História Coffee (Jeon Jungkook - BTS) - Capítulo 2


Escrita por: e Sehunica

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook)
Tags Bangtan Boys, Bts, Fanfic Jungkook, Hentai, Hot, Jeon Jungkook, Jungkook, Romance, Shoujo, Twoshot
Visualizações 3.198
Palavras 3.176
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá meninas, turo bom?? Heueheueue
Aqui é a tia Luna, trazendo o último capítulo. Ficamos muito felizes pelos comentários, vocês foram um amor e espero que vocês gostem do último capítulo ^^

Fiquei muito feliz com o convite da MashiroD, ela é uma das pessoas que sempre quis fazer parceria e eu realmente amei escrever ao lado dela. Já espero pela próxima hahah 💜💜

Agradecimento especial: @EsterandJimin que betou o capítulo, muito obrigada meu amor ♥️

Boa leitura.

Capítulo 2 - Chuva


Fanfic / Fanfiction Coffee (Jeon Jungkook - BTS) - Capítulo 2 - Chuva

             02; Rain and coffee to two

Bom dia Hane, tome esse café para se esquentar do frio. — Jungkook falou sorridente, me entregando uma caneca de café na porta e abrindo-a para que eu entrasse, como um verdadeiro cavalheiro.

Agradeci com um abraço e entrei na cafeteria. Desde que comecei a trabalhar aqui, ele sempre me espera na porta com um café quentinho em mãos. Jungkook é um chefe muito gentil e preocupado com seus empregados, especificamente comigo, ele tem um cuidado enorme com meu bem estar, sempre tentando me agradar.

Já se completa duas semanas trabalhando aqui, no começo foi difícil me adaptar ao movimento agitado, mas com o passar do tempo comecei a me acostumar, o estabelecimento é agradável e as amizades que estou conquistando tem me feito muito bem, além é claro de ter presença de Jungkook, é inevitável não se sentir à vontade com ele, o jeito todo atrapalhado e tímido me conquista a cada dia e é notório a nossa aproximação.

Sentei em uma das cadeiras, levando a caneca de café aos lábios, apreciando o aroma intenso e o sabor adocicado. Jungkook prepara cada café com muito amor e paciência, esse é o segredo do sucesso dele.

— Soube que hoje vai chover. — Comentou, sentando ao meu lado.

Meus olhos automaticamente foram para ele, avaliando a roupa formal que usava e os detalhes de seus traços. O cabelo castanho caíam sob a testa de forma harmoniosa, os lábios repuxados em um sorriso tímido e os olhos intensos, tão escuro quanto a noite que no momento se focava em mim, me deixando completamente corada. Desviei o olhar, me sentindo uma estúpida por ficar tão vulnerável com a presença dele.

— Parece que sim, o céu está nublado. — Observei a janela, notando a pouca movimentação do lado de fora. Hoje seria um dia calmo.

— Acho que vou fechar mais cedo você me ajuda a fechar?

— Claro chefinho. — Sorri, notando as covinhas se formando em suas bochechas.

Acho que passei tanto tempo observando-o que ele acabou notando e alargando ainda mais o sorriso.

— Você fica linda corada. — Sussurrou roucamente, tão baixo que quase não consegui ouvir, parecia alheio em seus próprios pensamentos.

Mordi o lábio, tentando não sorrir com o elogio e me levantei rapidamente.

— Vou ajudar a Yuna lá na cozinha. — Avisei já me virando.

Nem eu mesma entendia o porquê de eu estar procurando pretextos para não ficar ao lado dele, mas era mais forte que eu. Enquanto eu saia pude sentir seu olhar queimando sobre mim, mas a vergonha era tanta que não me virei em sua direção para confirmar este fato. Eu sabia que entre nós existia algo além da amizade, mas nenhum de nós tinha coragem de confessar o que rolava.

[...]

Já se passava das 18:30h e o movimento agitado começava a diminuir aos poucos. O frio lá fora parecia intenso e quanto mais se passava os minutos, mais parecia que ia cair um pé d'água mais tarde.

O sininho da porta fez barulho assim que um casal entrou e logo se acomodaram em uma mesa. Eles pareciam esperar por alguma garçonete, e no momento Yuna atendia outra mesa então peguei o bloquinho e caminhei em direção a eles. A mulher de cabelos loiros me olhou de cima a baixo quando me aproximei, e o homem junto a ela nem ao menos levantou o olhar.

