História Coexistence - stony - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Capitão América, Homem de Ferro (Iron Man), Homem-Aranha, Os Vingadores (The Avengers)
Personagens Anthony "Tony" Stark, Bucky, Clint Barton (Gavião Arqueiro), Dr. Bruce Banner (Hulk), Feiticeira Escarlate (Wanda Maximoff), James Rupert "Rhodey" Rhodes, Loki, Natasha Romanoff, Nick Fury, Peggy Carter, Peter Parker (Homem-Aranha), Pietro Maximoff (Mercúrio), Sam Wilson (Falcão), Steve Rogers, Thor, Wade Willson (Deadpool)
Tags Peter!kids, Spiderpool!kids, Steve Rogers, Steven Policial, Stony, Superfamily, Tony Rico, Tony Stark, Wade!kids
Visualizações 381
Palavras 1.660
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Fluffy, Lemon, LGBT, Policial, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


oi

refiz toda a hora esse capítulo pq nunca ficava satisfeita. Bom, ainda não tô satisfeita mas é isso.

Capítulo 10 - 09


Eles chegaram na ilha particular pela manhã. Steve sabia que era uma ilha de Tony e sabia que ficava em algum lugar do Caribe. Mas ele não sabia que era tão grande. Quando chegaram pela manhã, de helicóptero, ele só queria dormir. Eles tinham dormido no avião mas ele ainda se sentia cansado.

Todavia, Tony tinha idéias melhores para fazerem ao invés de dormir.

Assim que colocaram o pé para dentro da mansão, Steve ia perguntar se Tony queria comer algo antes deles descansarem mas sua boca foi ocupada pelos lábios macios de seu marido.

Não ficou surpreso, mas pensou que Tony queria descansar. Entretanto, se ele queria começar a lua de mel assim, Steve não iria reclamar. Não mesmo.

Sentiu a língua quente e sorrateira entrando em sua boca, se entrelaçando com a sua de um modo gostoso. As mãos de Steve foram parar nas coxas fartas do seu marido e as apertou. Tony entendeu o recado e deu um pulinho, logo entrelaçando as pernas na cintura do loiro. Steve andou com ele sem rumo, não queria parar o beijo para perguntar onde ficava o quarto.

— Terceira porta a esquerda. - Tony disse rápido quando se separaram para respirar um pouco mas logo voltaram a se beijar.

Steve demorou mais do que o normal para encontrar o quarto. Quando achou entrou no mesmo e não demorou para Tony sentir o colchão macio em suas costas.

— Pensei que quisesse descansar. - A boca de Steve estava mais rosada que o normal, pelos beijos com pouquíssimas pausas.

— Eu só preciso sentar um pouco para descansar - O sorriso lascivo de Tony fez Steve tremer. - Sentar em você.

— Faça como quiser, esposo. - Os olhos de Tony brilharam quando escutou a última palavra sair dos lábios de Steve.

Ele estava amando ser chamado assim.

Sentiu a língua do maior passar pelo seu pescoço e arfou baixo, fechando os olhos. Suas mãos foram para blusa social do loiro e não fez questão de abrir os botões, deu um puxão e só pode ver os botões voando para lados. Bom, pelo menos ele estava sem camisa.

— Está tão apressado hoje, meu amor. - Sussurrou no ouvido do menor e lambeu o pescoço devagar - Eu vou te comer em todas as posições possíveis hoje.

Tony tremeu quando escutou a voz rouca proferir tais palavras sujas e sua entrada piscou em expectativa.

Viu como Steve foi tirando sua roupa devagar, sem aquela pressa que ele tinha tirado sua camisa. Quando se viu sem a parte de cima das vestes, gemeu baixo sentindo a língua lasciva rodeando seu mamilo esquerdo. Abaixou o olhar e não se arrependeu de tal ato, Steve o olhava com fome enquanto lambia e mordia seu mamilo, o deixando bem vermelho e inchado.

A boca de Steve deixou seu mamilo e ele já ia resmungar quando sua voz foi cortada pelo próprio gemido alto. Steve tinha o penetrado com dois dedo de uma vez. Tony não tinha nem visto onde ele tinha pegado o lubrificante. O corpo do mais alto se inclinou sobre ele e sorriu safado.

— Mexa esses dedos agora. - Ordenou, com a voz baixa e meio cortada, mas mesmo assim tentou colocar autoridade.

Steve amava quando Tony pensava que tinha alguma autoridade na cama.

— Você está me mandando? - A voz de Steve era rouca e maliciosa. Já ia tirar os dedos de dentro do menor quando sentiu a mão do mesmo o impedir de sair.

— Não... E-eu não estou. - A face de Tony estava vermelha e ele não conseguia olhar para Steve, pois sabia que iria ficar mole diante daqueles olhos azuis.

— Então peça, Anthony. - Steve não desviou o olhar nem por uma segundo da face do menor. - Olhando pra mim.

A mão de Tony soltou o pulso de Steve devagar e ainda lutando contra o orgulho olhou diretamente para aquela imensidão azul lasciva.

— Você é um desgraçado, Steve Stark-Rogers. - Disse baixo, e Steve sorriu de lado. - Por favor... Afunda a porra desses dedos em mim.

Steve não esperou ouvir outro xingamento vindo de Tony e penetrou os dois dedos de uma vez. Tony jogou a cabeça para trás e urrou de prazer. Segurou nos ombros de Steve sentindo os dedos longes roçando na sua próstata, causando um prazer sobrenatural em seu corpo. Steve beijava, lambia e mordia o torso do menor com devoção, enquanto afundava os dois dedos no corpo esbelto.

