História Cold Heart - TAEGI - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Homofobia, Jikook, Jimin!bottom, Jungkook!top, Preconceito, Relaçao Abusiva, Taegi, Taehyung!top, Yoongi!bottom
Visualizações 362
Palavras 6.323
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, LGBT, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 9 - Oito


Fanfic / Fanfiction Cold Heart - TAEGI - Capítulo 9 - Oito

Shin Naeun olhava quase assustada para o homem parado a sua frente, ela não era o tipo de mulher que se intimidava fácil, era dura como o concreto e não se abalava por uma cara feia, nunca foi muito simpática em todo caso. Mas não podia negar que seu sangue gelava um pouquinho em suas veias olhando para o homem ali, sabia quem ele era e sabia do que era capaz e isso já era o suficiente para deixa-la de pernas bambas. Sua fama não era em vão e ela sabia onde estava se metendo desde o início, mas mesmo que quisesse não era capaz de controlar o tempo e fazer com que o universo girasse de uma forma favorável para si, contou com o destino e a boa sorte, para no final ver o quão idiota tinha sido.  

Estava devendo dinheiro para ele, essa era a verdade, pegou uma quantia boa, mas na data do pagamento, não tinha conseguido a quantia prometida, tinha pouco mais da metade, era um valor bom, mas o que faltava ainda era alto o suficiente para que o homem não perdoasse a dívida. Estava ferrada, no sentido mais amplo da palavra.   

- Mais 15 dias e eu prometo te pagar completo, eu não consegui tudo ainda, mas posso se me der mais uns dias.   

- Eu te dei quase dois meses, Naeun, e só fiz porque te conheço de longas datas, sabe disso.   

- Mas eu preciso de 15 dias, nada mais que isso, só 15 dias.   

- Cadê aquela sua namorada estranha? Você falou que ela te ajudaria.   

- Eu tirei o que podia dela, não posso pedir mais ou ela irá desconfiar.   

Ele apenas balançou a cabeça em confirmação olhando ao redor, costumava ir naquela casa quando mais novo na época que Shin ainda não era viúva, as duas eram o que ele podia chamar de amigas e sempre o acolhia em noites difíceis. Encobriram ele mais vezes do que podia contar e se fosse pensar em um conceito de família, lembraria delas no mesmo instante, por mais maluco que aquilo pudesse parecer. Fazia em média dois anos que se manteve longe, não andava muito por aquele bairro, não mais, e consequentemente se afastou de algumas ditas amizades. Ficou surpreso quando recebeu uma ligação de Naeun pedindo dinheiro emprestado, a mulher até chorou ao telefone e ele ficou com dó o suficiente para estender o prazo de pagamento. Mas ali, parado no meio da cozinha dela ouvindo-a dizer que não tinha a porra do seu dinheiro todo, fazia ele quase se arrepender de ter sido tão caridoso. E acredite, ele odiava arrependimentos.   

- Isso aqui está diferente do que eu lembrava, você tem vivido na lama, Naeun desde que a Eunmi morreu, isso aqui está um caus. O que fez com o dinheiro que pegou?  

- Foi para ajudar um amigo antigo, nada demais.   

- Uh... E cadê o seu filho? Eu acabei cruzando com ele um tempo atrás, ele cresceu, hum. - quando se virou outra vez em direção a mulher, ela pode ver o sorriso sádico nos lábios do homem e entendeu de imediato o que aquilo significava. Desde muito antes ele sempre usava daquele tom e daquela expressão para se referir ao garoto, sempre com segundas intenções e palavras sugestivas, naquela época nem Nauem, tão pouco Eunmi levaram na maldade, mas ali, agora, frente a frente com o homem, enfim ela entendeu o que se escondia por trás de seus atos - Encontrei ele por acaso, fiquei o observando, mas ele não me reconheceu, parecia um coelhinho assustado.   

- Quando o viu?  

- Um dia desses. - deu de ombros - Quantos anos ele tem mesmo? Se não errei nas contas, acho que já é maior de idade. Seria interessante me divertir um pouquinho com ele, sempre gostei dos garotinhos assustados e você poderia facilitar isso pra mim, o que acha, Naeun? Você poderia me ajudar para que eu te ajudasse.   

- O que está querendo dizer com isso?  

- Eu te dou os 15 dias que você quer pra me devolver o dinheiro, eu nem cobro juros, mas em compensação você me arruma um momento com o seu filho, você sabe que eu sempre gostei muito daquele garoto. - sorriu vendo o modo como o rosto dela ganhou de imediato uma expressão mais relaxada. O homem não tinha conhecido muitas mães na vida, mas ele sabia que Shin Nauem era a mãe mais filha da puta que cruzou seu caminho, e acredite, ele estava bem com isso já que não era a sua mãe mesmo - Você me ajuda e eu te ajudo em troca, o que me diz?   

