1. Spirit Fanfics >
  2. Classic l noart. >
  3. A solidão é o melhor remédio.

História Classic l noart. - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


I just wanna feel something, I just wanna feel.

Capítulo 6 - A solidão é o melhor remédio.


Fanfic / Fanfiction Classic l noart. - Capítulo 6 - A solidão é o melhor remédio.


Deinert.


Tem alguma suspeita? — Any pergunta, enquanto caminho de um lado para o outro em meu quarto.


Achei que fosse o time de futebol, pregando alguma peça. — Eu digo, vendo minha melhor amiga pela tela do meu computador.


Não acho que seja o time de futebol. — Bailey da de ombros, fazendo Any revirar os olhos. — Se fosse uma pegadinha, você iria saber. — Ele diz, me fazendo assentir.


Você tem que ficar aqui? Não precisa treinar o time de futebol? — A cacheada questiona, me fazendo rir.


Ele é do squad, Soares. — Joalin responde, lixando suas unhas.


Afiada como uma faca, Solim. — Bailey responde, e Any o lança um dedo do meio.


Da pra parar? — Diarra pergunta, revirando os olhos. — Vocês são tão insuportáveis que fizeram a Preciosa ir embora! — Ela exclama, saindo da chamada em grupo.


E se for Roseanne Park? Ela é cheia de "o mundo é lindo! As pessoas são rosas! E eu sou tão tapada e infantil!". — Any imita a voz de Rosé, me fazendo rir.


Você é boa em ser má, Moana. — Krystian diz, passando argila em seu rosto.


Ela é arrogante, isso sim. — Bailey diz, e Any revira os olhos.


Não aja como se fosse um alecrim do campo que nasceu sem ser semeado! Você é o pior de todos nós. — Any diz, fazendo Loukamaa revirar os olhos.


A mas olha aqui sua... — Bailey começa, mas é cortado por sua namorada.


Chega! Eu não aguento mais a briguinha fodida dos dois! — Joalin diz, saindo da chamada em grupo.


Viu? Agora a Joalin saiu da chamada! — Krystian joga lenha na fogueira, e Hina revira os olhos.


Calado, Wang! — Any, Hina, e Bailey exclamam ao mesmo tempo.


Acho que deveria ler a primeira carta novamente, Si. — Lisa diz, mas é impossível ouvi-los, já que gritam todos ao mesmo tempo.


CALADOS! — Eu grito, e todos me encaram. — Fizeram eu perder a paciência, satisfeitos? Quem não ajuda, não atrapalha! — Exclamo, fechando meu notebook com força.


Por que ninguém consegue me ajudar?


— Josh, você não queria suc... — Noah abre a porta de meu quarto, e eu limpo duas lágrimas que caíram.


Quando estou com raiva, eu choro.


— Opa, quarto errado. — Ele sorri sem graça, coçando a nuca. — Desc... — Eu o corto.


— Você tem muitos amigos? — Pergunto, o puxando para entrar em meu quarto.


— Seu irmão, Sabina, e a Shivani. Um total de três amigos. — Ele diz, me fazendo rir. — Sem falar que não sei se posso considerar Rosé Park uma amiga. — Ele dá de ombros, me fazendo sorrir.


— Então não sabe quando um odeia o outro, não é? — Pergunto, fechando a porta do quarto, e me escorando na mesma.


— Na verdade, eu sei sim. — Da de ombros, fitando a minha cama.


— Pode sentar. — Eu digo, e ele assente, sentando na cama. — Bailey e Any nunca se gostaram, só que Any é minha melhor amiga, e Bailey é um dos meus melhores amigos, namorado da minha outra melhor amiga. — Dou de ombros, caminhando até ele. — Que amigos seus que se odeiam? — Pergunto, fitando os olhos verdes mais bonitos que já vi.


— Josh odeia Sabina, e Sabina odeia Josh. — Ele diz, e eu rio. — Por que se importa tanto se eles odeiam um ao outro? — Ele pergunta, me oferecendo o copo de suco que está em suas mãos, me fazendo franzir o cenho. — É meu. — Da de ombros, e eu pego o copo de suas mãos.


— São meus amigos, eu não deveria me importar? — Pergunto, bebericando o suco. — Quem fez esse suco? — Eu pergunto, umedecendo os lábios.


— Claro que deve se importar, mas não acha que se importa demais? — Ele pergunta, levantando. — Fui eu. — Ele dá de ombros, se aproximando de mim.


— Você é um enigma. — Eu digo, tomando mais um gole do suco. — Bom suco, Urrea. — Sorrio para o moreno, que pisca duas vezes.


— Vou ver se seu irmão está precisando de algo. — Ele diz, me fazendo rir. 


— Você inventa desculpas melhores, confie no seu potencial. — Eu dou dois tapinhas no peito dele, o entregando o copo. — Tchau. — Beijo sua bochecha, e ele sorri, levando a mão a bochecha.


— Tchau. — Ele diz, caminhando de costas até a porta, batendo na mesma, me fazendo rir.


— Aí ai esse Urrea. — Eu sussurro, vendo a porta se fechar.


VOCÊ GOSTA DELE! — O grito de Lisa invade meu quarto, e eu corro até o computador. — Sim, vadia, eu fui a única que não fui desconectada! Obrigada senhor! Eu sei que tu me sondas! — Ela diz, batendo palminhas. — E Sina Deinert volta novamente a comer na palma da minha mão. — Ela solta um sorriso malicioso, me fazendo revira os olhos. — Vou dormir na sua casa hoje, beijos. — Ela encerra a ligação, e uma pontinha de felicidade me invade.


A primeira vez que converso com Urrea, e ele não corre de mim.


Será um avanço?



Notas Finais


essa fanfic é tão ruim.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...