1. Spirit Fanfics >
  2. Clube dos serial killers >
  3. Um dia para os apaixonados

História Clube dos serial killers - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


musica do capitulo: Michael Kiwanuka: Love & Hate

Capítulo 7 - Um dia para os apaixonados


BRUCE

Eu passei a semana seguindo os passos de Jeff, tentando descobrir algo daquele misterioso garoto gostoso, já sabemos que ele tem um caso a escondidas com Dener, mas Dener fica com vários garotos do grindr e mente que não se assumi por medo e que vão fugir depois da formatura do ensino médio, ele engana o Jeff o tempo inteiro, o que Jeff tem de bonito e musculoso tem de burrice, mas eu vou abrir os olhos dele.

Conseguir roupa o seu endereço que esta cadastrado na escola, mas chegando no endereço, achei estranho, pois a casa era muito bonita, o pai dele estava com uma mulher loira, e uma criança no colo, brincando no lindo jardim da casa, mas aquela não era a mãe dele, pois era branca, e Jeff tem pele escura, ele já tinha comentado que seu pai era branco e sua mãe era negra, ou seja seus país não estavam mais juntos, fui até a casa.

- sr Miler - digo alto, ele deixaa filha no colo da nova mulher e vem em minha direção.

- oi, posso te ajudar?

- ah, meu nome é Diego, sou amigo do seu filho, o Jeff, queria falar com ele, poderia chamar ele?

- e que ele não mora comigo - diz sem graça - ele ainda mora na casa antiga, eu que me mudei.

- ah sim 

- ele não te contou?

- não comentou nada.

- meu filho sempre foi bem fechado mesmo!

- sim!

- ele precisa de um amigo, eu tento ajudar, mas ele não quer minha ajuda, se puder, eu ficaria muito grato.

- claro, quero muito ajuda-lo, poderia me passar o endereço dele?

- sim - anoto o endereço e vou diretamente para lá.

   A casa parece abandonada a anos, pintura desgastada, alguns videos quebrados, fico até anoitecer, pois percebo que não tem ninguém em casa, então entro pela porta dos fundos, onde a porta pode ser facilmente arrombada, sinto um cheiro estranho, mas continuo andando, a cozinha suja cheia de insetos, apenas restos de comida, sala com muita poeira e um sofá velho, o quarto e o banheiro eram os mais ajeitados e limpos, passo em frente a escoda que dá acesso ao porão e sinto um cheio forte e insuportável de podre, eu já suspeitava o que poderia ser, mas não queria entrar e ver, em seu quarto tinha fotos dele com a mãe e o pai, tinha uma caixa em baixo da cama com fotos com vários garotos, todas tiradas em hoteis baratos de beira de estrada e em seu quarto, os dois sentados na cama, eram 17 fotos no total, provavelmente de suas vitimas, percebo que as roupas dos garotos estão penduradas em seu guarda roupa, ouço o barulho da porta abrindo evou para dentro do armario perto da sala.

- essa é sua casa? - pergunta um garoto entrando na casa

- claro que não, é apenas um local em que me encontro com os garotos do aplicativo.

- ah sim, entendo, que danadinho - diz ele agarrando Jeff e o beijando, parece que não é apenas o Dener que gosta de se divertir com os garotos do Grindr.

Eles começam a tirar a roupa, e eu me sinto péssimo de ver ele beijando e agarrando alguém que não seja eu, queria sumir naquele momento, mas eu não poderia sair do armario.

- você gosta de musica? - pergunta Jeff

- simm - diz o garoto 

- curti the smiths? 

- pode ser! - o garoto parece não se interessar muito por musica e sim pelo Jeff naquele momento, ele coloca a musica alta, parece que vou ter uma chance de sair, assim que a musica começa muito alta eu saio devagar mas logo os gritos começam e a musica desliga me fazendo me esconder debaixo da mesa da cozinha.

- porque algemas? - grita o garoto

- e legal, sensual , não gosta?

- não, me solta por favor, eu quero ir embora! - grita o garoto.

