História Clímax (Drinny - DG) - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Draco Malfoy, Gina Weasley
Tags Draco, Drinny, Gina
Visualizações 126
Palavras 2.333
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Atendendo a pedidos...

No ministério da Magia. 😉

Capítulo 8 - O Chefe


Fanfic / Fanfiction Clímax (Drinny - DG) - Capítulo 8 - O Chefe



_Festa chata do inferno. – a ruiva falava pra si mesma ao entrar no escritório qualquer e fechar a porta.


Ela só queria ficar sozinha. Já não aguentava mais ver todos bajulando Harry e a esposa sueca dele. Fazia quatro anos que a guerra havia acabado. Eles haviam namorado. Ele lhe deu um fora e sumiu no mundo alegando que não a faria feliz. Ela ainda se lembrava do tamanho do ódio que sentira dele por muito tempo. Hoje, ela era uma Auror competente. Trabalhava no Departamento de Cumprimento das Leis da Magia, no Ministério. Tinha um grande escritório, dividido entre mais quatro aurores e o chefe do departamento: Draco Malfoy. Sim, o loiro havia se tornado um brilhante agente duplo e agora era o chefe dela.


Pouco se sabia da vida pessoal do jovem Malfoy. Apenas que ele não mais namorava a estonteante Astoria Greengrass. O motivo do término? Ninguém sabia. E pra ela não era importante também. Ela não tinha nada a ver com a vida pessoal de ninguém, muito menos com a do chefe. Ela virava o conteúdo de seu copo de Firewhisky de forma feroz, bebendo tudo de uma única vez. Ansiava por mais. Muito mais. Ela queria beber até esquecer. Esquecer que era obrigada a estar a menos de 100 m de distância de Harry Potter. Ela o odiava, fatalmente. Estava absorta em pensamentos quando ouviu a porta de abrir e as vozes que causavam a balbúrdia lá fora se tornarem mais claras e altas.


_Enfim, te achei -o loiro falou rapidamente trancando a porta atrás de si- o que está fazendo aqui?


_Me escondendo. Não é óbvio! – ela falou pouco se importando com sua dignidade.


_Tá. Toma. – ele falou aproximando-se dela com uma garrafa cheia de Firewhisky- acho que você está precisando mais do que eu.


_Saúde! -ela respondeu sarcástica levando a garrafa até a boca e bebendo um grande gole.- toma, divide comigo já que está aqui.


_Não vou negar que estou precisando de uns goles também. -o loiro falou pegando a garrafa dela é sentando-se no grande sofá de couro da sala. – argh! Que maravilha! -disse após uma golada na garrafa. Gina riu.


_Pela sua cara não tá tão bom assim não...- ela ria abertamente da cara dele sentando-se na mesa. De frente pra ele.


Ele ergueu uma sobrancelha, observando-a enquanto enchia o copo dela, esticado pela mesma. O vestido subindo perigosamente, o decote do tecido mole abrindo cada vez mais. Ele engoliu em seco ao perceber que ela estava sem sutiã. Desviou o olhar pra seus olhos e voltou a encostar no sofá, bebendo um grande gole da bebida forte. Sentiu um súbito calor no rosto e afroxou a gravata. Retirou o paletó em seguida e percebeu o olhar minucioso da ruiva a sua frente.


_O que foi? – ele perguntou inquieto. O olhar dela perfurando seu corpo.


_Tá fazendo um strip pra mim? – ela perguntou curiosa.


_O quê? – Draco perguntou estupefato. – acho que você já bebeu demais, ruiva.


_Nah... Claro que não está. -ela comentou para si mesma, levantando-se da mesa e caminhando até ele, no sofá.


Ela passou as pernas nas laterais do corpo de Draco, que ficou imóvel e surpreso. Mas antes que ela se sentasse completamente no colo dele, ela esticou o braço, roçando os bicos dos peitos no peitoral do loiro, e pegou a garrafa de Firewhisky na mesinha ao lado. O loiro engoliu em seco ao vê-la sair de cima de si e senta-se ao seu lado, jogando as longas e bonitas pernas em seu colo.