— Boa noite, posso anotar o pedido de vocês? — Tentei soar da maneira mais gentil possível, mas ambos me ignoraram conversando entre si. Ignorei a grosseria e aumentei o tom de voz. — Querem algo?

A loira se ajeitou na cadeira e me olhando com nojo respondeu: — Se estamos sentados aqui é porque queremos algo, não é?

— S-sim. — Engoli em seco abaixando os ombros e tentando não me afetar com a grosseria. O homem riu e indicou no cardápio um dos cafés. — E a senhora vai querer algo?

— Trás pra mim uma torta de banana com chocolate e um suco de laranja. — Falou rispidamente.

— Tudo bem, já volto com os pedidos.

Anotei tudo e saí rapidamente em direção a cozinha para preparar o pedido. O ruim de trabalhar com o público é que não podemos controlar as palavras das pessoas e muito menos responder da mesma forma, mesmo que o desejo seja gritar e mandar embora, a gente sempre tem que tentar se controlar ao máximo e fingir que não aconteceu nada, mas pra mim isso é uma tarefa difícil porque qualquer palavra me afeta, e a forma como ambos me trataram sem eu ter feito nada, me deixa com a sensação de que talvez eu não seja tão boa pra esse trabalho.

Enquanto eu preparava os pedidos senti alguém me observando, então como quem não quer nada levantei o olhar e dei de cara com Jungkook me olhando atentamente.

— Tudo bem com você? — Perguntou preocupado. — Quer ajuda?

— Não precisa, eu já terminei. — Sorri, passando uma mecha do meu cabelo pra trás da orelha. — Está tudo bem, não se preocupa com isso.

Eu sabia que ele não ficou convencido com minhas palavras, mas de qualquer forma eu não iria desabafar sobre como os clientes me trataram, do jeito que ele é comigo com certeza acabaria se revoltando com eles. Então apenas me virei, colocando os pedidos na bandeja e saindo do local, podendo ouvir ele sussurrar algo incompreensível. Dei de ombros e fui em direção ao casal.

Assim que cheguei perto, eles pararam de conversar e ficaram em silêncio, fui colocando os pedidos em cima da mesa sentindo meu braço tremer com o peso. Quando faltava apenas o suco acabei me desequilibrando e deixando cair todo o líquido na mulher. Arregalei os olhos na mesma hora e comecei a me desculpar, me xingando mentalmente por ter feito tamanha burrice.

— Sua incompetente, você por algum acaso é cega? — Gritou histericamente, fazendo com que todos olhassem em nossa direção.

— Desculpa, eu não fiz por querer. — Me defendi, tentando ajudá-la com alguns guardanapos. — Me perdoe.

— Eu não vou pagar por merda nenhuma, chame o gerente agora mesmo sua imprestável. — Vociferou apontando o dedo em minha direção.

Meus olhos estavam marejados e eu me sentia humilhada e impotente, só sabendo me desculpar, foi quando Jungkook se pôs ao meu lado e gentilmente começou a tentar apaziguar a situação. Eu olhei em volta e os clientes pareciam entretidos com o show que a mulher fazia, me deixando ainda mais desconfortável.

— Você é o gerente?

— Sim sou eu, e gostaria de me desculpar em nome da minha garçonete, tenho certeza que ela não fez por mal. — Justificou pacientemente, com a expressão neutra.

— É claro que ela fez por mal, eu sei que ela não gostou de me atender e exijo que você dispense ela. —  Ordenou me olhando como se eu fosse um inseto.

— A senhora não pode exigir nada de mim e muito menos culpá-la por algo tão insignificante quanto isso. Por favor se retire do meu estabelecimento e peça desculpas a minha funcionária. — Proferiu com extrema sutileza. Eu olhei pra ele, tentando entender o porquê dele agir dessa forma, eu estava errada e mesmo ela agindo dessa forma não justificava ele querer me proteger dessa maneira.

— Você só pode estar brincando comigo. — Ironizou se levantando. — Eu processarei vocês dois.

