História Coincidências - Capítulo 25


Escrita por:

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Capitão Killian "Gancho" Jones, Cora (Mills), David Nolan (Príncipe Encantado), Dr. Archie Hopper (Jiminy Cricket), Emma Swan, Henry Mills, Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Roland, Tinker Bell, Violet, Xerife Graham Humbert (Caçador), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Emmaswan, Hanry, Killianjones, Ouat, Outlaqueem, Reginamills, Robina, Robinhood, Zelenamills
Visualizações 39
Palavras 2.890
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gente não sei se ficou muito bom esse capítulo, me perdoem, prometo melhorar, eu não quis deixar vocês sem história. É só que eu não tô conseguindo mais escrever por conta de uns compromissos de casamento então... Me desculpem, vou tentar manter atualizado.❤️

Capítulo 25 - O clima pesou!


Fanfic / Fanfiction Coincidências - Capítulo 25 - O clima pesou!

 A semana de folga dos recém casados já havia acabado e em compensação o trabalho tinha acumulado de uma forma que nenhum dos dois conseguiriam explicar. A noite cai a dentro e Regina já estava exausta de ver tantos números vermelhos, verdes e azul na tela do computador. Robin por ironia do destino não conseguiu ficar mais tempo na empresa já que o mesmo precisava tomar conta das outras filias, ele precisava dar um parecer. O relógio já rasgava para quase dez da noite e Regina desliga a tela brilhante, chama um carro de aplicativo já que estava exausta para dirigir, a mesma deixa seu carro na empresa e depois de alguns minutos ela chega ao condomínio de prédios onde habita.

- Joana me perdoe a demora, eu não queria atrapalhar a sua vida, mais eu só consegui sair agora do trabalho, eu estou me sentindo envergonhada! - A morena diz assim que abre a porta e vê a babá das crianças já arrumada para ir para casa só esperando um de seus patrões.

- Que nada senhora Regina, eu entendo etudo bem, a Silvia foi embora porque tinha que cuidar do filho, mais eu fiquei aqui com as crianças!- Joana se refere a outra babá. Regina sorri, pega um copo para beber água e antes de chagar ao filtro ela brinca com a babá.

- Ta vendo, fica o dia todo cuidando das crianças e ainda tem esse sorrisão no rosto... Como? Ah Joana eu vou te dar um aumento mulher!

- Não é bem o dia todo já que a senhora os leva para a escola e eles chegam na hora do almoço.

- Hm- Ela da um gole na água.- Mesmo assim Joana, eu conheço bem os meus filhos, fico de cabelos em pé!- Regina sorri e alisa a barriga. - E sabendo de tudo isso ainda vou te dar mais um trabalhão desses! - A morena refere-se ao filho que está carregando em seu ventre.

- Não será trabalho nenhum, bom eu vou indo. As crianças já dormiram e eu já aproveitei para ajeitar o lanche deles de amanhã e o uniforme dos dois está passada e penduradas no cabide.

- Você é incrível!- Regina se despede de Joana e caminha até o sofá onde se deita, respira fundo e fica por um tempo olhando para o teto em estratégia de relaxar o corpo e a mente até ser despertada por um barulho de chaves na porta.

- Que dia!- Robin encosta na porta e era visível o seu cansaço, por ele. Estaria deitado no chão da sala mesmo sem banho, sem nada.

- Eu também estou muito cansada!- O casal se entre olham por um tempo e começa a rir. - As crianças já dormiram e eu nem vi a carinha deles hoje direito!- Ela gargalha.

- Porque estamos rindo desse jeito?- Ele também gargalha junto.- Minha barriga dói.

- Acho que é porque trabalhamos muito e não estamos conseguindo levantar nem uma caneta.- Robin tira o blazer se senta no tapete felpudo e Regina fica fazendo um carinho nos cabelos que estavam grandes por sinal.

- Eu vou acabar dormindo!

- Deite aqui do meu ladinho, vamos dormir só um pouquinho, depois tomamos banho e subimos para o nosso quarto.

- Tem certeza?- Regina assente e Robin deita de frente a esposa, eles se beijam por alguns segundos e pegam no sono.

02min15s

- Regina, amor...- A morena abre os olhos e se esforça para mantê-los daquele jeito.

- Robin, já é madrugada!- Regina se espanta ao ver o relógio de pulso, a mesma pega o celular e tinha várias ligações da mãe, das irmãs, até do irmão e do sobrinho. - Que tanto essas pessoas querem comigo?- Ela bota o celular de lado já que estava muito tarde.