- Feito. - sorriu abertamente, ela até gargalhou feliz por pouco não dando um abraço no homem a sua frente - Nem que seja por uma noite, Min Yoongi é todo seu.   

*   *   *  

- Jin hyung, está bom, pare com isso.   

- Fica quieto, Yoongi, deixa eu terminar de te arrumar, você vai se encontrar com seu pretendente, tem que estar arrumado.   

- Aish!   

Jin tinha chegado em casa era por volta das sete da manhã, ele sequer dormiu, apenas se deitou ao lado de Yoongi e ficou ali com ele mexendo no celular até o despertador do mais novo tocar as nove. Depois do jantar da noite passada, Taehyung tinha levado Min para tomar um sorvete como sobremesa e depois de darem uma volta, Kim fez questão de levá-lo até a casa de Seokjin para se certificar de que chegaria bem. Assim, Yoongi apenas dormir depois de um banho, se abrigou debaixo das cobertas de Seokjin e pegou no sono sem nem perceber, estava tão cansado que nem mesmo teve medo de dormir sozinho na casa apenas com a luz do pequeno abajur de suporte.   

Assim, desde que acordou, que seu hyung lhe atormentava o juízo. Primeiro que Jin o fez tomar um copo de leite achocolatado mesmo ele dizendo não está com fome e depois cismou de lhe arrumar ao saber que Taehyung passaria ali as dez para lhe buscar. Seokjin até mesmo hidratou o cabelo dele e o fez usar uma máscara facial, era engraçado, se não fosse tão trágico. Depois, escolheu uma roupa sua para Yoongi, a menor e a mais bonita, o que resultou em jeans e uma camisa de botão larga, depois ajeitou seus cabelos e por fim lhe maquiou. Min achou tudo aquilo um exagero, ainda aí dar 10h da manhã, não precisava de todo aquele enfeite - por mais que tivesse se sentido bem dentro daquela montagem. Mas Seokjin não parou e isso ficou pior quando o mais velho ligou para Jimin e o Park apenas o incentivou a continuar.   

Quando Jin enfim terminou, os dois ouviram a campainha da casa soar deixando eles cientes de que Taehyung tinha chegado, ele tinha levado Yoongi para casa do amigo na noite anterior e isso facilitou na hora de ir busca-lo. Passaria o dia inteiro com o mais novo e mal conseguia se conter de tamanha animação, tão contente que nem ficou com peso na consciência e ter negado, educadamente, o convite dos pais em irem almoçar com eles na casa de uma amiga. Sua mãe falou algo como “eles tem uma filha que está solteira”, e se fosse em dias normais eles teriam tido uma discussão sobre ela está querendo se meter em sua vida ao ponto de querer lhe arrumar uma namorada - ou no caso mais extremo uma esposa. Porém ele ainda sob os sentimentos do dia anterior onde nada nem ninguém podia estragar seu dia, então Kim se limitou a dizer que não estava interessado, se desse muita corda sua mãe iria longe demais com aquele assunto e lhe colocaria em uma situação complicada depois.  

Era exatamente 10h quando chegou à casa de Seokjin, foi de taxi porque assim dava mais liberdade para se movimentar de um lado para o outro, não tinha muita pratica com o volante e por isso preferia pagar taxi, não era lá grande coisa em todo caso. Enquanto ia buscar Yoongi, o motorista ficou no carro com o contador ligado pronto para leva-lo para qualquer lugar da preferência dos dois, Taehyung levaria ele para comer porque estava decidido a encher o mais novo de comida sempre que tivesse essa oportunidade, depois o levaria para a outra ponta da cidade para fazer um programa que tinha certeza que Min iria adorar. Não tinha nada planejado para depois disso, mas teria tempo para isso.   

Não esperou muito para ser atendido, menos de um minuto depois a porta da casa foi aberta dando a Taehyung a visão de Kim Seokjin dentro de um pijama vermelho quadriculado, os braços cruzados e um olhar felino em sua direção, não parecia irritado, mas também não parecia lá muito animado.   

- Bom dia... - Taehyung começou tentando ser cordial o suficiente, com direito a um sorriso enorme e tudo mais, mas isso não pareceu surtir efeito sobre Seokjin ao que o garoto estreitou ainda mais os olhos em sua direção. - Eu acordei vocês?  

- Você vai sair com o meu Lil Meow Meow... Acho bom cuidar dele ou eu mando minha noona te quebrar, eu não sou muito forte, mas ela luta Krav Maga e pode matar você.  

- Eu não...   

- Jin hyung! - Yoongi protestou ainda dentro de casa, ele estava na sala arrumando seus patins para poder finalmente ir embora, Kim tinha passado uma mensagem para ele não esquecer - Pare com isso e não me chama assim na frente das pessoas.   

