História Claimed - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Ashley Benson, Justin Bieber
Personagens Ashley Benson, Justin Bieber
Tags Jastin
Visualizações 26
Palavras 1.257
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Self Inserction, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Capítulo Um


Fanfic / Fanfiction Claimed - Capítulo 1 - Capítulo Um

- Ei, Jade! Você se importa em fechar está noite? - Meu chefe gritou comigo, não realmente perguntando, mais como me dizendo que eu era obrigada a fechar. 

- Fecho sem nenhum problema chefe. - Falei. Ele jogou as chaves para mim, que eu peguei, assim que ele fez o seu caminho para fora de seu carro. 

 Agora era 8:15, apenas 45 minutos até eu ter que fechar... No entanto, o meu chefe já foi embora. Ninguém entra em uma loja de música às 8 horas da noite de qualquer maneira. Ele não vai saber se eu fechar um pouco mais cedo. 

Abaixei-me para pegar minha velha e degastada mochila de couro e pendurei-a sobre o ombro, fazendo meu caminho para percorrer as ruas escuras de Nova York. 

Meu velho Doc Martens arrastou pela calçada enquanto eu contornava a esquina seguinte. Eu decidi cortar o parque considerando o quintal da minha casa apoiado contra o parque. O lago do sol fez ventos duros, fazendo-me tremer e abraçar o meu casaco fino perto do meu corpo. 

Merda.

Nestas ruas de Nova York, homens gostam de garotas calmas. Bem... Estes não são caras normais. 

Eles são criminosos. 

Eu só tinha ouvido falar de garotas reclamando. Minha atitude facilmente assustada tornou fácil para mim evitar situações imprecisas. Eu normalmente pegava uma carona ou dirigia eu mesma, mas o turno dessa noite foi extremamente de última hora e eu não consegui planejar com antecedência. As árvores escuras me cercaram, parecia uma caverna sem saída. Meu batimento cardíaco foi capaz de ser ouvido em meus ouvidos, meus joelhos tremiam devido ao medo total. 

Eu joguei o meu telefone de volta na bolsa e andei mais rápido, não foi nem mesmo para a minha casa, eu apenas corri. 

Uma risada alta ecoou ao redor do meu corpo e eu dei uma olhada para trás, não vendo ninguém. Eu diminui a velocidade e comecei a andar. Antes de parar, para recuperar o fôlego. 

Bem, agora estou perdida. A floresta tinha apenas um caminho principal, considerando que havia apenas algumas casas que recuavam sobre ele. Eu tinha corrido de forma desorientada, deixando completamente o caminho para mim. 

Tirei o meu Iphone do bolso, digitando rapidamente o endereço da minha casa no GPS e tentando entrar o caminho de volta. 

- O que você está fazendo aqui sozinha a essa hora da noite? - Uma voz baixa soou do meu lado, fazendo-me gritar e largar meu telefone. 

Sem outro pensamento, tentei correr na direção oposta, mas os braços grandes e duros envolveram minha cintura, puxando-me de volta para ele. Minhas pernas tremiam e eu achei difícil ficar em pé, mas o aperto do homem era tão forte que me segurou em linha reta. 

- Eu fiz uma pergunta querida. - Ele rosnou sombriamente no meu ouvido, mordendo o lóbulo da minha orelha. 

- E-eu estava chegando em casa. - Respondi, tremendo furiosamente quando o homem apertou o meu braço. 

- Hmmmm, eu acho que você estaria melhor na minha casa. - Ele sussurrou plantando um beijo no meu pescoço. Era isso, eu estava prestes a ser reivindicada. 

- N-não. - Eu choraminguei lutando para me libertar - Me deixe em paz! - Isso não poderia estar acontecendo comigo. 

- Não fale comigo desse jeito. - Ele avisou mordendo e chupando o meu pescoço. 

- Pare! - Gritei - Alguém me ajuda!

- Cale-se! - O homem se irritou me virando para encará-lo - Nem pense em gritar de novo ou você vai se arrepender. 

Eu lentamente balancei a cabeça e ele sorriu.

- Qual é o seu nome? - Sua voz se tornou extremamente gentil e amorosa. Eu sabia que estava em uma situação terrível. 

