História Clube dos Nove - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Adolescente, Drama, Família
Visualizações 11
Palavras 3.336
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Boa leitura! ♡

Capítulo 6 - Neon


Fanfic / Fanfiction Clube dos Nove - Capítulo 6 - Neon

Acordei com uma luz forte batendo em meu rosto, era o sol, a janela do meu quarto estava aberta, mas eu me lembro de ter a fechado. Peguei meu celular em cima da escrivaninha e olhei as horas, uma da tarde, acho que eu dormir muito, me sentei em minha cama esfregando meu rosto e me arrependi de ter levantado no minuto em que sentir uma dor absurda na minha cama, merda de ressaca. Não me lembrava de nada da noite passada, levantei da cama e fui até o banheiro, escovei meus dentes e tomei um bom banho, aproveitei e lavei meu cabelo, sair do banheiro enrolada na toalha e abri meu guarda-roupa pegando minhas peças íntimas e as vesti, depois peguei uma roupa qualquer de ficar em casa e coloquei, sequei meu cabelo na toalha e depois sequei com secador, arrumei as bagunça que estava em meu quarto e desci para comer algo.


— Bom dia! — falei quando vi meu pai na sala lendo jornal.


— Boa tarde! — disse rindo. — Dormiu bastante, querida!


— Nem me fale! — falei. Peguei um comprimido no armário e o tomei com uma golada só do meu café, peguei uma torrada e a comi.


— Como foi a festa? — perguntou.


— Não me lembro de quase nada! — falei e me joguei ao seu lado.


— Não precisamos ter aquela conversa sobre eu não gostar disso de você ficar bebendo, né? — perguntou.


— Eu sei disso, pai! — falei. — Eu também não gosto, não sei o que deu em mim!


— Mas eu também não vou ficar te proibindo de nada, você já é bem grandinha, sabe das coisas! — disse sorrindo e eu sorri também, dei um beijo em sua bochecha e deitei em seu ombro. — Sinto falta de você pequenininha!


— Por que? — perguntei.


— Você era minha garotinha, não desgrudava de mim, não tinha essa coisa de garotos... — disse.


— Eu ainda sou sua garotinha, eu ainda sou grudada em você mas não tanto como antes e não tem garoto nenhum na minha vida! — falei.


— Ah não? — perguntou e eu neguei. — E o que você me diz sobre aquele loiro alto e o moreno?


— O loiro alto é o Mateus, ele é meu amigo e é gay! — falei rindo. — E o outro é o Miguel, também apenas um amigo?


— Gay? — perguntou e eu neguei. — Então não será apenas um amigo! 


— A gente não se gosta, pai! — falei.


— Ele te trouxe pra casa, bêbada! — disse e arregalei os olhos. — Sim, eu estava em casa e sim, eu vi! 


— Ai Deus! — falei e ele riu. — Mas o que é que tem isso?


— Os garotos de hoje em dia não levam garotas bêbadas pra casa, as levam para outros lugares! — disse.


— Nem todos são assim! — falei.


— Mesmo assim, querida! — disse. — Não confie em homens!


— Pai, você é homem! — falei rindo e ele também.


— Eu sou o seu pai! — disse. 


— O melhor do mundo! — falei e o abracei.


Fiquei um tempo conversando com meu pai, fazia tempo que não conversávamos assim. Eu o amava tanto, ele é a única pessoa que tenho, não me imagino sem ele, eu ficaria totalmente perdida. Ele me criou, cuidou de mim, me ajudou com meus primeiros passos e falas, estava comigo quando arranquei meu primeiro dente, me ensinou a andar de bicicleta, ele é a minha vida! Ouvimos a campainha tocar e ele se levantou para abrir a porta, virei para trás para ver quem é e Aurora entrou.


— Oi tio! — Aurora cumprimentou meu pai com um abraço.


— Oi querida! — ele disse.


— Cadê a Alli? — ela perguntou.


— Chora! — falei e ela me viu e veio até mim.


— Meu Deus você sobreviveu mesmo! — disse rindo.


