História Clandestina. - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Chiyo, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hanabi Hyuuga, Hinata Hyuuga, Hyuuga Hiashi, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Izumi Uchiha, Juugo, Kakashi Hatake, Karin, Kiba Inuzuka, Konohamaru, Naruto Uzumaki, Obito Uchiha (Tobi), Personagens Originais, Sai, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Shion, Temari, TenTen Mitsashi, Yamato, Zabuza Momochi
Tags Amizade, Corrida Clandestina, Família, Gaaino, Hinata, Naruhina, Naruto, Prostituição, Sasusaku, Shikatema, Tokyo
Visualizações 103
Palavras 3.121
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Cheguei com mais um capítulo pra vocês ❤
To aproveitando essa bela sexta feira cheia de criatividade 😆

Boa leitura!

Capítulo 7 - Capítulo 7.


Naruto passou o resto da madrugada acordado, sua casa estava em pleno silêncio, podia dormir até mais tarde, mas não conseguia pregar os olhos. A preocupação com Hinata era enorme, queria saber o que de fato aconteceu com o carro dela.

Olhou no celular, já eram 6 da manhã, e nada do sono vir, resolveu se levantar e ir tomar um banho gelado, encostou as mãos na parede olhando para o chão, a água batendo nos cabelos o deixando arrepiado.

Assim que saiu, vestiu apenas uma bermuda e foi para a cozinha preparar algo para comer, um café forte e torradas com geleia era o bastante, porém, ficou encarando o café na xicara sem nem mesmo piscar, até ouvir Konohamaru o chamar.

- NARUTO ACORDA – gritou.

- Hm – Naruto levantou os olhos para o irmão.

Konohamaru e a Senhora Chiyo, que cuidava dos dois, estavam de pé em frente a ele com os braços cruzados e o olhar confuso.

- Cara, te chamei várias vezes e você não me ouviu, tava pensando em que? – Konohamaru perguntou.

- Nada, nada demais.

- Mentiroso, eu te conheço muito bem, você tava com aquele olhar preocupado.

Naruto suspirou e bebericou o café antes de responder.

- Tivemos um acidente feio ontem na corrida, uma amiga nossa bateu o carro bruscamente, mas não foi culpa dela, alguém o sabotou.

O loiro se encostou na cadeira, Chiyo se sentou ao lado e Konohamaru à sua frente.

- Sei – Chiyo disse – E você está preocupado com ela, ou com o carro?

Naruto olhou para ela, que mantinha uma sobrancelha erguida esperando resposta.

- Que pergunta óbvia Chiyo, lógico que com ela, o carro tem concerto, mas ela podia ter morrido.

- Querido – Chiyo segurou uma das mãos do loiro – Por esses dias você tem sonhado acordado, eu vejo isso, não tem mais aparecido ‘’ mulheres’’ – ela fez aspas com as mãos – aqui depois da corrida com você, essa moça tem algo a ver?

- Não consigo te esconder nada né vovó? – Naruto sorriu e olhou para baixo, Chiyo negou com a cabeça – Sim, ela tem muita a coisa a ver com a minha mudança – riu – Mas não sei dizer o que.

- Pra de ser idiota – Konohamaru interviu – Voce está apaixonado mano, eu não sei como é a moça, e to muito curioso sobre ela mas, você nunca ficou tão besta assim ao falar de mulher.

Naruto começou a rir do modo que o caçula o respondeu, Chiyo apenas balançava a cabeça, esses dois eram sempre assim.

- Termina seu café pirralho, você tem aula.

- Poxa, hoje é sexta, podia me deixar ficar em casa.

- Nem pensar, você vai hoje sim.

- A Naruto, deixe ele comigo só hoje, Konohamaru tem ido tão bem na escola, sem reclamações, o melhor da turma, de um bônus a ele – Chiyo pediu

Naruto olhou sério pro irmão que estava com a cara de cão arrependido a ele com um sorrisinho, suspirou e lhe deu a sentença.

- Tá, tudo bem, mas assim que eu voltar tenho um trabalho pra você.

- Isso não vale.

- Te pago pelo serviço.

