1. Spirit Fanfics >
  2. Coisas de Casal >
  3. .no fim, tudo que casais fazem juntos são coisas de casal

História Coisas de Casal - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Eu escrevi isso por causa de uma cena criada pela minha mente fértil e me inspirei em algumas coisinhas que eu noto em relacionamentos adolescentes — incluindo o meu.
É algo bem bobinho e bonitinho que apenas surgiu na minha cabeça e eu não sosseguei até escrever como eu queria — mesmo saindo todo torto e aleatório.
Eu amo SeongJoong e eu amo ATEEZ como um tudo
Desculpem os erros
Enjoy!

Capítulo 1 - .no fim, tudo que casais fazem juntos são coisas de casal


 E nada foi dito quando Park Seonghwa travou os pés no chão, deixando grupo de amigos questionáveis — o qual fazia parte com certo orgulho — a alguns passos na frente, obrigando o seu namorado — que estava distraído demais lendo Agatha Christie para sequer ver aonde estava pisando — a parar também, mesmo que de maneira bem mais brusca e atrapalhada que o outro. 

Veja bem, Kim Hongjoong é todo pequeno e adorável, sempre com o uniforme arrumadinho e limpo — o altão de pernas longuíssimas era obrigado a concordar porque, realmente, o namorado fica lindo em tudo. 

Por isso, o mais novo não conseguiu evitar a expressão de espanto quando o moreno ergueu a mão que não estava entrelaçada com a sua até o seu rosto e juntou os lábios dele nos seus. 

Não demorou nem um minuto para toda a face de Hongjoong ficar da mesma cor de seus fios recém tingidos de vermelho. E isso fez o Park vibrar por dentro e abrir um sorriso enorme por fora — nunca saberia lidar com o quão encantador seu namorado pequenininho poderia ser. 

Ambos juntos faziam um contraste deveras cômico e interessante aos olhares alheios. Um era pequeno, tinha um cabelo vibrante, roupas arrumadas no corpo, sapatos limpos e um quê de escritor amador. O outro era alto até demais, os fios tingidos de preto, o uniforme todo desordenado, os sapatos tão sujos que pareciam nunca ter visto água e possuía um ar de motoqueiro encrenqueiro.

Faziam parte do mesmo grupo de amigos — isso era um fato — composto por gente esquisita de gostos por comida e conteúdo de qualidade duvidosos. Felizmente todos ali respeitavam muito o jovem casal, sempre os defendendo e apoiando do início ao fim — Wooyoung costuma dizer que ele previu a coisa toda enquanto San protesta, dizendo que foi ele o cupido da história.

Porém, como tudo nessa vida tem a lei do respeito ao próximo — que, às vezes, não é obedecida de jeito nenhum — com eles não seria diferente. 

Perto dos amigos, não ficavam fazendo as típicas coisas bobinhas e sem sentido que casais fazem, como: dividir comida, trocarem beijinhos, falarem coisas melosas. Isso tudo apenas porque tanto Seonghwa quanto Hongjoong sentiam-se levemente desconfortáveis ao notarem que os amigos estavam olhando as coisas idiotas que eles faziam.

Não que fossem olhares julgadores e ruins, mas era meio chato ficar de vela — quase um castiçal, como dizia Mingi.

E não podiam julgar porque o próprio casal concordava mutuamente que era desconfortável ter um casal se atracando toda hora ao lado.

Ou seja, nada de melosidades, beijinhos por todo o rosto e mãos — o que era uma leve tortura para o mais velho, que adorava segurar a mãozinha do namorado.

Um fato positivo era que os dois eram da mesma classe e podiam conversar a vontade sobre qualquer coisa que viesse na cabeça — como um sabor de bolo que combinasse com chá de melão. Conversas típicas entre pessoas fora do comum.

Dessa vez, teriam que fazer uma tarefa em dupla. Juntaram as carteiras — assim como toda a turma, deixando uma organização bonita na sala —, apenas esperando a matéria ser explicada. 

O Kim pegou o caderno de sociologia e começou a anotar calmamente o que a professora passava na lousa branca, quase como se estivesse desenhando no lugar de escrever. Enquanto isso, o Park estava com o cotovelo em cima do caderno e o rosto apoiado na palma da mão, sem dar a mínima para a aula, observando as expressões bonitas e tranquilas do garoto de cabelo vermelho ao lado.

Ainda bem que este garoto está na sua vida porque, sem ele, provavelmente deixaria toda essa atividade de lado o máximo possível apenas para poder observá-lo.

— Hwa, o que você está fazendo?

— Observando você e toda a sua beleza. - ficou em silêncio e depois sorriu - Acho que me apaixonei de novo, Joong.

E o outro riu, sorrindo também.

— Essa é a segunda vez que você me diz isso hoje. - agora estava focado no pequeno texto que precisavam entregar.

— Como você consegue contar quantas vezes eu falei isso?

— E como você não?

— Se eu pudesse contar as vezes que olhei para você e me apaixonei, acredite, eu faria. Mas eu não posso, porque isso me faz pensar em você e eu acabo perdendo a conta outra vez.

E Hongjoong sentiu o chão se esvaindo e todo o seu coração pulsando tão forte que parecia estar prestes a explodir. Soltou a caneta que usava para escrever e deixou um selinho nos lábios do garoto.

— Eu amo você, sabia? 

— Sim, e eu amo você mais. 

Seonghwa estava tão radiante quanto a luz do Sol, que cruzava a sala inteira e parecia deixar a imagem de seu namorado ainda mais bonita. 

— Ainda bem que os meninos não estão aqui para me ver com essa cara de bobo apaixonado e falar o quão adoráveis nós somos juntos. - o mais novo comentou, já sentindo o rosto se aquecer pela timidez.

Então ouviram um grito bem alto vindo do corredor: 

— RELATIONSHIP GOALS!

E foi aí que descobriram que ter amigos estranhos demais tinha o seu lado positivo — positivo ao quadrado, como classificou Yunho a uns tempos atrás.

Eles poderiam fazer quantas caretas engraçadas quisessem, mas iriam sempre estar ali para apoiar e tirar várias fotos nos momentos mais icônicos apenas para colocar no vídeo de casamento de alguém.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...