- você não pode ir embora! - a intonação dele muda completamente - você não pode me abandonar como todos os outros.

- me deixa sair saqui, você é maluco, eu so queria transar, mas você e louco, essa casa e estranha e tem um cheiro insuportável - o garoto consegue se soltar e eles começam a lutar, eu aproveito e saio pela porta dos fundos o mais rápido possível, mas a porta da frente se abre e o garoto pelada sai correndo em minha direção 

- socorro, um maluco quer me matar - n]ao penso duas vezes em tirar meu canivete que fica no meu bolso  e enfio em seu estomago, ele cai em cima de mim no mesmo momento, pego ele pelo ombro e vou até a porta da frente, Jeff me olha sem entender =.

- acho que isso é seu! - ele respira fundo, esta de calça sem camiseta, que homem lindo.

- me ajuda a colocar ele no porão por favor! - logo o porão que não queria ir, mas vou mesmo sem coragem, descemos a escada o garoto começa e gemer, ele abre a porta e o cheio fica pior, tem incenso em toda parte para inibir o cheio ruins dos copos pendurados, contei 6, três de cada lada da parede e uma mesa separando os corpos, uma maca no centro e um freezer no canto da parede, colocamos o garoto na maca e ele o amarra rápido.

- eu não quero morrer - diz o garoto com a voz baixa, subimos novamente.

- você estava me segundo? - pergunta Jeff assim que sentamos no sofá

- não, estava tentando descobrir quem você é, eu sei quem são todos do nosso clube menos você!

- gostou do que descobriu?

- eu ja espera Jeff.

- só não entendo o motivo em que você mora nesse lugar se seu pai tem uma casa linda perto da escola.

- minha mãe foi morar em nova york com um dançarina, aluno dela, depois disso ficou apenas eu e meu pai, mas ele acabou casando novamente, se mudando, a mulher dele não me quer naquela casa, desde então eu fico sozinho tentando me virar, não consigo char trabalho pois ainda teno 17, então é isso - diz ele com a voz embargada.

- você não pode continuar aqui, olha o estado dessa casa, daquele porão.

- eu sei, mas eu não tenho para onde ir, não tenho familia, não tenho ninguém , minha mãe não me atende a meses.

- você pode ficar na casa de misericordia de vermont ate os 18 anos, não é o melhor lugar do mundo, mas comida e uma cama quente você vai ter.

- seria otimo.

- Dener não pode te ajudar né.

- ele é um parasita, não quer embora de casa e deixar os país homofobicos.

- eu pensei que vocês dois eram namorados - digo

- somos 

- então e um relacionamento aberto?

- não, eu amo o Dener, mas não consigo matar ele quando me abandona, e nem me afastar pois ele não deixa, ele é a minha droga e eu não sei como reagir com isso.

- por isso fica com esses garotos?

- acho que sim, mas quando eles tentam ir embora, alguna coisa dentro de mim, muito forte se sente abandonado de novo, como minha mãe, meu pai e alguns garotos fizeram ai eu me descontrolo.

- entendo.

- eu sou um monstro.

- todos nós somos - digo pegando em sua mão 

- eu precisa que vá embora, eu preciso terminar um trabalho - diz olhando para o porão.

- claro - me levanto e vou até a porta 

- obrigado Bruce, você é um amigão para mim - dou um sorriso de canto, quando me viro esse sorriso sai imediatamente, chego em casa rapidamente, me deito e choro muito, pois não queria ser apenas amigo do Jeff.

- eu vi que você chegou depois das 22, e sabe que isso não é permitido aqui meu jovem - sussurra padre collin em meu ouviro e depois mordendo a minha orelha.

- e o que você vai fazer comigo?

- vou ter que te castigar - diz passando a mão em meu corpo.

- faça o que quiser padre, eu sou seu!

TYLER 

- meu deus que caixa pesada - diz Akira deixando a caixa sobre o chão - não entendo pra que tanto enfeite, vamos passar o dia dos namorados juntos aqui no nosso galpão?

- claro que não Akira, isso aqui e apenas meu, vocês se virem.

