1. Spirit Fanfics >
  2. Cold Little Heart >
  3. Insano

História Cold Little Heart - Capítulo 46


Escrita por:


Capítulo 46 - Insano


Fanfic / Fanfiction Cold Little Heart - Capítulo 46 - Insano

- Não, Hyunjin... isso é errado. - me afastei dele, ficando totalmente sem graça e me sentindo culpada.

- Akemi. - passou seus dedos entre meus cabelos. - O que é errado é ficar sofrendo pelo Seokjin atoa... enquanto existe uma pessoa aqui que te ama e apenas quer que seja feliz.

- Mas eu ainda sou casada com ele, seguro em mim seu sobrenome ridículo..

- Shh! - me deu um selinho, fazendo assim que não saísse todas as palavras que eu planejava dizer para ele. - Às vezes você fala demais, Akemi Tsunaku.

- Como sabe meu sobrenome? - fiquei curiosa.

- Podemos dizer que eu vi com meus próprios olhos. - respondeu.

- Como assim? - fiquei confusa.

- Alguns dias atrás eu fui até a casa de Seokjin, enquanto ele estava fora. - pausou. - Peguei algumas coisas suas que consegui. Todas elas estavam prestes a irem para a lixeira... por sorte as peguei primeiro. - sorriu. - Eu só não sabia seu aniversário, porque o documento inteiro estava em japonês e eu não soube entender.

- Por que não me disse? - fiquei revoltada.

- Queria poder fazer uma surpresa. - se explicou. - E nem adianta procurar, porque minha mãe guardou muito bem... caso Seokjin venha procurar ou algo do tipo. - pausou. - Nem eu sei aonde está. 

- Obrigada, Hyunjin! - o abracei. 

- Akemi... você me daria a honra de poder te beijar de novo? - mordeu seus lábios. 

Seus olhos brilhavam á cada palavra que eu dizia em qualquer tom... podendo ser até xingamentos. 

E fiquei em silêncio.

- Sério que está me deixando falar sozinho, logo eu que..

Eu o puxei e lhe dei um beijo feroz, um dos tipo que tira o fôlego de alguém no mesmo instante. 

Até que ele se levantou e me puxou pelo braço. 

- O que está fazendo? - comecei a rir.

- Não é muito agradável fazer o que me deu vontade aqui no telhado... de frente para a casa do Seokjin.

Nós descemos do telhado pela a janela do corredor que dava acesso para os quartos. Entramos numa incrível rapidez no quarto dele e o mesmo trancou a porta com várias voltas feita pela a chave.

- E se sua mãe voltar? - fiquei preocupada.

- Ela vai demorar. - afirmou, indo em minha direção.

Tirou meu moletom e apenas me deixou com uma camiseta transparente que estava por baixo. E tirei a sua camiseta... deixou seu corpo exposto.

- Eu te amo, Akemi! - me puxou pela nuca e me beijou com vontade.

- Você fala demais, Hwang Hyunjin. - disse sua mesma frase e imitei o mesmo tom que usou.

E ele começou a rir de mim.

- Eu não falo desse jeito. - se defendeu. 

- Lógico que sim. - tirei minha calça. 

Sua primeira reação quanto à isso foi me colocar em sua escrivaninha, jogando tudo no chão. Com certeza seu notebook havia chegado ao fim depois da queda... a metade de suas canetas estavam espalhadas pelo chão.

Desabotei sua calça jeans e massagiei seu membro, que fez com que ficasse louco e penetrar no mesmo instante. Fazendo com que eu deixasse entrelaçado minhas pernas em sua cintura e o deixei ainda mais próximo de mim. Ele dava estocadas, enquanto apoiava sua mãe esquerda na parede e a outra em minha cintura. 

[...]


Ficamos por minutos trancados naquele quarto apenas curtindo o que estava acontecendo naquele instante (antes que Hyorin chegasse e acabar nos vendo).

Mas aquilo acabou e ficamos exaustos, que decidimos nos deitar na cama.

- Poderia me explicar uma coisa? - pedi, me virando para a sua direção. 

- Claro. - secou seu suor que escorria pela a testa.

- Sua mãe me disse que ficou sabendo do que havia acontecido comigo, através do seu tio... que se chama Taeyang. - pausei. - Ele é o mesmo policial que me atendeu e até me deu algumas moedas... para ligar para a minha mãe. - expliquei. - Mas por que o odeia?

- O Taeyang é o irmão mais novo do meu pai e na época em que meu pai foi preso pelo o que ele fez... Taeyang arrumou advogado e várias pessoas, para soltar meu pai, pois dizem que era melhor. - respondeu. - E ele não deveria ter feito isso.

- Sua mãe trabalhou na casa da família do Seokjin por muito tempo? - foquei o assunto em outra pessoa, mas não mudei o foco dela.

- Desde da época em que eles adotaram o Seokjin. - me abraçou por trás. - Vamos deixar esse tipo de coisa fluir bem longe. - conselhou.

- Tem razão. - beijei sua mão. 

O que me favoreceria era saber porquê Seokjin me tratava assim, não totalmente, mas me ajudaria a entender melhor a situação para poder lidar melhor com ela.

Como Hyorin trabalhou lá desde que Seokjin foi adotado, com certeza sabe como foi a sua infância antes de ir morar em Seoul. Do pouco que sei, está lá que Seokjin foi adotado com 6 anos, no mesmo ano em que sua mãe foi morta e seu pai também. 








Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...