- O que é? – Konohamaru era comprado muito fácil pelo mais velho.

- Vai ter que lavar meu carro, e bem lavadinho.

Konohamaru abriu a boca desacreditado, Naruto nunca deixou ninguém relar no seu carro, e pedir pro caçula o lavar foi inesperado.

- É – ele começou a dizer rindo – Essa moça, seja lá quem for, sequestrou o verdadeiro Naruto e nos deu um bonzinho, já gostei dela.

- A cala boca pivete, eu preciso ir, na hora do almoço eu estou de volta.

Naruto se levantou da mesa dando um beijo no rosto de Chiyo e subiu de volta a seu quarto, vestiu uma camisa azul, tênis, passou seu perfume amadeirado e desceu novamente, com as chaves do carro em mãos.

- Até mais tarde – gritou ele já perto da porta.

- Até querido, tome cuidado.

Abriu o portão da garagem, entrando no carro, respirou fundo e o ligou saindo de casa com pressa.

Alguns minutos depois chegou ao HM, foi direto a recepção perguntando se podia subir para ver Hinata, a recepcionista lhe deu um crachá e ele subiu.

No corredor, deu de cara com Izumi conversando com Ino e Sakura, as três viram o loiro se aproximar.

- Bom dia meninas.

- Bom dia – respondeu as três – Chegou cedo – Izumi lhe disse com um sorriso sacana.

Naruto apenas ergueu os ombros com um sorrisinho de lado.

- Ela está acordada? – ele perguntou.

- Está, pode entrar lá apressadinho, eu vou pedir pro enfermeiro trazer o café da manhã dela – Izumi saiu deixando os três ali.

Ino e Sakura cruzaram o braço encarando o loiro, Naruto olhou para as duas confuso.

- Que foi? – perguntou.

- Não seja idiota – Ino lhe deu um tapa no braço – Achei que iria demorar mais, mas olha só testuda, erramos os cálculos – Ino olhou para uma Sakura sorridente.

- Estão falando do que? – Naruto era inocente demais nesse assunto.

- Sobre você e a Hina baka – Saky respondeu – Você gosta dela, digo, um gostar diferente do gostar de amigos.

Naruto coçou a cabeça tentando entender o raciocínio das duas, logo de manhã, o irmão e Chiyo veio com esse assunto, agora elas?

- Quando eu descobrir o que é de verdade, eu conto a vocês, mas agora eu preciso ver a Hina.

Sem nem mesmo as duas dizer algo, Naruto continuou a andar apressado pelo corredor indo até o quarto de Hinata, parou em frente ao mesmo, e bateu devagar, sabia que Hinata estava fraca para falar ainda, então com cuidado abriu a porta.

Olhou para a cama dela a viu dormindo, devia estar exausta com tanto medicamento e exames para fazer, fechou a porta sem fazer barulho e se aproximou da cama. Com delicadeza, ele acariciou o rosto dela e sorriu, Hinata era linda aos seus olhos, a pele clara e macia, ao lábios carnudos, até a formula como respirava o encantava.

Hinata abriu os olhos devagar o encarando, o loiro estava ao seu lado a encarando.

- Oi – disse ele.

Hinata apernas sorriu como resposta por vê-lo ali, suspirou e num sussurro o cumprimentou.

- Oi – sorriu.

- Não queria te acordar, só vim ver como estava, como se sente?

- Bem, com um pouco de dores ainda, mas viva.

Ambos riram, Naruto se sentou na cadeira do lado e segurou na mão livre dela, estava diferente da noite anterior, estava quente.

- Você não dormiu é? – perguntou ela, Naruto a olhou confuso – Está com um olhar cansado.

- Não consegui dormir, fiquei preocupado a madrugada toda.

- Não devia, eu estou bem, logo estou na ativa de novo.

Naruto sorriu anasalado, um enfermeiro entrou no quarto de Hinata com um carrinho.

- Senhorita Hyuuga, lhe trouxe seu café da manhã, depois de tanto exame precisa se alimentar.