Não aguentei ouvir mais nada e corri até a cozinha, querendo enfiar minha cara embaixo da terra de tanta vergonha que estava, me sentindo tão humilhada e indefesa, e agora ainda por cima, com culpa, por minha causa Jungkook receberia um processo, eu estava indo tão bem ultimamente, me adaptando ao trabalho e do nada cometo um ato desses. Comecei a chorar baixinho, abraçando meu corpo de forma protetora, não conseguindo controlar as lágrimas, todos com certeza estariam comentando sobre o que acabara de acontecer e talvez Jungkook até fosse me dar um puxão de orelha.

— Tome.

Olhei pro lado ao ouvir a voz de Jungkook, ele estendeu um lenço em minha direção e se sentou ao meu lado no chão.

— Me desculpe pelo que aconteceu, eu juro que não fiz por mal. — Me apressei a falar, ouvindo a doce risada dele. — Porque está rindo?

— Não tem pra que você se desculpar comigo Hane. — Falou despreocupado, puxando meu rosto e limpando minhas lágrimas com os dedos. — Foi ela quem errou, se ela fosse mais educada não precisaria que eu me mete-se.

Eu olhava pra ele com admiração, nunca ninguém tinha sido tão gentil comigo. Seus dedos continuavam em meu rosto, agora tocando em minha bochecha, fazendo uma leve carícia no local, tentando me passar confiança.

— E eu... irei ajudar a Yuna, ela deve estar precisando de ajuda.

Me levantei do chão quebrando o nosso contato, algo dentro de mim alertava que eu não poderia ultrapassar nossos limites, até porque ele é meu chefe e eu sou apenas uma serviçal.

— Por que você está sempre fugindo? — Segurou meu pulso, não deixando eu ir embora.

Mordi o lábio, olhando pra qualquer lugar que não fosse para ele.

— Me responda, Hane.

— Eu não estou fugindo. — Alego, puxando meu braço de volta.

Ele parecia decepcionado com minha resposta, mas permaneceu em silêncio por um momento, apenas me encarando de volta.

— Se você não está fugindo, então eu posso fazer isso.

Jungkook se aproximou, puxando meu corpo em sua direção. Arregalei os olhos sentindo meu coração disparar no peito. Ele me inspecionava com os olhos, tentando decifrar minha reação.

— O que está fazendo?

— Você quer me beijar? — Sondou envolvendo os dedos em minha bochecha, e ignorando minha pergunta. Fechei os olhos tentando me concentrar em sua voz. — Diga o que você quer.

— Eu quero você…

A resposta saltou de minha boca sem permissão e me condenei por ter falado em voz alta. O silêncio que se formou entre nós, me fez refletir se eu teria feito algo ruim ao admitir, mas não durou por muito tempo. Eu ainda estava de olhos fechados quando senti os lábios dele em contato com os meus, enviando pequenas correntes elétricas por todo o meu corpo, me fazendo estremecer. Ele agarrou minha cintura e eu acabei gemendo em seus lábios, me desfazendo por um simples beijo. Sua língua envolvia a minha com maestria, parecia conhecer cada lugar, nosso beijo era lento acompanhando meu ritmo.

Quando nossos lábios se desconectaram estremeci em suas mãos, me dando conta da burrice que eu havia acabado de fazer e rapidamente me afastei.

— E-eu, tenho que ir. — Me xinguei saindo do local, indo ajudar Yuna enquanto Jungkook permanecia na cozinha. Eu era uma completa covarde e no momento só conseguia pensar no quanto aquele beijo me deixara molhada.

[...]

A clientela já havia indo embora, assim como Yuna. Como eu havia ficado encarregada de ajudar a fechar o estabelecimento, acabei ficando até mais tarde, com Jungkook, mas a chuva lá fora começava a se intensificar e eu nem queria pensar em como pegaria o ônibus pra voltar pra casa. O estrondo dos trovões se fez presente na cafeteria e a luminosidade do raio invadiu a janela, me fazendo fechar os olhos rapidamente e praguejar por ter perdido tanto tempo aqui. Diferente do que eu achava, Jungkook me tratou normalmente, mas eu sentia que algo estava diferente entre nós.

— Eu vou fechar a porta e depois vamos pra cozinha  — Informou se juntando a mim. — Lá não tem janelas, então você não precisa ter medo.

— Va-vamos passar a noite aqui? — Gaguejei, sentindo minha pele esquentar.

— Até que a chuva lá fora pare. — Articulou, fechando a porta. — Não precisa ter medo de mim, não vou te morder…

Encolhi os ombros me sentindo quente e ao mesmo tempo constrangida. Ele se voltou em minha direção com os olhos percorrendo todo o meu corpo.