- entendi - diz ele indo embora, aproveito e ligo para Cindy 

- oi gostosa! 

- primeiro eu não sou a sua gostosa e segundo não quer que você me ligue.

- eu amo o seu senso de humor amor, so estou ligando para confirmar as 20 horas no mesmo lugar de sempre - ele da gargalhadas 

- hoje é dia dos namorados e eu vou ficar com o meu namorado.

- resposta errada amor, te espero beijão - digo desligando o telefone.

CINDY 

- ahhhhhh, como eu odeio esse garoto! - digo gritando.

- problemas com o namorado senhora? - diz a empregada fazendo massagem em meus pés 

- não empregada, e apenas um caipira querendo ser meu namorado. 

- mas ninguém pode competir com o seu namorado Dener, ele é um verdadeira príncipe.

- e verdade - mas na verdade pode sim, na verdade Tyler e bem melhor que Dener em tudo, beijo, sexo e me bajular, o sexo com Dener e péssimo, não fica em pé nem seis segundo, não o julgo ele gosta de outra coisa, mas preciso dele infelizmente.

- em falar nele, ele já esta a sua espera para te levar a escola.

- que romântico!

- eu também acho - me arrumo rápido e desço as escadas.

- meu amor você esta linda hoje - diz Dener me dando um beijo desajeitado

- obrigado! - ele abre a porta do carro como combinamos, ele esta mais bajulador do que o costume.

- Cindy eu preciso te pedir algo!

- sabia que essa bajulação estaria demais.

-  e serio!

- então diga querido - ele esta serio dirigindo.

- preciso que você me libere para passar a noite dos namorados com o Jeff, é muito importando que passamos juntos - dou gargalhadas.

- não, temos um cronograma a seguir, jantar no meu barco que é um restaurante , tirar foto no barco e passar a noite nele sendo servidos como principes que somos, mesmo que não vamos fazer nada, precisamos passar a noite juntos, e claro postar uma foto muito bonita.

- por favor!

- não! - ele resmunga e respira fundo.

JEFF

Estou indo em rumo ao campo treinar quando ouço uma voz me chamar.

- oi, Jeff - diz Bruce

- oi Bruce

- ta tudo bem? - pergunta sem jeito.

- sim, e você?

- estou - ficamos em silêncio.

- quer me dizer algo? - pergunto sem entender 

- sim - ele coça a cabeça - queria saber se tem planos para hoje... - dou uma risada.

- tenho, vou passar a noite com o Dener, meu namorado.

- ah sim - diz ele sem graça, saindo devagar.

TYLER 

- UAU, isso aqui esta realmente bonito - diz Bruce entrando 

- obrigado, animado para o dia dos namorados?

- não, sou um idiota, chamei o Jeff para sair e elevei um toco.

- tenta endender ele - digo colocando os balões de coração em cima da cama improvisada que eu fiz - ele gosta desses garotos de aplicativo...

- e pior, ele vai passar a noite com o Dener. - paralizo no mesmo momento.

- mas a Cyndi disse que eles passariam juntos.

- ela é uma idiota de pensar isso, ele jamais vai deixar de passar com o Jeff para ficar com ela, até dela estou com pena, ajuguel um barco para eles passar a noite no lago.

- barco?

- sim - paro o que estou fazendo e ja tenho um novo plano.

- eu preciso ir - digo saindo com passos rápidos, ele fica sem entender, volto - já que você gostou fique aqui hoje, traga alguém, traga ele, Dener não o merece, vocês se merecem - dou um beijo em sua testa e vou correndo.

musica: the trip (still corners

AKIRA 

   Assim que anoitece, coloco minha melhor roupa, e vou até a casa dos desejos, afinal, nem uma aberração como eu e outras aberrações merecemos ficar sozinhos, e o dia em que a casa esta mais cheio.

CYNDI 

Estou vestida de vermelho, afinal é a cor do amor, minha make esta babadeira, estou pronta para fingor ser namorada daquele verme, ele não merece esse mulherão, mas vamos lá afinal é uma reputação a zelar.

- senhora, Dener mandou um motorista te buscar, e já esta te esperando em uma limousine.