Ele deixou o carrinho no pé da cama, levou uma bandeja até ela e ergueu mais o encosto da cama a deixando sentada, colocou algumas coisas na bandeja, pediu licença e saiu.

Tinha suco e laranja sem açúcar, salada de frutas, torradas com mel e um chá branco.

- Quer ajuda? – Naruto perguntou.

- Na verdade é muita coisa – riu olhando pra bandeja – Não vou conseguir comer tudo isso.

- Coma pelo menos as frutas e tome o chá, vai te fazer bem.

Ele se levantou tirando os demais da bandeja e colocando em uma mesinha ao lado, colocou o potinho com as frutas mais perto dela, com cuidado, Hinata começou a comer.

Naruto a observava, ela comia devagar, e ria ao mesmo tempo, ele ficou curioso a isso.

- O que foi? – ele perguntou.

- Nunca imaginaria quem alguém tentasse contra a minha vida – disse ela mexendo nas frutas – Tenho até medo de tentarem de novo.

Naruto ficou sério, olhou para as mãos dela tremendo, havia um nó na garganta de Hinata, e parecia que a ficha sobre o ‘’acidente’’ tinha caído agora, ela começou a chorar.

- Ei – Naruto se levantou tirando a bandeja do colo dela se sentando na cama ao seu lado, o loiro segurou em sua mão e limpou a lágrima – Isso não vai acontecer Hina, você vai ficar bem, e vamos achar quem tentou te matar, sobre isso, não vão sair impunes.

Hinata olhava para baixo, por mais que fez piada sobre a sua quase morte, por dentro estava com medo, medo de tentar ser assassinada de novo, de passar o resto da vida sendo perseguida, ou de alguém se machucar por causa dela.

Respirou fundo, ergueu os olhos encarando as safiras de Naruto a olhando, não sabia explicar, mas tendo ele ao seu lado, se sentia segura, nunca entendeu nada sobre sentimentos, mas via algo no olhar dele que a despertava, que a deixava mais leve.

- Vai ficar tudo bem – disse lhe dando um beijo na mão e sorrindo a seguir – Fique tranquila.

Hinata concordou com a cabeça e lhe deu um sorriso fraco, Naruto pegou a sala de frutas para ela terminar de comer, adoçou o chá e ela o tomou todo.

- Está com sono né? – ela o perguntou.

- Um pouco, não se preocupe.

Hinata encostou a cabeça na cama e deu um tapinha no seu colo, Naruto ergueu a sobrancelha a encarando, ela sorriu com essa confusão dele, ergueu a mão acariciando seu rosto e deitou a cabeça dele no seu colo.

- Descanse um pouco, não pode dirigir cansado.

Naruto encarava os olhos perolados dela e sorriu, Hinata fazia cafuné nos cabelos dele, o mesmo se sentia tão bem ali, e por conta de tanto sono, acabou dormindo.

Hinata ouviu alguém bater na porta e olhou para ela vendo Temari entrando com Shikamaru e Obito.

- Oi amiga – disse ela.

- Shiii – disse ela olhando apontando para baixo com os olhos.

Temari olhou no colo de Hinata vendo Naruto deitado sobre ele, era nítido sua respiração pesada.

- Ele dormiu aqui? – Shikamaru perguntou.

- Não, ele chegou tem alguns minutos, não dormiu a madrugada toda, deixe ele aqui.

Temari balançou a cabeça olhando pro amigo, foi pelo outro lado da cama e deu um beijo na cabeça de Hina, olhou para a porta e apresentou Obito a ela.

- Hina, esse é Obito Uchiha, Itachi pediu para ele investigar o acidente, ele precisa pegar alguns informações com você, tudo bem?

Hinata concordou com a cabeça, Obito se aproximou com a caderneta em mãos.

- Como se sente Hinata? – perguntou ele.

- Bem, com um pouco de dores, mas melhor que ontem.

- Preciso saber exatamente o que houve ontem à noite.

Hinata o contou tudo, sobre as ameaças, os bilhetes de Shion, sobre o carro que saiu do beco, até dizer sobre os freios que não funcionaram.

