1. Spirit Fanfics >
  2. CNM - Hades e Persefone (Ikki x Esmeralda) >
  3. Olhos esmeralda

História CNM - Hades e Persefone (Ikki x Esmeralda) - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Shun sugere um tratamento para acabar com o vicio de seu irmão. Ikki não parece está muito feliz com essa ideia, mas algo (ou alguém) faz o cavaleiro de fênix mudar de ideia.

Capítulo 2 - Olhos esmeralda


Fanfic / Fanfiction CNM - Hades e Persefone (Ikki x Esmeralda) - Capítulo 2 - Olhos esmeralda

“Centro de reabilitação?” Ikki questionou Shun, o de fênix estava sentado na mesa com um panfleto na enquanto Shun guardava comida na geladeira “Nem f****do” Ikki respondeu jogando o papel brilhante no meio da mesa “Posso cuidar disso sozinho”

“Então o que é isso?!” Shun colocou a garrafa de refrigerante em cima da mesa.

“É refrigerante” Ikki respondeu.

Shun pegou a garrafa e abriu a tampa “Então você não vai se importar se eu jogar na pia?” Ikki deu um pulo na cadeira, revelando mais uma estratégia falha dele de beber um pouco “Viu? Eu me preocupo Ikki” De qualquer forma Shun jogou a cerveja na pia “Já é a quinta vez essa semana... É hoje é terça!”

Os dois já estavam nesse processo há quase três meses. Shun passou a morar com Ikki numa casa de aluguel mais distante, mas por causa da faculdade de medicina e os treinamentos para cavaleiro de virgem, Shun ficava fora e Ikki não podia evitar. De madrugada, Shun encontrou o irmão fumando. Quando um guaxinim mexeu no lixo, Shun viu uma garrafa de cerveja cheia, congelada para Ikki beber mais tarde. E uma seringa grudada no tubo de ventilação. Com tudo isso, Shun não podia negar mais para si mesmo, seu irmão era um viciado... Viciado em cigarro, drogas, álcool e remédios.

Quando parecia está dando tudo certo, Ikki tinha uma recaída sempre que Shun piscava “Ikki, por favor, é só algumas consultas. Lá é legal, tem jardim, um estúdio de desenho e pintura, tem grupos de apoio, psicólogos e psiquiatras disponíveis... Por favor”

Ikki deu um longo suspiro, ele desistiu de discutir com o irmão “Ok, vou visitar, mas só uma vez”

“É!” Shun deu uns pulinhos de alegrias “Vou tomar um banho e logo a gente vai”

“Agora?”

“É, quando mais cedo melhor. Antes que você mude de ideia!”

Shun correu até o banheiro, não demorou muito para Ikki ouvir o som da agua. O de fênix se levantou e foi até a pia. Ainda tinha um pouco de cerveja escorrendo pelo ralo. Ikki deslizou o dedo pelo alumino e colocou na boca, apenas para sentir o gosto do que, durante quase dois anos, foi a sua fonte de alivio ‘Realmente, preciso de ajuda’

SS~SS~SS~SS~SS~SS

Os irmãos chegaram naquela reabilitação, o prédio era enorme e tinha um gigantesco jardim. Shun usava um boné para esconder seus cabelos verdes, já que ele era “famoso”. Enquanto Ikki usava um casaco com capuz e uma máscara de higiene. Na entrada do prédio, não havia ninguém na recepção do prédio “Oi!” Shun gritou, se apoiando no balcão “Não tem ninguém”

Os dois esperaram um pouco na recepção até uma mulher de cabelos loiros, quase brancos, aparecesse na recepção “Desculpa, estava cuidando de alguns assuntos” A mulher falou, ela aparentava ser bem idosa “Sou Denise, a diretora. Bem-vindos ao Elísios”

“Antes que pergunte eu e que sou o viciado da história” Ikki disse de uma vez, deixando Shun meio constrangido “E eu não vou dormir aqui, faço as consultas e depois saio”

“Ah...” Denise ficou meio pasma, geralmente era bem demorado convencer as pessoas a ficarem “Então, o senhor pode ir olhar o prédio. Se se interessar por alguma atividade é só dizer” Ikki começou a andar pelo corredor. Denise se voltou para Shun “Ele é sempre assim?”

“Sempre” Shun disse dando um suspiro “Suas atividades são boas não são? Ele provavelmente mentiu sobre querer ficar aqui”

“Então, você é o responsável por ele?” Denise questionou “Vamos, temos que preencher a papelada para as consultas diárias”

SS~SS~SS~SS~SS~SS

Ikki ficou andando pelos corredores debochando silenciosamente do local ‘Não acredito que Shun me convenceu de vir aqui’ Ikki pensou ‘Sei que estou mal, mas... Ah! Que saco! Odeio ficar sóbrio!’ Ikki gritou em pensamento. O cavaleiro de fênix continuou andando até uma sala com uma porta entreaberta. Ikki parou de andar quando ouviu um barulho de metal caindo e uma voz xingando baixo “Oi?” Ikki disse entrando na sala. Era um estúdio de pintura, cheio de quadros quase terminados e uma enorme janela que iluminava todo o ambiente “Está tudo bem?” Ikki questionou quando viu uma garota de costas.