- Só estou deixando o hyung ciente de que eu tenho meus meios de fazê-lo se arrepender caso machuque você, saeng, eu tenho que proteger meus nenéns, você e o Jimin, e o Jungkook hyung já está bem avisado que se ele não cuidar do Minie, eu mato ele, só falta o Taehyung hyung. - Jin disse sério dando por fim um sorriso quando Yoongi apareceu na porta todo arrumadinho com a mochila nas mãos, ele não fazia aquilo pra parecer chato ou intrometido, aquele era o seu jeito de dizer ao Kim que o amigo não estava sozinho e tinha pessoas por ele, Jin podia ser bem tímido e reservado em relação a pessoas que não fazia parte do seu círculo de convivência, mas isso não o impedia de deixar Taehyung bem situado e lhe dar uma dura. Min Yoongi merecia ser feliz e não aceitaria que um hyung aparecesse assim e machucasse seu coração já tanto maltratado.  

- Eu não sou um neném! - Yoongi respondeu com um bico nos lábios, era fofo e os dois mais velhos sorriram bobinhos com isso, Jin porque amava vê-lo daquele jeito e sempre que tinha oportunidade lhe perturbava para ver ele agindo daquele jeito todo irritadinho, e Taehyung, bem, Taehyung estava apaixonado era claro que iria olhar feito um bobo para Yoongi diante as coisas mais simples possível. Min, após seu protesto, se virou em direção ao mais velho e sorriu em sua direção, era outro bobo no final das contas - Olá, hyung.   

- Olá, Yoongi, podemos ir? O táxi está nos esperando.   

- Claro. - se apressou em dizer, nem dando muita importância ao que Kim pegou a mochila da sua mão e apoio no próprio ombro, Yoongi apenas tratou de se despedir de Jin com direito a um abraço apertado e um beijo na testa, antes de agarrar a mão de Taehyung e irem embora dali. - Pra onde iremos agora, hyung?   

- Comer, vou te dar café da manhã e depois vamos para o nosso destino.   

- Mas eu já comi. - lado a lado, eles sentaram no banco de trás do táxi, o motorista cumprimentando o novo passageiro que apenas sorriu e lhe desejou um bom dia de volta. - Jin hyung me fez tomar um copão de leite com chocolate, porque ele falou que eu não podia sair de estômago vazio.   

- Isso não é o suficiente, você tem que comer pra ficar forte. - seus dedos se entrelaçaram ao dele e os dois ficaram juntinhos daquele jeito, o carro andando de uma forma lenta até chegar na avenida principal, se arrastando para longe enquanto os dois cochichavam no bando de trás, presos em um mundo que só pertencia a eles. Quem os visse podia achar que se conheciam a um tempão, que o contato era de anos e que se tratavam daquela forma depois de um longo período de construção, de uma amizade forte ou um relacionamento amoroso bem desenvolvido, mas a grande verdade era que os dois tinham engatado aquela aproximação fazia uma semana e para muitos, visto daquela forma, podia ser bem precipitado, podia ser pouco tempo e que estavam entrando naquilo de modo afoito e sem avaliar onde estavam se metendo, mas vamos ser sinceros, porque devemos ficar tão presos no que as outras pessoas querem? Por que tinham que viver a base do que os outros acham ou não certo? Eles se davam bem, eles faziam bem um ao outro e se queriam dentro do limite que os dois exerceram. Era saudável. Era gostoso. Era consciente. E enquanto estivesse seguindo esses três critérios, os dois não estavam nem aí com a opinião alheia. - Não quero que coisas como a de ontem volte a acontecer, não quero que se torne um habito seu passar muito tempo sem comer.  

- Você está falando como o Seokjin hyung. - Yoongi manhou apoiando a cabeça no ombro de Taehyung, pelo retrovisor o motorista olhava para eles de forma confusa, não era muito comum ele ver dois homens se tratando da forma como eles estavam, de mão dadas e falando baixinho um com o outro. - Ele sempre implica comigo.   

- Você deveria prestar mais atenção na sua alimentação, sua mãe não fala nada sobre isso?   

- Eu poderia te pedir uma coisa? - assim o mais novo se desencostou de Kim, seus olhos meio incertos olhando para os dele, uma expressão séria no rosto e indecifrável. Sabia que em algum momento teria que tocar naquele assunto com ele, não podia fingir que sua vida era ótima e tão pouco esconder seu passado e presente, mas enquanto pudesse retardar aquilo, faria. Min não se orgulhava de sua história, seus amigos e os pais de Jimin costumavam dizer que ele não precisava daquilo, era um menino forte que devia sim se sentir orgulhoso por toda a sua luta e suas conquistas, porém, na verdade, Yoongi tinha vergonha daquilo, vergonha de ter sido negligenciado pelos pais biológicos, vergonha por ter sido abandonado e maltratado, vergonha de ter todos os seus medos e receios, vergonha de todas as suas marcas e cicatrizes. E ele não queria que Taehyung visse aquele seu lado, pelo menos não de imediato, pelo menos sem antes saber se ele não iria embora da sua vida deixando novas feridas em si. - Não vamos falar disso, por favor, da minha família.   

