História Coffe after kiss - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Demon Slayer: Kimetsu no Yaiba
Personagens Inosuke Hashibira, Nezuko Kamado, Tanjirou Kamado, Zenitsu Agatsuma
Tags Demonslayer, Hashirainosuke, Inosuke, Inotan, Kamado, Kamadotanjirou, Kimetsunoyaiba, Nezuko, Tanjirou, Yaoi, Zenitsu, Zenitsuagatsuma
Visualizações 69
Palavras 1.378
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


OI GENTEEE, é a minha primeira fanfic, então relevem qualquer coisa, pufavo. Se encontrarem erros, me avisem! Espero que gostem, sério. Eu gostei bastante de escrever esse capítulo, me distrai bastante porque amanhã tem Enem e eu estava quase surtando. But, Inotan é a coisinha mais linda do mundo mano e eu consegui me acalmar escrevendo
Ah! A capa eu peguei do twitter mas agora não lembro o nome da autora
Sem mais delongas, vamos pra estória!

Capítulo 1 - 01


Fanfic / Fanfiction Coffe after kiss - Capítulo 1 - 01

Os olhos de tom avermelhado se desviaram de seu foco principal assim que o tilintar de sinos ecoou pelo ambiente. Como um hábito que seguia naturalmente, para Kamado Tanjirou era essêncial recepcionar a clientela com um sorriso no rosto e um tom de voz bondoso, contudo, um cliente em específico mexia com suas estruturas a ponto de fazer com que derramasse o café que ministrava com tanto cuidado anteriormente.

Ah, o garoto que vinha a sua cafeteria uma vez por dia, todas às tardes por volta das 17hrs, –não que Tanjirou estivesse contando, claro que não.– o garoto sempre vinha acompanhado de seu capacete, os cabelos que lhe batiam na altura dos ombros com mexas em um tom de azul escuro eram um charme. E seus olhos? Para Kamado, eram as coisas mais deslumbrante que uma vez já vira; em um tom de verde esmeralda que chamava atenção sem esforço algum. O rosto pequeno e delicado era sempre acompanhado de uma carranca, mas que não tirava a beleza inegável.

Um riso fez com que o garoto de cabelos avermelhados voltasse a si, se amaldiçoando imediatamente por estar parecendo um bocó babando em cima de um cara bonito, que agora com certeza o acharia um idiota em vista da sujeira que havia feito com o café. Um tanto nervoso e quase sendo engolido pela vergonha, limpou a garganta antes de pegar um pano limpo e enxugar o café derramado; podendo sentir os olhos do outro garoto sobre cada movimento seu – o que não facilitou em nada para que seu desempenho fosse afetado – fazendo com que seus movimentos parecessem desengonçados.

— E aí, cara. – O garoto de cabelos escuros cumprimentou o atendente enquanto um breve sorriso se apoderava do lado esquerdo de seus lábios, achando graça da situação.

— Oi! Quer dizer... E aí. – Tanjirou fingiu que algo muito importante devia ser feito atrás de si, apenas para ficar de costas para o outro garoto o mais rápido possível. Os olhos se fechando com força enquanto seus lábios eram comprimidos em uma careta involuntária por sempre fazer papel de idiota na frente do outro, sua voz ressoando muito empolgada para apenas um comprimento.

— O mesmo de sempre, mas dessa vez, não esquece do açúcar, ok? – O tom de voz demonstrava uma risada que queria ser liberta, o Kamado tinha certeza que o outro sorria. Aquele maldito sorriso que fazia com que seu coração falhasse batidas todas as vezes que era visto.

Entretanto, era verdade. No dia anterior Tanjirou acabou ficando tão nervoso na presença do outro que acabou lhe entregando um  café sem adoçar, a careta acompanhada de um xingamento foram mais do que suficiente para se sentir o mais estúpido, e nessa lista incluía seu melhor amigo. Sabia que o garoto de olhos verdes não fazia por mal, após observa-lo tantos dias, era notável o jeito explosivo, então não se sentiu intimidado ou coisa do tipo. Era até comum vê-lo gritando pelos cantos.

Houve um som baixo sobre o balcão, então o Kamado sabia que o capacete descansava sobre a madeira do local. Já era algo costumeiro, afinal, todos os dias eram assim. E mesmo após tantos dias, ainda não havia reunido coragem o suficiente para lhe perguntar o nome. Não o levem a mal, ele apenas tinha muita vergonha e mesmo que cada célula de seu corpo gritasse para que fizesse de uma vez a pergunta tão simples, ainda travava como se suas cordas vocais não funcionassem mais.

