do outro.

— Banho? — perguntou com a voz já rouca.

Inosuke se ajeitou, virando-se na cama para poder olhar Tanjiro, que estava acima de si. Ele empurrou o namorado para abrir espaço e se sentou na cama, passando a mão no cabelo bagunçado e úmido. Por fim, assentiu.

— Banho.



Notas Finais


• Talvez alguém já tenha lido isso. Já digo que não é plágio, eu só adaptei um extra Todobaku de uma long minha pra Inotan, porque por algum motivo achei que combinava.
Original: https://www.spiritfanfiction.com/historia/cartas-17893800

• Não curto muito lemon, mas, por favor, mais flex nesse site!

• Outras fics de Kimetsu minha:
https://www.spiritfanfiction.com/tags/kimetsuiky

• Minhas fics de BnH:
https://www.spiritfanfiction.com/tags/bnhiky

• Minhas SnK:
https://www.spiritfanfiction.com/tags/snkiky


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...