Meu pai pegou o jornal a qual ele lia e foi para outro cômodo da casa para nos dar privacidade, eu não me importava de conversar na frente dele, mas ele dizia que não gostava de ficar ouvindo assuntos de meninas pois ele fica com ciúmes.


— Eu sou uma guerreira! — falei.


— Eu acordei só o pó! — disse rindo. — O engraçado é que me lembro de tudo!


— Eu não me lembro de nada! — falei.


— Ah, então deixa que eu te conto! — disse.


Ela começou a falar sobre o início da festa quando chegamos e já fomos beber, até nessa parte eu me lembrava porque não estava bêbada ainda, mas depois disso eu não me recordo de nada. Aurora me disse que eu fiquei trilouca, dancei em cima das mesas, subi em cima da mesa de sinuca do escritório do pai de Emilly e Chad, quase fiz um strip-tease, agredir o irmão de Emilly porque ele tentou se aproveitar de mim, fiquei com dois garotos e depois Miguel me trouxe pra casa, ela também me contou sobre a ligação que ela fez e o que ela contou na ligação, e que na hora ele estava no meu quarto. 


Droga, eu me lembrei, eu e ele... Meu Deus.


— Aurora. — a chamei e ela parou de falar.


— O que? — perguntou. — Droga, Allison, o que foi?


— Eu me lembrei de uma coisa! — falei e ela me observava curiosa. — Eu e ele... a gente quase... — ela me interrompeu.


— MENTIRA! — gritou. — VOCÊS QUASE TRANSA... — tampei a boca dela.


— Cala a boca, idiota! — sussurrei. — Meu pai pode acabar ouvindo!


— Meu Deus, como que as coisas chegaram a esse nível? — perguntou.


— Ele ouviu a nossa conversa, daí depois eu tentei puxar assunto sobre isso, ai ele começou a fugir e disse que iria embora, daí eu disse que ele estava fugindo de mim e ele acabou indo embora! — falei. — Mas depois ele voltou, veio até mim e me beijou, ai começou a esquentar as coisas e demos uns amassos na minha cama! — ela me olhava boquiaberta. — Mas não rolou nada porque meu pai estava em casa e também porque eu conheci ele há poucos dias atrás, né?


— Você é virgem? — perguntou.


— Não! — falei e ela me olhou surpresa. — Eu tinha um namorado em Londres, Aurora! 


— Qual era o nome dele? — perguntou.


— Liam! — falei. — Terminamos por causa da mudança!


— Você gostava dele? — perguntou.


— A gente namorava desde os treze anos! — falei. — Uma vez ele disse que me amava, estávamos na casa de férias da irmã do meu pai.


— E o que você disse? — perguntou.


— "Eu estou com fome, acho que o almoço está pronto!" — falei e nós duas rimos. — Qual é, eu tinha quatorze anos, eu não sabia o que era amor! 


— Com quatorze anos eu assistia desenhos de heróis! — ela disse.


— Nada mudou! — me referi a ela ainda assistir desenhos de heróis.


— Eu namoro heróis de filmes e desenhos, não preciso namorar alguém de verdade! — ela disse e eu rir.— Ei, hoje tem uma festa! 


— Outra? — perguntei.


— Não é uma festa qualquer, baby! — disse. — É uma festa... neon! 


— Aquelas do tipo... tudo colorido, todo mundo com os corpos pintados, estilo de séries? — perguntei e ela riu.


— Exatamente! — disse.


— E obviamente nós iremos! — falei sorrindo. 


— Ótimo, será às sete! — disse. — Todo mundo vai, e quando eu digo "todo mundo" é realmente todo mundo! 


— Eu não estou surpresa! — falei rindo.


— Emilly nos chamou pra gente se arrumar na casa dela! — disse.


— Emilly? — perguntei. — A irmã do Chad?


— Eu meio que fiz amizade com ela depois que você foi embora! — disse. 


— Ok! — falei.


— Querida? — meu pai apareceu na sala. — Estou indo ao supermercado comprar umas coisas! Precisa de algo?


— Não! — neguei e ele assentiu. — Na verdade pai, pode trazer uns salgadinhos e uns doces? — fiz cara de pidona e ele riu.