_Se estivesse eu saberia. – ela comentou bebendo um gole da bebida âmbar. -agora me diz, o que é que você não gostou de ver na festa ?


_Acho que a mesma coisa que você, ruiva.- ele respondeu pousando as mãos nas panturrilhas dela, massageando o local levemente.


_Sabia que você tinha uma queda pelo Harry! – ela exclamou triunfante. 


Draco gargalhou.


_Voce já está bêbada, sabia? Delirante e tudo... – falou rindo mais baixo -agora sério. Não sei pra que tanto estardalhaço por causa dele. O fim da Guerra foi um esforço em conjunto, sabia?


_Eu sei bem o que você fez, Draco. – ela o chamava pelo nome de batismo, pela primeira vez na vida, curiosamente não achando estranho- e me orgulho de você.


_Puxa obrigado. Alguém pelo menos.- ele disse numa careta, resmungando algo que ela não entendeu. Ele bebeu outro gole antes de falar mais alto dessa vez- eu ainda não sei o que o possuiu para trocar você por outra. Sinceramente, o Potter é um idiota.


_Nisso concordamos.- ela falou tomando a garrafa dele novamente.


Após alguns goles eles estavam em um silêncio irritantemente constrangedor. Gina resolveu quebrar o gelo anunciando uma lista.


_Entao, Draco... Top 5!


_O que é isso?


_Ah, fala sério. – ela o encarou incrédula – vai dizer que você não tem uma lista?


_Lista ? De quê? – ele perguntou ajeitando-se no sofá. De frente pra ela agora. As mãos ainda segurando as pernas da ruiva, possessivamente.


_Ah, você sabe. Das melhores mulheres que já teve. -ela explicava pacientemente - Bom, eu começo. Quinto Lugar: Michael Corner.


_O Corvinal metido a besta ? – Draco se espantou – espera! Você e ele...?


_Foi minha primeira vez. – ela falou sem nem ao menos corar, culpa da bebida.- e foi uma merda! – ela falou rindo loucamente arrancando uma risada do loiro.- Agora você.


_Tá. Entendi como funciona. Deixa eu pensar aqui...- ele se concentrou por alguns segundos – Lucy Thompson.


_Nunca nem vi...- a ruiva comentou dando e ombros.


_Era uma Lufana. Gostosa, mas insossa toda vida. Beijava de boca aberta e sem língua. Um estrago... – ele falou rindo.- sua vez.


_Ok... Em quarto lugar: Téo Bolt. Da Corvinal também.


_Acho que você gosta dos inteligentes...


_Na verdade, só dos interessantes. – ela falou rapidamente emendando- mas sem preconceitos com outras casas.


_Tá e qual o problema desse?


_Oh, nenhum. Ele era bom, na verdade. Mas...


_Mas...


_Um pouco egoísta. Se é que me entende. -ela falou levantando a sobrancelha e apontando Draco com a garrafa. Ele assentiu, entendendo o que ela dizia.


_Minha vez agora... Em quarto lugar, Emília Bulstrode.


_A mulher era quase do tamanho de um trasgo! -Gina assustou-se, rindo feito uma maniaca- sério Draco. Eu admiro sua coragem.


_Em minha defesa eu estava bêbado! Muito. Quase em coma alcoólico. Mas... Tenho que admitir... Ela tem uma boca sensacional. E quando ela fazia...


_Tá tá. Poupe-me dos detalhes. – a ruiva falou rápido, tapando a boca dele com as mãos. – terceiro lugar: Dino Thomas.


_Um Grifinorio, veja só. – ele falou sarcástico bebendo um gole da garrafa, incomodado pela primeira vez ao se lembrar da imagem do moreno Grifinório-  minha vez...


_Não vai me deixar falar do Dino? – ela estranhou.


_Não. Se ele fosse realmente bom, estaria em primeiro lugar... Então... Meu terceiro lugar vai pra Pansy Parkinson.


