1. Spirit Fanfics >
  2. Coffe Beans >
  3. Coffe Beans

História Coffe Beans - Capítulo 12


Escrita por:


Notas do Autor


Oi!

Ressuscitando essa fic... Leiam as notas finais, por favor :)

Capítulo 12 - Coffe Beans


Fanfic / Fanfiction Coffe Beans - Capítulo 12 - Coffe Beans

O alarme despertou às 05:30, mas Yoongi virou no colchão apenas para desliga-lo e depois voltar a enterrar o rosto no travesseiro.

Novamente o Café não iria abrir por causa das obras e por estar chegando o final do mês, teria que chamar Cherry, Namjoon e também Jungkook para fazerem o balanço das vendas e ver como foi o lucro ou a falta dele.

Suspirou e quis sumir por entre os lençóis, mas conseguiu voltar para um sono sem sonhos por mais umas horas.

Mais tarde, quando já havia levantado e saído do banho, ouviu batidas na porta, estava voltando para cama quando foi atender quem batia.

— Oh, bom dia Cherry, esqueceu que hoje não iríamos abrir?

Cherry balançou o rosto negando, estava vestindo uma calça jeans preta e uma blusa solta na mesma cor, mas com bordado florido e colorido nas mangas, o rosto não possuía nenhum resquício de maquiagem, mas mesmo assim estava muito bonita.

Ajeitou os cabelos por cima do ombro e mostrou a Yoongi uma sacola que tinha em mãos.

— O que é isso?

— Você acha mesmo que eu deixaria você ir pra sessão de fotos com esse cabelo desbotado? Não mesmo, vamos deixar você preparado para mais tarde

Yoongi nem tinha como contestar ou discutir, sabia que seria perda de tempo, então apenas se deslocou para o lado e deixou Cherry entrar no loft.

A garota retirou os tênis vermelhos que usava e foi se direcionando até o balcão da cozinha onde começou a retirar o conteúdo da sacola, as luvas e potes, o pincel, o descolorante e as tintas que misturaria para conseguir o mesmo tom de azul que Yoongi estava usando.

O rapaz se aproximou calmo e curioso e observava a amiga ajeitar tudo.

— Pensei que você mudaria a cor.

Cherry negou sem olha-lo.

— Você ficou muito bem com essa cor, e sei de alguém que aprovou.

Yoongi revirou os olhos, foi para atrás do balcão ficando de frente para Cherry e ajeitou os fios que caíam por seu rosto.

— Sabe, as vezes eu vejo algumas manias da minha tia em você, o jeito que você enrola os cabelos no dedo quando está pensando ou quando você fica brava e se agita tentando ser ouvida. Você tem vários trejeitos do meu tio também

Cherry riu.

— Foi a convivência.

— Sim...— Yoongi concordou e se virou para o armário em cima da pia. — Quer comer algo ou já tomou café?

— Não comi nada, aceito o que tiver

— Cereal?

Cherry assentiu enquanto abria a caixa do descolorante.

— Essa merda arde, não sei como o Jimin conseguiu passar o ensino médio todo com o cabelo loiro e não ficou careca

— Me perguntava o mesmo, mas uma prima da mãe dele tinha um salão, então ele sempre tinha os cabelos bem cuidados

Yoongi se lembrou desse salão.

— Verdade, ele quis me levar lá uma vez, uns dias antes da nossa apresentação no festival, lembra? Ele disse que eu deveria cortar o cabelo... Acabei desistindo porque fiquei a tarde inteira do dia combinado tentando convencer minha mãe e meu irmão a irem no festival

— Sua mãe estava ocupada com o restaurante e seu irmão além de ajudar lá, também tinha a faculdade... — Cherry respondeu baixinho percebendo a mágoa no tom do mais velho.

— É, bom isso já passou... Aqui, coma antes de começar a aplicar essa tortura na minha cabeça

Cherry riu e pegou a tigela de cereal que Yoongi a oferecia.

•~•

Yoongi estava sentado em um banco mexendo no celular enquanto Cherry terminava de aplicar o descolorante nas raízes que haviam crescido.

— Como você está com o dia de hoje?

— Como assim?

— O ensaio, Taehyung fotografando você com o Jimin...

Yoongi suspirou e bloqueou o celular jogando no sofá ali perto.

