História Coincidências - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Sherlock
Personagens D.I. Greg Lestrade, Dr. John Watson, Mycroft Holmes, Sherlock Holmes
Tags Johnlock, Mystrade
Visualizações 140
Palavras 1.698
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Fluffy, Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi, essa fic esta na minha cabeça já faz um tempo. Espero que gostem. Vou tentar atualiza-la com frequência. Ensino médio é corrido.

Capítulo 1 - I


É hoje. Hoje que conhecerei o cara que está namorando minha mãe. Seu nome é Steven . O cara que ela ama a ponto de pelo jeito até se casar novamente. Até mesmo depois do meu pai. É estranho, ver minha mãe com outro homem, mas sabe? Só quero ver ela feliz e se for pra ser assim. O que posso fazer a não ser apoia-la?

Minha mãe tinha me dito que tinha conhecido alguém e que estava namorando a uma semana. Tínhamos saido para comemorar a vitória do time de futebol da escola que a propósito eu sou capitão. E foi nessa noite que ela me disse. Eu fiquei surpreso e catatonico por um tempo. Bizarro. Amo minha mãe e só quero o melhor para ela e meu pai é um cara incrível, mas não era o melhor para ela. Ele não dava a atenção que ela merecia, estava sempre viajando. Até que o casamento não aguentou mais. Hoje meu pai mora em outra cidade. E eles tem uma boa relação até. Ele é dono de um hospital nessa cidade e minha mãe é diretora de um aqui em Londres.

A minha mãe disse que o namorado dela trabalhava no governo ou algo assim e tem dois filhos. Um da minha idade mais ou menos e o outro mais velho.

Agora eu estava saindo do treino e precisava voltar para casa tomar um banho e me preparar para o jantar que seria na casa dele. Estou passando por um corredor quando ouço uns barulhos estranhos de perto dos armários. Eu me aproximo pé por pé. E adivinha? É claro, o Moran e sua guanguesinha agredindo um menino. Esses idiotas não aprendem. Já foram quase expulsos !

- Moran! Deixa o menino em paz! - eu gritei o encarando. - não acha isso covardia? Cinco contra um? Sério?

- isso não é da sua conta Watson! Não se meta. Esse babaca merece. - disse ele dando o soco no menino que já sangrava muito.

- Moran deixa ele! - eu disse segurando seu pulso e me posicionando entre ele e o rapaz quando ele dispararia outro soco no coitado.

- Watson! Eu disse para ficar fora disso!

- john? Está tudo bem aqui? - perguntou Greg se aproximando.

Greg lestrade é meu melhor amigo desde criança, meu colega e no time era o goleiro. Recentemente ele estava todo estranho. Eu perguntei o que tinha de errado com ele e ele disse chorando que estava apaixonado por um cara. Eu fiquei surpreso, mas o que consegui fazer foi abraçar ele. Greg, ahhh Greg meu bom amigo não acredito que você pensou que eu deixaria de ser seu amigo por uma coisa dessas. Bom, em resumo o namorado dele está na faculdade e eu ainda não o conheço, mas a promessa é que em breve conhecerei.

Greg estava com Anderson que também olhava para os idiotas com quem eu discutia.

- não. Esses idiotas estão batendo nesse garoto. Cinco contra um. Acredita?

- nós não queremos briga com vocês está bem Watson?! - disse Moran. - mas esse imbecil mereceu cada soco! Podem ficar com esse lixo. Nos vemos por ai Holmes . - disse ele para o menino quase desmaiado no chão.

Moran e sua guangue se retiraram e eu me aproximei do menino em minha frente.

- ei cara? Vem. Eu vou te levar para um hospital. - disse tentando o deixar sentado.

- não. Aqui. - disse ele me entregando o celular. - liga para o meu pai. Diz para ele me buscar.

- Sherlock? Você aguenta ir até o estacionamento? - perguntou Greg se ajoelhado ao lado do garoto.

- Lestrade... Eu acho que sim.- Holmes susurrou.

- Anderson me ajuda aqui! - gritou Greg segurando o lado do menino.

- eu não consigo ver sangue você sabe Lestrade.

- mas é um covarde.

Enquanto isso eu ligava para o pai de Holmes.

- "alô? Filho! Cada você ?"

- aqui não é o seu filho. Eu estou com ele aqui. Ele apanhou de uns idiotas e está bem machucado, mas nada muito sério ele só pediu para eu ligar para o senhor e pedir para busca-lo.

- "o que? Ele está bem? Está acordado? Vocês estão onde?"

- ele está acordado sim estamos levando ele para o estacionamento da escola. Se o senhor puder pega-lo.

- "claro, eu ja estou indo".

- tudo bem.

Eu desliguei e ajudei Lestrade a carrega-lo. Já que Anderson levava as coisas do menino.

- aqui seu celular.

-obrigado.

- de nada, ele já está vindo.

-ok.

Sherlock, Sherlock Holmes. Todos já ouviram falar nesse garoto na escola. Era um gênio, mas ao mesmo tempo um babaca egoísta. Pelo menos isso era o que falavam. Sempre bem arrumado com seu sobretudo preto e cabelos encaracolados. Eu estranhei Greg o conhecer já que nunca comentou nada sobre o rapaz.

Nós chegamos ao estacionamento da escola e logo um carro parou apressado. E um homem de meia idade desceu do carro correndo.