- Tome um banho enquanto eu arrumo o Yakisoba que eu pedi pra gente.

- Você acordou antes de mim?- Robin sorri e assente e ela repara que ele já estava com outra roupa, uma mais confortável e seus cabelos também estavam molhados.

- Eu só vou aceitar comer a essa hora porque eu estou grávida e o seu filho é um fominha, o certo é comer de três em três horas e eu estou em uma rotina de meia em meia hora.

- Que bom que assim o nosso filhote fica bem alimentado.- Regina sorri e balança a cabeça negativamente. Ela sobe e toma seu banho.

... 

- Amor a gente é louco, estamos jantando as três da manhã, eu vou dormir com o estômago cheio!- Regina ao mesmo tempo que dizia, devorava o seu alimento.

- Antes da gente está juntos, eu jantava muito nesse horário. Era o único que eu tinha então, enquanto algumas pessoas iam trabalhar, eu ia dormir. - Ele sorri e coça a cabeça.

- Amor... Você não está com medo?- A morena pergunta do nada.

- Medo? De que eu teria medo Regina?- A Mills passa a mão na barriga se referindo a sua gravidez.

- Claro que não meu amor... Você está?- Regina engole seco.

- Um pouco, Robin todas as outras gravidez foram tão complicadas sabe e agora!- Ela aponta para a barriga.

- O nosso filho!- Ele da um beijo na barriga da esposa e ela faz um afago em seus cabelos. - Não precisa ficar com medo, a sua vida agora é outra, e eu sempre estarei aqui, por você, pra vocês e pelos nossos.- Regina lhe rouba um beijo e Robin sem pressa a abraça pela cintura e aprofunda aquele beijo quente no meio da madrugada, no meio da cozinha, com o chão gelado que causava arrepios na mulher já que a mesma estava descalça mais os braços quentes do seu esposo a esquentava lhe dando sensação de conforto.

- Amor...- Ela diz entre os beijos com uma leve mordiscada em seus lábios.

- Oi?- Ele pergunta em um sussurro.

- Obrigado por tudo... Eu te amo!

- E eu amo você!- O loiro ergue o corpo da esposa sem desgrudar de seus lábios e a senta no balcão da cozinha ficando entre suas pernas.

- As crianças podem acordar!- Ela diz totalmente entrega ao esposo.

- Não vão, já está muito tarde!- Robin vai equilibrando sua mãe na bancada até esbarra no jarro de flor que vai ao chão.

- Ah!- Regina grita assustada e Robin tenta calar a esposa com a mão. - Eu acabei de falar que as crianças podem acordar e você deixa o jarro cair.- Ela diz sussurrando.

- Ainda bem que é de plástico!- Ele não dá muita importância para o objeto e continua nas suas carícias. - Acho melhor a gente subir!- Regina assente e Robin a leva em seu colo mais no corredor é que vem a surpresa, tinha um brinquedo das crianças no chão que Robin não viu e logo o casal estava no chão por te escorregado naquilo. Tamanho foi o desespero de Robin quando viu sua esposa intacta de costas no chão. - Amor pelo amor de Deus, me desculpa, você... Você está bem?- Regina balança a cabeça negativamente e Robin se aflinge por ela está tão calada. Ele sabia que a dor a fazia ficar daquele jeito.

- Eu tô ficando fraca ...- Regina começa a da resquícios de sonolência por ter batido a cabeça no chão.

- Amor olha pra mim!- Robin chora sentindo o peso da culpa. Ele murra a coxa de raiva. Regina força olhar para ele mais era quase impossível, os olhos dela não paravam de querer fechar. - REGINA. REGINA!- Ele da um tapinha no rosto dela para ver se a mesma não tinha desmaiado e ela faz uma careta fraca.- Me perdoa meu amor, me perdoa! Eu vou te tirar daqui.- Ele tenta pegar ela no colo.

- Aiiiii!!!!- Ela grita de dor e Robin com calma a ponha de volta no chão. - Tá doendo!- Ela sussurra querendo chorar.

- Não chora por favor!- O loiro tenta aclamar o seu desespero.

- Papai porque a mamãe está chorando?- Roland aparece no corredor com seus cabelos bagunçados e de pijama.

- Filho, ajuda o papai?- Robin não conseguia esconder as lágrimas.- Roland balança a cabeça positivamente.- Vai lá na casa dos seus tios, toca a campainha, e pede para eles virem aqui correndo, e cair com a sua mãe. - Roland corre até a casa da tia.