— Certo! — disse e veio até mim e me deu um beijo na testa, deu um beijo na de Aurora também. — Eu não demoro, não abram a porta para estranhos, tem sorvete na geladeira! — disse.


— Ok pai! — eu e Aurora dissemos juntas e rimos.


Desde que comecei a conversar com Aurora o meu pai super gostou dela, ele a trata como uma filha, e ela adora isso, seria incrível se ela fosse minha irmã, nós temos tanto em comum. Meu pai saiu e nós fomos correndo até a cozinha e pegamos o sorvete e comemos um pouco, depois fomos assistir filme até dar a hora de sairmos.


[...]


*Miguel Pov*


Eu estava na casa de Chad e Mateus também estava aqui, a gente veio ajudar ele a arrumar a bagunça que ficou depois da festa. Os pais dele estavam voltando de viagem e ele nos ligou desesperado pedindo ajuda, foi até engraçado vendo ele implorar, estava tudo uma zona, parecia que um furacão tinha passado por aqui. Mateus estava limpando as bagunças da cozinha, Chad as da sala e eu estava limpando corredor de cima, ainda restavam poucas pessoas na casa, Chad estava expulsando todos aos gritos, ele estava muito desesperado, era duas e meia da tarde, os pais dele iriam chegar às três e meia. 


— Cara, essa casa precisa ficar brilhando! — Chad disse quando subiu ao andar de cima.


— Relaxa, a gente vai conseguir limpar tudo! — falei rindo.


— Festa neon hoje, quem vai? — Mateus disse atrás de nós. 


— Eu, claro! — Chad disse.


— Eu ainda estou de ressaca da festa de ontem! — falei rindo. — Acho que não vou!


— Qual é brother. — Chad reclamou.


— Chad, você é da farra, eu não sou! — falei.


— Antes você era! — disse.


— Exatamente, "era"! — falei.


— Allison vai! — Mateus disse o encarei, ele e Chad me encaravam.


— Quem é Allison? — Chad perguntou.


— Aquela garota que bateu sua cabeça no balcão ontem! — eu disse.


— Tá brincando! — Chad disse. — Ontem eu fiquei tão puto por ela ter feito aquilo, mas depois eu parei pra pensar no que eu fiz e me sentir um bosta! 


— Pois é, sua atitude foi ridícula! — Mateus disse.


— Então ela vai, é? — Chad perguntou com um sorriso malicioso no rosto. — Ela até que é gata, vou investir! 


— Ela não vai te querer, babaca, você tentou agarrar ela! — falei.


— É só eu fazer um discurso de arrependimento e ela tá na minha mão! — ele disse convencido.


— Vai achando que Allison é fácil assim! — Mateus disse rindo.


— Todas são fáceis pra mim! — Chad disse.


— Allison é diferente! — falei. — E você nem ouse ir atrás dela!


— Por que? — perguntou.


— Porque ele tá na dela! — Mateus disse rindo. 


— Não estou não! — falei.


— Tá apaixonado pela novata, dude! — disse rindo.


— Qual é? — reclamei.


— Relaxa brother, ela é sua garota, sou seu amigo e não sou talarico! — Chad riu.


— Ela não é minha garota! — falei.


— Então você deveria fazer ela ser! — Chad disse descendo as escadas e Mateus foi junto. 


[...]


*Aurora Pov*


— Allison, esse cropped vai ficar lindo e vai até realçar esses seus peitão! — falei rindo.


Estávamos na casa de Emilly. Eu, Allison, Úrsula e Emilly estávamos nos arrumando, eram umas seis horas da noite, decidimos começar a nos arrumar mais cedo pra não nos atrasar, Allison estava nos fazendo escolher uma roupa pra ela.


— Primeiramente que, nem precisamos caprichar tanto nas roupas, iremos ter que tirar pra pintarmos nosso corpo! — Emilly disse.


— É verdade! — Úrsula disse.


— Olha, coloca esse topper rosa de alça, aquela saia preta lisa de cós alto e aquela camiseta xadrez por cima! — falei e até que o look ficou bom.


— E o que eu calço? — perguntou.


— Coloca essas botas com aquele par de meias que vão até a coxa! — Úrsula disse.