— Eu acho que está tudo bem, ontem nós conversamos bastante, e eu expliquei algumas coisas, ele revelou seus sentimentos sobre essa parada na equipe de dança nacional... Eu ainda tenho um sentimento de proteção com ele.

Um suspiro sôfrego escapou de seus lábios.

—Cherry, me diga como você consegue

— Consigo o que? — disse passando uma pincelada cheia de produto nos fios do outro.

Mordeu os lábios pensando se deveria continuar com a pergunta, corria o risco de magoar Cherry, mas precisava saber.

— Como você consegue conviver com o Namjoon, mesmo após o término?! Eu fiquei cinco anos distante de Jimin, tivemos outros relacionamentos, mas vê-lo novamente é... Eu não sei explicar

Ouviu a menina suspirar profundamente.

— É difícil. Sei como é essa sensação, não foi fácil lidar com Namjoon nos primeiros dias e nem nas primeiras semanas, eu não queria vê-lo e doía ver os olhos magoados dele, ainda dói. Porém, somos amigos desde a época da escola, temos vários amigos em comum e trabalhamos no mesmo lugar... Aprendi a lidar porque seria o melhor pra nós dois, ele continua sendo meu amigo e isso basta

Yoongi assentiu.

— Acho que entendo essa dor de ver quem ama sofrendo. Quando eu terminei com Jimin, eu tive pesadelos por meses, ele sempre chorava e eu não conseguia alcança-lo. Era horrível

Cherry terminou de passar o descolorante e se sentou no sofá próximo a onde Yoongi estava no banco.

— Vou colocar o despertador pra tocar em uns 30 minutos e vai poder enxaguar... Yoon, você nunca quis ter terminado realmente com o Jimin, por que tomou a decisão anos atrás?

Yoongi abaixou o olhar para seus pés e começou a mexer nas cutículas das unhas da mão, puxando algumas peles enquanto se recordava do dia em que deu um fim na relação que tinha com Jimin.

Yoongi, 5 anos atrás

—Jimin... Minnie, você me ouviu?

Jimin continuava a ter um olhar vago e fungava tentando controlar o choro enquanto estava sentado no sofá de sua sala.

— Não...— conseguiu dizer em um sussurro

— Jimin, me desculpe. Nós não... Eu não...

Yoongi não conseguia repetir.

— Hyung, por favor não

O mais velho teve que apertar os olhos e respirar profundamente antes de tentar falar novamente.

— Nós não podemos mais ficar juntos.

Yoongi havia paralisado onde estava, a voz chorosa e penosa de Jimin o havia atingido, no mesmo momento queria voltar atrás em sua decisão, cada lágrima que escorria no rosto do mais novo queimava por dentro e apertava o nó em sua garganta e em seu peito.

— Minnie se tiver que escolher entre mim e seu sonho, por favor... Escolha seu sonho, eu não vou crescer e conquistar grandes feitos, mas você — Pausou ao vacilar com a voz — Vo-você sim e eu não vou ser quem te segura e te impede de ser quem você nasceu pra ser

— Você não nasceu pra ficar naquele Café, sabe disso hyung, por que diz isso apenas para mim?

— Porque você está livre pra poder ir e vir e cuidar de sua vida e tomar suas decisões...

— Então me deixe dizer que não concordo com o que está fazendo... Não é a minha decisão, só você quem está tomando ela por nós

— Acredite, é o melhor pra você

— É o melhor pra você também? Por que está decidindo por mim? Hyung, por favor não... Você me ama?

Yoongi tinha o rosto completamente encharcado por suas lágrimas, não conseguia mais falar qualquer outra coisa, tudo em sua boca tinha o gosto amargo. Virou o rosto e foi andando em direção a porta da frente, quando a abriu ouviu Jimin novamente e todo seu corpo doeu junto com a dor que se alastrava por seu coração.

— Yoonie, não... Por favor — Jimin dizia entre soluços de seu choro crescente.

Mas dessa vez, Yoongi não havia olhado para trás e Jimin ficou sozinho em sua sala, chorando enquanto sentia o coração dilacerar. Aquela havia sido a última vez que Yoongi o havia visto desde que entrara na equipe nacional, voltando a se encontrar cinco anos depois.

Yoongi, tempo presente

— Meu pai.

Cherry não entendeu a resposta.

— Como assim?

Yoongi esfregou os olhos que arderam, mas sabia que não era pelo produto em seus cabelos.