- Tem algum problema?  

- Eu só não quero falar. - deu de ombros voltado a deitar a cabeça no ombro do mais velho apenas para fugir do olhar dele, não podia suportar aquele tipo de olhar, não queria. Já passava por isso com os pais dos seus amigos e com os seus amigos também, até Jungkook passava a lhe olhar daquele jeito depois que Jimin lhe contou sobre a família de Yoongi. Era um olhar de preocupação e ele se sentia triste com aquilo, porque algo dentro de si dizia que ele estava fazendo errado causando aquele tipo de sentimento neles, Min sentia-se um incomodo e ele detestava se sentir assim. Porque se estivesse incomodando, ele se afastaria e se ele se afastasse dos seus amigos, ele ficaria sozinho. E ele odiava sentir-se sozinho. Então, até onde desse, ele iria omitir aquela parte da sua vida para Taehyung, não queria sentir-se daquela forma com ele. - Mas diz, onde pretende me levar?  

- Vamos a uma pequena padaria americana que eu ia muito quando ainda era um estudante, meus amigos e eu sempre invadíamos aquele lugar depois das aulas. - suspirou resignado, puxando Yoongi para mais perto de si. Algo não estava bem, algo não parecia bem e ele queria confrontar o mais novo e lhe questionar sobre o que era, o que tanto queria esconder, mas sentia que não podia, sentia que devia dar aquele espaço porque Yoongi merecia e isso era mais importante que qualquer outra coisa. Quando Min estivesse seguro ele mesmo tomaria a iniciativa, até lá, bastaria apenas esperar. - Depois em um lugar legal.   

- Que lugar?  

- Não posso te dizer até chegarmos lá, quero te fazer uma surpresa e aposto que irá gostar.   

- Estou ansioso.   

O clima ficou diferente, ambos perceberam isso, ambos se sentiram incomodados. Durante o percurso até a tal padaria, eles não trocaram mais palavras, o motorista vez ou outra fazia um comentário e recebia respostas monossilábicas, uma música antiga passava no rádio e o transito parecia tranquilo por ser domingo e ainda cedo. Taehyung continuou segurando a mão de Yoongi durante todo o percurso, seus dedos entrelaçados ao do mais novo em um aperto razoável, a cabeça de Min apoiada em seu ombro e em certo ponto do percurso ele chegou a achar que o garoto tinha pego no sono, mas não tinha acontecido.   

Yoongi podia sentir o quão retraído Taehyung estava, não era difícil de perceber isso e também de como ele estava preocupado, o modo como Kim segurava sua mão ou vez ou outra o nariz entre os fios do seu cabelo, a forma como lhe amparou mesmo em silencio não deixava dúvida quanto aquilo. e Min queria chorar por está colocando aquele tipo de sentimento dentro dele, suas mães, quando ele era pequeno, dizia que ele era insignificante e só servia para deixa-las irritadas e arrumar preocupação, que só dava dor de cabeça e mesmo que não quisesse, ele cresceu com aquilo em sua cabeça. Cresceu achando que elas estavam certas e que não merecia que ninguém se preocupasse consigo. Até porque ele era insignificante e pessoas insignificantes não mereciam nada.   

Ele queria se desculpar sobre aquilo, pedir para que o Kim não fiasse com raiva de si ou que tivesse algum sentimento negativo. Queria pedir desculpas se causou algum mal-estar e dizer que não voltaria a acontecer, e ir embora. Por um momento Yoongi se sentiu mal de estar ali atrapalhando o dia do mais velho e sua vontade foi de voltar para casa de Jin e ficar com ele pelo resto do dia, porque era terrível sentir que estava atrapalhando alguém, e ele vinha sentindo-se assim tempo demais para apenas ignorar. Mas antes que pudesse fazer alguma coisa, o táxi enfim parou no destino marcado e Taehyung olhou para si com um enorme sorriso desenhado no rosto, um sorriso tão largo que nem parecia de verdade.   

Os dois tomaram um café da manhã reforçado, Kim pediu bacon, ovos mexidos e wiffles com mel e frutas. Yoongi comeu tanto - Kim praticamente o obrigou - que estava se sentido pesado e cansado, nunca foi muito adepto de comida, podia passar um bom tempo sem comer que sinceramente não sentia fome e naquele momento ele podia sentir o estômago dilatado de tanta comida que ingeriu. Os funcionários da padaria pareciam lembrar de Taehyung, o dono mesmo, um senhor ocidental com uma barriga imensa e grisalho até mesmo puxou o rapaz para um abraço e os dois adentraram em uma conversa que Yoongi não entendeu quase nada, os dois falavam em inglês e talvez ele tenha entendido algo como “hello” e “congratulations" durante a conversa, mas não tinha certeza, era péssimo naquele idioma.    