— A menos que você queira. — Sorriu nasalado, puxando meu corpo para próximo de si, me prendendo em seus braços fortes. — E eu sei que quer.

Suspirei concordando, não conseguindo resistir a ele, porque na verdade era tudo o que eu queria desde que nos beijamos, eu não conseguia parar de pensar naquele momento e não poderia desperdiçar novamente um novo momento com minha timidez.  

Jungkook começou a distribuir pequenos beijos em meu pescoço, passando suas mãos em meu corpo lentamente, fazendo com que eu relaxasse. Envolvi meus dedos em seus fios macios, sentindo toda a maciez do seu couro cabeludo.

— Vamos lá pra dentro. — Pedi em um sussurro, e sem responder ele puxou meu corpo para cima e entrelacei minhas pernas ao seu redor, gargalhando pela surpresa.

Suas mãos permaneceram em minha bunda, mesmo quando eu já estava no chão.

E novamente naquele mesmo local nossos lábios se conectaram, encaixando-se perfeitamente. O calor do pequeno ambiente já começava a alterar meus pensamentos e movida a isso resolvi tomar a iniciativa de tirar a camisa de seu corpo. Ele sorriu me ajudando a tirá-la, mas parecia não ter a menor pressa enquanto eu estava aflita por mais.

Meus olhos brilharam quando vi seu abdômen malhado e sem notar eu já estava arranhando e tocando toda a pele exposta. Jungkook é lindo dos pés a cabeça, seu rosto e corpo parecem ter sido esculpidos com muita delicadeza e elegância. Ele gemeu roucamente, guiando meu corpo até que eu estivesse encostada no mármore da pia. Me ajudando a dar um pequeno impulso até ficar sentada em cima dela. Meu vestido subiu um pouco e seus olhos miraram em minha intimidade, sem um pingo de vergonha.

— Você não sabe o quanto eu queria isso. — Confessou, apertando minhas coxas.

Por ser branquinha minha pele logo ficou avermelhada e ele pareceu gostar disso, continuando, apertando-me, lentamente indo em direção a minha calcinha. Seu olhar se prendeu ao meu.

— Ahn — Arfei, sentindo seus dedos acariciando meu clitóris por cima do pano. Ele fazia movimentos circulares, gradativamente intensificando e me deixando enlouquecida.

— Você ainda está com muito pano. Tire isso. Agora. — Ordenou firme, estremeci com o tom de voz e excitada arranquei o vestido, me sentindo extremamente exposta por estar apenas de lingerie diante de seus olhos, que no momento pareciam me devorar. — Você é ainda mais bela do que pensei.

Sorri puxando ele, sentindo uma imensa necessidade de sentir a boca dele com a minha. Nem mesmo os trovões lá fora me faziam querer parar, era como se o tesão toma-se conta do meu corpo e eu agradecia por estarmos sozinhos, por fazermos essa loucura que ambos queríamos. Ele esmagava minha boca, enquanto sua mão dedilhava minhas costas a fim de liberar meus seios do sutiã.

Senti a pequena corrente de ar gelado assim que ele conseguiu tirar meu sutiã, e no mesmo momento meus mamilos enrijeceram, assim como minha pele se arrepiou. Ele se afastou, distribuindo beijos molhados começando de minha clavícula até chegar aos meus seios. Jungkook deu total atenção a eles, mordendo,lambendo e chupando meu bico rijo, enquanto com a mão apertava o outro entre os dedos. Repetiu o mesmo processo com o outro. Seus olhos grudados em meu rosto, assistindo de camarote minhas reações. Ele parecia gostar de me observar, como se isso fosse algo realmente excitante para ele.

Joguei minha cabeça pra trás rebolando por algum contato. Captando sua total atenção para mim, que pareceu entender minha súplica.

— Será que é certo o que estamos fazendo?

— Hane, apenas curta o momento. Somos dois adultos e sabemos exatamente o que queremos. — Falou com firmeza, se abaixando até ficar de joelhos. — Agora aproveite sua recompensa.

Ele puxou minha calcinha pro lado e com a língua começou a chupar meu clitóris. Gemi extasiada, me posicionando de uma forma que eu pudesse vê-lo melhor. Jungkook parecia totalmente concentrado no que fazia, ora chupando, ora lambendo, percorrendo meus lábios com a língua.

