História Coelhinho do Papai; ChanBaek; OneShot; Hybrid - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Personagens Originais
Tags Baekhyun, Chanbaek, Chanyeol, Exo, Hibridos, Kpop
Visualizações 1.845
Palavras 2.008
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ecchi, Ficção, Fluffy, Lemon, LGBT, Slash, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


santoirwin: onde vive, de que se alimenta, como de reproduz... Hoje – insira aqui qualquer programa que passa no domingo a noite

DESCULPEM PELO SUMIÇO, EU TAVA COM BLOQUEIO
e então – não faz o menor sentido – eu fui assistir Santa Clarita Diet
E ME TIROU O BLOQUEIO NO SOCO
SIMPLESMENTE SUMIU E EU COMECEI A ESCREVER
aí saiu isso

boa leitura amo vcs

Capítulo 1 - Capítulo Único.


— Não faz assim, bebê… — resmungou o Park, que antes estava focado num livro de biologia marinha, agora tendo Baekhyun esfregando aquela bundinha em seu colo.

Os cabelinhos loiros estavam desgrenhados, denunciando a soneca gostosa que havia tirado há pouco, acordando todo animadinho.

— Channie… — o híbrido de coelho chamou por Chanyeol.

O mais velho levantou-se da cadeira, prensando o pequenino contra a escrivaninha.

— O coelhinho quer atenção do papai? — Sussurrou, sorrindo perverso logo em seguida. O rabo malhado do híbrido de leopardo chicoteava o ar, denunciando sua animação repentina.

— S-Sim, Channie… — Baekhyun choramingou, sentindo as mãos grandes passearem pelo seu corpinho arrepiado.

As orelhinhas brancas compridinhas adoravelmente jogadas para trás contrastavam com as bochechas vermelhas do Byun, que agora recebia beijinhos do papai no pescoço, os quais lhe deixavam molinho em segundos.

Chanyeol achava incrível como aquele coelhinho tão pequeno poderia lhe deixar duro em poucos minutos. Seu pau doía de tanto tesão, sedento para arrombar as preguinhas do namorado que com certeza se babaria inteirinho, agarrando os lençóis, desesperado.

Era fato que o felino adorava deixar Baekhyun destruído no fim da noite.

— Você quer me dar essa bundinha agora, coelhinho? — A mão direita do Park agarrou o rabinho felpudo do mais novo.

— A-Ahn… — Baekhyun gemeu desnorteado. Poxa, ele sabia que seu rabinho era seu ponto fraco! — M-Meu rabinho, p-papai! — Estava na pontinha dos pés, contorcendo-se enquanto o moreno puxava seu rabinho sensível.

A cauda comprida do leopardo passeava por suas coxas grossas, arrepiando sua pele branquinha enquanto chupava sua nuca, ainda sem largar seu rabo.

— Você é sensacional, meu amor. — Sua mão esquerda adentrou a camiseta que o mais novo usava, passeando-a pela barriguinha rechonchuda do menor. — Tão sensível… Aposto que se eu apertar seus peitinhos agora você vai se babar todinho, uh, bebê? — Sussurrou sorrindo sacana enquanto subia sua mão, chegando até os mamilinhos sensíveis, apertando-os. Sabia como Baekhyun era frágil então não fora surpresa o soluço solto pelo coelho. — Você sente? Sente como deixa meu caralho duro, louco pra se enterrar nesse cuzinho apertado que você tem, coelhinho?

— O p-pau do p-papai é t-tão grande… — Rebolou devagarinho contra o volume pressionado em sua bundinha.

— E a minha princesa adora, hm? Adora sentar até o talo no meu cacete… — Abaixou a boxer branca do mais novo, apertando com gosto as nádegas bonitinhas.

— S-Sim, Channie… O Baekkie a-adora. — O Byun respondia com dengo.

Chanyeol queria rir de como ficava todo molinho apenas com uns carinhos e palavras sujas sussurradas.

Conhecia o pequeno coelhinho há algum tempo, já que desde que o menor havia entrado no colégio havia chamado grande atenção de seus colegas, mesmo sendo bons anos mais novo. Já não aguentava mais seus amigos falando sobre aquele híbrido novinho e o quanto ele era gostoso

E de fato era. Baekhyun era inocente demais para entender que bem… Era gostoso demais para sua própria segurança.

— O Baekkie quer t-tanto que você coma a b-bundinha dele, papai… — Manhou o coelhinho, choramingando.

Era tão gostoso sentir aquelas mãos grandes e pesadas passarem por todo o seu corpo, deixando suas perninhas formigando. Todo o seu corpinho miúdo estava repleto de tesão e isso lhe deixava tão molinho…

— Por que não tira essa roupa 'pro papai, hm? — Apalpou com vontade a carne farta da bunda do menor.

Com muito esforço o mais novo afastou-se, trêmulo, retirando sua camiseta e terminando de abaixar a boxer pelas pernas grossas e bonitas que sabia que o namorado tanto amava.
Gemeu com todo o dengo que possuía ao tocar com o indicador a cabecinha de seu membro inchadinho e molhado, completamente duro.

