1. Spirit Fanfics >
  2. Coincidence (Feltson) >
  3. Coincidence?

História Coincidence (Feltson) - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


A Sininho voltoooou!

Com exceção das drabbles dos desafios Nyah, sumi por uns três anos (nem sei se ainda tenho público kkkk).

Demorei muito pra desengavetar essa ideia, escrever e mais ainda colocar no ar, então me motivem pras minhas ideias irem voltando e eu sair de vez desse buraco enorme que me sugou chamado bloqueio.

A história é Feltson (Emma Watson e Tom Felton), a princípio composta por dois capítulos ><

Observação: a história é de Universo Alternativo e não representa os atores em questão.

Nas notas finais deixei um teaser trailer da fanfic também ❤

Capítulo 1 - Coincidence?


Fanfic / Fanfiction Coincidence (Feltson) - Capítulo 1 - Coincidence?

Passaram alguns anos desde que as filmagens de Harry Potter concluíram. Ela pensou que com o tempo superaria ele, mas estava totalmente enganada. Era uma droga pensar que aquele homem era dono de seu coração, mesmo após tanto tempo, Always, sorriu com o pensamento de como essa referência se encaixa nesse contexto.

— Droga! — Emma novamente socava o travesseiro no rosto, como se aquilo fosse resolver qualquer coisa. — Maldito Malfoy! — Riu ao chamá-lo dessa forma.

Acordou sonolenta com o despertador. Hoje era dia de teste de elenco para um novo seriado. Basicamente a história girava numa amizade em que a mulher nutria sentimentos pelo amigo, mas ele não sabia. Quando leu, lembrou-se do filme que viu de seu amigo Daniel “Será quê?”, o contexto era bem semelhante, uma típica comédia romântica.

Sabia que os produtores queriam muito ela ali, mas deixou claro que queria ser tratada como qualquer candidata e avaliada como tal. Ao término dos testes, voltou para casa. Emma era muito independente e feliz, cultivava suas amizades, inclusive as que fizera na época mágica de sua vida, como gostava de nomear, porém, aquele sentimento, por mais que tentasse enterrar, nunca passava. Precisava compartilhar com alguém. Rupert estava muito ocupado com o recente nascimento de sua filha, então ligou para Dan.

— Alô? — Do outro lado da linha a voz masculina resoou.

— Dan? É a Emma. — Ela respondeu.

— Eu sei, seu nome apareceu no visor. — Os dois riram.

— Que constatação óbvia Harry. — Imitou Hermione piorando a situação. Daniel era como seu ombro amigo, seu irmão, tal qual seus personagens foram.

— Certo Emminha, como você está?

— É bem…

— Bem… não me convenceu.

— Na verdade, eu tava precisando conversar com alguém. Você tá livre pra um café amanhã?

— Olha, parece que adivinhou, estou sim, minha namorada tem gravações do filme dela e eu estou de folga. Nos vemos às 3 naquele café habitual?

— Fechado!

Conversaram mais alguns minutos ao telefone, ela contou sobre o seriado. Daniel achou engraçado o enredo ser semelhante ao do que fez, mas também, é um clichê entre as histórias. Ao desligar, Emma pensou em como contaria isso, afinal, Tom e ele eram muito amigos. Olhando as redes sociais, não se segurou em stalkear o Instagram de Felton e ria sozinha de como aquele homem adorava trazer coisas de Harry Potter. Era um bobo, que ela amava, pensou.

§

Chegando no café logo avistou Dan, que acenou. Era estilo Starbucks, porém mais britânica. Os dois se cumprimentaram com abraços e beijos no rosto e ela sentou de um lado enquanto ele voltava pro seu lugar do outro.

— Você parecia tensa no celular ontem. — Comentou, chamando gentilmente a atendente para fazerem o pedido.

— É, bem, o que eu tenho pra falar não é nada fácil. Pelo menos pra mim. — Quando a moça se aproximou, os dois fizeram os pedidos e logo retomaram o assunto.

— Sabe que pode contar comigo né? — Ele perguntou, sorrindo amável.

— Eu sei, é que… bem, eu estou apaixonada. — Ao ouvir isso, Dan colocou seu café sobre a mesa um tanto surpreso, mas feliz.

— Sério? Quem é o pretendente?

— Então, aí que mora o problema. É alguém do elenco… de Harry Potter. — Essa fala gerou certo desconforto, talvez porque ao falar isso o olhou tensa. — Calma Dan, não é você! — Ela riu, fazendo ele aliviar a tensão do rosto.