- Está doendo!- Ela ponha a mão sobre a barriga. Eu não quero perder o nosso bebê. Tá ficando tudo... Tudo preto!- A mulher começou a embolar as palavras e Robin percebi que ela estava querendo desmaiar.

- Eiii...Regina, amoooor....REGINAAAA!!!- Ele a balança e a mesma não respondi.

- REGINA? O que está acontecendo com ela Robin? - A ruiva se abaixa para ver a irmã mesmo com dificuldade.

- Ela desmaiou! Eu não consegui tirar ela antes daqui porque ela estava com dor e...Eu estou com medo de perder o nosso filho!- Robin fica vermelho e tremendo.

- Ei, PARA DE CHORAR!- Renan grita com o irmão.

- Eu já liguei para a ambulância!- Clarice sobe as escadas avisando.- Ninguém acordou ela ainda?- Zelena balanço a cabeça negativamente.

- A gente não está conseguindo!- Zelena não sabe o que fazer ou dizer naquele momento. Clarice verifica a respiração da tia vai até o banheiro pega um frasco de perfume e conha abaixo do nariz dela. - Regina faz careta e todos se acalmam mais ao perceber que ela tinha acordado.- Eu estou aqui Dos, o que você está sentindo?

- Muita... Muita dor!- Ela consegui abrir os olhos por um instante e logo os fecha.

- Papai a ambulância!- Roland da caminho para os homens entrarem no corredor, eles colocaram Regina na maca e Robin acompanhou na ambulância a esposa até o hospital.

...

 Já no hospital um pouco mais calmos, Regina sendo médicada, Robin entra no quarto da esposa com um copinho de café.

- Eu não vou deixar você me carregar no colo nunca mais!- Ela brinca e Robin solta uma respiração pessada.

- Me perdoa amor, eu juro que não queria ter te derrubado.- Os olhos dele estavam cheios. Regina faz um carinho em seus cabelos e lhe dá um beijo no dorso de sua mão.

- Tinha um brinde no chão, ninguém teve culpa eu só estou um pouquinho zonza ainda mais vai passar.

- E a dor na barriga? Eu fiquei com medo!

- Eu também, mais estamos bem! Os medicamentos aliviaram as dores!- A morena se ajeita na maca.

- A pancada na cabeça foi muito forte!- Ele passa a mão com cuidado na cabeça dela, estava com um galo.

- O importante é que está todo mundo bem!- Ela sorri.- Eu estou cansada!

- Pode dormir eu estarei aqui.

- obrigado meu amor!- Ela deixa sua mão na mão dele e pega no sono.


...

- Robin querido!- Robin esfrega os olhos, já era de manhã, Regina ainda dormia.

- Braca?

- Tome um café, come alguma coisa, eu vou ficar aqui com a minha filha, vou cuidar dela tudo bem?- Robin assente, ele tinha dormido sentado.

- Mãe?- Regina abre os olhos lentamente.- O que está fazendo aqui?

- A Zelena me ligou dizendo que a minha filha tinha escorregado e caído, vim ver se estava tudo bem.

- Cadê o Robin?

- Está tomando café da manhã.

- Tá vendo onde eu fui parar só porque eu e o Robin quis dar uma reinventada?

- Reinventada, como assim Regina?

- Essas coisas se tornaram tão estranhas em falar pra você entende? Não me leve.a mau é pôr que você é minha mãe.

- Não confia em mim?

- Claro que eu confio mãe, mais é que... Tá eu vou contar. Eu e o Robin estávamos nas prés eliminares, a gente ia fazer amor e devido ao jarro que tinha caído na sala, a gente resolveu subir para terminar as coisas no quarto para não fazer muito barulho, se for possível. O Robin me pegou no colo e eu não vi mau algum, mais ele não viu o brinquedo que está no chão e acabou caindo eu e ele por cima de mim.

- Minha filha, me disseram que fez barulho na hora que você caiu, então você caiu com muita força!

- Mãe foi uma pancada, parecia que o meu cérebro tinha explodido entendi? Eu lembro que na hora me deu muito sono e eu não lembro de mais nada.

- Você desmaiou minha filha, você e o Robin precisam ser mais precavidos com a vida de vocês. Tudo bem que vocês estão aproveitando o casamento, mais você está esperando um bebê e vocês tem dois filhos pequenos.

- Eu sei mãe, eu só não pensei em nada quando o fogaréu subiu a minha cabeça, enfim, vamos parar de falar desse assunto que eu já estou ficando constrangida!