— Eu ainda não sabia a merda toda que meu pai iria fazer, em relação ao Café e aquela porra de cláusula, mas estava cada vez mais difícil eu tentar ir para a academia de música e me equilibrar entre o café, minha família e Jimin... Eu via que era difícil pra ele também, ficar voltando pra cidade pra me ver, até porquê o pai dele viaja sempre a trabalho e ia visitá-lo sempre que podia.

Cherry apenas ouvia em silêncio o amigo responder.

— Ele vinha pra cá só por minha causa, mesmo que dissesse o contrato, e eu sabia que isso interferia em suas aulas que cada dia iriam exigir mais dele, e eu seria só um atraso... Eu tranquei o curso e desisti da minha vaga na academia de música, você deve se lembrar porque quase me matou quando te disse o que havia feito

A menina assentiu.

— Você parecia que tinha sido quebrado ao meio quando me falou sobre a desistência, e eu lembro o quanto te chamei de burro na época, desculpe de novo

Yoongi deixou uma risada escapar, era sem humor e estranha.

— Você não estava totalmente errada, eu ainda sinto que fui burro, mas tento não pensar muito sobre

— Desculpa — Cherry repetiu com tom mais arrependido

O garoto apenas assentiu com um sorriso forçado.

— Cada decisão que eu tomei anos atrás não eram minhas, era eu tentando me encaixar no que meu pai queria, eu desisti do piano, aceitei ficar no Café e desisti do...

— Desistiu de Jimin. — Cherry completou

— É, e eu não sei qual foi o mais difícil e doloroso, hoje, ficar perto dele, ver ele e ter ele de volta na cidade, parece que tudo o que eu fiz anos atrás voltou pra confirmar como sou covarde.

— Você não é...

— Sou.— Yoongi disse firme, sentindo os olhos marejarem e a garganta apertar. — Eu fiz tudo isso por uma causa apenas, a frase que sempre ouvia e que me fere de tantas maneiras possíveis que não sei descrever. Meu pai dizendo “eu sei o que é melhor pra você, pois sou seu pai”... E eu acreditei, acreditei em quem sempre me desmotivou, em quem sempre me controlava e me moldava, acreditei que conseguiria o melhor que ele disse saber que eu teria.

Yoongi suspirou pesadamente, olhou para Cherry que tinha a expressão triste lhe cobrindo o rosto.

— Você me olha com pena, essa é a resposta do “melhor” que tenho hoje, eu acreditei nele e perdi partes de mim

Cherry secou uma lágrima que escorria em sua face.

— Se você sabe que fez tudo isso e hoje vê consequências que te desagradam, por que não muda? O Jimin pode ser um primeiro passo, eu vejo o jeito que ele te olha Yoongi, ele não deixou de te amar e...

— Eu não posso, seria injusto com ele. Ele merece uma pessoa melhor que não esteja tão quebrada quanto eu

Cherry desviou o olhar para seu colo.

— Eu digo o mesmo pra mim mesma toda vez que Namjoon se aproxima, eu não mereço alguém como ele

Yoongi segurou a mão da amiga.

— Não é verdade.

— Não é verdade pra você também. Deixe o Jimin decidir o que é e o que não é melhor para ele, e, se ele decidir que não é, você então fará igual a mim e vai superar cada dia que passa. Estarei do seu lado Yoongi, sempre... Você é meu irmão, minha família

Yoongi sorriu com os lábios prensados tentando não chorar, apertou suavemente a mão da amiga que ainda segurava.

— Você foi uma das melhores coisas que aconteceram na família.

Cherry riu soprado secando as lágrimas que escorreram.

— Falando em família, você lembra a história dos grãos de café?

Yoongi assentiu.

— Mais ou menos, lembro que meu tio contava algumas vezes

— Contava algumas vezes pra você, eu ouvia essa história quase que diariamente. Ela serve para o que você me contou sobre decisões e sobre seu pai.

O rapaz olhou com expressão de dúvida.

— Serve como? Eu não lembro dos detalhes da história

Cherry pareceu animada de repente.

— A história era a seguinte...