_A cara de buldogue? – Gina levantou a sobrancelha, numa careta de nojo. – Não precisa falar dela também...


_Ok. -Draco assentiu e um silêncio constrangedor pairou entre os dois. – essa garrafa está quase no fim.


_Não por isso. – Gina ergueu a varinha é o conteúdo da garrafa encheu novamente- bom, segundo lugar: Harry Potter. O filho da puta que me largou depois da guerra! – e ela bebeu quase a metade da garrafa de uma vez.


_Ei, chega ruiva- Draco interviu- deixa pra mim também. – segundo lugar: Astoria Greegrass, quase Sra. Malfoy. A ex-futura mãe dos meus filhos, se não tivesse sido uma vaca e dormido com Blaise na nossa noite de noivado! – ele bebeu bastante também. Sendo contido pela ruiva que tomou a garrafa dele.


Nesse momento eles perceberam duas coisas. Que Gina estava praticamente em cima dele, e que ao tirar a garrafa de sua boca, o líquido espalhou-se por seu peito já levemente descoberto. A ruiva sem notar exatamente o que fazia, porém ainda ciente de suas faculdades mentais, abaixou os lábios, sorvendo o líquido do peitoral desnudo do loiro, sentando-se em seu colo, finalmente.


_E o primeiro lugar? – ele perguntou de olhos fechados, sentindo a língua quente dela percorrendo sua pele fria.


_Ainda está em aberto. – ela falou sorrindo marota, subindo os lábios até o pescoço do loiro e sussurrando em seu ouvido- acha que possui as qualidades pra preencher o cargo, Sr. Malfoy?


_Acredito que tenho chances. – ele falou virando o rosto e alcançando os lábios da ruiva.


A garrafa de Firewhisky foi ao chão com estrépito. Ela passeava as mãos pelo peitoral do loiro enquanto sua língua se enroscava na dele de maneira erótica. As mãos dele já percorriam suas costas, descendo pelas suas pernas e se enfiando debaixo do vestido solto dela. Draco estava enlouquecido com os gemidos que ela soltava em seu colo. E num rompante ele levantou-se com ela agarrada a si, espalhando tudo que estava em cima da mesa com um braço livre, deitando-a ali na superfície, sem deixar de beijá-la por nenhum segundo.


Ele desceu os lábios para o pescoço dela, arranhando ali com os dentes e deixando marcas a cada sugada. Ela respirava com dificuldade, agarrando seus braços fortes. Ele alcançava o vale entre os seios dela, proporcionados pelo decote generoso. Num movimento experiente, ele levou a boca ali, naqueles centímetros de pele exposta e sua mão abriu o zíper nas costas dela. Deixando o pano mole cair, revelando os seios redondos, pequenos, de bicos rosados. Ele nem precisou de convite para abocanhar um deles e fazer ela prender o ar, gemendo logo em seguida. Seu pau já estava quase rasgando sua calça, quando ela aproximou suas mãos de seu cinto, abrindo-o e o libertando finalmente.


As mãos ágeis da ruiva o punhetavam com precisão. Os movimentos para cima e para baixo, ritmados, levando Draco a gemer impropérios com um de seus seios na boca. Ela o arranhava nos braços e com a outra mão pressionava cada vez mais seu membro, estocando-o num vai e vem irracional. Draco soltou o seio esquerdo dela antes de olhá-la com fome. Seus olhos cinzas enegrecidos de prazer, deixando somente um fino círculo cinzento em volta das pupilas dilatadas pelo calor do momento. Ele abaixou os lábios para o outro seio dela, mordendo e sugando com mais força como resposta ao que ela estava fazendo consigo.


_Ah, mas eu não vou gozar antes de você mesmo! – ele exclamou retirando a mão dela de cima de si.


Ele abaixou-se na frente da intimidade dela, rasgando sua calcinha num puxão só, estimulando seu clitóris com a ponta da língua. Gina gritou. Ele sorriu safado. Sem pedir permissão ele a penetrou com um dedo, depois com dois. Fazia movimentos intensos e chupava seu clitóris com mais força e vontade. Sentiu quando ela começou a perder o ar, e estremecer. Antes que ela gozasse, ele se levantou e a penetrou com o pau duro e ansioso.


