1. Spirit Fanfics >
  2. Clouds >
  3. 13. Medos, socos e línguas

História Clouds - Capítulo 13


Escrita por:


Notas do Autor


Man, esse é o título mais ?????? Que eu já coloquei em algum capítulo - não me julguem, eu tô sem ideia pra título.

EAE GENTE 💛💛💛 Sério, vcs que acompanham essa fic tem muita sorte, eu tava pensando seriamente em excluir ela, maaaas uma pessoinha me fez mudar de idéia rs
Eu demorei pra postar e tô ligada que furei o cronograma que eu programei pra fic, mas a boa notícia é que eu tenho vários capítulos prontos e aaaacho que não vou demorar pra postar os próximos (acho)
Mas enfim, esse não é um dos meus caps favoritos (VAI TER TRETA), eu mudei várias coisas nele e ainda assim não gostei do resultado, mas é isso aí que temos pra hoje <risos

Me desculpem pelo sumiço e pela demora e fiquem com o cap ❤️ tenham uma ótima leitura!

Capítulo 13 - 13. Medos, socos e línguas





  Já eram quase vinte e duas horas da noite e nenhuma notícia foi divulgada desde o final da partida, às dezesseis horas. O replay com a cena de Kazemaru chorando em cima da maca não contribuia em nada para fazer as duas jogadoras que ainda estavam na sala da casa de Terumi, se acalmarem. 

 Após alguns minutos de quietude, uma voz se fez presente. 

- Será que foi muito grave? - A ruiva perguntou, enrolando entre os dedos um cadarço que encontrou sabe-se-lá onde. 

 Rika ao seu lado, deixou um arfar apreensivo escapar e se jogou sentada no sofá da sala. 

- Sei lá… 

 Touko a fitou com um sorriso, aproveitando para sentar ao seu lado com as pernas um pouco afastadas. 

- Não sabia que você gostava tanto do Kazemaru. 

- É, eu gosto… 

 O sorriso da ruiva aumentou. 

- Não se preocupe, vai dar tudo certo. - Tentou amenizar a situação, circundando o ombro da amiga com uma das mãos. 

- É, mas nossas férias já eram depois dessa. 

- Rika! - Zaizen saiu do sofá no mesmo segundo, horrorizada e sem acreditar no que acabou de escutar da boca de sua melhor amiga - Eu não acredito que é com isso eu você tá preocupada! 

- Por que você tá gritando? Eu tô sim preocupada com o Kaze, mas não é como se eu quisesse ir embora tão cedo. 

- Mas quem disse que vamos embora?! Não, esse não é o ponto. A verdade é; e se fossemos? O nosso amigo tá num hospital e você vem me falar sobre as férias que acabaram? 

 Rika se levantou, cansada do escândalo que Touko estava fazendo. 

- Touko, eu não gosto que gritem comigo! 

- Pois é! Se sua mãe tivesse gritado mais com você durante a infância, talvez você não fosse tão egoísta! 

 Rika não pensou duas vezes. Ergueu sua mão e esbofeteou o rosto da garota fazendo o barulho ecoar por todo o comôdo, o impacto fez com que ela cambaleasse alguns passos para trás. Irada, Touko se endireitou e voou em cima da, até então, amiga. As duas começaram a se bater no chão, gritando ofensas para quem quisesse ouvir. Suzuno estava no cômodo ao lado e acabou ouvindo as pancadas seguidas dos gritos, correu para a sala e se deparou com as duas a ponto de rolarem no chão agarradas uma no cabelo da outra, Touko ia além e tentava socar o rosto de Urabe que habilmente desviava. 

- O que vocês estão fazendo, suas doidas?! - Correu tentando tirar Touko de cima de Rika, mas sua massa corporal de jogadora a deixava bem mais pesada do ele imaginava - Nagumo, Aphrodi! 

 O loiro apareceu sem demorar muito, Yasmin também veio. 

- Meu Deus! - A morena gritou, e Aphrodi que estava a caminho da ajuda precisou parar para fazer uma graça; 

- Me chamou? - Sorriu. 

- APHRODI, AJUDA ELE! 