- Eu não entendo, eu fui com o carro pra pista sem problemas com nada, o freio estava funcionando normalmente, mas na corrida ele falhou, o carro só parou quando bateu no murinho de concreto que tinha ali bloqueando o resto da rua, acho que eu só não voei para fora do carro porque estava com o cinto de segurança.

- Bom, seu carro está passando por uma perícia, dentro de três dias vamos saber o que fizeram, mas obviamente já temos nossa suspeita, parece que danificaram os cabos do freio e cortaram o fio que aciona o airbag em caso de batida.

- Já acharam digitais ou outra coisa? – Temari perguntou.

- Ainda não sei, não fui ao DP hoje, mas levarei o depoimento da Hinata para lá, aproveito para saber mais a fundo sobre o carro e aviso vocês, por enquanto, peço a todos que não a deixem sozinha, quem tentou matar ela, vai querer tentar de novo.

- Contra isso temos uma equipe imensa para cuidar – Shikamaru contou – Estão todos preocupados com a Hina, mesmo a conhecendo em tão pouco tempo.

- Somos a família dela agora Obito – Temari continuou – Não vamos sossegar até isso se resolver.

- Bom, então ficamos assim, em qualquer hora se precisarem de algo podem me ligar ou liguem no DP para me chamar, quando tiver novidade sobre o caso vamos entrar em contato com vocês.

- Obrigado Obito – Hina o agradeceu.

- Não há de que – ele a respondeu educadamente – Preciso ir, cuidem-se.

Obito saiu do quarto e foi para o DP.

- Bom, eu vou na empresa ver como estão as coisas e avisar meu pai que você está bem.

- Tema, vocês não ligaram para meu pai ne? – Hina perguntou preocupada.

- Não – disse ela – Creio que ele vai ficar falando merda sobre isso, pedi ao meu pai para também não contar, o bom que meu velho entende sobre isso e disse que não vai dizer nada sem a sua permissão.

- Melhor assim, ele vai acabar me julgando por isso, vai dizer que a culpa é minha e me mandar se virar, melhor que não fique sabendo mesmo.

Temari concordou, olhou para baixo vendo o amigo que ainda dormia.

- Caramba, ele tem um sono pesado.

Hinata olhou para Naruto em seu colo que nem se quer mexia, sorriu balançando a cabeça, ele parecia uma criança no colo da mãe.

- Bom, vamos indo Tema, precisamos resolver muita coisa ainda hoje – Shikamaru disse.

- Tudo bem, mais tarde os meninos disseram que vão vir te ver, Kakashi e Zabuza também, estão muito preocupados.

- Eu vou esperar.

Shikamaru e Temari se despediram de Hina e saíram do quarto, Hinata olhou para o loiro novamente, ele estava pleno, dormia pesado, suspirava de vez em quando e apertava a mão dela, como se quisesse saber se ela ainda estava ali.

Duas horas depois, o loiro acordou assustado, olhou para cima vendo que Hinata acabou dormindo também, ficou reto na cadeira estralando das costas, passou a mão livre no rosto e notou que Hinata ainda segurava a outra.

Olhou no relógio de pulso, eram quase meio dia, bocejou e se levantou, precisa ir em casa, se curvou sobre a cama dando um beijo delicado na testa de Hinata segurando em seu rosto, acariciou a maçã de seu rosto e sorriu, a cobriu mais e saiu do quarto.

Na recepção, entregou o crachá, e antes de sair, Izumi o chamou.

- Naruto, pera ai.

Ele olhou para trás vendo a morena se aproximar.

- Oi Izumi.

- Bom, a Tema esteve aqui, mas eu estava lá em cima e quando desci para falar com ela, ela já tinha ido.

- Sim, ela veio trazer o Obito pra falar com a Hina.

- Eu precisava informar a ela que amanhã a Hina poderá ter alta, graças a Deus ela não tem sequela nenhuma na cabeça, só vai precisar ter repouso absoluto e tomar as medicações nos horários corretos.

- Eu falo com ela, ela deve estar na empresa, mas eu ligo e a aviso.

- Obrigada – Izumi agradeceu e logo a chamaram pelo alto falante na sala de emergência.