Caminhou devagarinho até a cama do mais alto, deitando-se e logo se virando de bruços sobre os lençóis macios, logo tratando de provocar o ruivo – este que lhe olhava com luxúria, louco para abusar daquele corpo pequenino e branquinho –, sustentando sua bundinha bem empinada sobre os joelhos, e com a bochecha ainda pressionada contra o colchão, pronunciou-se.

— Vem, papai.
 

Deus… Chanyeol nunca de fato gostou de fantasias sexuais como policial, enfermeiro ou gatinho… Mas aquele coelhinho nunca deixaria de deixar seu pau extremamente duro só… Só sendo ele mesmo.
Sendo uma delícia como sempre fora e usando e abusando de toda aquela manha que sabia funcionar com o papai.

O Park não estava preocupado em como havia mudado aquele coelhinho tímido que sequer sabia beijar mas que agora, mesmo não deixando de corar facilmente, fazia o melhor boquete que já havia recebido. Não se preocupava nem um pouco em ter viciado o pequeno Byun a sentar com força e rebolar gostoso ou mesmo pedir carinho com todo o dengo do mundo. Aquele era o seu garoto, o seu coelhinho.

Não demorou a seguir até a cama, retirando as roupas que ainda jaziam em seu corpo e ajoelhando-se na cama, não demorando a agarrar em ambas as nádegas durinhas, não pensando duas vezes antes de cair de boca naquele buraquinho apertado.

O gemido alto e surpreso que cortou a garganta do Byun, fora, talvez, o mais delicioso som que o leopardo havia tido o prazer de escutar.

— I-Isso, papai… C-Chupa o cuzinho do B-Baekkie… Chupa e-ele todinho. — Balbuciou baixinho, revirando seus olhinhos enquanto agarrava os lençóis. — D-Deixa ele bem m-meladinho pro pau do Channie en-entrar…

Levou a mão esquerda até o rabinho felpudo pouco acima de seus olhos, puxando-o de levinho enquanto chupava aquela bunda gostosa.

— Papai! — Baekhyun soluçou, apertando os lençóis sob os dedos bonitos. O felino deixou uma risada sacana escapar, mordendo a nádega alheia. — N-Não… Não p-para, p-p-papai…

O Byun tratou de empinar-se o máximo que podia, arrepiando-se, todo trêmulo ao sentir a cauda comprida e malhada do felino passear com suavidade por suas coxas.

— Olha só como você empina quando quer me dar… — Sussurrou contra o pescoço cheirosinho do mais novo, deslizando dois dedos para dentro dele, ouvindo um gemido sôfrego escapar da boquinha molhada. — Isso, amor… Geme pro papai, coelhinho.

Já que os híbridos não sentiam dor naquele lugar, a única coisa que sobrara fora o prazer proporcionado pelos dedos grossos e ágeis sendo enfiados com gosto em seu cuzinho.

Adorava quando ele fazia isso... Beijando seu pescoço enquanto sussurrava aquelas coisas sujas que, mesmo corando toda vez, adorava ouvir na hora do sexo. Socando aqueles dedos enormes bem gostoso em sua bundinha, lhe dizendo como iria lhe comer naquela noite e puxando seu rabinho sensível, adorando ouvir seus gemidos manhosos e choramingos cheios de dengo assim como sentia seu pau pulsar entre as pernas ao vê-lo com os lábios vermelhinhos partidos, se babando todinho ao ter a próstata tocada.

— C-Ch-Channie… Eu quero você… — Choramingou, tremendo todinho.

O Park retirou os dedos do buraquinho apertado do Byun, sorrindo sacana ao estalar um tapa na nádega gordinha e ouvir o menor soluçar, rebolando.

Chanyeol punhetou o pau duro entre suas pernas, esfregando-o entre as bandas redondinhas da bunda gostosa do mais novo por pura maldade, não contendo o riso ao vê-lo piscar e as coxas tremerem.

— É aqui que você me quer, coelhinho? — Ameaçou penetrar, puxando de leve o rabinho branco e felpudo, vendo-o contorcer-se todinho, agarrando os lençóis.

— S-Sim, papai! Por favor… — As mãozinhas delicadas do menor separaram suas próprias nádegas. — E-Eu quero o-o Yeollie indo bem fun-fundo no meu cuzinho… P-Por favor, por favor…

Decidindo parar de torturar o pequeno, Chanyeol empurrou-se para dentro daquele buraquinho, ouvindo com deleite o gemido manhoso e arrastado do menor, que, mesmo que não pudesse ser visto, revirou os olhinhos escuros assim que o teve completamente dentro.

Baekhyun ouviu a cauda comprida de seu hyung cortar o ar quase ao mesmo tempo em que ele debruçou-se sobre si, retirando aquele caralho quente e molhado de sua entradinha para logo depois voltar a enterra-lo com força, arrancando de si um soluço e um gemido engasgado.

— Tão apertado, meu garoto… — Gemeu grave e grosso contra a orelhinha do coelho, que choramingou todo dengosinho e sensível, sentindo uma das mãos de seu papai subir por sua barriguinha, apertando um de seus mamilos eretos e rosadinhos.