- J-Jade. - Eu mumurrei tentando criar um espaço entre nós. 

- Jade... - Ele levantou a sombrancelha insunuando para eu continuar. 

- Jade Hayes Gomez. Apenas me deixe em paz por favor. 

- Por que eu faria isso? - Ele fez uma pausa inclinando-se para que sua respiração se alastrasse sobre os meus lábios - Você ê minha?

Minha respiração engatou enquanto eu lutava em seus braços. 

- Eu chamarei os policiais, eu juro que vou! - Meus pais não descansariam até que ele fosse encontrado. 

- O que eles vão fazer, baby? - Ele sorriu, arrastando as mãos para a minha calça jeans e engachando os dedos nas alças do cinto. Ele me puxou de volta em seu peito antes de agarrar meu braço com força em sua grande mão, me arrastando. 

Como eu poderia ser tão descuidada? Permitindo-me andar por um parque escuro e abandonado tão tarde? Os anos que desperdicei por causa de uma decisão estúpida de tomar um caminho mais rápido para casa. Lágrimas quentes e úmidas escorriam pelo meu rosto enquanto minha vida passava diante dos meus olhos enquanto o homem continuava a me arrastar rudemente. Toda vez que eu tentava escapar de suas mãos, ele rosnava e segurava com mais força. Eu já podia sentir a minha pele machucada pela pressão de suas mãos. 

Quando ele olhou para mim, eu finalmente dei uma boa olhada em seu rosto. Ele tinha cabelos castanhos claros curtos colocados em um topete e os olhos castanhos. Ele tinha tatuagens em todos os lugares e alguns piercings. 

Após cerca de dois minutos, finalmente chegamos ao seu carro e ele me empurrou para o lado. 

- Você é tão preciosa. - Ele sussurrou lambendo seus lábios extremamente lentos - Ainda bem que você é minha agora. Como eu deixei você viver sem mim por tanto tempo? - Essa afirmação era inevitável, ele era implacável e eu poderia dizer por sua aura que ele não era do tipo que desiste. 

Fechei meus olhos quando ele empurrou seu corpo contra o meu, envolvendo seus braços em volta de mim. 

- Quem você pertence Jade? - Ele perguntou, apertando seus quadris contra o meu. 

- Eu não pertenço a ninguém. - Eu cuspi empurrando o seu peito. Eu sabia que não deveria ter feito isso, mas minha atitude ignorante me impediu de ceder a alguém. Seus olhos ficaram sombrios de raiva, fazendo meu estômago revirar de medo. 

- Não me deixe com raiva querida. - Ele sussurrou balançando a cabeça - Agora, eu vou perguntar uma última vez, a quem você pertence?

- Eu nem sei o seu nome. - Eu comentei, internamente me socando no rosto por ser tão rude novamente. Eu estava apenas pedindo para ser morta. 

- Justin, Justin Drew Bieber. 

Eu ofeguei, esse cara esteve em todos os noticiários por assassinatos, incêndios de prédios, brigas de gangues e muito mais. Ele era perigoso e eu era apenas uma adolescente fraca. Engoli a seco. 

- Seu Justin, eu sou seu. - Ele disse novamente. Percebi que era melhor obedecê-lo e não alimentar mais a sua raiva. O meu pulso estava doendo de dor e o meu peito queimava pelas lágrimas. Eu só queria que a dor fosse embora. 

- Porra, sim você é. - Falei. Ele concordou antes de me empurrar em seu carro. 

O caminho para a casa dele foi silencioso. De repente, fizemos uma curva acentuada á esquerda em um caminho de terra irregular. Eu nunca tinha visto esse caminho e eu poderia dizer que levou a uma área extremamente isolada. 

- Para onde estamos indo? - Eu perguntei baixinho, fazendo com que ele olhasse para mim. 

- Minha casa. - Eu abri a boca para falar, mas ele me interrompeu - Ou devo dizer nossa casa agora, Jade querida. - Ele fez uma pausa, olhando para mim - Nunca irá me deixar. 






Notas Finais


PRIMEIROO CAPÍTULO ❤ Espero que vocês tenham gostado. Me digam o que acharam do primeiro cap.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...