— Steve... A-assim eu vou gozar... - Gemeu alto e manhoso, não se segurando e começando a rebolar nos dedos longos. - Eu quero gozar sentando em você... Stee...

— Então vem cá, bebê. - Steve tirou os dedos de dentro dele devagar e saiu da cama, para terminar de tirar o restante de suas roupas.

Voltou para cama já nu e se sentou, apoiando as costas na cabeceira da mesma. Viu como Tony veio até ele e apoiou as mãos em seus ombros apertando as unhas ali enquanto sentava em seu pau. As feições de prazer que Tony fazia enquanto se sentava devia ser considerado arte, como ele fechava os olhos com vergonha de olhar diretamente para, como ele abria a boca para gemer o nome de Steve livremente, era a pura arte.

Quando Tony terminou de sentar, Steve começou a beijar devagar seu pescoço e fazendo um carinho em sua costas, para ele se acostumar com a invasão, já que fazia uma semana que não transavam e estavam ocupados demais com o casamento.

Logo Stark começou a se movimentar, subindo e descendo devagar e dando reboladas para começar. Não demorou para ele pegar um ritmo certo e começar a descer e subir, dar reboladas ou só deixar Steve o foder em um ritmo rápido e certeiro.

— Porra, Tony! - Gemeu com a voz rouca e o sorriso safado não saia dos lábios, enquanto via a sua obra de arte quicando em si.

Segurou na cintura do menor fazendo ele parar com o movimentos já que via ele cansado e começou a investir com voz dentro do buraquinho rosado. Via Tony se contorcer de prazer encima de si e ele queria gravar aquele momento pra sempre.

Com um grito alto Tony gozou entre os dois e Steve não precisou nem o tocar. Com isso, o menor apertou mais o pau do marido dentro de si. E não demorou para Steve estar se derramando dentro dele com jatos fortes de gozo.

Eles caíram cansados na cama e logo Tony foi para o peito de Steve como um gatinho manhoso.

— Tenho que concordar com a pessoa que disse que a primeira transa depois de casados é a melhor. - Steve riu baixo com a fala do menor e deixou um beijo casto nos cabelos suados.

                       °°°

Eles só acordam no final da tarde. Quem levantou primeiro foi Steve, tomou um banho e colocou apenas um roupão. Desceu para a cozinha e percebeu que eles realmente estavam sozinho em uma ilha enorme. Tony não tinha jeito mesmo.

Steve queria fazer um lanche para Tony comer assim que acordar. Eles dormiram muito e desde que chegaram não comeram nada.

O problema era que Steve não sabia mexer no fogão.

— Será que para fazer um sanduíche precisa do fogão? - Pensou, procurando o pão de forma e mais alguns ingredientes. - Nunca vi Tony fazendo sanduíche no fogão, então não precisa 

Ele fez um sanduíche com os ingredientes que tinha ali e também fez um suco natural de laranja. Colocou os sanduíches em dois pratos e levou pra o quarto.

Quando chegou lá, Tony já estava sentado e olhava confuso para o lado vazio da cama.

— Me procurando, baby? - Disse, vendo o sorriso singelo de Tony quando viu o mais alto se sentar na cama com o café a manhã.

— Sabe que não gosto quando você sai e eu acordo sozinho. - Sorriu preguiçoso dando um beijo na bochecha do outro.

Eles tomaram café e depois foram passear pela ilha.

Tinha uma praia linda, que dava pra ver todo o litoral e Tony prometeu que no pôr do sol iria levar Steve ali. Tony levou ele até uma pequena cachoeira e disse que era o lugar favorito dele da ilha.

— Quer tornar esse lugar mais especial?

Foi o que Steve disse antes e pegar Tony no colo e pular dentro da cachoeira juntos. Eles fizeram amor dentro da água e Tony teve a certeza que realmente teve a certeza que aquele lugar tinha ficado mais especial.

Eles só voltariam para a casa segunda a noite, mas quando era domingo a tarde receberam uma ligação de Peter alegando que estava com saudade e que não podiam abandonar ele depois de casados. Depois de uma ligação de uma hora e meia só com Peter reclamando de saudade, eles resolveram ir mais cedo pra casa. Afinal, eles tinha a vida inteira para programar outra lua de mel.

Tony achava impressionante que depois de tudo que passaram eles estariam ali, sendo uma família. Nunca imaginou que aquele loiro alto que parecia o marido da Barbie iria ser seu marido. Nunca imaginou cuidar de Peter, e considerar ele um filho.

E ele só tinha que agradecer a May, por ter confiado a guarda naqueles dois idiotas que se odiavam. Agradecer que só ela tinha visto como ia ser o futuro daqueles dois, e deu apenas um empurrãozinho.

Nunca imaginou que alguém arrogante como ele poderia ser feliz daquele modo. Steve o transbordava, como ninguém tinha o feito antes. E o melhor de tudo é que ele transbordava Steve de volta. Tony podia amar.

E não foi amor a primeira vista, não mesmo. Foi a convivência. A convivência fez eles se apaixonarem aos poucos pelos pequenos detalhes um do outro até se verem amando por completo.

Agora Tony podia falar que tinha tudo na vida. Por que Peter e Steve eram a definição de tudo.


Notas Finais


não gostei tanto desse capítulo, mas eu vou me esforçar demais para o epílogo ser muito melhor.

Eu não sei fazer finais :(((

gostaram da nova capa? minha namorada que fez 💖

vou tentar trazer o epílogo mais rápido o possível e mais grande.

amo vocês 💖


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...