Úrsula usava uma saia de couro preta com uma blusa branca lisa de alça, eu estava com uma calça skinny preta de cós alto e um topper branco de alça com uma jaqueta de couro preta, e Emilly usava um vestido branco de alça, era um pouco curto, e calçava um par de botas de couro marrom, eu estava calçada com coturnos e Úrsula estava com botas baixas. Estávamos todas prontas, não passamos muita maquiagem pois iremos pintar nossos rostos também, passamos apenas base e máscara de cílios.


— Selfie! — Emilly gritou. Tiramos uma foto e ela postou em seu SnapChat. 


— Vocês estão prontas? — a mãe de Emilly apareceu no quarto. — Uau, estão umas gatas! — disse rindo. — Irei levá-las!


— Mãe, você deve estar exausta da viagem! — Emilly disse.


— Mas eu quero levar vocês! — disse. — Irei buscá-las também! 


— Aí, eu te amo! — Emilly disse e abraçou a mãe dela. 


[...]

*Allison Pov*


— Quando quiserem ir embora é só me ligarem! — a mãe de Emilly disse quando saímos do carro, havíamos chegado.


— Obrigada! — Emilly se despediu da mãe dela com um beijo na bochecha.


Nós entramos no local e estava lotado, gente pra todo lado, e nós ainda estávamos no início da festa, Emilly nos puxou para a parte das bebidas, pegamos uns drink e viramos de uma vez, o líquido desceu rasgando minha garganta mas depois passou. Um garoto chegou perto de Emilly e ela foi pra algum lugar com ele, depois um chegou na Úrsula e ela também foi pra algum lugar com ele, e por último Aurora saiu me deixando sozinha pra conversar com uma garota.


— Que ótimas amigas eu tenho! — falei revirando os olhos. — Mais uma por favor! — pedir outro drink ao barman. 


Observei o local, era tipo um armazém, era enorme, estava todo decorado com luzes neon, tinha umas mesas com comidas, tinha DJ e o canto das bebidas que é onde eu estou, bebi mais um copo e depois fui pra pista. Comecei a dançar sozinha, eu pulava e descia até o chão, depois começou a tocar Summer do Calvin Harris e eu pulava com os braços pra cima. 


 When I met you in the summer — cantei. — To my heartbeat sound


Parei de cantar e voltei a dançar, ah como eu amava essa música. Senti duas mãos tampar minha visão e alguém sussurrar em meu ouvido.


— Adivinha quem é? — Mateus disse rindo e eu me virei pra ele.


— Meu Deus, é o Leonardo DiCaprio! — falei e nós rimos.


— Meu sonho! — ele disse. — Por que você está sozinha?


— Porque nossas amigas me abandonaram! — falei.


— Isso é ruim! — disse rindo. 


— Elas devem estar beijando por ai! — falei.


— Por que você não vai fazer isso também? — perguntou.


— Não estou afim! — falei.


— Você realmente não está afim de ir beijar alguns caras ou você não está afim porque ainda não vou o cara que você quer beijar? — disse. 


— O que? — me fiz de desentendida.


— Ele está ali com Chad! — Mateus disse e apontou pra onde Miguel e Chad estavam.


— Eu meio que não estou falando com ele! — falei.


— Por que? — perguntou.


— A gente deu o maior amasso no meu quarto ontem e depois dormimos juntos! — falei e Mateus arregalou os olhos. — Dormir junto no sentido de só dormir mesmo, ele dormiu lá em casa... no meu quarto... comigo... na minha cama! — ele ficou boquiaberto. 


— Garota, você me surpreende a cada minuto! — disse rindo. — Você vai o ignorar por isso?


— Qual é, eu não sei o que dizer, nós dormimos juntos e quando eu acordei ele não estava mais lá! — falei. — Ele saiu pela janela e ainda a deixou aberta! 


— Você queria que seu pai o encontrasse lá? — perguntou e eu neguei. 