Quando então eles terminaram, e depois de mais uma sessão de abraços entre Taehyung e o senhor barrigudo, os dois seguram para o tal lugar onde o mais velho tanto tinha planejado. Na única vez que foi voltou ao seu país na época que residia em outro continente – claro, antes do acidente e das mudanças trágicas em sua vida – Kim tinha ido aquele lugar para uma partida das finais e ficou simplesmente encantado. O lugar era incrível e sem igual, claro, não era o mais apropriado para uma partida de hoquei, mas mesmo assim lhe deu boa sorte e naquela noite eles saíram campeões e só ele tinha marcado cinco pontos. Desde sua conversa com Yoongi quando ele contou sobre sua relação com a patinação, que o mais velho queria lhe levar até aquele lugar, por isso não perdeu tempo assim que teve oportunidade de convida-lo para aquele passeio. Queria ver Min feliz, queria ser capaz de proporciona-lo toda a felicidade e alegria de todo mundo e enquanto fosse possível, tentaria arrancar um sorriso sincero dele todos os dias ou até onde o mais novo lhe permitisse assim fazer.   

Eles andaram pouco até o lugar indicado, nada mais do que dois quarteirões e isso ajudou Yoongi com seu estômago cheio. Os dois foram rindo sobre coisas bobas, Kim falando sobre seu tempo na escola e de como se divertia por aquelas ruas com seus antigos colegas, das vezes que fugiu da aula e ia para as casas de jogos gastar todo o dinheiro do almoço, de como ele conseguia convencer os professores a receberem seus trabalhos em outra data apenas com belo sorriso e de como tudo era bem mais fácil e leve, até mesmo as discussões com os amigos pareciam menos ruins. Virar adulto era bom, mas atrelado a isso tantas responsabilidades e preocupações que a parte agradável da coisa acabava ficando em segundo plano.   

Yoongi estava distraído mais preocupado em apreciar a voz de Taehyung do que qualquer outra coisa e por isso não percebeu para onde estava indo, ele apenas se lembrou em olhar o seu destino quanto os dois pararam e o Kim fez um leve sinal sinalizando o lugar. A boca de Min se abriu quase de imediato, seus olhinhos pequenos arregalados e uma expressão quase boba em seu rosto. Eles estavam apenas na melhor pista de patinação no gelo de todo o país, onde acontecia as nacionais e tinha até matérias nos jornais locais falando sobre jogos de roquei e uma área fechada para o curling. Yoongi tinha planos para ir aquela pista em algum momento, mas era do outro lado da cidade e isso demandava tempo e dinheiro, coisa que ele não tinha muito. Então está ali, parado bem na frente da pista, fazia o coraçãozinho dele quase parar de tanta felicidade.   

Era lindo, e se ele não estivesse com problemas de vistas, tinha quase certeza que era possível ver os prédios a distância dali. De noite aquela visão devia ser o paraíso e ele mal podia se aguentar para colocar os seus patins e poder circular por todo aquele gelo.   

- Hyung... - ele resmungou sem saber o que dizer, sua mão chegou até a altura da boca e quando enfim virou em direção ao mais velho, Kim pode ver nitidamente o modo como os olhinhos dele brilhavam, era como uma criança recebendo seu presente na manhã de natal.  

- Você me falou sobre como se sentia enquanto patinava, e eu pensei: por que não leva-lo na melhor pista? - sorriu fazendo um carinho no rosto dele, Yoongi era lindo, mas quando ele sorria, céus, coitado do pobre coração de Kim Taehyung. - Espero que tenha gostado.   

Ele não pode controlar o espanto quando os braços de Yoogi lhe abraçou bem apertado, seus braços em volta do pescoço do maior e seu rosto apoiado em seu ombro. Min nem percebeu o que estava acontecendo, ele nem tomou nota sobre seu ato e era bem provável que fizesse bem depois do ocorrido, estava eufórico demais para se deter a detalhes como aquele. Ele apenas queria mostrar como estava se sentindo, o quão bem Taehyung conseguia ser para si e o tamanho da sua felicidade com um gesto tão simples. E qual melhor forma se não um abraço desses bem apertados?   