Tempos atrás havia uma família no deserto da Arábia, eles eram muito pobres e não tinham o que comer e onde se abrigar, até que um dia um viajante apareceu e ofereceu comida, água e também disse que daria a família um lugar para morar em troca da mão da filha mais velha por quem havia se apaixonado perdidamente. A menina aceitou mesmo que os pais estivessem duvidosos, ela aceitou o trato para salvar a família. A garota foi embora com o viajante, eles se casaram e construíram uma casa em um lugar mais propício. Anos se passaram e a menina ainda enviava para sua família ajuda, sempre que podia, e seu então marido nunca se negava em conceder os pedidos, ele era bom, gentil e amoroso. O viajante era um produtor de café, muito rico e amava muito a esposa, mas certo dia ela ficou doente. Para salva-la ele vendeu tudo o que tinha, e conseguiu fazer com que ela melhorasse, mas para ter a total cura da esposa, ele precisava comprar um remédio e infelizmente não sobrava mais muito dinheiro. Certo dia, tentando arranjar algum dinheiro para terem ao menos o que comer, o viajante colheu pequenos grãos de café de um único pé que restou, mas que mal encheu um pequeno saco. Ele então levou a pequena quantidade de sua colheita e foi vender no centro da cidade. Lá, uma velha senhora passava em frente ao mercado onde o homem tentava vender os poucos grãos de café e os comerciantes riam dele, mas quando saiu cabisbaixo, a senhora que o reconheceu, o parou e disse que gostaria de comprar os grãos por um valor muito alto que ele não poderia e não queria aceitar, então a senhora sorriu para ele e abraçou o saco de grãos e o devolveu, dizendo que sabia o valor do esforço e do amor que ele tinha em si e lhe deu uma decisão a ser tomada, ao abrir o saco o viajante notou que todos os grãos haviam virado ouro. O viajante poderia plantar os grãos de ouro e teria riqueza por toda sua vida, ou poderia vender os grãos de ouro e comprar o remédio que a esposa necessitava com urgência. Quando a senhora foi embora, o homem já havia tomado sua decisão, havia pensado sobre o que a velha senhora havia dito, ele vendeu os grãos de ouro e retornou para casa com o remédio da esposa e também mais uma quantia de dinheiro que o ajudaria a recomeçar, dividiu o dinheiro que usaria na casa e o dinheiro que mandaria para a família da esposa, nunca se esquecendo deles. Anos depois, o viajante voltou a enriquecer, tinha grãos de café, tinha a casa onde morava com a esposa e tinham um filho a caminho. O homem não enxergava valor no ouro ou em qualquer quantia de dinheiro, ele via valor em sua esposa e nunca mediria esforços para cuida-la, pois ela era o amor de sua vida, quem sempre o esperava na frente da casa, sorrindo e o lembrando que o que ele tinha era mais precioso que o ouro. “

Yoongi ouviu tudo, lembrava do tio contando a história, e sorriu por notar que Cherry tinha o mesmo tom que o tio usava quando narrava a história.

— O Qahua tem esse nome por significar “Café” em árabe, meu guardião, seu tio, ele dizia que havia construído esse lugar para que sustentasse a família, mas que nada que ele recebesse valeria mais do que a gente, ele sabia o que era importante, assim como o viajante da história. Ele passou por dificuldades, mas se reergueu e teve ajuda por ser uma boa pessoa... Eu sei que a vida é bem mais difícil do que na história dos grãos de café, sei pois já perdi muito durante minha vida até hoje... Mas você Yoon, você não perdeu, você sacrificou, como o viajante que vendeu tudo pela saúde da esposa.

Yoongi abriu a boca para responder, mas não conseguiu, pois Cherry o interrompeu.

— Você sacrificou parte de você e quem você ainda ama... Você não está quebrado, diria que desencaixado, pois suas peças estão bem na sua frente. Pense sobre o que é valoroso pra você. É sua vida e suas decisões, ou a vida que seu pai quer para você, mas que não te serve e que não tem espaço pra quem você ama.

— Você é incrível garota, já te disse isso?

— Algumas vezes, mas é sempre bom ouvir novamente.

Os dois riram e se assustaram quando o alarme tocou mostrando que os 30 minutos haviam se passado.

— Vem, vamos terminar esse seu cabelo.

•~•

Por volta das 11:00, Cherry já havia terminado de pintar e arrumar o cabelo de Yoongi, que agora se olhava no espelho e ajeitava os fios com azul vibrante.

— Não tem de que — Cherry disse por trás dele

— Ficou muito bom mesmo, obrigado

— Ei, você deveria começar a se arrumar, eu já vou indo porque tenho algumas coisas pra resolver... Yoon, podemos conversar sobre uma coisa depois?

