História Coffee Love - Capítulo 4


Escrita por: e Choelina

Postado
Categorias GIRIBOY, Joo Young
Personagens GIRIBOY, Joo Young, Personagens Originais
Tags Coffee Love, Imagine Giriboy, Imagine Jooyoung
Visualizações 25
Palavras 637
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - Capítulo 4


Capítulo 4

— Este filme foi maravilhoso. — Hanna disse jogando os copos de refrigerante e o recipiente da pipoca no lixo. — Obrigada pelo passeio.

— Não precisa agradecer ainda, o dia não acabou. Tenho outro lugar para te levar.

Logo gritos preencheram a saída do cinema e a garota se assustou. Eram as fãs de Jooyoung. Elas gritaram por seu nome, mas quando viram Hanna ao seu lado, ficaram com raiva.

— Meu Deus… — Ela comentou. — O que é isso?

— Não se assuste, não vai acontecer nada. — Ele abraçou-a mais forte, mas se surpreendeu quando uma garota se distanciou do grupo e o empurrou, correndo.

— Quem é essa puta? — A garota que corria gritou.

O rapaz caiu no chão com a força que ela o empurrou e o que ele viu foi Hanna ser atacada por ela. A menina era, evidentemente, mais alta e mais forte que sua acompanhante.

— Segurança! — Joo começou a gritar, mas ao ver que iriam demorar, decidiu retirar a menina por si próprio. Não ligava para a imprensa que chegava. — Sai daqui, filha da…

Decidiu não terminar a frase e empurrou a garota para o lado, socorrendo a menina que saía do cinema com ele. Seu rosto estava arranhado e um grande corte na testa sangrava.

— Ai, droga! — Ela disse lentamente. — Ai! — Gritou quando o mais velho encostou o dedo nos machucados.

Os seguranças chegaram e retiraram a garota de lá, que ainda gritava obscenidades para Hanna que nem se quer ligou.

— Idiota. — Jooyoung balbuciou pra ela, enquanto ajudava Hanna a se levantar. — Vou te levar pra minha casa. Que droga, garota estúpida! Estragou nosso passeio!

Um dos seguranças trouxe uma garrafa de água para Hanna, que recebeu e agradeceu.

As fãs ainda gritavam quando o casal passou pelo outro lado do shopping. Jooyoung abriu a porta do carro e colocou Hanna lá dentro.

— Me desculpe, Hanna… Eu não sabia que aquela maluca ia te atacar. — Sua respiração era ofegante.

— Está tudo bem. — Riu engraçada.

— Do que está rindo?

— É a primeira vez que alguém me bate e eu deixo barato, Joo. Na verdade, é a primeira vez que alguém me bate pra valer.

Ela ainda sorria e logo abriu a bolsa, retirando uma toalha branca pequena de lá de dentro. Colocou o objeto nos machucados, retirando o sangue que escorria.

— Você quer ir para o hospital?

— Não é necessário, sério mesmo. Meu Deus, que adrenalina!

Jooyoung riu ligando o carro e dando partida.

— Você gostou de apanhar, então?

— Não é que eu gostei. É que não adiantou nada, continuo dando uns pegas em você.

O maior gargalhou, colocando a mão na boca.

— Uns pegas?

— É, você sabe que foi por isso que ela me atacou, certo?

— Ainda bem que ela não estava dentro do cinema. — Disse se lembrando dos beijos que deram durante o filme. Ele virou à esquerda e seguiu por uma longa avenida.

— Isso vai prejudicar sua imagem não vai? Vi alguns repórteres lá.

— Acho que não, mas não estou preocupado com isso. No momento, quero cuidar de você.

Hanna riu. Ela olhava pela janela secando com a toalha os machucados. Precisava de gelo urgente. A marca das unhas daquela garota estúpida ficariam por uns dias, mas isso não a desanimaria de continuar com Jooyoung.

•••

Em algum momento do percurso, Hanna dormiu. Embrenharam pelas ruas nobres de Seul e Jooyoung olhou para o lado, vendo que a garota dormia profundamente. Estava pensando em contar sobre seus sentimentos para ela, porém, tinha medo de assustá-la com palavras tão repentinas.
Chegou no apartamento e carregou a pequena nos braços. Ela era leve como uma pena e parecia uma criança dormindo. Colocou-a em sua cama e partiu para o banheiro, afim de se banhar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...