— TANJIROU! – Seu nome foi gritado da porta, um Zenitsu afobado entrando como uma rajada dentro do estabelecimento, andando até si de uma forma engraçada. O garoto loiro fungou algumas vezes enquanto se desculpava pelo seu atraso, alegando que seu avô o havia obrigado a fazer tarefas árduas, o que resultou em um sono mais prolongado do que o esperado. Tanjirou apenas revirou os olhos, um sorriso desenhava seus lábios, Zenitsu era seu melhor amigo de longa data e já estava acostumado com situações do tipo.

Assim que a afobação do loiro passou e seus olhos pousaram na figura que emanava rebeldia que agora caminhava até uma mesa próxima, suas feições mudaram completamente. O Kamado imediatamente lançou um olhar feio na direção de Zenitsu, seu amigo já sabia sobre a sua paixonite a um tempo e usava isso para soltar sempre uma piadinha infame, que lhe deixava morto de vergonha até a ponta das orelhas. E naquele dia não foi uma excessão.

Com uma das sobrancelhas grossas levantadas, o Agatsuma desatou a falar.

— Sabe, eu não sei o que fazer... Meu pobre amigo é tão estúpido que não consegue se confessar, acredita?

Kamado engoliu em seco, estava terminando de fazer o café do garoto sentado um pouco a frente e a todo custo tentava se concentrar apenas ali. Iria matar seu amigo por lhe meter sempre em situações esquisitas. Por outro lado, Zenitsu parecia estar sendo ignorado, já que uma resposta não veio. Mas Tanjirou não arriscava tirar os olhos de seu trabalho, ou então não teria certeza se o conseguiria fazer bem. Mas isso não foi o suficiente para fazer com que o loiro se calasse de vez, afinal, ele era bem inconveniente quando queria.

Continuou a chamar pelo garoto de cabelos escuros. Sem resposta. Então Zenitsu apenas soltou despreocupadamente enquanto divagava.

— Você tem uma cara tão delicada que me lembram feições de meninas...

Isso foi o suficiente para que o garoto que até então se mantinha impassível, se levantasse de supetão, a voz grossa soltando um grito que se não fosse pela situação, seria um tanto engraçada. — Quem você tá chamando de rosto delicado? – Perguntou irritado fazendo com que Zenitsu desse um passo para trás e acidentalmente fazendo o Kamado que vinha entregar o pedido, tropeçar a arremessar o café enquanto caia no chão com a força do impacto somado com a sua falta de atenção. Assim que passou os olhos pelo ambiente, notou o que havia feito: o doce sobre o chão, Zenitsu com as mãos sobre os lábios e mais a frente sua paixonite banhado em café, mais especificamente, sua camisa.

Sua mente não processou que possivelmente iria ganhar xingamentos por parte do outro, seus olhos estavam muito ocupados em focar na visão que graças ao líquido do café o proporcionou. Era um corpo definido, como já suspeitava, mas ver os músculos marcados sobre o tecido eram um pouco de mais para si. Quando suas íris pousaram sobre o rosto de traços bonitos, este lhe encarava de volta com um olhar um tanto confuso, o que fez voltar imediatamente para sua órbita. O que estava fazendo? Além de ter derramado café no cara, ainda o ficava secando com olhares? Só podia estar louco!

— Desculpe! E-eu não tive a intenção, olha, foi um acidente. Eu vou te preparar um novo por conta da casa – Estava temendo a reação negativa vinda do outro, mas esta não veio. Se levantou do chão em um pulo, limpando seu avental ligeiramente. Zenitsu ainda se mantinha quieto, observando a situação se desenrolar.

— Não, tudo bem. – Kamado achou que o outro talvez estivesse se controlando muito para não gritar. Sua cara dizia isso. — Onde fica o banheiro?.

A cafeteria em que trabalha e que era de seus pais, era um tanto pequena e naquele horário era pouco movimentada, então decidiu dar assistência ao cliente. Zenitsu estava ali também afinal.

— É nos fundos, me acompanhe, por favor. – Dito isto, foi caminhando na frente, tentava a todo custo engolir seu coração que parecia querer escapar por sua boca. Quando estava de frente para o cômodo citado, se virou e deu de cara com o garoto de olhos verdes sem camisa. Engoliu em seco. Seus olhos lhe traindo ao se pegar encarando novamente aquele físico de dar inveja. Se xingou mentalmente e afastou qualquer pensamento impuro que pudesse lhe passar a mente. Por outro lado, o garoto de cabelos azulados, percebeu o interesse do outro, o que fez com que seu ego que já não era pequeno, crescesse um pouco mais, afinal, o atendente de cabelos avermelhados era deveras bonito e não era de hoje que havia percebido que o outro lhe dava olhares um tanto sugestivos.

— Gosta do que vê, é? A propósito, me chamo Hashibira Inosuke.


Notas Finais


Entoooooon, o que acharam? Deixem nos comentários, plisss. É muito importante e eu ainda tô meio insegura sobre essa coisa de escrever e tal. Enfim, qualquer coisa, só gritar que eu apareço hehe


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...