A morena correu até lá e Naruto saiu do HM.

Em casa, chegou mais alerta, dormir no colo de Hinata lhe fez mais bem do que pensava.

- Cheguei – disse ele alto.

- Oi querido – Chiyo o recepcionou – E a moça como está?

Naruto a olhou espantado, como ela sabia que ele foi ao hospital?

- Está bem – a respondeu – Terá alta amanhã.

- Graças a Deus, o almoço está quase pronto, seu irmão esta lá em cima jogando, já o chame.

Naruto subiu as escadas correndo, no corredor, andou na ponta dos pés até o quarto do irmão, a porta estava aberta e o pirralho estava sentado no chão com o controle em mãos jogando game de luta.

Naruto chegou por trás do caçula o assustando.

- PIRRALHO – gritou.

Com o susto, Konohamaru acabou se desconcentrando e perdendo o jogo, Naruto começou a rir.

- A NARUTO, VOCÊ ME FEZ PERDER.

- Fiz nada, você que não sabe jogar, vai sai pra lá.

Naruto se sentou no chão ao lado do irmão ligando o outro controle, colocou pra jogar um contra o outro iniciou a partida.

Chiyo subiu para chama-los, quando viu aquela cena, dos irmãos juntos em uma distração, se lembrou quando eram mais novos, Naruto sempre teve cuidado com Konohamaru, o pequeno antes se sentia culpado por ambos não terem os pais, mas Naruto explicou que foi culpa de um assaltante, não dele.

O mais velho vivia por ele, fazia de tudo para ver o caçula bem.

- AAAAAH GANHEI – Naruto gritou rindo.

- Você é mais experiente que eu, isso não vale – Konohamaru cruzou os braços bravo.

A gritaria tirou Chiyo de seus pensamentos.

- Que nada pivete, você que é ruim mesmo.

Naruto ria da carranca que o irmão fazia, até ver Chiyo na porta os olhando.

- O almoço está pronto, vão lavar as mãos – disse ela e desceu.

Os dois fizeram o que ela pediu e desceram para a cozinha.

Após o almoço, Naruto ligou para Temari para avisar sobre a alta da Hina.

- Fala baka – disse ela.

- Que carinhosa você Temari – riu – A Izumi pediu para te avisar que a Hina terá alta amanhã, como ela não tem nenhuma sequela grave, ela só precisa de repouso e cuidados.

- Sério? Ai que ótimo Naruto, o foda vai ser levar ela pra casa.

- Por que?

- Shikamaru vai precisar ir até Kyoto amanhã resolver algumas coisas da família dele, eu ainda to sem meu carro e o pessoal trabalha.

Naruto torceu o bico, até ter uma ideia.

- Posso busca-la então, nos encontramos no hospital e levamos ela para casa.

- Pode ser, que horas ela terá alta?

- Ela não me disse, eu ligo lá pra perguntar e te falo.

- Tudo bem então, até mais.

- Até Tema.

Encerraram a chamada, e Naruto sentiu os olhares de Konohamaru e Chiyo sobre ele, olhou para a frente e viu os dois o encarando.

- Que é? – ele perguntou.

- Ora nada, só estamos vendo o quão xonadinho está pela Hina – Konohamaru disse rindo da cara do irmão.

- Você não tinha que lavar meu carro? – o loiro cruzou os braços encarando o irmãozinho.

Konohamaru arregalou os olhos e correu até o lado de fora para fazer o que ele pediu, Naruto riu do caçula balançando a cabeça.

- Eu vou ajudar ele.

Chiyo olhou para Naruto com um sorriso de lado e voltou para a cozinha, ele tirou o tênis ficando descalço e a camisa, foi para o lado de fora da casa ajudar o pirralho.

Konohamaru estava encaixando a mangueira na torneira, Naruto pegou os produtos que usava no carro e deixou tudo perto, aproveitaria esse tempo com o irmão e que estava um belo sol lá fora.


Notas Finais


Adoro esse amor de irmão ❤

Espero que tenham gostado do capítulo, e ainda hoje tem mais uns dois pra adiantar!!

Aguardem, beijos!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...