- Tudo bem, eu te entendo!- Branca diz acalmando a filha que ainda recebia alguns medicamentos na veia.

- Amor, acordou?- Robin aparece na porta do quarto da paciente que no caso é a sua esposa.

- Sim e estou querendo ir para casa, esses remédios não vão acabar não?- A morena revira os olhos um pouco impaciente e Robin sorri.

- A médica disse para que fique só mais uma horainha meu amor!- Robin diz.

-Oh! Isso é a eternidade.- Branca ri do exagero da filha.

- Quando chegar em casa, trate de descansar em, tô me sentindo muito culpado e se eu ver você passando mau ou algo do tipo eu vou ficar pior do que eu já estou.- Ele diz sério e Regina assente.

- Tudo bem. Mais amanhã eu volto para o trabalho!

- Não sei se...

- Sem mais um pio Robin!- Diz de forma autoritária e Robin levanta uma sobrancelha para a esposa não volta atrás.

- Tudo bem, amanhã você pode voltar a trabalhar, mais com uma condição. Na parte da tarde tudo bem?

- Pelo menos eu vou né!

As horas se passaram...


- Mamãe você chegou!!!- O menino que tinha visto a mãe caída no meio do corredor, vai correndo até a mesma que já estava bem melhor e de pé.

- Filho, perdoe a mamãe?

- Eu fiquei com medo mamãe, achei que nunca mais ia te ver e meu coração ficou doendo.- O menino diz de forma sincera e Regina o abraça com lágrimas em seu rosto.

- E ele é um menino muito forte, não demonstrou em nenhum momento que estava desse jeito.- Zelena que estava sentada ao sofá com a sobrinha no colo logo comenta.

- O filho, eu não queria que ficasse desse jeito ou que visse alguma coisa do tipo mais...

- Eu só chorei quando você saiu mamãe.

- Eu imagino meu filho, prometo não te dar mais esses sustos!

- Até porque, se você der algum susto nesse moleque aqui, ele vai parar no hospital com o coração doendo.- Renan comenta e Regina não entendi o comentário do cunhado.

- Porque está falando isso?

- Comentei algo errado?- Robin da um tapa no braço do irmão que o olha com cara de assustado.

- Pela cara do tio Robin, realmente você falou o que não deveria.- Clarice olha para a cara de Robin e Regina. A mulher não parava de o encarar querendo respostas.

- Regina você acabou de chegar em casa, bateu com a cabeça, não acha melhor conversar depois?- Zelena pergunta tentando acalmar a irmã.

- Não estou nervosa Zelena, relaxa, eu já sabia disso é só que... Enfim não gosto que comentem do coração do meu filho.- Regina desfarça e Robin ajeita a gola da blusa.

- Certeza?

- Absoluta! Deixe eu só tomar um banho e trocar de roupa, já volto!- A mulher antes de sair da sala deixa um beijo no filho e outro na filha e sobe para o quarto sendo seguida pelo marido.

- Regina eu posso explicar!- Ele fecha a porta.

- Explicar. Explicar exatamente o que, posso saber ?- Os olhos dela o queimava de raiva.

- Sobre o Roland...

- Bom, pelo que eu sei, o Roland tem o coração bom, já que ele só sofreu uma vez como você tinha me falado e o médico disse que não precisava fazer nenhum tipo de processo cirúrgico, lembra?

- Eu não queria que ficasse preocupada!

- Não queria que eu ficasse o que? - Ela ri de nervoso.- Robin você mentiu para mim, caramba é a vida do nosso filho. Ou você achou que se eu ficasse sabendo disso, poderia tirar esse que está na minha barriga só porque os primeiros tiverem problemas de coração? - Robin abaixa a cabeça. - Pelo visto era isso mesmo... Mais não se preocupe, eu não farei isso!

- Me perdoe meu amor, eu queria te contar toda a his...

- Deveria ter me contado no começo Robin. Quando eu descobri que ele era o meu filho. Agora eu entendi o seu desespero com a internação da Charlie por conta do coração.

- Amor tenta entender o meu lado!

- Entender o seu lado Robin?- Regina já chorava em meio a discussão.- Você não pensou nem no meu lado.

-Amor.- Robin chora.

- Me deixe sozinha.- Ela seca a lágrima.

-Regina...

- SAI DAQUI ROBIN!












Notas Finais


#OAUT #Outlawqueen #RobinofLockasley #ReginaMills #Sean


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...