- parece que ele esta aprendendo - passo o gloss e desço 

- que rainha essa minha filha! - diz papai assim que chego na sala, dou uma voltinha e o abraço.

- vai ficar sozinho? - pergunto.

- sim, recebi varios convites de bofes, mas estou cheio de trabalho, então ficarei aqui, divirta se por nós - seu que é mentira, ele vai ficar sozinho porque não tem ninguém nas horas de carência, apenas quando ele abre a carteira, pobre papai, dou um beijo de despedida e vou, a limousine é branca e mais linda ainda por dentro, parece que Dener esta se esforçando mesmo.

   Chegamos na orla e o barco esta lindo como eu pedi, desço e entro, procuro por ele mas não tem ninguém, o barco se movimento e vou até a entrada e Tyler esta lá, vestido a rigor, lindo, mais lindo ainda na verdade.

- você me sequestrou! eu cou ligar para a policia - digo empurrando, ele me segura e olha no fundo do meu olho.

- chega, se você quer que eu vá, eu vou embora, mas nunca mais teremos nada, mas se quiser que eu fique eu prometo que vou fazer você ter o melhor dia dos namorados do mundo - respiro fundo.

- eu te amo - ele me beija - mas isso tem prazo de validade.

- então vamos aproveitar cada momento - ele começa a tirar minha roupa e eu a dele.

DENER 

   Chego na casa da Cyndi com um aperto no coração e mando uma mensagem para o Jeff " desculpe, mas ela não me liberou, prometo que teremos outras oportunidades meu amor, te amo" saiu do carro e toco a campainha, mas ninguém atende, a porta esta aberta e entro, a empregada esta nas escadas.

- desculpe estava lá atrás por isso demorei - diz a empregada.

- tudo bem, pode chamar a Cyndi, estou com pressa.

- querido ela já foi com o motorista que você enviou para buscar ela - fico sem entender, mas espero que ela tenha sido sequestrada e morta.

- que droga! esculto um grito, logo em segunda um barulho de garrafa se quebrando, a empregada revira os olhos.

- todo ano a mesma coisa! - diz ela saindo da sala, vou até o escritorio onde escutei o barulho, o pai da Cyndi esta de cueca, chorando no chão e bebendo um copo de whisky - eu nunca tinha percebido como ele era gostoso.

- esta tudo bem senhor walker? - ele limpa as lagrimas.

- sim , me desculpe, não sabia que estava ai.

- pois é, vim buscar sua filha mas ela já esta acompanhada.

- sinto muito - diz ele 

- tudo bem, acontece - ele senta em uma cadeira.

- aceita alguma coisa?

- claro - digo indo em sua direção e o beijando .

- o que esta fazendo garoto? - pergunta perdido, tiro a camiseta e começamos a nós beijas, posso sentir sua ereção e isso me deixa mais excitado.

BRUCE 

Estou bebendo sozinho no galpão dos serial killers quando Jeff chega com lagrimas nós olhos e deixando meu coração palpitar.

- desculpa, pensei que não tinha ninguém!

- relaxa, vim por esse motivo também, aceita bebida - ele se senta ao meu lado e bebi uma dose generosa de vodka - esta tudo bem?

- não, ele não foi me encontrar, mais uma vez abandonado.

- eu sinto muito.

- eu queria tanto matar ele, mas eu percebi que enviar uma faca em seu peito não adianta, eu preciso matar lo dentro de mim.

- então mate-o 

- como? - pergunta com mais lagrimas, respiro fundo e beijo seu labios devagar.

- e se você também me abandonar?

- eu prometo que não vou Jeff, nós dois somos sozinhos no mundo, se agarra em mim, que eu me agarro em você, e ambos viraremos apenas um - ele chora.

- então mata ele dentro de mim, eu te imploro - eu dubo em cima dele e o beijo, tiro sua roupa, beijo seu corpo inteiro, mordo seu mamilo e ele se entrega com um gemido me fazendo ficar excitado e transamos pela primeira vez, foi intenso, devagar e gostoso.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...