Notei que Miguel e Chad vinha até nós, Chad me cumprimentou e me pediu desculpas pela noite passada, eu o desculpei e disse que não era pra ele fazer isso novamente, seja comigo ou outra garota, depois cumprimentei Miguel, ele deu um beijo em minha bochecha quase perto da minha boca, ficamos os quatro conversando um tempo mas depois eles começaram a falar sobre alguma coisa e eu saí de perto indo pra mesa das tintas, eu queria muito me pintar.


— Está fugindo de mim! — Miguel disse quando apareceu ao meu lado.



— Não estou! — menti.


— Tá mentindo! — ele disse.


— Como sabe? — perguntei.


— Você não olha nos olhos das pessoas quando mente! — disse e o olhei. — Então... sobre a noite passada, eu... — o cortei.


— Quer falar sobre a noite passada ou quer pintar meu corpo? — falei tirando minha camiseta xadrez ficando apenas com o topper rosa, ele ficou me encarando por uns segundos.


— Quero pintar seu corpo! — disse e eu sorrir.


Coloquei minha camiseta em cima da mesa e lhe entreguei o pincel. Ele passou na tinta e me puxou pra perto dele pela cintura, ele passou a ponta do pincel em meu peito descoberto e senti a tinta gelada em contato com minha pele, ele ficou um tempo fazendo alguns desenhos ali e depois fez mais alguns em minha barriga e depois eu meu rosto.


— Pronto! — disse.


— Minha vez! — falei e peguei o pincel da mão dele.


Ele tirou a camisa e a colocou junto da minha na mesa. Fiz alguns desenhos em seu peito e outros em seus braços, o virei de costas para mim e pintei suas costas também, fiz duas asas em suas costas, depois fiz uns traços em seu rosto, e por último contornei o maxilar dele, tive que me aproximar mais o que deixou nossos rostos bem próximos.


— Acabei! — falei e deixei o pincel em cima da mesa.


— Ótimo, agora vem cá! — me puxou pra perto deixando nossos corpos juntos.


Começou a tocar uma música e nós dois dançamos juntos, eu estava com minhas mãos apoiadas em seu peito, ele juntou nossas testas e assim ficamos por um tempo, depois ele se aproximou mais e me beijou, suas mãos estavam em minha cintura, passei meus braços em volta de seu pescoço o puxando pra mim.


*Aurora Pov*


Eu estava conversando com Sofia, a garota com quem fiquei na festa de Chad, eu havia a chamado pra essa festa de hoje, nós meio que estamos mantendo contato. Sofia não era daqui de Sydney, ela era de Los Angeles mas veio passar um tempo com o pai dela aqui, eu estava bebendo um drink e quase engasguei quando vi Allison e Miguel aos beijos. Finalmente!


— Você está bem? — Sofia perguntou e assenti. 


— Tá vendo aquela garota de cabelo verde com o garoto alto ali? — apontei para os dois e ela assentiu. — A garota é minha amiga e o garoto é um ex-amigo meu, eles estão super afim um do outro mas negam isso até a morte, e agora finalmente se pegaram em público! 


— Ela é bem bonita! — disse. E realmente, Allison era muito gata! 


— Estou vendo coisas por eu estar bêbado ou aquilo é real? — Mateus perguntou quando apareceu ao nosso lado.


— Você não está vendo coisas, meu amigo! — falei rindo.


— Meu Deus, finalmente se pegaram em público! — ele disse. 


— Quem se pegou em público? — Chad perguntou quando apareceu atrás de nós.


— Allison e Miguel! — eu e Mateus dissemos juntos. 


Chad olhou para a direção que olhávamos e sorriu quando viu os dois juntos.


— O garotão seguiu meu conselho! — Chad disse.


— Eu disse a ele que ele deveria fazer ela ser a garota dele antes que um outro cara fizesse isso! — ele disse. 


— Primeira coisa útil que você faz na vida, Chandler! — falei rindo e ele fez uma careta, ele odeia que chamem ele pelo nome dele, ele prefere Chad.


Zoamos Chad com o verdadeiro nome dele e ficamos rindo. Depois eu, Mateus, Chad, Emilly, Sofia, Úrsula, Allison e Miguel nos juntamos e fomos todos dançar juntos, essa festa estava apenas começando.















Notas Finais


Comente o que achou.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...