História Cold (Paulícia) - Capítulo 41


Escrita por: ~

Postado
Categorias Carrossel, Lucas Santos
Personagens Alícia Gusman, Bibi Smith, Carmen Carrilho, Cirilo Rivera, Daniel Zapata, Davi Rabinovich, Firmino Gonçalves, Jaime Palillo, Jorge Cavalieri, Kokimoto Mishima, Marcelina Guerra, Margarida Garcia, Maria Joaquina Medsen, Mário Ayala, Paulo Guerra, Personagens Originais, Valéria Ferreira
Tags Carrossel, Darkfic, Lufer, Marilina, Paulicia, Romance
Visualizações 327
Palavras 1.172
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Finalmente voltei! Espero que me perdoem pelo tempo que eu fiquei sem postar, mas agora eu pretendo voltar com tudo!

Boa leitura❤️ o cap tá pequeno, eu sei, mas eu não podia colocar mais nada depois dessa bomba do final, ke

Capítulo 41 - Adeus


"O mundo é cruel, egoísta e sombrio

Qualquer sinal de alegria que ele encontra

Ele destrói"

Enrolados

Paulo Guerra 

Já vivi tantas coisas durante esse meu pouco tempo de vida que era surreal esse pingo de felicidade em meio a tantas dúvidas. Pela primeira vez em anos eu estava sendo feliz de verdade. E nunca vou me cansar de dizer que a Alícia foi o real motivo de tudo isso. Ela me guiou para o caminho certo, me fez enxergar a solução e me deu forças para me levantar e enfrentar tudo isso, ainda conseguindo ver o lado bom de tudo. E sim, agora eu estava feliz. Não completamente, mas feliz como nunca estive. O que eu não esperava é que isso fosse durar tão pouco. 


Autora

(Alguns minutos antes)

Paulo e Alícia caminhavam lado a lado em direção à casa da garota. Os dois queriam passar a tarde juntos, e a casa de Alícia era a única alternativa que tinham, já que Sérgio a queria em casa. Os dois tinham passado praticamente a manhã inteira em casa e ainda almoçaram fora - hambúrguer da esquina mesmo, já que nenhum dos dois tinha dinheiro o bastante. 

Os dois estavam virando a esquina e logo teriam que passar pela casa de Roberto. Mesmo querendo ver o pai, Paulo não se sentia muito confortável com a situação. 

- Nós não vamos por outro caminho - Alícia dizia convicta. - Vai demorar muito pra dar a volta!

Paulo bufou e continuou a andar atrás da nova namorada. "Namorada". Essa palavra se tornava estranha quando era referida à Alícia, pensava Paulo com um sorriso no rosto. Nunca imaginou que a enxergaria dessa forma.

- Paulo... - chamou Alícia, que agora estava parada na curva da rua, olhando de forma assustada para frente. - Vem rápido. 

Paulo já sabia que se tratava da sua antiga casa, já que a mesma se encontrava no primeiro terreno logo após a curva. Depois de suspirar algumas vezes, caminhou lentamente até onde Alícia estava, se deparando com uma cena que ele esperava não ver tão cedo.


Paulo Guerra 

(Agora)

Sendo segurado por um policial, meu pai me encarava com lágrimas arrependimento rolando constantemente pelo seu rosto. Eu chorava também, mas nada eu poderia fazer além de encarar minha mãe com ódio por ter feito o que fez. Ela jurou, ela prometeu que não o entregaria! 

- Me perdoem, meus filhos... - disse ele, soluçando a cada palavra. - Não era isso que eu queria que vocês vissem. Não era essa vida que eu queria dar a vocês... Eu tentei dar a vocês uma vida agradável, sem dor nem sofrimento, mas eu falhei. Queria poder me justificar, mas nada que eu disser pode ofuscar o que eu fiz. Mas quero que saibam que nada disso foi pra algum dia prejudicar qualquer um de vocês. Eu juro!

Precionei meus olhos fechados e senti mais lágrimas transbordarem. Deixei que meu corpo perdesse qualquer força que ainda restava, e logo já estava de joelhos na grama molhada pela chuva noturna. Senti Alícia me abraçando calorosamente logo em seguida.

Marcelina, que havia chegado há alguns minutos, mal piscava. Continuava em pé, sendo quase sustentada inteiramente por Julia, que sussurrava palavras de conforto em seu ouvido. Bianca, tadinha... Não entendia nada do que estava acontecendo, mas mesmo assim chorava de forma assustada no colo de Cibele. 