  Com muito esforço, alguns tapas, olhos roxos e puxões de cabelo, conseguiram separá-las e colocar ambas sentadas em sofás diferentes. Agora Rika chorava. 

- Toma, e conta o que aconteceu. - Disse Suzuno após lhe oferecer um copo d'água com açúcar e Yasmin reprovou aquilo. Engraçado como Suzuno era legal com todo mundo, menos com ela. 

- A Touko me chamou de egoísta! 

- Mas você é. - Yasmin soltou, fazendo Touko erguer as mãos para o alto e comemorar. 

- O que?!! 

- É verdade, Rika. Mas isso não te faz uma pessoa... Tão ruim. - Aphrodi opinou também. 

- Eu não acredito. Depois de apanhar da minha MELHOR AMIGA ainda sou obrigada a ouvir isso! 

- Você não disse pra eles o porquê de eu te bater, né?! - Touko esbravejou pressionando em sua bochecha um pano cheio de gelo que Nagumo lhe deu. Estava sem seu gorro e não fazia ideia de onde ele pudesse ter parado.  

- O que ela disse? - A morena interrogou. 

- Ela está mais preocupada com nossa viagem aqui do que com o Kazemaru. 

- Eu não disse isso! - Ela tentou se levantar, mas Nagumo a segurou. 

- Você não disse com essas palavras, mas prefere, sim, ficar aqui do que ir visitar o Kaze! 

 Todos os olhares se voltaram para Rika, estática com todas aquelas acusações. Seus olhos ainda estavam cheios de lágrimas por ter apanhado ridiculamente de Touko, mas aqueles olhares… Aqueles olhares eram piores do que qualquer dor física. 

- Eles nunca foram muito próximos mesmo, eu é que tenho mais do que a obrigação de ir. - Atsuki argumentou, tentando amenizar a situação e entender o lado de Rika também. 

- Eu sei, Yas, mas ele é nosso amigo! Ele já passou por coisas tão ruins, por que não podemos apoiar ele nessa também? 

 A melhor amiga do rapaz se calou sem saber o que dizer diante daquela frase, tentou ser compreensiva e agora estava pensando da mesma forma que Touko. De repente, todos começaram a opinar, exceto Rika. 

 Ela ainda permanecia calada apenas escutando todos falarem dela como se ela não estivesse ali, como se ela não tivesse direito a resposta alguma e como se ela tivesse que aguentar todas as acusações sem poder se defender de algo que ninguém sabia de verdade. 

 Porém, ela podia e faria isso. Ninguém ia tirar o direito de Rika de poder falar. Ninguém iria a calar. 

- Se ela não quiser ir, nós vamos e deixamos ela aqu- 

- ESCUTEM! 

 Ela gritou muito mais alto do que qualquer outra voz ali, interrompendo até mesmo o que Haruya dizia, fazendo o ruivo se encolher atrás de Fuusuke e se proteger com uma almofada. 

  Todos pararam e se calaram, olhando para ela. Rika respirou fundo, as lágrimas não rolavam mais. 

- Vocês nem ao menos sabem o motivo de eu não querer ir e ficam falando merda por aí. Ninguém me perguntou o que eu quero e só saíram tomando as decisões por mim! 

 Nenhum dos cinco se atreveu a rebater, nem Yasmin esperava por essa e olha que quem geralmente gritava daquela forma era ela. 

- Eu não quero ir pra ilha Lioccot por um simples motivo: Ichinose.

 O queixo das duas garotas caíram. 

- Espera aí, você tá me dizendo que não quer ver o Ichinose?!  

- Sim. 

 Error 404. 

- Por que?! 

 Yasmin questionou boquiaberta, não sabia se abraçava a amiga ou se beliscava seu braço para ver se estava sonhando. 

- Vocês ainda perguntam? - Revirou os olhos, jogando-se no sofá exausta depois de tantas acusações, enquanto as duas garotas não sabiam nem o que falar. 

- Meninos - Touko murmurou -, acho que precisamos de um tempo sozinhas… 

- Mas acabamos de cheg-

- Precisamos ficar sozinhas. Adeus! - Touko os expulsou da sala antes que Nagumo pudesse concluir a frase. 