Yoongi virou para olhar Cherry.

— Não pode ser agora?

Cherry negou.

— É sobre algo sério?

Cherry assentiu.

— Eu fiz algo de errado?

A menina riu.

— Não, não fez... É que antes de te contar, preciso de mais informações, mas assim que puder eu gostaria de conversar com você

Yoongi não entendeu direito, mas assentiu.

— Tá bom, podemos conversar no domingo, daqui dois dias, pode ser?

— Por mim tudo bem.

— Combinado então, agora vai fazer o que tiver pra fazer, vou me arrumar

Cherry se despediu e minutos depois, Yoongi estava em seu quarto se trocando. Vestiu uma camiseta preta e uma calça jeans clara com rasgos nas coxas, não se preocupou muito em se arrumar por mais tempo, pois quando fosse se preparar para as fotos, nem estaria vestindo roupas.

Mesmo quando Cherry não estava mais com ele no loft, continuou pensando sobre a história dos grãos de café. Pensou sobre o pai e sobre sua vida, sobre como tudo parecia errado e ele estava perdido.

Sentiu o celular vibrar no bolso, era uma mensagem de Jimin.

Hyung, vou atrasar um pouco para o ensaio, avisei o Tae já, mas tentando resolver uma cagada do Kookie aqui no apartamento.”

Yoongi riu.

Ligou para Jimin após sair do loft.

— Oh, oi hyung... — Jimin parecia cansado.

— Oi Minnie, tá tudo bem? O que aconteceu, tá precisando de ajuda? Eu acabei de sair do loft, se quiser eu posso ir até você

— Huum... É, acho que vou precisar de ajuda, ajuda pra não estrangular um garoto dentuço e irresponsável

Yoongi riu soprado.

— O que o Jungkook fez?

Jimin arrastou algo pesado que fez barulho no fundo da ligação.

— Ele foi tomar banho e ligou a água pra encher a banheira, mas sabe-se lá o que aconteceu e o cérebro dele sequelou. Ele deixou a água escorrendo por duas horas e encharcou o apartamento... Tem caixas fechadas da mudança ainda, o Hoseok hyung saiu pra comprar uns panos pra secar esse caos e levou o Jungkook junto, caso não levasse ele tava morto estirado no chão

Yoongi riu novamente, mas mais alto.

— Okay, você definitivamente precisa de ajuda, chego aí em alguns minutos.

— Você tem o endereço?

— Sim, o Hoseok me disse o nome do edifício, sei onde fica

— Tudo bem então, obrigado hyung, estou te esperando.

•~•

Yoongi chegou ao edifício onde Jimin, Hoseok e Jungkook se mudaram, era pequeno e afastado do centro, mas era bem conservado.

Não havia porteiro e Yoongi interfonou para que Jimin abrisse o portão da recepção, não havia elevador também e o rapaz pensou sobre o joelho de Jimin que recentemente estava deslocado, mesmo que tivesse de subir apenas três lances de escada, poderia ser muito esforço pra alguém que dançaria dali algumas semanas quando a escola de dança fosse inaugurada. Continuou pensando sobre isso enquanto apertava a campainha, mas perdeu qualquer pensamento quando Jimin apareceu sem camisa e estava um pouco suado, os cabelos negros colados em sua testa e os lábios rosados combinando com o tom de suas bochechas.

— Hyung, pode entrar e cuidado pra não cair — Jimin alertou quando abriu a porta para Yoongi.

— Meu deus o Jungkook quis transformar o apartamento todo em banheira?

Jimin encarou Yoongi e ele percebeu como o mais novo estava irritado.

— Se ele arruinou alguma das minhas roupas, eu juro que hoje vai ser o último dia da vida dele. Sabe porque ele esqueceu a banheira?

Obviamente Yoongi não sabia, mas mesmo assim balançou calmamente a cabeça negando.

— Ele estava jogando no computador e disse que se distraiu com a partida de sei lá o que, que ele joga

Jimin terminou de falar e começou a dar ordens pra Yoongi que por notar a irritação de Jimin, não demorava a cumprir.

Estavam terminando de secar o quarto de Hoseok quando Jimin suspirou longamente e o ato chamou atenção de Yoongi.

— Cansado?