“Ah? Sim, só derramei um balde de tinta” A jovem se virou, ela era loira, pele bronzeada, usava uma roupa velha manchada de tinta e tinha olhos verdes brilhantes. Ikki nunca viu olhos tão lindos quantos aqueles “Sou uma tonta” Ela falou limpando a mão na roupa manchada de tinta “Você é novo aqui?”

“Ah? ... N-não, vim por causa do meu irmão” Ikki disse, meio corado, mas ainda bem que estava de máscara.

“Então você é um voluntario como eu?” A jovem questionou.

“Ah... Bem...” Ikki tentou escolher as palavras certas.

A moça apenas bateu na própria testa percebendo o que Ikki quis dizer “Nossa. Me desculpa, você é um dos pacientes. Eu sinto muito, não quis constranger você”

“Tá tudo bem” Ikki disse. O de fênix deu uma tossida para limpar a garganta “Eu sou Ikki... !!!” Ok, por uns instantes ele se esqueceu de uma coisa: O nome dele ficou em destaque nas matérias durante uns... Meses. Por isso, Ikki se arrependeu de ter dado o nome dele.

A jovem colocou a mão no queixo, meio pensativa “Ikki... Esse nome é familiar” Ikki, discretamente coloca a mão atrás das costas e preparar o seu Golpe Fantasma para faze-la se esquecer dos últimos instantes “Você é alguém famoso? Me desculpa, e que eu não tenho televisão em casa” Ikki cancelou seu ataque e viu a jovem dar um sorriso para ele “Me chamo Esmeralda” Esmeralda estendeu a mão para Ikki.

“É um prazer de conhecer” Ikki segurou a mão de Esmeralda, fazendo o cumprimento “E sim, você acertou, sou um paciente aqui. Quer dizer, eu vou ser, ainda falta assinar os papeis”

“O que você está fazendo é muito bom, Ikki. Admitir que precisa de ajuda” Esmeralda falou, sem tirar o sorriso do rosto “Eu sou voluntaria aqui”

“Você que fez esses quatros?”

“Não, foram os outros pacientes. Esse é meu trabalho é uma das atividades aqui no Elísios” Esmeralda falou enquanto andava até a pia para lavar as mãos ainda sujas “Não é uma atividade obrigatória, mas ajuda alguns. Se quiser, minha porta está sempre aberta”

“Vou pensar na oferta” Ikki disse finalmente tirando a máscara e o capuz “Você está aqui todo o dia?”

“Sim, só saio quase de noite para meu curso” Esmeralda falou.

Quando Ikki percebeu ele estava a ajudando com as tintas e alguns pinceis enquanto conversavam. Parecia que o mundo tinha parado, que só eles dois e ninguém mais ‘E talvez eu goste daqui’ Ikki pensou enquanto ouvia Esmeralda conversar com ele sobre as terapias que tinham no Elísios. Quem queria saber se Ikki era paciente ou não? Ikki com certeza não queria, mas falaria sobre isso só para ficar ali, com a garota que ele mal conhece.

SS~SS~SS~SS~SS~SS

“Pintura?” Shun questionou quando viu Ikki anotar as atividades que ele queria fazer no Centro De Reabilitação “Desde quando você gosta de desenhar?”

“Sei lá, só... Me interessei” Ikki falou sem tirar os olhos do papel para se tornar um paciente “Além do mais, não é obrigatório eu ir pra lá todo o dia”

“Que bom que você quis ficar Sr. Amamiya” Denise disse enquanto terminava de preencher os outros papeis “Aqui, os horários de consultas e as regras do prédio. Somos muito cautelosos com nossos pacientes e rígidos com as nossas regras para que nenhum deles tenha uma baixa”

Ikki olhou a lista de regras ‘Quando penso que tenho sorte...’ Ikki pensou lendo uma regra que se destacou em seus olhos. Claro que Shun notou isso.

SS~SS~SS~SS~SS~SS

Ikki e Shun voltaram para casa, claro que o cavaleiro de fênix sentiu os olhos de Shun por trás da nuca “O que foi agora Shun?” Ikki questionou se jogando no sofá.

“Você” Shun disse cruzando os braços “Posso saber por que mudou de ideia?”

“Eu não mudei de ideia, eu disse que ia fazer o tal do tratamento” Ikki respondeu.

“Eu te conheço Ikki, somos sangue do mesmo sangue. Sei muito bem que seu plano original era dizer que ia ficar e depois arranjar alguma desculpa para ir embora” Shun falou isso enquanto apontava o dedo para o seu irmão “Pode me dizer. O que tinha de tão especial naquela Atividade De Pintura, para você mudar de ideia?” Ikki ia responder, mas desviou o olhar do irmão e ficou levemente vermelho. Shun arregalou os olhos, claro que ele já tinha visto isso antes em vários de seus amigos “Ikki... Você está...”

 

 

Continua...


Notas Finais


Existe vários tratamentos para a desintoxicação dos dependentes químicos, entre eles são tratamentos de isolamento ou longos períodos sem bebidas ou drogas. Isso é um desafio, mas não é um desafio impossível.
Se gostaram do capitulo e da historia, por favor comentem, esses comentários e suas criticas me ajudam muito na hora de escrever os próximos capítulos e as próximas historias.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...