Taehyung não esperava pelo ato, em todo caso, no entanto isso não o impediu de retribui-lo segurando o pequeno corpo do mais novo junto a si, os braços lhe sustentando pela cintura, seu nariz enterrado no bolo escuro de cabelo de Yoongi, e aquele calorzinho no peito que mais ninguém podia lhe causar a não ser Min Yoongi. Céus, Kim não acreditava muito nesse lance de alma gêmea, ele não acreditava na ideia de ter nascido em par e em algum momento da vida iria encontrar sua cara metade, isso soava muito como cena clichê de um livro que falava sobre um amor clichê. Mas então ele cruzou com Min Yoongi, e porra, todo aquele conceito de amor verdadeiro pareceu menos idiota em sua cabeça, porque ele só podia sentir aquele tipo de sentimento por Yoongi. E vejam como as coisas eram, um dia ele havia criticado, mas agora, ali, com aquele garoto em seus braços, ele só podia agradecer os céus por o quão clichê o seu destino havia sido. Quem quer que fosse o responsável por eles dois terem se encontrado, teria a eterna admiração e respeito de Taehyung.   

- Obrigado, hyung, obrigado, obrigado. - Yoongi não se constrangeu em dizer, e tão pouco quando passou a dar beijos e mais beijos por todo o rosto de Taehyung, seus lábios indo de encontro a cada pedaço de pele exposta. Bochechas, testas, nariz e queixo não se livraram e a cada beijo que era deixando, o mais velho ria mais e mais amando toda aquela animação. Mal podia esperar para surpreender mais uma vez o mais novo e receber aquele tipo de tratamento. Em uma única manhã foi abraços e beijos, estava no paraíso. - Vamos, vamos, hyung, a gente precisa entrar.   

- Vamos com calma, meu menino, não quero que você se machuque. - ainda segurando o menor pela cintura bem junto do seu corpo, Kim os conduziu efetivamente para dentro apenas a alguns centímetros de distância de onde fiava a pista de gelo. Queria poder entrar com Yoongi e patinar ao seu lado, mas não podia, estava terminantemente proibido e a menos que quisesse ir parar no hospital devido ao machucado no joelho, deveria se contentar em apenas olha-lo. - Venha, eu coloco seus patins.   

- Eu estou tão animado, faz tanto tempo que eu quero vim aqui, mas eu nunca consegui tempo... É tudo tão bonito, hyung, ainda mais do que eu tinha imaginado.   

Sentados em uma aérea especifica para observadores, Taehyung sentou fazendo com que Yoongi fizesse o mesmo, o mais novo estava tão aéreo falando sobre tudo e ao menos tempo sobre nada que nem percebeu quando Kim retirou seus patins da mochila e logo em seguida retirou os sapatos dos seus pés. Ele foi cuidadoso ao colocar os patins, amarrando firme para que não se soltasse e Yoongi não corresse o risco de se machucar, queria o seu menino bem e ganhar uma contusão não estava nos seus planos. O mais novo apenas falava e falava, Kim nunca imaginou que pudesse vê-lo tão animado daquela forma e ficou feliz consigo mesmo por ter arrancada um sorriso daquela proporção dele. Sério, ele chegou a dar um tapinha em seu próprio ombro de orgulho.   

- Prontinho, agora você já pode ir. - Taehyung disse ajudando Yoongi a ficar de pé, tirou o casaco do mais novo de dentro da mochila e também vestiu nele, fechando bem o zíper da frente para mantê-lo bem aquecido, não queria que pegasse um resfriado ou uma gripe. - Se divirta.   

- Você não vai também, hyung?  

- Não, lembra, eu não posso, meu joelho não deixa.   

- Mas, hyung, eu não posso te deixar aqui sozinho.   

- Eu não me importo, contanto que você esteja se divertindo, eu ficarei feliz por você. - ele deu um beijo demorado na testa de Yoongi e depois o ajudou a ir até a pista, seus olhos brilhavam de admiração por aquela criatura. Algumas pessoas podiam o condenar por estar se sentindo daquela forma por outro cara, não vamos ser falsos e dizer que aquele tipo de coisa não existia, seus próprios pais não pegariam leve em recrimina-lo se soubesse das suas intenções com Min, mas ele não ligava, ele não conseguia se importar menos com tal coisa toda vez que olhava para aquele garoto, para o seu garoto. Tudo parecia tão certo que nada seria capaz de abalar o que sentia, de colocá-lo em dúvida dos seus sentimentos. Era cedo para falar de amor, no entanto, não seria mentira se assim fizesse. Mesmo sem perceber, Min Yoongi tinha pego seu coração nas mãos e o mais novo não tinha a menor noção disso, ele estava totalmente às escuras sobre o fato de Kim Taehyung está completamente aos seus pés. - Vá lá, aproveite.   

- Certo, eu vou.   

Taehyung ficou sentado olhando Yoongi de longe, ele tinha aquele sorriso no rosto enquanto patinava, ele até acenou para um grupo de crianças e cumprimentou duas garotas que lhe olhavam, ele parecia brilhante como se algo tivesse se acendido ao seu redor e sua alma estivesse sobre a pele. Kim se questionou quem tinha sido o responsável por ter feito uma criatura como aquela, porque só alguém muito bom podia ter feito ele.   