— Sim, e decepcionado por ter tido que desmarcar com o Taehyung, pensei que daria tempo para ir hoje, mas tem tanta coisa pra fazer agora que tive que desmarcar. Espero que ele não fique chateado

Yoongi estalou a língua no céu da boca.

— Tsc... Não se preocupe, vamos ter outras oportunidades pra fazer um ensaio com ele.

— Mas você até pintou o cabelo, inclusive você está muito atraente hyung, deveria ter dito isso mais cedo.

— Obrigado —; Yoongi respondeu com o rosto corado.

Ouviram vozes vindo da porta da frente, os dois foram ao encontro e viram Hoseok entrando com Jungkook que estava cabisbaixo olhando o chão ainda molhado e segurando algumas sacolas em suas mãos.

— Oh, Yoongi hyung... Pensei que estavam com o Tae — Hoseok disse quando notou a presença de Yoongi no apartamento.

— Nós íamos pra lá, mas eu vim ajudar o a Minnie.

Jungkook pareceu ainda mais decepcionado consigo mesmo e os olhos marejaram enquanto ele mordia o lábio pra controlar, Hoseok percebeu e deixou as próprias sacolas sobre a mesa da minúscula área onde ficava a cozinha.

— Ei, Kookie ta tudo bem, não precisa ficar assim, foi um erro, um pequeno acidente e agora já passou — Hoseok dizia conforme acariciava os cabelos de Jungkook

— Eu sinto muito hyungs, fui irresponsável.

Jimin estava parado ao lado de Yoongi olhando para os dois amigos, os braços estavam cruzados sobre o peito e sua expressão continuava séria, Yoongi não compreendeu o porquê do garoto ainda estar tão bravo com o mais novo.

Percebeu também que Jungkook quase fechava os olhos com os afagos de Hoseok e se perguntou como o amigo ainda não havia percebido nada, mas não tocou no assunto, pois se Jungkook não havia dito nada, ele não seria a pessoa a falar, isso não era sobre ele então também não era de sua conta.

Jimin bufou e desfez a marra de irritado que tinha, amolecendo o tom ao falar com Jungkook.

— Parece que você está arrependido mesmo, tá tudo bem Jungkookie, sei que foi um acidente.

— Hyung, desculpe pela caixa, eu sinto muito mesmo, eu posso tentar reparar depois

Jimin ergueu as mãos quando Jungkook fez menção de se aproximar e virou o rosto de forma brusca.

— Não estragou muita coisa, não se preocupe. — disse sem olhar para o garoto

Hoseok notou o desconforto de Jimin que ainda era presente e disse que iria secar o banheiro e o quarto do mais novo, puxando Jungkook com ele e levando alguns panos que havia comprado junto com dois baldes.

Yoongi virou para Jimin que ainda tinha o rosto virado, percebeu as mãos fechadas segurando as costuras do lado das pernas da calça.

— O que estragou Minnie?

Jimin respirou profundamente.

— Tinha umas caixas perto da porta do banheiro, meu quarto fica ao lado, por isso deixei elas lá... A caixa que ficou encharcada continha algumas fotos da minha mãe.

Então essa era a razão da irritação de Jimin.

— Minnie, você sabe que não foi intenção do Kookie, não sabe?

O garoto assentiu.

— Eu sei, é que...

Jimin olhou para Yoongi que o observava e deu alguns passos até ele, encostou a testa no ombro do mais velho procurando conforto e Yoongi ficou surpreso, mas não protestou o toque.

— Tudo está tão bagunçado hyung, não falo do apartamento que mais parece uma cena do apocalipse ainda, mas dá minha vida, ver as fotos da minha mãe arruinadas me deu uma sensação de perda novamente, como se eu estivesse perdendo ela de novo

Yoongi abraçou Jimin, trazendo o corpo do mais novo para perto do seu, afagou os cabelos que ainda estavam suados, e sentiu a respiração de Jimin ficar descompassada quando ele começou a chorar.

Hoseok apareceu no corredor e paralisou, Jimin estava de costas e não o viu, mas Yoongi sinalizou para o outro dizendo que ele cuidaria da situação, Hoseok assentiu e voltou para o cômodo de onde tinha saído.

— Ei, calma... Sabe, a gente pode ligar pro Tae, talvez ele saiba como restaurar ou recuperar as fotos. O que acha?

Jimin circulou a cintura de Yoongi com seus braços e assentiu, não disse nada e ficou ali por uns segundos e então se afastou meio sem jeito.