- Vocês vão mesmo chorar por causa dele? - Lilian, pessoa que eu mal posso chamar de mãe, diz. - Depois de tudo o que ele fez com vocês, vocês ainda vão chorar por causa dele? Ele só vai ter o que ele merece, vamos provar tudo isso no tribunal e ele vai pagar por tudo o que ele fez.

- Mãe, você não entende? - Marcelina a interrompe. - Ele é nosso pai. Ele mentiu? Sim, mentiu! Ele errou inúmeras vezes com nós dois, mas ele ainda assim tentava ser um pai bom, e fazia de tudo pra gente se sentir bem sem você por perto. Eu não entendo o motivo de ele ter fugido com a gente, mas seja lá qual for, ele ainda é meu pai e eu o amo! 

Várias pessoas já estavam em volta da casa para observar o que estava acontecendo. Alguns filmavam, outros fotografavam... Mas nada daquilo realmente me incomodava, por mais que fosse uma tremenda falta de respeito. Eu só conseguia pensar em como tudo poderia ter desabado dessa forma de uma hora pra outra. Eu estava tão bem... tão feliz! E agora eu já nem sei mais o que pensar, dizer ou sentir. 

- O discursinho familiar terminou? - o polícia perguntou. - Ele é um criminoso, a mãe de vocês fez bem em entregá-lo. Mas eu não tenho nada a ver com isso. Já podemos levá-lo à delegacia? - Outro policial assente e outros dois passam a arrastar meu pai em direção ao carro. 

- Esperem, por favor! - pediu ele, se debatendo para não entrar no carro. - Eu preciso me despedir dos meus filhos.

Os policiais não ouviram e continuaram a forçá-lo. Em um movimento curto e rápido, meu pai tirou a arma da farda de um dos policiais e se soltou dos braços deles. Os policiais armados apontaram todos as suas armas para ele, que agora mirava na cabeça de Lílian. 

- Eu peço um minuto! Só um! Depois eu deixo vocês me levarem... - disse, ofegante, ainda com a arma apontada pra minha mãe. 

- Larga essa arma agora mesmo! Ou seremos obrigados a atirar no senhor! 

- Eu já vou largar! Mas preciso de um segundo pra dizer algumas coisas.

Ele olhou para a minha irmã e depois pra mim. Seu olhar agora transmitia medo e desespero, eu não sabia descrever perfeitamente o que ele queria dizer com aquilo. Eu só queria que tudo isso simplesmente desaparecesse. 

- Me desculpa por apontar essa arma pra sua cabeça, Lilian... - voltou a dizer. - Mas isso não é nada que você já não tenha feito com um de nós três, não é? Você se lembra disso? - riu de forma cínica. - Eu te amava. E por amar também aos nossos filhos que eu fugi. Peço desculpa por tudo o que eu fiz, por todas as noites que você, Paulo, ou você, Marce, já tenham ido dormir chorando, ou por todas as vezes que vocês queriam a sua mãe mas não tinham ela por perto. Ou até mesmo por todo o apoio que eu deixei de dar a vocês quando vocês mais precisavam. Eu não fui um pai muito bom, e admito isso. Me arrependo mortalmente também. Eu amo vocês com todo o amor que possa caber no meu coração, mesmo que eu não demonstre isso todos os dias - desviou seu olhar para Bianca e abriu um pequeno sorriso. - Eu te amo, princesinha. Desculpa por você estar vendo isso agora, o papai fez uma coisa errada e agora precisa pagar. Eu amo todos vocês, meus filhos.

Derrubou uma última lágrima e, com as mãos tremendo, mudou a direção do revólver e puxou o gatilho assim que a encostou em sua cabeça. 



Notas Finais


EITA PREULA ELE MORREU GENTE AA 💔💔💔 essa parte da polícia e de ele se matar aconteceu de verdade com uma pessoa próxima da minha família e eu quis colocar aqui. Foi com a mãe do garoto, ela se matou pra não ir presa. Enfim! Finalzinho triste e bem de filme mesmo pq sim

Ta acabando 💔 falta tão pouco...
O fim não vai ser tão feliz assim como todo mundo espera ke

Desculpem mesmo pela demora e perdoem qualquer erro 😢 prometo não demorar pra postar de novo❤️ vou postar na fic nova em breve tbm


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...