- Sherlock! Filho você esta bem?- disse ele segurando o ombro do filho.

- pai, eu levei uma surra, não estou bem.

- ahh meu Deus, eu vou te levar para o hospital. Vou ligar para a ...-quando ele iria completar a frase Sherlock o cortou.

- pai! Não precisa me levar para o hospital. Eu estou respectvamente bem. Graças ao John aqui . Ele me ajudou. - o homem empalidesceu.

- John? - perguntou ele olhando para mim e seu filho.

- sim. John Watson o capitão do time de futebol. - Holmes acrescentou.

- ahh o capitão do time. Ahh oi Greg! Tudo bem? - disse o homem vendo que Greg estava ali. Espera como se conheciam?

- senhor Holmes como vai? - disse Greg.

- ahh e o Lestrade também ajudou.

- e eu. -disse Anderson. - a propósito Greg minha mãe chegou, vamos? Quer ir John ? - eles iriam para um barzinho mais tarde.

- não, valeu Anderson tenho um jantar de família hoje, não vai dar.

- ok.

- Sherlock se cuida. - disse lestrade.

Sherlock não disse nada só sorriu de lado.

E assim os dois se afastaram deixando o pai de Holmes e eu para ajuda-lo a chegar ao carro.

- aqui. - disse quando o ajudei a sentar no banco da frente do carro. Seu pai já abria a porta do motorista .

- obrigado. - disse ele baixo.

- que isso, imagina. -eu disse sorrindo e fechando a porta.

- Watson? Você quer uma carona? - disse ele abaixando o vidro.

- não , que isso não quero atrapalhar. - disse.

- venha, a gente te deve uma. -disse o mais velho.

- ok então. - eu falei sorrindo.

- entra aí. - disse o machucado.

Eu entrei larguei minha mochila no banco e fechei a porta.

- onde você mora John ? - perguntou Sr. Holmes.

- ahhm em frente ao parque senhor Holmes .

- ahh é uma bela região. Sua família tem bom gosto.

- é sim. Uma ótima região e minha mãe tem um ótimo gosto sim. - eu disse sorrindo.

E assim fomos. Quando chegamos eu desci do carro e olhei pra Sherlock que estava com o vidro abaixado. - se cuida Sherlock . Se precisar o telefone da casa está na agenda.

- ok Watson. E obrigado novamente.

- de nada. Tchau e obrigado pela carona senhor Holmes.

- de nada John, nos vemos por ai.

- com certeza.

E assim entrei em casa.

- john! Filho isso são horas? Nós vamos nos atrasar assim sabia? O que aconteceu? Que sangue é esse? - perguntou minha mãe preocupada.

- é de um garoto que eu ajudei. Ele apanhou de uns idiotas.

- ahhh meu herói.

- engraçadinha.

- vai tomar banho! Passa, vamos!- disse ela me empurrando e rindo.

- ok mãe.

Eu tomei banho e me arrumei. Coloquei uma calça jeeans e camisa. Minha mãe já me esperava na sala.

- tá bem mãe, vamos.

Ela se levantou e começou a procurar algo.

- você viu as chaves do carro?

- não são essas aí no sofá?

-ahhh é. Ok vamos.

Eu sorri e a segui até a garagem.

Foi uma viagem rápida até a casa, que era bem bonita até. Descemos e minha mãe me perguntou três vezes se estava bonita até chegarmos a porta e ela tocar a campainha.

Eu vi uma sombra por baixo da porta. Então ela foi aberta. Eu encarei o homem em minha frente e vice-versa. Ele estava corado de vergonha. Bom, ele tinha motivos.

- filho esse é o Steven meu namorado. - disse minha mãe.

- já nos conhecemos mãe.

Ela olhou para mim e para ele.

- espera. Como? Como assim?

-oi John. Eu queria ter te dito mas... mas eu fiquei envergonhado. Sinto muito. Me desculpa?

-o senhor não precisava se envergonhar senhor Holmes. Mas acho que foi melhor assim. - eu disse tentando manter minha educação. É claro. E Sherlock sabia por isso disse meu nome daquele jeito. - o senhor tinha mais com que se preocupar. - eu sinto que não foi por maldade.

- alguém pode me dizer o que está acontecendo.

- o garoto cujo sangue estava na minha roupa hoje mais cedo é o Sherlock o filho do senhor Holmes mãe. Eles até me deram carona para casa.

- ahhh deram carona?- ela olhou para Steven.

- eu tentei te ligar, mas você não atendeu.- disse na defensiva.

- ok, olha tudo bem. Senhor Holmes. Tudo bem.

- achei que você iria querer me matar John.

- que isso. Não é tão ruim como pensei. - disse tentando amenizar o clima tenso.

- entrem. Sejam bem-vindos. É, eu me atrasei um pouco com o jantar.

- tudo bem. - disse minha mãe.

- e o Sherlock, senhor Holmes ?Como ele está? - perguntei me aproximando.

- ahh ele está no quarto. Se quiser pode ir lá. Ele tomou um banho, está lá fazendo algum experimento eu acho.

- experimento?

- é. Meu filho é meio excêntrico.

- sério pai? Excêntrico? - ouvi uma voz meio dolorida atrás de mim.

 


Notas Finais


...
Só um capítulo dedicado a minha insônia. Kkkkk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...