 Empurrando um por um para fora da sala, logo não haviam nem sombra dos três. Mesmo assim, ainda não tinham entendido nada; 

- O que acabou de acontecer agora? - O ruivo perguntou, totalmente confuso. 

- Sei lá… Bem, eu vou arrumar minhas coisas. - Terumi disse em retirada, ignorando totalmente o que havia rolado a pouco. 

- Vai sair? - Suzuno perguntou. 

- Ainda não sei ao certo, mas acho que sim. 

 Outra vez sem compreender o real significado daquela frase, a dupla se encarou e então levantaram as mãos como se dissessem "Que?" e Haruya bufou, passando as mãos pelo cabelo. 

- Adoro como esse pessoal me acha com cara de esfinge e joga esses enigmas no ar sem que eu entenda NADA! 

- O Aphrodi é o nosso informante, logo ele vai descobrir e contar pra gente. - O albino afirmou confiante, aproveitando para ir até a cozinha e beber uma água, talvez também pegar um gelo e colocar em seu rosto depois do chute que Touko acertou de raspão em sua cara. 

 Sobre Aphrodi descobrir algo relacionado a alguma das meninas… 


 Spoiler: Aphrodi não descobriu nada. 




→♔←




 O loiro colocou a camisa visto que estava sem a peça a algum tempo, retirou os cabelos de dentro da roupa e virou-se para o espelho do quarto, aprovando o que via com um diminuto sorriso. Mal deu tempo para ele deixar sua bolsa no chão e ouviu a porta bater suavemente. 

- Entre.

 Era Yasmin olhando-o sugestivamente ao entrar no cômodo. 

- O que foi?

- Nada. 

- Tem certeza? - Ele franziu o cenho ao ver que a garota queria rir. Puxou-a pela cintura e apertou um pouco seus quadris, procurando algum resquício de mentira em seu olhar. 

- Sim, só quero ir logo. - Assentiu dando de ombros, seguidamente pegando de volta a bolsa que trouxera consigo e a largando próximo a porta - Você vai comigo? 

- Claro, as meninas vão também? 

- Não, vai ser só nós dois. 

- Só nós dois? - Ele arregalou os olhos, dando um passo para trás - Vamos ter que pagar passagem?! 

- Não, anjo - Disse após uma crise de risadas - A Touko vai emprestar o jato pra gente. Os meninos vão querer ir? 

- Não, e mesmo se eles quisessem eu não ia deixar. Até parece que eu vou perder a chance de ficar sozinho com você de novo

- Estamos sozinho agora, idiota. 

- Eu tô falando de viajar sozinhos, idiota.

 Ela começou a rir, tanto que até fechou os olhos e Aphrodi… Ah, ele só poderia apreciar o som de sua voz com a gargalhada mais contagiante que ele já ouvira de alguém, ele não estava achando graça nenhuma, mas ouvir sua risada estava fazendo seus lábios se contorcer. 

- Não to achando graça nenhuma. 

- Então que bico é esse que cê tá fazendo? 

- Ah, fica quieta. - A soltou, permitindo que uma gargalhada saísse mais alta do que esperava - Vamos logo, antes que os dois mudem de idéia e percebam que a gente vai com um jato particular do Ministro. 

 Ela não respondia, já estava sem ar de tanto rir por motivos de: ninguém sabe -  agora batia as mãos parecendo uma foca com tendinite. Minha nossa, Afuro precisou arrastá-la pra fora ou então só iriam embora ano que vem. Apesar dos pesares, os dois caminharam o tempo inteiro de mãos dadas, e mesmo que ele tivesse que esperar mais cinco minutos para a crise de risos dela acabar, vê-la sorrir e estar ao seu lado para ver isso eram o suficiente para Aphrodi esquecer de todo o mal que havia passado há dois dias atrás. 




→♔←




 

  Três horas de viagem de um país para o outro parecia uma boa notícia para qualquer pessoa. Afinal, vôos são extremamente cansativos quando se levam um ou dois dias para terminar. Entretanto, como uma garota traumatizada desde o atentado de onze de setembro, Yasmin só conseguia imaginar que aquele avião ia cair e ela ia morrer sem nem ver sua família pela última vez.  

