História Coffee shop - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias DAY6
Personagens Dowoon, Jae, Junhyeok, Personagens Originais, Sungjin, Wonpil, Young K
Tags Brian Kang, Day6, Dopil, Dowoon, Im Junhyeok, Menção!jaehyungparkian, Park Jae, Sungjin, Wonpil, Young K
Visualizações 33
Palavras 1.309
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hey pãozinhos, se possivel, leiam as notas finais. É importante.

Boa leitura! ♡

Capítulo 3 - What happened in the coffee s., will remain in the coffee s.


Dowoon

* Um pouco antes.


Sentia como se as minhas orelhas estivessem prestes a queimar e, enquanto eu estava me importunando por dentro, meus amigos riam da minha cara – como se aquilo tivesse tanta graça –.

— Ahm, ele é bem bonito mesmo. — o loiro disse debochado, logo, fazendo seu namorado o fitar sério. — Porém, nada supera a minha musa, Brian Kang. — Olhou para K apertando as bochechas deste.


— Não comecem, pelo amor, na minha frente não! — Após rirem, ambos se selaram me fazendo revirar os olhos. Sungjin me cutucou.

— Por que você não puxa assunto com ele?

— Apenas dei um "olá" ‘pro garoto e vocês já querem que eu namore?

— Yoon, do nada, você congelou quando o menino, ‘só, lhe respondeu e por que acha que estamos falando sobre namoro? Sendo que, ‘só, dissemos para puxar assunto com ele? – Jae arqueava uma de suas sobrancelhas, me fitando com um ar de "fale, logo, a verdade".

— Ahm… ‘e daí’? Apenas sou tímido, ao contrário de vocês.


—  Conta outra, Dowoon. Vou lhe fazer admitir, por si próprio, que se interessou nele. — Somente revirei meus olhos e mudei o rumo da conversa.


Discutimos sobre diversos assuntos até nossos pedidos chegarem. De uma hora para outra Brian e Jae mudaram de lugar, logo quando Wonpil estava próximo da nossa mesa, por fim, Won acabou “resbalando" e caindo por cima de mim – sem contar quando Sungjin pegou as bandejas às pressas (suponho que para ninguém se machucar, já que o mais baixo estava equilibrando bebidas quentes) –.


Meus instintos queriam evitar que Kim acabasse se machucando, me fazendo o segurar. Porém, se o soltasse no momento errado, poderíamos acabar nos beijando. Quando rolei meus olhos para o lado, aqueles três idiotas esTAVAM, SIMPLESMENTE, SORRINDO.

O seu movimento, com uma de suas pernas, chamou a minha atenção – me fazendo o olhar novamente – e, de alguma forma, suas orbes escuras continuavam a me encarar. Como ele conseguia se mexer com nós dois em uma situação dessas? Decidi o soltar, mesmo com receio de algo inesperado acontecer.


Quando o vi correr para a sala dos funcionários – com uma expressão, um tanto, constrangida –, suspirei frustrado.


— É oficial, eu odeio vocês.

— Tá mas e ai? Como foi a sensação de estar perto dele?

— Vai se foder, Jae. — Lhe dou um chute por debaixo da mesa e comecei a beber meu café, recém posto em minha frente por Park.

— Pelo menos você o viu de perto. — Sungjin debochou. Como eu poderei olhar para esse garoto, novamente, sem me sentir acanhado? – e até mesmo com, uma mínima, vergonha alheia –.


Depois de um tempo tentando esquecer sobre isso, eu acho que as minhas orelhas já poderiam voltar a sua tonalidade normal.

、●●● ✿


Após o café, eu e os garotos, decidimos acompanhar um ao outro para casa, já que possuíamos uma quadra de diferença, passávamos por nossos bairros e vínhamos nos despedindo.

Quando estava prestes a entrar em casa, me recordei que precisava conversar com Brian sobre o trabalho que devemos entregar na próxima semana. Começo a procurar o objeto metálico em meu bolso e é… eu realmente deixei meu celular na droga do café. Quem esquece o CELULAR em algum lugar como esse? – Eu e mais trezentas pessoas que não prestam atenção em nada.... –

Como já era um pouco tarde e o local já estaria fechado, apenas dei de ombros adentrando em minha casa. Logo, organizando meu material para o dia seguinte.

、●●● ✿


— As vezes eu penso que sou o ser humano mais burro do mundo, mas lembro que conheço Yoon Dowoon e fica tudo bem. — Olhei para Jae e lhe mostrei o, famigerado, dedo do meio. Por que fui contar que perdi meu celular? Eu só precisava inventar alguma desculpa aleatória até recuperá-lo.


— Iniciando um assunto que preste, que dia vamos fazer o trabalho Brian?

— Primeiro que é Young K, segundo que hoje mesmo porque você está atrasado demais.

— Hoje vou passar ‘numa papelaria para comprar alguns materiais, lhe mandarei mensagem quando recuperar meu celular e a gente resolve.

— Ainda bem que eu estou no "terceirão". — Jae dizia relaxado enquanto mordia sua maçã.