Preso naquela bolha, ele só conseguiu desviar sua atenção quando o celular apitou em seu bolso em uma mensagem de Hoseok. Jung sabia que o seu saeng ia levar Yoongi para um passeio e fazer toda uma programação a dois e não podia está mais feliz por Taehyung, sabia o quando Kim estava feliz e motivado naquele dia, queria conhecer Min logo e poder agradece-lo devidamente por estar fazendo aquilo pelo seu amigo mesmo sem ter a menor noção dos seus atos.   

*MENSAGEM VISTA PELO CELULAR DO TAEHYUNG*  

Hobi hyung: Eu tive a noite mais estranha de toda a minha vida.   

Hobi hyung: Misericórdia, quando eu achei que já tinha acontecido de tudo, me acontece isso.   

Taehyung: O que você aprontou agora?   

Hobi hyung: EU NÃO LEMBRO!  

Hobi hyung: Uma hora eu estava na festa, tomando uma cerveja, eu lembro de ter flertado com alguém, mas não me pergunte o gênero, e você sabe que eu entro num estado depressivo quando fico bêbado.  

Hobi hyung: Resumindo, eu só lembro que eu estava chorando sabe-se lá pelo o que e apaguei.   

Hobi hyung: Quando acordei eu estava no terraço de um prédio, tipo, a sete quarteirões de distância de onde estava, sem camisa e com o cabelo pintado de loiro.   

Hobi hyung: “Lhe mandou uma imagem”  

*Foto do Hoseok fazendo aegyo, os dedos fazendo V na frente dos olhos enquanto ele sorria daquela forma aberta que só ele conseguia, as covinhas a mostra e a camisa de botão branca tampando seu dorso. E claro, os fios de cabelo tingidos de loiro*  

Taehyung: Pelo menos ficou bonito, hyung, você está um gato.   

Hobi hyung: Eu sei! Eu sou lindo, não sou?   

Taehyung: *emoji de gatinho* *emoji piscando o olho*  

Taehyung: *Mensagem de voz*  

⏩” - Hyung, voce tem que parar de ficar se metendo nessas confusões, sempre que você sai e bebe algo acontece, tenho medo de que algo ruim aconteça.”  

Taehyung: *Mensagem de voz*  

” - Dessa vez você acabou com o cabeço pintado, mas vai saber o que pode acontecer depois”  

Taehyung: *Mensagem de voz*  

⏩” - Eu não quero parecer chato, eu só me preocupo com você”  

Hobi hyung: O hyung entende, Tae, e prometo me comportar melhor.   

Hobi hyung: Eu nem gosto de beber mesmo, tomo um copo de cerveja no outro dia fico com uma ressaca do inferno.   

Hobi hyung: Mas eu precisava desopilar, esfriar a cabeça.   

Taehyung: Aconteceu alguma coisa?  

Hobi hyung: Problemas no trabalho.  

Hobi hyung: Mas me diz, saeng, como está sendo o seu dia?   

Taehyung: Otimo! *carinha sorridente*  

Hobi hyung: Oh, está animado, me diz ai, o que está fazendo?  

Taehyung: Eu estou apenas vendo o Yoongi sendo feliz.  

*   *   *   

A chuva que ameaçou cair durante todo o sábado, finalmente caiu naquele início de noite pegando Taehyung e Yoongi desprevenidos. Depois do almoço eles foram assistir um filme e Kim teve a péssima ideia de deixar que o menor escolhesse, porque ele queria assistir algo fofinho, quem sabe uma comedia e sério, seus olhos brilharam quando viu a animação em cartaz, mas então Min preferiu um de suspense, uma estória sobre uma família que vivia sobre o completo silencio sendo ameaçados por bichos alienígenas que eram atraídos pelo barulho. Era tudo muito silencioso e cada vez que um som surgia, o pobre do Taehyung tomava um baita de um susto que só servia para Yoongi rir da sua cara. Se a risada dele não fosse tão lindinha, o mais velho teria achado que tudo foi um fracasso.   

Quando a sessão acabou eles ficaram andando pelo shopping, Yoongi mostrando todas as lojas que mais gostava – nenhuma de roupas – algumas de livros e outras de artigos variados, ele até mesmo entrou em uma que tinha um cheiro forte de incenso e as atendentes falavam com uma calma estressante. Ficaram ali por horas, nem se deram conta do tempo passando. Depois teve o jantar e a chuva acabou os pegando no caminho para casa, faltava alguns bons quarteirões para casa de Jimin – onde Min ficaria outra vez naquela noite - e em menos de um minuto debaixo daquela tempestade os deixou encharcados.   