- Meu Deus, esse avião não pode cair, eu nem trouxe meu RG e se me levarem pro hospital e tirarem minha roupa vão ver que eu tô com uma calcinha horrorosa, por favor, Senhor. 

- Yas? 

- O que?! - Respondeu num tom um pouco mais alto do que gostaria, cerrou os dentes mostrando-se preocupada, pois tinha uma aeromoça não muito distante de ambos e que agora os encarava fixamente.  

 Aphrodi riu e se aproximou, ignorando o olhar curioso da mulher que os encarava com certa… Curiosidade. Provavelmente ela é uma das pessoas que acham que Aphrodi é uma garota o vendo pela primeira vez, e agora imaginava que os dois eram um casal lésbico. 

- Calma, o avião não vai cair. 

- O avião vai cair?!! 

- Não! - Ele sentou ao seu lado, segurando em seus ombros ao ver que ela já começava a dar impulso para sair correndo - Está tudo bem, eu disse que ele não vai cair

- Ah… Uau… - Jogou-se sobre a poltrona como se estivesse em sua própria casa, tirou um tempo para respirar fundo e se acalmar - Não faz mais isso comigo, Aphrodi… 

- Eu não fiz nada, você que entendeu tudo errado. - Ok, tinha que admitir: era engraçado - Não sabia que você tinha tanto medo assim de voar. 

- Tudo culpa das Torres Gêmeas… Desde que passou aquilo na tv, eu tenho medo até hoje. 

- Nossa - Riu, Aphrodi era terrível - Relaxa, é um vôo rápido e seguro, estamos no jatinho do Primeiro Ministro. 

- Você já disse isso. 

- Eu sei, mas adoro relembrar. 

  Acomodou-se na poltrona encostando no assento luxuoso, viu que no centro entre os dois bancos havia uma tigela de cristal belíssima, diga-se de passagem, cheia de cerejas. Com água na boca, ele pegou uma das frutas e ofereceu para dar na boca da garota, que prontamente aceitou com o acréscimo de morder sensualmente bem diante dos olhos atentos de Terumi, que quase não conseguiu se calar diante de tal provocação. Ele pegou outra e também mordeu, por incrível que possa soar, ele fez tudo isso sem insinuar nada, pelo menos por enquanto. 

- Muito bom… - Ela foi a primeira a falar assim que terminou de saborear o doce, largando o cabinho de volta sobre a tigela. 

- Realmente. - Ele retirou o cabo da boca e imitou a gesto da morena, a única diferença se dava ao seu cabinho estar com um nó bem no meio. Yasmin franziu a testa. 

- Poxa, ainda não descobri que milagres são esses que sua língua pode fazer… 

- Quer descobrir agora? - Perguntou insinuoso, um comichão subiu por entre as pernas da morena quando ele passou a língua por toda a extensão de seus lábios no mesmo momento em que repousava a mão em sua coxa. 

- Aham. 

  Seria uma pena se a aeromoça atrapalhasse aquele momento com um forte e nada discreto pigarro, Afuro ficou indignado, acabou se afastando da garota e jogando o corpo para trás até sentir o encosto sobre suas costas. 

- Droga, quero chegar logo pra poder te mostrar… - Disse um pouco raivoso, fazendo a morena rir desconcertada. 

 Se Aphrodi queria apenas chegar logo, ele teve seu desejo atendido, faltavam apenas dez minutos para chegarem ao seu destino. 

 A Ilha Lioccot vista de cima era simplesmente… Totalmente escura. Já era madrugada, não dava para ver nada além das luzes do hangar. Porém, de dia aquele lugar certamente era um dos mais belos do mundo e sem pensar em quem estava longe, ou mais precisamente em terras coreanas, Yasmin e Aphrodi desejavam visitar aquela ilha e explorar todos os lugares que pudessem antes que fosse tarde demais. 










Notas Finais


Próximo capítulo vamos ter aparições especiais 🥺❤️
Espero que tenham gostado ♡ obrigada por lerem e até o próximo capítulo!

Meu pai, eu nem sei mais como finaliza fics kkkkkkkhelp


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...