— Época maravilhosa, sinto muita falta, embora os problemas que enfrentei… — Ele comentou. Daniel era muito calmo e não falava muito sobre para mídia, mas para ela era muito franco. — enfim, desculpa, o foco hoje é todo seu. Quem seria então? O Rupert? — Perguntou.

— Não, mas é alguém bem próximo a você. — Ficou alguns minutos pensando. Emma achava a lerdeza do amigo bem parecida com a de seu personagem marcante. — É o Tom. — Soltou, vendo que ele não chegava a tal conclusão, fazendo-o engasgar, tossindo algumas vezes até voltar ao normal, fazendo a amiga quase ter uma crise de riso um tanto envergonhada.

— Emma, não estou surpreso com isso, era notável de longe, mas você admitir, isso sim, me surpreendeu. Imagino que ele não saiba.

— Ele sabia que eu tinha uma queda na época, mas não estava interessado — Respondeu triste. — só que eu não quero mais isso Dan, quero esquecer ele!

— Acho que devia contar a ele. Que não era só uma queda, que o ama. Porque convenhamos que depois de tanto tempo, isso é amor. — Daniel aconselhou, lembrando da última conversa com Tom. — Se ele não corresponder, pelo menos você talvez consiga seguir em frente, colocar um ponto final nisso.

— É, tem razão. — Ela continuou refletindo, até que seu celular tocou. Era da produção do seriado. Ao atender, informaram que tinha sido a escolhida. O amigo parabenizou e aproveitou para dar dicas sobre o papel, já que era muito semelhante com o que ele fizera.

§

Era início das gravações e ficava nervosa. Hoje conheceria todo resto do elenco, inclusive seu parceiro romântico de cena. Chegando ao local, alguns rostos familiares do cinema estavam lá e outros que ainda não conhecia. Viu que o produtor conversava com um homem um tanto familiar, que estava de costas. Uma mulher se aproximou para anunciar sua presença e quando aquela figura de 1,75 metros de altura virou em sua direção os dois olharam-se surpresos.

“Eu não sou de falar palavrão nem mentalmente, mas caralho hein”. Pensou. O homem que atormentava seus pensamentos, emoções e até mesmo momentos de tesão estava ali, indo em sua direção ao lado do diretor.

— Emma! — Passada a surpresa, Tom sorriu e a abraçou forte, daquele jeito que ele costumava fazer. “Céus, esse perfume, esse abraço, esse corpo, eu vou desmaiar”.

— Bem, não contamos antes, pois queríamos fazer uma surpresa a vocês dois. Tom, Emma, vocês são o casal protagonista da série.

— Isso vai ser incrível Emma, vamos atuar juntos! Os fãs de Draco e Hermione vão pirar! — Ele riu e ela correspondeu nervosa. — A gente precisa contar para o Dan, o Rupert…

— Ah, então, queria pedir que por enquanto não espalhem a notícia, vocês serem o casal vai ser um ponto que vai atrair muito a mídia, gostaríamos de deixar mais para frente. — Eles concordaram, se a mídia soubesse iria atrapalhar muito as gravações.

“É Emma, parabéns, olha como o universo te ama. Você vai atuar ao lado do seu amigo que você ama e não sabe disso e a sua personagem é amiga do personagem dele, o ama e ele também não sabe. Você tá vivendo um filme completo Emma Watson!” Seus pensamentos a estavam enlouquecendo. Tentava focar no que era passado para eles, Tom ao seu lado, porém dificilmente o encarava, com vergonha, mas algo quebrou sua louca imaginação, uma mão pegando na sua, ela o encarou e ele sorriu gentil.

— Vai dar tudo certo. — Piscou, tentando passar segurança para ela, que não conseguiu conter o sorriso ao toque de sua mão, a piscada, aquele jeito protetor que dele, mas sem sufocar. Simplesmente estava num delírio.

Quando finalmente voltou para casa refletiu sobre tudo que estava acontecendo, como iria aguentar ficar perto daquele homem? Ainda mais Tom, que era atencioso, do tipo que gosta de abraçar forte, beijar no rosto.

Realmente pensar demais nisso durante semanas rendeu a Emma sonhos maravilhosos em que a boca de Felton percorria seu corpo. Ela gemia de excitação ao sentir o hálito quente dele ao beijar seu pescoço, embora não conseguisse vê-lo inteiramente, sabia que estavam nus.

