História Clony no RIO - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Os 13 Porquês (13 Reasons Why)
Personagens Clay Jensen, Hannah Baker, Tony Padilla
Tags 13rw, Clay, Clony, Tony
Visualizações 37
Palavras 1.530
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Saga
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Atendendo a Pedidos... rsr
Mais um Cap da nossa Fic!
Obrigado a todos que estão acompanhando, isso me motiva demais da conta!
Minha mente parece que voltou a funcionar Então.....
Vamos lá!

Capítulo 10 - Acaso.


Fanfic / Fanfiction Clony no RIO - Capítulo 10 - Acaso.


POV Tony


No dia seguinte cheguei bem cedo no prédio de Clay, mas não precisei subir pois ele estava na portaria em sua cadeira com Hannah logo atrás. Ele abriu um lindo sorriso quando me viu. Então me aproximei dos dois.
- Bom dia Gatão! - Disse ele rindo.
- O que? - Disse rindo sem entender.
Então Hannah entregou uma nota de dinheiro para ele.
- É... você venceu. - Disse ela rindo. 
- Eu apostei com a Hannah que iria te chamar com algum apelido bem brega.
- Não achei brega... - Disse. - Eu gostei! Vem cá meu gatinho. - Disse o abraçando.
Todos nós caímos na risada.
- Não começa com esses apelidos Tony. - Disse ele rindo. 
- Pode deixar. - Disse. - Podemos ir? Mais tarde ainda tenho trabalho.
Então troquei de lugar com Hannah e comecei a empurrar a cadeira de Clay. Por um momento tive uma vaga lembrança daquele dia triste em que tudo aconteceu. Resquícios de culpa voltaram dentro de mim.
- Você tem certeza que não vai atrapalhar o horário do seu trabalho? - Perguntou Clay.
- Não garanto que eu vá ficar até o final da sua sessão. - Disse. - Mas pego no trabalho só no início da tarde, então temos bastante tempo.
Ele então piscou para mim e sorriu.
Continuamos nossa caminhada por mais alguns minutos até que chegamos finalmente na clínica. Clay fez toda a parte burocrática na recepção pois essa era a sua primeira consulta. Então a recepcionista o informou que ele iria passar por uma avaliação antes de definir as atividades.
Então entramos em uma sala que havia uma cama em um canto e uma mesa com algumas cadeiras. Peguei Clay no colo para o colocar na cama.
- Ainda bem que o meu Benzinho é fortão. - Disse ele rindo. Eu também não consegui segurar o riso.
- Nem vêm que não vou ficar te dando dinheiro toda hora... - Disse Hannah rindo.
Então todos nós demos gargalhadas. Mas logo fomos interrompidos pelo doutor que logo entrou na sala.
- Aha! Ai está você! - Disse ele sorrindo e se aproximando.- Senhor Clay Jensen, pensei que não viria nunca.
Percebi que Clay ficou um pouco sem graça. Parecia que ele queria simplesmente desistir de tudo.
- Aqui estou eu... - Disse ele sorrindo.
- Pois bem. - Disse. apertando sua mão e logo depois a minha e de Hannah. - Eu sou o Doutor Ronald e vou estar supervisionando a sua terapia.
- Prazer. - Disse Clay sorridente.
Ele então analisou o estado da perna de Clay e fez algumas perguntas para ele sobre formigamentos sobre se ele estava sentindo algum músculo, coisas do tipo. Eu e Hannah ficamos sentados logo ao lado observando. Depois de meia hora ele finalmente encerrou sua avaliação.
- Bom Clay Sinto-lhe informar... - Ele então fez uma pausa sério.
Então todos nós ficamos apreensivos, Hannah apertou o meu braço do meu lado.
- Bem, Sinto-lhe informar que você estava marcando bobeira em fugir de mim. - Disse ele sorrindo. - Sua lesão é leve e diria que em poucos meses você já vai estar andando. - Disse. - Devagarinho talvez, mas vai.
A sensação de alívio era palpável na sala. Então Clay lançou um sorriso para nós dois.
- Obrigado Doutor. - Disse ele.
- Lembre-se que quanto mais você se esforçar, mais rápido você ficara bom!
- Pode deixar. - Disse. - Eu vou dar o meu melhor. - Ele estava radiante.
E com Clay feliz, eu também ficava feliz. Era como se um peso enorme saísse das minhas costas.
Então logo depois fomos para uma outra sala bem mais ampla com vários instrumentos que Clay iria usar para voltar a andar. Tinha bolas infláveis, barras, andadores e vários outras coisas que não conhecia. E no fundo da sala era possível ver uma piscina.
Então Clay foi apresentado aos instrutores que iriam começar o processo.
- Então você é o Clay! - Disse um deles sorrindo. - Meu nome é Murilo. 
- Oi, Prazer. - Disse Clay.
- Já vi na sua ficha que o nosso trabalho vai ser moleza! - Disse ele. - Vamos tentar te deixar bom em tempo recorde.
- Por mim pode ser amanhã! - Disse Clay rindo.
Era muito legal o jeito que todos davam esperança para os pacientes. Isso relaxa tanto o paciente quanto os acompanhantes. 
Então começou finalmente os trabalhos. Ele deitou em uma cama e os instrutores o ajudava para ele levantar a sua perna. Depois de mais de uma hora hora Hannah decidiu tomar um café. Então a acompanhei e deixamos Clay se exercitar. 
- Isso vai ser bom pra ele. - Disse ela tomando um gole de café. - O Clay é super sedentário.
- Imagino. - Disse rindo.
Então escuto meu celular tocar. 
- Licença Hannah, preciso atender.
- Vai lá. - Disse ela.
Me levantei da mesa e me afastei um pouco para atender ao telefone.
 