Eu já não tinha controle sobre meu próprio corpo e rebolava em sua boca, gemendo, xingando. Sem aviso prévio ele penetrou-me com a língua, me deixando ainda mais molhada do que já estava, e de tanto tesão quis fechar a perna, mas ele não deixou, abrindo-me ainda mais.

— Kook, pare. Eu preciso sentir você dentro de mim. — Pedi, sentindo que se ele continuasse eu acabaria me desfazendo em sua boca, mas Jungkook pareceu não ligar e continuou, até que vergonhosamente me tremi inteira, molhando-o com meu líquido incolor.

A sensação de leveza preencheu meu corpo, me deixando extremamente cansada.

— Seu gosto… você é inteiramente deliciosa. — Proferiu limpando o resquício de meu líquido com o dedo indicador e o médio. — Prove.

Ele me observou, enquanto eu levava seus dedos até minha boca, saboreando de meu próprio gosto. Chupei-o como se estivesse chupando seu pênis e ele parecia adorar isso. Segurando meu rosto entre os dedos que sobrara,  se aproximou tirando-os e dando lugar a sua língua, que chupou a minha mesclando nossas salivas.

Meu corpo todo parecia ansioso quando ele se afastou e com pressa arrancou a calça, junto da box. Jungkook se tocou na minha frente e meus olhos acompanharam seus movimentos, ele estava tão duro que chegava a parecer doloroso. Seu rosto contorcido em uma careta cheia de luxúria.

— Não se torture assim, Jungkook. — Adverti, puxando o corpo dele com as pernas. — Eu preciso de você, aqui… — Indiquei minha intimidade, ofegante. Tirando a mão dele e dando lugar a minha.

Seu membro quente ao redor da minha mão, me deixava eufórica. Contornei o dedo sob seu pré-gozo e encaixei-o em minha entrada. Ele impulsionou o corpo pra frente, invadindo-me tão fundo.

— Porra. — Xingou, segurando em minha cintura sem se mover. — Eu posso?

Concordei de olhos fechados. Fazia um bom tempo desde que eu transei pela última vez e eu me sentia dolorida pelo comprimento de Jungkook, ele é grosso e longo dentro de mim, atingindo meu ponto sensível.

Ele se inclinou para frente e trouxe meu corpo mais pra beirada, não deixando de se movimentar dentro de mim. Abracei-o, arranhando suas costas descontando toda minha excitação em sua pele. Eu gemia junto a ele, enquanto minhas pernas ao seu redor o ajudava nos movimentos.

— Baby, você é tão gostosa. — Sussurrou ofegante, lambendo o lóbulo de minha orelha.

Seu membro endurecido ia e vinha com rapidez me deixando nas nuvens, literalmente. Eu revirava meus olhos de prazer, sentindo todo meu corpo arrepiado e suado, assim como o dele. Era algo inexplicável, parecíamos necessitados um do outro, com fome.

— Eu to quase. — Molhei os lábios, sentindo minha boca seca de uma hora pra outra.

Jungkook puxou meu corpo rapidamente, me deixando sentada na beirada. Seu corpo ondulava dentro de mim. Os sons produzidos por nós nunca sairiam de minha mente.

— Goza comigo, baby. — Implorou, pressionando sua testa contra a minha. Puxando meu lábio inferior entre os dentes.

Ele deu mais algumas estocadas rápidas e fundas, atingindo novamente meu ponto sensível. Não consegui mais aguentar, me desfazendo junto a ele.

— Own. — Rosnou roucamente, se retirando de dentro de mim.

Me senti incompleta e exausta, mas seu olhar contente observando seu líquido sair de mim pareceu valer por esse momento. Permanecemos quietos até que nossas respirações voltassem ao normal. Jungkook acariciou meu rosto com extrema delicadeza e carinho, eu sorri juntando minha mão a dele, mas acabei me assustando com o barulho do trovão lá fora.

— Bom, parece que a noite será longa. — Sorriu, voltando a me beijar.


Notas Finais


Eae, o que acharam? Merece comentários? ♥️🌚

Amores tenho uma divulgação pra fazer, quem curti jikook e um enredo meio Cinquenta Tons de Cinzas, deixarei o link aqui e ficaria muito feliz de ver vocês lá <3

Link: https://www.spiritfanfiction.com/historia/plaisir-13885564


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...