— Desculpe hyung, e é uma boa ideia... É... Vou até o quarto pegar meu celular, com licença.

Yoongi percebeu que o rosto de Jimin estava corado, as maçãs e as orelhas ruborizadas, pensou que a reação do outro ainda tinha relação ao passado, quando terminaram. Jimin talvez pensasse, desde a época, que Yoongi o tinha rejeitado e não o queria mais, e talvez o abraço e busca por conforto fossem demais, mas não era verdade.

Jimin poderia sempre buscar conforto em Yoongi, ele nunca iria rejeita-lo. Então, talvez fosse a hora de Yoongi falar com Jimin, esclarecer tudo, eram amigos ainda, mas tinham assuntos do passado que ficaram confusos, com interpretações próprias e respostas vagas.

Lembrou-se da conversa com Cherry, não era hora de perguntar se teria uma nova chance, mas quis que Jimin soubesse que quando tomou a decisão no passado tinha uma razão e não era as que o garoto pensava ser.

•~•

Hoseok estava na cozinha junto a Yoongi, os dois estavam ajeitando algo para comerem depois de terminarem de arrumar e secar todo o apartamento.

Jimin estava no quarto conversando com Jungkook que não tinha parado de se desculpar e demonstrava a todo momento como estava arrependido, após Hoseok falar pra Jimin que deveria conversar com Jungkook, o rapaz concordou e foi até onde o mais novo estava.

Yoongi se ofereceu pra ajudar Hoseok depois que ele disse que iria arrumar o lanche.

— Vocês falaram com o Taehyung?

— Sim, o Jimin ligou explicando que não poderíamos ir hoje

— Você estava sabendo do plano dele?

Yoongi olhou para o outro em expressão de dúvida.

— Que?

Hoseok riu.

— Eu ouvi o Jungkook conversando com o Tae, os dois queriam ver como seria sua reação com o Jimin no ensaio.

Yoongi se surpreendeu.

— Eu sabia, na verdade sempre soube de vocês dois na época da escola, era notável a diferença do tratamento entre vocês, mas nenhum nunca falou nada...

— Foi minha culpa, eu pedi pra que ninguém soubesse

Hoseok assentiu.

— Eu não julgaria vocês, jamais

— Eu sei, mas eu tinha medo da reação do meu pai se ele descobrisse, ele sempre se mostrou preconceituoso em relação as mães do Namjoon, e eu e ele nunca tivemos uma relação muito amorosa, por isso pedi segredo

— O Seokjin hyung também sabia, ele me disse que talvez essa fosse sua razão por não nos falarem sobre vocês e era algo de vocês, então respeitamos o que decidissem

Yoongi sorriu.

— Vocês sempre deram muito apoio e foram compreensivos, eu sei que já devo ter falado, mas senti muito a falta de vocês e desculpe ter me mantido afastado durante esses cinco anos

Hoseok empurrou levemente seu ombro e riu baixinho.

— Ah hyung, não se preocupe, nada mudou entre a gente. Nós ficamos mais velhos, trocamos a cor de cabelo e ganhamos algumas frustrações por termos mais responsabilidades, mas a amizade não mudou, talvez tenha ficado mais forte.

Hoseok sorriu e Yoongi se aqueceu por dentro, o garoto sempre tinha esse efeito de paz, de ternura. Assim como sentia falta de Jungkook por sempre querer protegê-lo, sentia também falta das conversas que podia ter com Hoseok, com o garoto sendo um amigo que o dava segurança, apoio e energia.

Seokjin era assim também, por ser o mais velho, cuidava de todos, mas sua personalidade brincalhona era divertida e engraçada, revitalizando a todos e sendo sério e acolhedor quando precisava.

Taehyung sempre foi espoleta como Jungkook, Jimin e Seokjin lidavam melhor com os dois mais novos, mas depois que foram embora estudar, Yoongi se aproximou mais de Taehyung e percebeu como era calmo e sensível, Taehyung era como um bebê fofo e também como uma criança teimosa as vezes e isso o fazia rir e amar ainda mais o amigo.

Namjoon e Cherry tinham personalidades parecidas, talvez era por isso que se davam bem, os dois faziam o papel de protetores para ele, sempre o apoiando e os que mais sabiam de suas dificuldades nesses cinco anos que se passaram.