**LIGAÇÃO ON**


- Alô, Ryan?
- Toninho ?
- Você não esquece esse apelido. - Disse rindo.
- É Claro que não. Tenho notícias, estou na área.
- É sério?
- Sim! Tenho alguns eventos na cidade então vou ficar algumas semanas.
- Ótimo.
- Posso passar no seu trabalho essa tarde se você quiser.
- Claro, pode ir sim.
- Ok, te vejo mais tarde Beijo na pontinha do nariz.
- Ryan Cresce! - Disse rindo.


**LIGAÇÃO OFF**


Desliguei o telefone e fui em direção a Hannah. Era incrível ter Ryan na cidade de novo. Ele era um grande amigo meu. Nós já tivemos um breve caso, mas acabamos numa boa... bem eu pelo menos acho.
- Está tudo bem? 
- Está, é só um amigo.
- Entendi. - Disse ela. - Termine seu café que precisamos voltar pro Clay.
- Claro.
Então terminamos de comer e votamos até o Clay. Levamos café e alguns brownie para ele. Ele se recusava em parar os exercícios. Quando estava terminando a manhã estava na hora de me despedir.
- Pior que não posso nem pedir pra você ficar. - Disse ele triste.
- Infelizmente não. - Disse. - Tenho que garantir o meu pão. - Disse sorrindo.
Então dei um beijo suave em Clay.
- Nos vemos mais tarde? - Perguntou ele.
- Tudo bem. - Disse. - Te ligo.
- Tchau Tony, te amo. - Disse.
- Te amo também meu gatinho. - Disse rindo, e o beijei novamente.
Então me despedi dos dois e sai da clinica e fui em direção ao meu trabalho. Estava com sorte porque tanto o Apartamento de Clay quanto a Clínica eram perto do meu trabalho. Então rapidamente consegui chegar. Agora que comecem os trabalhos.


POV Clay.


Os exercícios eram mais puxados do que eu imaginava. Depois de algumas horas finalmente tinha encerrado as atividades daquele dia.
- Bom Clay, você foi ótimo hoje. - Disse Murilo. - Nos vemos amanhã ok?
- Certo. - Disse.
Então nos despedimos. Peguei as minhas coisas e sai com Hannah. Andamos durante um tempo, ou melhor Hannah andou e me empurrava por um tempo. Então chegamos na orla e paramos para ver a paisagem do mar.
- É lido aqui, estava com saudades. - Disse Hannah.
- A Austrália também não é nada mal. - Disse rindo.
- Sim, mas não é a mesma coisa. - Disse ela. - Aqui eu me sinto em casa.
- Entendo. - Disse.
- Lá na Austrália me sinto sozinha... - Disse ela. Ela fez uma pausa e pareceu pensar por um tempo. - Clay pensa comigo, você e o Tony podiam morar lá comigo!
- O que? - Disse revirando os olhos. - Hannah não viaja.
- Como assim você não gostaria?
- Hannah Seria perfeito, Perfeito até demais! - Disse. - Mas está fora da nossa realidade.
- Deixe de ser pessimista.- Disse ela. - Você já está terminando os estudos esse ano, o Tony terminou ano passado. - Ela fez uma pausa. - Você poderia ir com ele pra lá no ano que vem, até lá você vai estar melhor...
- Eu não sei Hannah... - Disse. - Bem, tive uma ideia. - Fiz uma pausa. - Podemos tomar um Milk shake no café do Tony.
- Café do Tony? - Disse ela rindo. 
- É, ele não é o dono, mas é braço direito do dono então quem sabe?
- Tudo bem. - Disse ela.
Então fomos em direção ao Café, chegamos rapidamente e ficamos em uma mesa no fundo do café, pois não queria atrapalhar o trabalho do Tony.
- Você vai querer o que? - Perguntou Hannah. 
- Um X-burgue com fritas e um Milkshake. - Disse.
- Tudo bem... - Ela então se levantou mas logo voltou a se sentar. - Clay! Quem é aquele com o Tony?
Então me virei para o balcão do café. Tony estava do lado de dentro conversando com um garoto que estava do lado de fora sentado tomando um café. Provavelmente era um amigo. Então de repente o rapaz colocou sua mão no rosto de Tony e o alisou, e Tony apenas sorriu. Ele apenas sorriu.
 


Notas Finais


Parece que as coisas ficaram estranhas...
Até a próxima pessoal!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...