— Emma… — Sussurrou ao pé de seu ouvido, levando a boca para frente, mas sem beijá-la. Ele a deslizou suavemente no centro do corpo, descendo quase chegando lá…

O pulo que Watson deu da cama a deixou com raiva. Justamente numa das melhores partes tinha que acordar? Era nesse momento que tinha vontade de voltar a dormir para concluir o sonho, porém, tudo que não conseguiu foi pregar os olhos pelo resto da noite. Era um fato que Tom mexia não somente com seus sentimentos, mas seus desejos, como se estivesse a possuindo de forma inconsciente.

§

Nas gravações do dia seguinte, um mega café acompanhava a mulher que estava sonolenta. Era um pequeno intervalo das gravações em que a equipe tinha um refeitório disposto para lanchar. Quase que seu copo ganhou outro destino quando Felton envolveu seus braços envoltos nela por trás, abraçando. Quem visse a cena acreditaria que eram um casal, mas o resto do pessoal estava já habituado com essa intimidade de ambos por conta de seu histórico, especialmente o jeito carinhoso dele.

— Você quase fez a gente tomar banho de café agora. — Emma riu.

— Ah, eu te vi meio batidinha quando chegou hoje, mas não consegui falar com você antes das gravações, pensei que um abraço ia melhorar, pelo jeito consegui, já que tá rindo. — Ela virou apenas a parte de cima do corpo o bastante para encontrar seu rosto. Se aqueles olhinhos azulados soubessem que ele era o motivo de sua sonolência…

— Obrigada Tom, dormi mal apenas, alguns sonhos conturbados. — Você que estão lendo, substituam “conturbados” por “eróticos”.

— Entendo, ritmo de gravação de série sempre é um pouco pesado, gostaria até de te chamar pra sairmos um pouco, mas acho que vai ser difícil termos tempo. Quem sabe ao final das gravações? — Ele perguntou esperançoso.

— Olha, eu topo. — Ela sorriu um tanto corada.

— Emma, você é tão envergonhada. — Ele riu. Encabulada, lembrou das palavras de Daniel sobre como era óbvio o que ela sentia por Felton.

§

Passou-se um bom período das gravações. Aquele dia seria tenso, estava mais nervosa que o normal, seria a cena em que sua personagem se declararia e pra sua sorte ou azar, o amigo a corresponderia e eles teriam que se beijar. O primeiro beijo de Emma e Tom seria em frente às telas, nada mais clichê para dois atores. Não se lembrava de ter ficado tão nervosa com outras cenas de beijo, mesmo quando ficou surpresa ao anúncio do beijo de Hermione e Rony, não se lembrava de ter sido tão difícil, embora Rupert fosse um grande amigo e acabou achando tão estranho quanto beijar Daniel.

Erick eu…” — Tremulava a voz, não sabia mais até onde já era atuação ou era real. — “não sei como dizer. Depois de tanto tempo tantos anos guardando isso”.

Olívia, como assim, o que quer dizer?” — Arqueava a sobrancelha, confuso.

 “Sou perdidamente apaixonada por você” — ao soltar essas palavras, Emma engoliu em seco, sabendo que seu lado atriz abandonara a cena”.

Tom sorriu ao ouvir aquelas palavras, encaixando a mão em sua bochecha direita, fazendo um leve carinho. Ele a puxou para perto, seus narizes se acariciavam, até que sem avisar, colou os lábios. Emma pensou estar no céu ao sentir a boca dele, ainda que num beijo técnico... mas espera... não se recordava de seus outros beijos ter aquela invasão de língua toda. Como não tinha certeza se Felton sabia o que de fato era um beijo técnico, continuou sentindo aquele gosto saboroso, mesmo que por um único momento. Quando ele finalmente a soltou aos poucos, juntou suas testas e olhou fundo em seus olhos “Eu te amo Emma”.

 “Emma?” ela pensou.

 — Corta! Thomas, a personagem se chama Olívia. — O diretor respondeu.

 — Desculpa... diretor. — Ele gaguejou, finalmente tirando os olhos dela. Após aquela cena, o resto das gravações ficou muito diferente, foi mais difícil ainda repetir o “Eu te amo” que seria respondido seguido da personagem de Emma.


Notas Finais


Olha o teaser trailer (bem curtinho, assistam ❤) https://www.youtube.com/watch?v=yHKq8ACOFto

Se puderem deixar um recadinho ficarei muito feliz (e eu respondo! ❤)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...