_Ahhh, que delícia!- ela gritou agarrando a borda da mesa com as duas mãos.


_Maravilhosa.- ele disse ofegante ao penetrar no vale quente da ruiva a sua frente.


Virgínia erguia-se na mesa para beijar sua boca avidamente. As estocadas dele ficando cada vez mais fortes e profundas. Ele batia em seu útero e ela não reclamava de dor, pois estava anestesiada de prazer. Ele a preenchia como nenhum outro jamais o fez. Ela o recebia e o desnorteada como nenhuma outra antes dela. O prazer dos dois era quase primitivo. Ele estava a ponto de perder o controle, quando saiu de dentro dela.


_Vira. – ele comandou autoritário e ela obedeceu sem pestanejar.


A visão da bunda redonda, branca e dura dela o levando ao delírio. Ele a estimulava com os dedos no clitóris, beijava suas nádegas, suas costas e subia até o pescoço arranhando com sua barba por fazer. Ela gemia descontroladamente e acabou gozando nos dedos do loiro. Ele sorriu satisfeito ao vê-la totalmente entregue a ele e lambendo os próprios dedos ele murmurou em seu ouvido:


_Você é tão doce ... -ela a mordeu com vontade deixando uma marca na nuca da ruiva, que o xingava perdendo o ar.


Draco aproveitou os dedos molhados e, enquanto encaixava o pau na abertura quente dela, ele o introduziu na outra entrada da ruiva, gerando uma exclamação de dor e um sorriso safado nos lábios dela.


_Seu canalha! -ela gemeu conforme ele a estocava na frente e atrás, com o pau e o dedo. Sempre a estimulando no clitóris com a outra mão. -Desgraçado!


_Geme pra mim, sua safada. -ele falava num rosnado enquanto sentia seu próprio prazer cada vez mais próximo de se libertar- goza pra mim, sua puta ruiva.


_ Ahhhhh... Eu vou go.... aaaaahhhhhh! – ela caiu na mesa enquanto tremia e apertava o membro dele dentro dela.


_Eu também- ele grunhiu aumentando a pressão e o atrito entre suas partes, chegando ao orgasmo logo em seguida.


Para a ruiva não havia tido transa melhor até agora. Aquela sensação de ser invadida completamente, era nova pra ela e ela sentia-se muito, mas muito satisfeita. Nem mesmo Harry havia lhe proporcionado tanto prazer. Aliás, ela nem conseguia se lembrar de já ter pertencido a outro homem, sendo bem honesta. Draco ainda estava dentro dela, arfando e gemendo enquanto sentia a buceta dela apertando seu pau em espasmos cada vez mais espaçados. Um sorriso satisfeito nos lábios do loiro. Ele retirou-se dela, dando um tapa na sua nádega direita.


_Gostosa demais. – ele falou rouco, levantando a ruiva da mesa e a segurando contra si. Ela ainda de costas para ele- Primeiríssimo lugar, com certeza.


_Você também, chefe. – ela falava desconexa. Virou-se. – honestamente? Maluca...


_Quê? – ele perguntou sem entender realmente. Ainda recuperando as forças.


_Astoria. Completamente maluca... – ela falou beijando os lábios do loiro a sua frente gentilmente. -trocar você... Tsc tsc tsc...


_E o Potter é louco. – ele falou ainda agarrado à cintura dela.


_Graças a Merlin! – ela riu gostosamente. – então... Quer repetir?


_Depende... – ele falou beijando-a sensualmente- Já fez anal?


_Seu dedo conta? – ela respondeu agarrando a nuca dele e o puxando para si, antes que ele respondesse.



Definitivamente, aquela seria uma longa noite no escritório do Ministério da Magia.





Notas Finais


Vcs pediram, titia atendeu. Hahahaha... Agora sejam bonzinhos e COMENTEM.


Votação: Expresso de Hogwarts ou Torre de Astronomia?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...