— Logo eu acabo também. — Sungjin se sentou do meu lado enquanto tomava seu suco de caixinha, matinal.

— Ah, falou os velhos. Aliás Brian, já viu o resultado dos testes para o vestibular dos segundos anos? — indaguei curioso.

— Além de ele já ter visto, MEU namorado foi colocado na grade das melhores notas. — A cada palavra era um movimento mais próximo à Kang, no fim, resultando em um abraço.

— Brian, enquanto você estuda o Jae deve ficar:"quer uma caneta quatro cores? A borrachinha? O lápis? O mundo? Eu te dou tudo, meu anjo", isso só pra você não fazer um MÍNIMO de esforço. — Depois de receber um chute, com direito a xingamento, do loiro em minha frente, parabenizei K.


O sinal tocou e então nos despedimos voltando à nossas salas.


、●●● ✿


Além de precisar fazer um trabalho, com alguém de outra turma, terei que estudar para as provas que haverá na próxima semana – e a cada data colocada na grade era uma lágrima que deslizava pelo meu rosto –.


、●●● ✿

Como tive que ficar mais alguns minutos na minha sala, pedi para que os outros fossem na frente. Antes de ir pra casa, andei rumo ao café para pegar de volta o meu celular e arqueei uma das minhas sobrancelhas ao ver Wonpil trancando as duas portas de vidro. Era início de tarde então por que ele estava fechando?

— Hey, me desculpe incomodar mas acabei deixando meu celular aqui ontem. — Sua expressão de surpresa rapidamente se transformou em envergonhado, ele cOROU NA MINHA FRENTE… e, pelo amor de deus, o que que está acontecendo comigo?

— Ah sim, sim, só um instante. — O seu incômodo era, bastante, evidente.

— Me desculpe pelos meus amigos, ontem… — Ri fraco – mas era de nervoso mesmo –.

— Está tudo bem... — Ele sorriu minimamente.

Ao entrarmos no local, este subiu em cima do balcão tentando alcançar algo do outro lado. Por que ele sempre insiste em fazer isso? Dei a volta pegando meu celular e me aproximando do seu rosto – não percebendo que, no momento, estávamos próximos demais –.

— É mais fácil você fazer a volta, assim você consegue alcançar.

— Está me chamando de baixo?

— Entenda como quiser, apenas ‘acho que seus braços são curtos demais. — Me afastei depois de bagunçar seu cabelo. Este me depositou um tapa me fazendo virar com uma expressão de dor.

— Diga novamente, que você irá levar outro tapa. — Ri e então ergui meus braços em forma de rendição.

— Bem, você poderia me passar o seu número hm? — Ele possuía uma expressão mimada, a desfez enquanto balançava sua cabeça negativamente e me puxava para fora do local – tentei colocar meu celular em uma de suas mãos para que pudesse digitar seu número, mas, certamente, não deu certo –.

— Você já pegou o seu celular agora vá, eu preciso ir pra casa. — A cada vez que eu tentava me aproximar, este dava um passo para trás. Bom, com uma idéia em mente, continuei o fazendo recuar até que acabasse se encostando na parede.

— Acha mesmo que me beijando, será o suficiente para conseguir o que quer…? — Óbvio que não, eu nem sequer sei o que eu estou fazendo, Wonpil. Me aproximei – mais um pouco – fazendo nossos lábios quase se tocarem. Coloquei minha mão em seu bolso, pegando o seu telemóvel e colocando meu número ali. Ao devolvê-lo arrumei minha mochila nas costas e rapidamente saí dali – correndo –.

Por que eu fiz isso? Por favor consciência, me lembre de nunca mais pisar neste café tudo por causa das minhas atitudes, totalmente, vergonhosas.



Notas Finais


Por favor leiam, é importante.


Estou curiosa sobre uma coisinha, quando postei o primeiro capítulo, teve uma quantidade boa de views (tanto que no segundo cap., o número, de views, foi a metade) e eu estive pensando… Vocês estão entendendo ou se adaptando com a minha escrita? Caso quiserem que eu mude algum hábito para melhor entendimento está ok.

E a última coisa, não menos importante.


Vamos mudar algumas informações, aqui.


Wonpil é sim mais velho que o Dowoon então ele teria que estar no terceiro ano, correto? correto! Porém, eu não pensei nesse fato quando estava escrevendo que é um ponto muito, muito, importante.

É proibido e principalmente ilegal >>>um menor estar trabalhando<<<


Mas não se preocupem que podemos fazer umas alterações, sim. Vamos dizer que Pil não rodou apenas um ano e sim dois, fazendo com que ele tenha 18 anos (sabemos que na idade coreana, e na Coréia em si, é bem diferente, mas preciso dar meu máximo para alterar isso e não ficar, certamente, errado).


A idade deles não fará tanta diferença, porque no máximo terá algum lemon, eles não farão nada ilegal.


Eu sinto muitíssimo por esse erro e espero que não tenha próxima vez. Irei prestar mais atenção em relação a isto. Obrigada e espero que não desistam de mim. ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...