Já Jimin, Yoongi não conseguia por em palavras o quanto o amava e o quanto sentia falta dele. Sentia falta da carência, dos pedidos sutis de carinho, da risada baixa e encantadora, os olhos gentis e doces, a voz calma e os gritos irritados que saiam de forma engraçada. Sentia falta do calor do corpo e do cheiro do perfume, sentia falta da maciez dos cabelos entre seus dedos.

Jimin preencheu um vazio imenso em Yoongi, é algo se partiu quando ele se separou de Jimin. Na época parecia a decisão certa a ser tomada, mas desde então tudo dava errado, tudo parecia desencaixado.

Cherry o havia aconselhado para que revisse seus valores, no que ele estava dando valor e pondo sua dedicação. Se estava errado, que tivesse sabedoria e forças para arrumar, e sim, Jimin era algo em seu passado que sentia necessidade de ajeitar. Como papéis guardados em arquivos bagunçados em sua memória, a parte reservada a Jimin precisava ser arrumada.

•~•

Yoongi estava sentado ao lado de Hoseok no sofá da sala, Jimin estava sentado no chão com seu prato de ramèn e Jungkook estava na poltrona tomando suco e apoiando seu prato na coxa.

Estava silencioso, mas não era estranho. Os dois mais novos já tinham feito as pazes, Jimin disse que Taehyung conhecia alguém que pudesse recuperar as fotos e Jungkook prometeu pagar pelo serviço.

Hoseok terminou de comer e se retirou, levando o copo e seu prato para a cozinha, pegando o prato vazio de Yoongi também. Chamou Jungkook após alguns segundos e o garoto reclamou um pouco, mas levantou indo até a cozinha.

Sem que Yoongi ou Jimin ouvissem, sussurrou algo para o mais novo que assentiu concordando ao que foi sugerido.

— Ei hyungs, vou com o Hobi hyung até o mercado, nós comemos todo o ramèn e não tem nada pra jantar. Yoongi hyung, vai ficar pra jantar?

— Não, eu vou pro loft revisar umas contas, tenho que voltar daqui algumas horas.

— Tudo bem, vou indo, até depois.

Hoseok já estava na porta segurando ela aberta esperando Jungkook sair com ele, acenou para os outros dois e saíram.

Jimin se espreguiçou e levantou para retirar seu prato que agora estava vazio. Quando voltou sentou-se ao lado de Yoongi.

— Sabe o que eu encontrei na casa do meu pai?

— Hum? O que?

— A caixa de fitas da minha mãe, lembra?

Yoongi assentiu sorrindo um pouco envergonhado, lembrava-se da caixa e lembrava-se do que fizeram no dia em que Jimin mostrou as fitas pela primeira vez.

— Você se lembra... — Jimin disse baixinho e com um sorriso leve em seus lábios.

— Seria muito difícil esquecer

Jimin riu e suas bochechas ruborizaram.

Yoongi olhou para Jimin observando cada detalhe de seu rosto, o dente um pouco torto, os cabelos que precisavam de corte, a pinta na testa, os lábios fartos e o nariz pequeno.

Park Jimin era lindo.

— Minnie, eu queria falar com você sobre algo.

O garoto o encarou sorrindo.

— Sobre?

Quando Yoongi ia falar algo, seu celular tocou e viu ser Namjoon o ligando, então atendeu e pediu licença para o mais novo.

— Oi Nam, tudo bem?

— Hyung, você não recebeu alerta no celular? O alarme do Café disparou, Cherry foi pra lá e parece que quebraram os vidros das janelas — Namjoon dizia rapidamente com o tom nervoso e angustiado

— O que? Como assim?! — Yoongi agora estava nervoso e agitado também

— Hyung, tinha uma fita verde amarrada nas maçanetas da porta da frente.

Yoongi suspirou e apertou os olhos com os dedos. Sabia o que significava.

— Yeonchae...


Notas Finais


Bom, então... Nem sei como pedir desculpas pela demora em atualizar essa fic, também não sei se ainda lêem ou se lembram do que se passa nela. Eu passei por um momento bem difícil e ficou meio pesado pra mim fazer qualquer coisa, acabei deixando a história de lado, mas escrever é algo que eu gosto muito de fazer e Coffe Beans tem muita importância pra mim.
Enfim, espero que quem ler goste e espero também voltar em breve 💜✨


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...