- Estamos perto do ginásio, Yoongi, minha casa fica na frente, o que acha de irmos para lá e esperar a chuva passar? - os dois tentavam se abrigar debaixo de uma coberta de loja o que não adiantava de nada. Taehyung segurava Yoongi contra seu corpo esquentando o pequeno corpo que tremia de frio, o céu estava escuro e não tinha ninguém na rua, faltava apenas um quarteirão e meio para que chegassem ao apartamento do Kim, o que ficava bem mais perto do que a casa de Seokjin - Lá você pode tomar um banho e trocar de roupa.   

- Mas eu não vô atrapalhar, hyung?  

- Não, meu bem, você nunca me atrapalha.   

Mas a chuva não passou. Tahyung fez com que Yoongi tomasse um banho e lhe deu roupas quentes assim que chegaram, Min pareceu relutante, mas não protestou quando Kim praticamente lhe obrigou que fosse trocar as roupas molhadas ou acabaria doente e então ele foi. Marcava pouco mais das sete da noite e ele estava lá sentado diante a janela da sala preocupado com o tanto que estava chovendo, quanto mais o tempo passava, mais chovia e isso o deixava aflito.   

Ele tinha aula no outro dia de manhã e todas as suas coisas estavam na casa de Seokjin, essa que estava longe demais para poder voltar. Podia pegar um taxi, mas o fluxo da chuva estava tão alto e forte que as autoridades responsáveis estavam aconselhando as pessoas a não dirigirem e se manterem dentro de casa ou em lugar seguro. Enquanto Taehyung estava no banheiro tomando o seu banho, o mais novo estava no celular com os amigos trocando mensagens para dar alguma notícia para os dois.   

"MENSAGEM DO GRUPO ❤ SARANGHAE CARALHO❤ "   

Seokjin: Onde você está, Yoongi? Sério, eu estou começando a ficar preocupado.   

Yoongi: Estou na casa do Taehyung hyung, acabamos tomando chuva e estávamos perto da casa dele.  

Jimin: E está tudo bem, hyung? Ele está te tratando direitinho?   

Yoongi: Está sim, ele me levou para a pista de gelo que eu tanto queria e lá é tão linda, eu me diverti tanto.   

Yoongi: Depois fomos almoçar e ele pagou um sorvetão enorme pra mim de chocolate com um monte de confeitinhos de chocolate e frutinhas. Depois assistimos filme e andamos pelo shopping, diferente de vocês ele não ficou entediado em entrar nas lojas que eu gosto, fomos em todas.   

Yoongi: E pra completar eu ganhei hambúrguer com batata frita no jantar, eu ganhei até um bonequinho dos dinossauros. Agora eu estou de banhinho tomado e com roupinhas quentes, tem o cheiro dele e é beeem grandona.   

Jimin: E você está feliz, hyung?   

Yoongi: Sim.   

Yoongi: Mas também estou preocupado.   

Yoongi: Amanhã tem aula e minhas coisas está na casa do Jin hyung.   

Seokjin: Yoon, não se preocupe, amanhã eu levo suas coisas para a faculdade, se não der para sair daí hoje, não invente de sair nessa chuva. Fique na casa do hyung e fique seguro.   

Yoongi: Certo, hyung, eu ficarei.   

Oito. Nove. Dez. Onze da noite e nada da chuva passar. Yoongi já estava cansado de esperar quando Taehyung conseguiu convencê-lo a ir para cama dormir, Kim ficaria no sofá e o mais novo em sua cama, mesmo que fosse desconfortável pra cacete, preferia dar mais espaço a Mim e deixa-lo confortavel. O que não aconteceu, claro, já que ele odiava ficar sozinho em um lugar escuro e pior ainda se fosse um lugar escuro e desconhecido.   

Era por volta da meia noite, o mais velho estava no sofá da sala mexendo em alguma coisa no celular, verificando o placar dos jogos de roquei do domingo quando ouviu uma movimentação na porta do quarto e quando percebeu Yoongi estava lá, parado enrolado no lençol da cama e um bico enorme nos lábios. Ele tinha uma carinha de choro e isso fez com que Taehyung se levantasse rápido do sofá – dando a mínima para como seu joelho reclamou no processo – chegando perto o suficiente do menor para puxa-lo para um afago.   

- Hyung, está escuro lá.   

- Oh, meu bem...  

- Você não pode ir ficar comigo? Eu não gosto do escuro.   

- Claro, amor, vamos lá.  

Aquela, sem sombra de dúvidas, foi a noite em que Taehyung melhor dormiu em toda a sua vida, com Yoongi deitado em seu peito podendo ter ele ali juntinho de si. Naquele momento, ele só queria poder passar na cara de Jimin e dizer que agora era ele quem estava dormindo agarradinho com Yoongi e não ele.


Notas Finais


Capítulo betado por: cotton_cookie


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...