— O c-cuzinho do B-Baekkie é apertadinho, pa-papai? — Sua voz saíra tão trêmula quanto suas coxas.

— Muito apertado, bebê. Seu cuzinho quase esmaga o cacete do papai, delícia… — Estapeou a nádega direita do loirinho.

Baekhyun não podia explicar o que sentia quando o Chanyeol metia até o talo, judiando de sua entradinha sensível e lhe fazendo morder os lençóis para evitar o grito que subia por sua garganta. Não sabia como aquele caralho grosso cabia em seu buraquinho tão pequenininho, e, ao enterrar-se com força e bem fundo, o Byun soluçava e espasmava. Droga! Papai não tinha a menor dó de suas preguinhas… Será que ele não percebia o quão era pequenininho e frágil?

Não doía, muito pelo contrário, era uma delícia ser comido daquele jeitinho, mas se continuassem assim, Baekkie não aguentaria! 
Cada vez que o pau do ruivo acertava seu pontinho doce o loirinho se encolhia e tremia todinho, sentindo o orgasmo mais perto do que nunca.

Suas pernas estavam entrelaçadas às do maior e sua bundinha bem empinada, sentia os lábios quentes do Park beijando e chupando seu pescocinho sensível. Uma das mãos de Chanyeol puxava o rabinho felpudo do coelhinho, enquanto a outra apoiava-se na cama, não deixando sequer um segundo de meter naquele cuzinho apertadinho, deixando um riso sacana escapar ao ver o loirinho contorcer-se todinho, choramingando desesperado enquanto agarrava os lençóis.

— Você está perto, amor? — Diminuiu a velocidade das estocadas, metendo devagarinho porém não deixando de ir fundo. — Quanto mais fundo eu enterro meu cacete nessa sua bunda bonita, mais te sinto apertar. Você vai gozar, delícia? — A voz grave soava ofegante e arrastada. Extremamente sexy.

— E-Eu vou, p-papai! — Soluçava, sentindo as lágrimas grossas rolarem por suas bochechas quentinhas. Estava tão sensível…

Antes que pudesse pensar, sentiu sua entradinha vazia e logo fora virado para o ruivo, que lhe fitava com os olhos felinos – literalmente –, sorrindo ao ver a situação do coelhinho; uma bagunça de lágrimas e saliva, a tez branca orvalhada e as mãozinhas trêmulas.

— Você está uma bagunça… — Debruçou-se sobre ele, beijando os lábios vermelhinhos com lascívia, sentindo os bracinhos do coelhinho abraçarem seu pescoço.

Baekhyun gemeu todo dengozinho contra a boca do ruivo ao senti-lo esfregar o membro duro contra seu cuzinho sensível, provocando um pouco antes de penetrar, indo até o fundo, vendo o Byun arquear-se todinho.
Não demorou a agarrar as coxas grossas e voltar a meter rápido e fundo naquele buraquinho quente, afinal, também estava perto de gozar.

O coelhinho sentia a cauda comprida do leopardo passear pelas costas largas do próprio enquanto a arranhava, não demorando a enrolar-se em seu pulso, e, com um puxão gentil, ouviu o gemido grave do felino.

Chanyeol sentia o loirinho esfregar-se a si todo manhoso conforme seus gemidos aumentavam de volume, denunciando o quão próximo estava seu orgasmo.

Tornou a por-se de joelhos, separando as perninhas roliças do Byun, apertando-as enquanto socava o cacete duro e molhado que tinha entre as pernas rápido e fundo contra a entradinha avermelhada. Baekhyun chorava e gemia desesperado, tremendo e espasmando inteirinho, entrelaçando suas mãozinhas às do maior.

— 'T-Tá vindo, p-p-papai! — O tom choroso poderia ser até considerado fofo se ouvido fora de contexto, mas naquele momento só parecia extremamente erótico.

— Goza, delícia. Deixa o papai ver você se melar todinho...

Logo o coelhinho não aguentou, arqueando as costas e revirando os olhinhos enquanto gozava, melando toda a barriguinha que agora subia e descia rapidamente. O corpinho frágil espasmava e a entradinha já apertada contraía-se mais ainda ao redor do pau inchado do mais velho.

— Agora o Baekkie vai ajoelhar e ficar quietinho, sim? — O leopardo sussurrou, beijando o maxilar delicado. — O papai vai leitar essa sua carinha bonita…


Notas Finais


esse foi diferente pq o daddykink – eu achei – não foi tããão igual o tradicional E OS DOIS SÃO HIBRIDOS AA
quem ta no grupo do zap top sabe que eu me inspirei uma fanart que eu mesma mandei, BA MEU IRMÃO EU FIQUEI MALUCAAAAAAAAAAAAA

espero que vocês tenham gostado hihi




Mandem mensagem no curious cat ou entrem no grupo no wpp pra gente dar uma conversada, não sejam tímidos...
Curious cat: https://curiouscat.me/santoirwin
Grupo: https://chat.whatsapp.com/0PfX0w5e27e84Z05q4GaM4


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...